Veredas do Patrimônio Audiovisual

Este projeto conta com patrocínio da Concremat e H.I.G. Capital e apoio da Guelt Investimentos

Cenas de A brilhante Biograph: primeiras imagens em movimento da Europa (1897-1902)

O ciclo Veredas do Patrimônio Audiovisual visa valorizar o patrimônio audiovisual brasileiro e mundial conservado pela Cinemateca do Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro e outras instituições de guarda brasileiras e estrangeiras. Os arquivos cinematográficos e audiovisuais possuem uma rica e diversa coleção de filmes que representam uma documentação única para a compreensão das sociedades, de sua história e cultura em toda sua complexidade e diversidade.

Esse patrimônio reúne imagens em movimento de cunho profissional e amadoras, de ficção, documentais e de animação, científicas e jornalísticas, criadas nos mais diferentes suportes e formatos que, ao longo de mais de um século, se tornaram bens culturais imprescindíveis para o lazer, o turismo, a criação artística, a formação social e cultural e o conhecimento de nossa história.

São documentos raros, e muitas vezes únicos, que para além de possibilitar um conhecimento da arte cinematográfica em suas mais diversas formas e manifestações ao longo do tempo, também dão conta de uma série de aspectos das sociedades e culturas as mais diversas. Vão desde registros de cidades, espaços urbanos e arquitetônicos, como também da natureza e de manifestações humanas cotidianas de caráter material e imaterial, passando por fenômenos, criações, processos os mais diversos, entre muitas abordagens que, em seu conjunto, permitem as mais variadas apropriações, vivências e estudo. Mais do que saber por Iuri Gagarin que a Terra é azul, ver os filmes das missões Apollo e a famosa Blue Marble matizam o verdadeiro impacto da descoberta.

A vitalidade e relevância do patrimônio audiovisual está assim diretamente ligada com a possibilidade de sua experiência e conhecimento pela sociedade. O ciclo Veredas do Patrimônio Audiovisual pretende promover e valorizar o contato direto com as formas históricas de criação e exibição audiovisual, oferecendo quando possível rigorosas condições de fruição do cinema tal como elas se apresentaram em determinado momento histórico e tecnológico. O ciclo inclui também a possibilidade de assistir as obras do passado em novos arranjos técnicos e associações criativas. O passado está sempre em eterno movimento.

A apresentação de clássicos e novas descobertas, de restaurações impecáveis e materiais originais, suscita também o encontro com renomados curadores, embaixadores e especialistas do patrimônio cultural e científico, além de profissionais do cinema, que complementam o conhecimento sempre em expansão em torno dos filmes e de sua correta e bem sucedida preservação. Procura-se não apenas uma nova circulação desses documentos, como também a produção de conhecimento sobre eles e a partir deles permitindo uma ressignificação desses bens culturais resultantes de abordagens interdisciplinares que reforcem seu caráter patrimonial, cultural e artístico.

Janeiro 2021

Na primeira sessão do projeto Veredas do Patrimônio Audiovisual, que tem por objetivo apresentar a diversidade e riqueza do patrimônio audiovisual brasileiro e internacional, apresentamos uma compilação recentemente restaurada pelo Eye Film Institute e pelo British Film Institute, inédita no Brasil, de filmes da American Mutoscope and Biograph Co., principalmente através de sua subsidiária européia, a British Mutoscope Co.: A Brilhante Biograph: Primeiras Imagens em Movimento da Europa (1897-1902). Esses filmes foram rodados com a exclusiva câmara de grande formato Mutograph 68 mm, a 30 quadros por segundo, o que gerou imagens de extraordinária resolução. A sessão será complementada pelo filme Santos Dumont: Pré-Cineasta?, do cineasta e pesquisador Carlos Adriano, maior nome do cinema experimental brasileiro contemporâneo, realizado a partir da reconstituição de um filme mutoscópio em versão a cartão de 1901, realizado em Londres com imagens do aeronauta Santos Dumont e localizado no acervo do Museu Paulista da Universidade de São Paulo.

SEX 29, SÁB 30 e DOM 31 jan

Veredas do Patrimônio Audiovisual. A brilhante Biograph: primeiras imagens em movimento da Europa (1897-1902) (The Brilliant Biograph: Earliest Moving Images of Europe (1897-1902)). 52’. Sessão com acompanhamento musical criado por Daan van den Hurk. + O making of de The Brilliant Biograph (The making of The Brilliant Biograph: Earliest Moving Images of Europe (1897-1902)). Holanda, 2020. Documentário. 8’. Exibição em DCP. Legendas em Português. + Santos Dumont: pré-cineasta? de Carlos Adriano. Brasil, 2010. Documentário de reapropriação. 63′. Exibição em mov (h264). Classificação indicativa livre

Fevereiro 2021

SEX 26, SÁB 27 e DOM 28 fev

Veredas do patrimônio audiovisual. Homenagem a Máximo Barro. Macumba na alta de Maria Basaglia. Brasil, 1958. Com Jayme Costa, Maria Dilnah, Fábio Cardoso, Irina Grecco e Marina Freire. 81’. + Vamos fallá do Norte de Paulo Benedetti. Brasil, 1929. Registro sincronizado a disco da música “Vamos fallá do Norte”, com Bando dos Tangarás (Almirante, Alvinho, João de Barro, Henrique Brito e Noel Rosa), acrescido de um ritmista anônimo. 3’. Classificação indicativa Livre.

Assista em
www.vimeo.com/channels/cinematecadomam



Acessibilidade | Fale conosco | Imprensa | Mapa do Site