24 de março de 2021

Este mês | Meses anteriores | A seguir

MESES ANTERIORES

AGOSTO DE 2022

VISITAS AGENDADAS PRESENCIAIS
QUI E SEX . 10h e 14h
As visitas agendadas têm duração de uma hora e são voltadas para grupos de escolas, ONGs, dentre outras instituições, para visitar e conversar sobre a exposição Nakoada: estratégias para a arte moderna e a história do MAM Rio. Os grupos são acompanhados pelo time de Educação do museu. Horários disponíveis no mês de setembro.

Vagas: 45
Classificação indicativa livre
Agendamento via formulário
Ponto de encontro: bilheteria

VISITAS AGENDADAS ONLINE
TER . 10h e 14h 
Visitas online com duração de 40 minutos para grupos de escolas, ONGs, dentre outras instituições, abordando um dos seguintes temas: colecionismo e o acervo; história e arquitetura; e a exposição Nakoada: estratégias para a arte moderna. As visitas acontecem a partir de dinâmicas e jogos conduzidos por profissionais da Educação. Horários disponíveis para o mês de setembro. 

Vagas: 45
Classificação indicativa livre
Agendamento via formulário

_

VISITAS PETROBRAS
AOS DOMINGOS

11h30 e 15h – Uma volta pelas exposições – Ao circular pelas exposições em cartaz, o público é convidado a observar contrastes e aproximações entre as obras a partir do questionamento: o que pode ser um museu?

13h30 – Arquitetura e paisagismo do MAM – Visita com foco no prédio e nos jardins do MAM Rio, projetados por Affonso Eduardo Reidy e Roberto Burle Marx, respectivamente, investigando arquitetura e paisagismo como arte.

Classificação indicativa livre. Distribuição de pulseira na bilheteria com 30 minutos de antecedência. Ponto de encontro: bilheteria.
As visitas são uma iniciativa conjunta do MAM Rio e da Petrobras por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura.

_

VISITAS MEDIADAS
SÁB 6, 13, 17 AGO . 15h
Visitas às exposições em cartaz no MAM Rio, percorrendo obras e práticas artísticas, a partir do tema alteridade.

Classificação indicativa livre. Distribuição de pulseira na bilheteria com 30 minutos de antecedência. Ponto de encontro: bilheteria.

_

CURSOS E OFICINAS

Curso Quando as infâncias convocam o agora
Quando as infâncias convocam o agora é o primeiro curso do Bloco Escola com interesse na formação do olhar para as infâncias. Entre setembro e outubro, acontecerão oito encontros online que reúnem temas como território, corpo e educação, em diálogo com as infâncias.

Inscrições de 1 a 31 de agosto
Divulgação dos resultados em 2 de setembro
Inscrições via formulário

PROGRAMAÇÃO

SEG 12 SET . 18h30 – 19h 
Encontro de abertura
com Lais Daflon e Shion L (Gerência de Educação e Participação MAM Rio)

SEG 12 SET . 19h – 21h 
Infâncias itinerantes: educação e a cidade 
com Alessandra Biá (Escola Libertária de Artes) e Lívia Arruda (Projeto Motoca na Praça)

SEG 19 SET . 19h – 21h 
Ancestralidades do brincar: construindo infâncias antirracistas
com Flávia Lopes (Kekere Infâncias) e Juliana Correia (BaObazinhO)

SEG 26 SET . 19h – 21h 
Infância como levante: crianças e suas propostas para o mundo
com Adriel e Mara Pereira

SEG 3 OUT 19h – 21h 
Quando a arte convoca a infância
com Graziela Kunsch (Brincadeira Livre) e Juca Fiis

SEG 10 OUT . 19h – 21h 
Retomadas educacionais
com Cristino Wapichana e Juliana Amanayara Tupinambá

SEG 17 OUT . 19h – 21h 
Dinâmicas de acesso: negociações entre território e espaços formativos
com Ed Cura (Anime DICRIA) e Robnei Bonifácio (Aula De Boa)

SEG 24 OUT . 19h – 21h 
O que têm as travestilidades a ver com as infâncias?
com Leona Vingativa e Paula Beatriz de Souza Cruz

SEG 31 OUT . 19h – 21h
Troca de experiências

ZONA ABERTA 

Yoga para crianças
SÁB 6 AGO . 10h – 12h
Prática com linguagem voltada para os pequenos e suas famílias. A partir de posturas e respiração consciente, a professora Nívea Santana propõe sequências leves e divertidas.

