Pacotes (de Sergio Santeiro)

O maior cuidado é que os radicais de um lado não excluam os outros

Safardos

O problema de morrer é que sua visão da história fica inverossímil

Cada geração a sua luta

Se sentir perigo cai fora

Fôsse a do Norte

Se um malfeito cometes trata de escondê-lo

Não gosto de coisas fora de lugar

Amador mas que não ama a dor

Não adora

Não confunde

Não atrapalha

Nem precisa ir às ruas se fôr às urnas já basta

Consciência eleitoral resolve todos os problemas do mundo

É como bunda cada um tem a sua

Acham que é fofoca eu acho que é política

Graças à descarada fraude jurídico eleitoral restaura-se a ditadura militar no Brasil

Mas há o voto agora mesmo nas municipais

A revolução é municipalista

Por mais danosa que seja é difícil levar essa gente a sério

A invenção do corpo é genial

Corpos podem trabalhar junto ou separado

Uma maioria de municípios desbanca o poder central  e pode cada um criar sua utopia local

Quem se omite não se inclui

Vitoriosa a unidade de esquerda em cada município fará a revolução possível amanhã

A ágora é agora

O personalismo elege a direita

Se a onça bebe a água a vaca sai do brejo

A farda não é  fada

A pés-quisa induz mas não é voto

Os deuses de povos primitivos são uma invocação às forças da natureza para que elas não nos destruam

Os gregos os hindus os ameríndios os orientais os europeus

Escrevo mais do que consigo publicar

O afã em construir o mais alto e sustentável do mundo devia converter-se em casa para todos

É preciso ressocializar a sociedade socialmente

E eis aqui um velho diário

Este que já dura mais de dez anos

E tem também outros anteriores em que registram-se as batalhas

Muitas perdidas mas vividas

Há a sobrevida


Sergio Santeiro
29 de fevereiro de 2020

_

Informações
cinemateca@mam.rio



Acessibilidade | Fale conosco | Imprensa | Mapa do Site