Classificação indicativa livre. Ponto de encontro: pilotis.

Samba no pé para mulheres
SÁB 13 AGO . 10h – 12h
A dançarina Iara Cassano propõe uma experiência de autoconhecimento por meio da ancestralidade do samba e da conexão com o feminino.

Classificação indicativa livre. Ponto de encontro: pilotis.

Corpos de papel
SÁB 20 AGO . 10h – 12h
A educadora Shion L convida o público para a criação de pequenos corpos de papel. A ação remonta às antigas paper dolls, a partir de novas proposições e encaixes possíveis.

Classificação indicativa livre. Ponto de encontro: pilotis.

Oficina de arte urbana
SÁB 27 AGO . 10h – 12h
O artista Carlos Bobi nos mostra diferentes técnicas e linguagens da pintura nas artes urbanas.

Classificação indicativa livre. Ponto de encontro: pilotis.

PARA FAZER EM CASA
Artistas e educadores propõem atividades para crianças neste programa de oficinas em vídeo. Disponível em vimeo.com/acessmamrio.

PROGRAMAÇÃO

A partir de SÁB 20 AGO
Jogo da onça com Mayra Carvalho
Em diálogo com a exposição Nakoada: estratégias para a arte moderna, a artista e pesquisadora Mayra Carvalho convida o público para conhecer e experimentar uma tradicional brincadeira indígena: o jogo da onça. 

Classificação indicativa livre.

A partir de TER 30 AGO
Descobrir e criar com plantas com Mayara Veloso 
A agricultora e artista Mayara Veloso apresenta técnicas de identificação e cuidado de ervas medicinais.

Classificação indicativa livre.

Para Fazer em Casa é patrocinado pela Petrobras através da Lei Federal de Incentivo à Cultura.

JULHO DE 2022

VISITA PARA PROFESSORES
QUI . 4 AGO . 10h
Esta edição especial do programa de formação de professores do museu será realizada presencialmente no MAM Rio. Os professores inscritos na atividade participarão de uma visita mediada com educadores do MAM Rio na exposição Nakoada: estratégias para a arte moderna.

Inscrições via formulário até o dia 25 de julho. Informaremos por e-mail os professores selecionados para a visita até o dia 27 de julho. Só serão aceitas inscrições de professores que trabalhem em escolas nos municípios da Região Metropolitana do Rio de Janeiro.

_

VISITAS PETROBRAS
AOS DOMINGOS

11h30 e 15h – Uma volta pelas exposições – Ao circular pelas exposições em cartaz, o público é convidado a observar contrastes e aproximações entre as obras a partir do questionamento: o que pode ser um museu?

13h30 – Arquitetura e paisagismo do MAM – Visita com foco no prédio e nos jardins do MAM Rio, projetados por Affonso Eduardo Reidy e Roberto Burle Marx, respectivamente, investigando arquitetura e paisagismo como arte.

Classificação indicativa livre. Distribuição de pulseira na bilheteria com 30 minutos de antecedência.
As visitas são uma iniciativa conjunta do MAM Rio e da Petrobras através da Lei Federal de Incentivo à Cultura.

_

VISITAS MEDIADAS
SÁB 2, 9, 23 e 30 JUL . 15h 
Visitas às exposições, percorrendo obras e práticas artísticas, a partir das perspectivas de educadores, postas em diálogo com as do grupo, com o tema disputas, presente nas exposições em cartaz no MAM Rio. 

Classificação indicativa livre. Distribuição de pulseira na bilheteria com 30 minutos de antecedência.

_

VISITA MEDIADA COM JOAQUIM PAIVA
SÁB 16 JUL . 15h 
Visita à exposição Terra em Tempos: fotografias do Brasil com o colecionador Joaquim Paiva, cuja coleção faz parte do acervo do MAM Rio e figura na mostra. 

Classificação indicativa livre. Distribuição de pulseira na bilheteria com 30 minutos de antecedência.

________________________________________

OFICINAS

ZONA ABERTA 

Como fazer um carrinho de rolimã
SÁB 2 JUL . 10h – 12h e 14h – 16h
O coletivo I love MP convida as pessoas a fabricarem um brinquedo tradicional: o carrinho de rolimã. A oficina apresenta o objeto às crianças, que poderão brincar pelos jardins do MAM Rio, e envolve os adultos em uma atividade que lembra a infância.

10 vagas por ordem de chegada. Indicado para crianças entre 6 a 12 anos acompanhadas dos responsáveis.

Jogo da onça
SÁB 9 JUL . 10h – 12h e 14h – 16h
Em diálogo com a abertura da exposição Nakoada: estratégias para a arte moderna, a artista e pesquisadora Mayra Carvalho convida o público para conhecer e experimentar um tradicional jogo indígena, o jogo da onça. A oficina envolve a criação de tabuleiros para rodadas de jogos em coletivo.

Sem inscrição prévia. Classificação indicativa livre.

Oficina de colagem
SÁB 16 JUL . 10h – 12h e 14h – 16h
Nesta edição, o artista Herbert De Paz convida o público para criar novas imagens a partir das técnicas de colagem. Que figuras e situações a união de recortes de papel pode nos contar? Os participantes podem trazer também recortes de revistas e jornais de seus interesses para suas criações.

Sem inscrição prévia. Classificação indicativa livre.

Descobrir e criar com plantas
SÁB 23 JUL . 10h – 12h e 14h – 16h
Nesta ação, a agricultora e artista Mayara Veloso nos mostra técnicas de identificação e cuidado de ervas medicinais, acompanhada de práticas de criação com plantas.

Sem inscrição prévia. Classificação indicativa livre.

Bonecas-monstros
SÁB 30 JUL . 10h – 12h e 14h – 16h
Nesta edição de Zona Aberta, a artista Marina Lattuca nos convida a descobrir diferentes maneiras de criar bonecas-monstros a partir de tecidos de cetim e outros materiais secretos. Com quantos materiais se cria uma boneca? Quantos rostos e corpos ela poderia ter?

Sem inscrição prévia. Classificação indicativa a partir de 8 anos.

O projeto Zona Aberta é patrocinado pela Lei Federal de Incentivo à Cultura, Deloitte e Léo Social.


________________________________________

CONVERSAS E PALESTRAS

Especial Estudos vivos
Estudos vivos é um programa público, que possibilita a difusão de saberes diversos a partir de obras presentes nas exposições em cartaz no MAM Rio. Marcando o fechamento da exposição Terra em tempos: fotografias do Brasil, apresentamos uma edição especial do programa, dividida em dois domingos: uma conversa entre a artista Aline Motta e o crítico de cinema Juliano Gomes, e uma fala do colecionador Joaquim Paiva. 

Filha natural: filme, fotografia e memória
Conversa com Aline Motta e Juliano Gomes. Mediação: Beatriz Lemos
DOM 17 JUL . 15h  
A partir da exibição do filme Filha natural (15’52’’), de Aline Motta, no auditório da Cinemateca do MAM, a artista conversa sobre o curta-metragem e sobre sua obra comissionada para Terra em tempos: fotografias do Brasil com o crítico e professor Juliano Gomes. O evento conta com mediação da curadora adjunta do museu, Beatriz Lemos. 

Sem inscrição prévia. Classificação indicativa livre.

Fotografia e colecionismo
Conversa com Joaquim Paiva. Mediação: Pablo Lafuente

DOM 24 JUL . 15h  
A partir do recorte fotográfico de Terra em tempos: fotografias do Brasil, o colecionador Joaquim Paiva faz uma fala pública sobre seu acervo que figura na mostra. A mediação é de Pablo Lafuente, diretor artístico do MAM Rio. 

Sem inscrição prévia. Classificação indicativa livre.


________________________________________

BLOCO ESCOLA

MAM PARA EDUCADORES
Educação sob perspectivas indígenas
26, 27 e 28 JUL . 19h – 21h

Série de encontros online aborda a educação sob perspectivas e saberes indígenas, em conversas com Glicéria Tupinambá, Idjahure Kadiwel e Yaguarê Yamã. O ponto de partida é a nova mostra do museu, Nakoada: estratégias para a arte moderna.

PROGRAMAÇÃO
26 JUL – Glicéria Tupinambá
Glicéria Tupinambá, também conhecida como Célia Tupinambá, é da aldeia Serra do Padeiro, localizada na Terra Indígena Tupinambá de Olivença, no sul da Bahia. Participa intensamente da vida política e religiosa dos Tupinambá, envolvendo-se, sobretudo, em questões relacionadas à educação, à organização produtiva da aldeia, aos serviços sociais e aos direitos das mulheres. Foi professora no Colégio Estadual Indígena Tupinambá Serra do Padeiro e cursa a Licenciatura Intercultural Indígena junto ao Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Bahia (IFBA). Foi presidente da Associação dos Índios Tupinambá da Serra do Padeiro, sendo responsável pela aprovação e gestão de projetos voltados ao fortalecimento da aldeia. Atuou na Articulação dos Povos e Organizações Indígenas do Nordeste, Minas Gerais e Espírito Santo e foi membro da Comissão Nacional de Política Indigenista (CNPI). Além disso, representa seu povo junto à Organização das Nações Unidas para a Igualdade de Gênero e o Empoderamento das Mulheres (ONU Mulheres). 

27 JUL – Idjahure Kadiwel
Idjahure Kadiwel é poeta e antropólogo, nascido no Rio de Janeiro e pertencente aos povos indígenas Terena e Kadiwéu, do Pantanal sul-mato-grossense. Seus trabalhos e atividades perpassam as artes, as musicalidades, a memória, a etnomídia e a etnologia dos povos indígenas, por meio de uma atuação contracolonial, transdisciplinar, transmídia e multilinguística. Atualmente trabalha como curador do curso Musicalidades Indígenas no Brasil (Itaú Cultural) e desenvolve pesquisa de doutorado sobre oralidades musicais & musicalidades indígenas a partir do alto rio Negro. É graduado em Licenciatura e Bacharelado em Ciências Sociais pela PUC-Rio (2017), mestre em Antropologia Social pelo PPGAS-MN/UFRJ (2020) e doutorando em Antropologia Social pelo PPGAS/USP.

28 JUL – Yaguarê Yamã
Yaguarê Yamã é escritor, geógrafo, ilustrador e ativista indígena nascido no Amazonas. Filho do povo maraguá e do povo mawé, tem 36 livros publicados.  É autor de três dicionários de línguas indígenas. É professor efetivo pela SEDUC-Am. Pertence à Academia Parintinense de Letras e é sócio-fundador da Academia da Língua Nheengatu (ALN).

Vagas: 100
Inscrições de 1 a 20 de julho. Divulgação do resultado: 22 de julho.
Aulas: 26, 27 e 28 de julho, de 19h às 21h.
Inscrições via formulário.
________________________________________

RESIDÊNCIAS

Residência de pesquisa em artes
A residência AniMAM: pesquisa em artes é uma chamada aberta para artistas com experiência em música ou animação para o desenvolvimento colaborativo de curtas-metragens animados. Iniciado em 2020, o projeto contou com seis edições de artistas convidados. Neste momento, torna-se um projeto de formação e desenvolvimento para artistas independentes interessados na criação de animações para primeira infância no MAM Rio. As animações podem ter como tema assuntos referentes à arte moderna, às histórias do museu e suas coleções.

O MAM Rio selecionará 12 profissionais das áreas de música e animação, residentes na região metropolitana do Rio de Janeiro ou residentes em qualquer região do Brasil com disponibilidade de estar presencialmente no MAM Rio em datas pré estabelecidas, para uma residência com duração de quatro meses, entre agosto e dezembro de 2022. 

O programa é constituído de encontros online e presenciais com o intuito de reunir processos formativos voltados para o acervo do MAM Rio e para a produção de materiais educativos para a primeira infância.

Confira mais informações aqui.

JUNHO DE 2022

VISITAS EDUCATIVAS

VISITAS AGENDADAS PRESENCIAIS
QUINTAS e SEXTAS . 10h e 14h

As visitas agendadas têm duração de uma hora e são voltadas para grupos de escolas, ONGs, dentre outras instituições, para visitar e conversar sobre as exposições Terra em tempos: fotografias do Brasil e Nakoada: estratégias para a arte moderna (que inaugura em 9 de julho) ou sobre a história e arquitetura do MAM Rio. Os grupos são acompanhados pela equipe de educadores do museu.

Agende visitas para julho e agosto.
45 vagas por visita.
Classificação indicativa livre

VISITAS AGENDADAS ONLINE
ÀS TERÇAS . 10h e 14h 

Visitas online com duração de 40 minutos para grupos de escolas, ONGs, dentre outras instituições, abordando um dos seguintes temas: colecionismo e o acervo do MAM Rio; história e arquitetura do MAM Rio; e as exposições Terra em tempos: fotografias do Brasil e Nakoada: estratégias para a arte moderna (com inauguração em 9 de julho). As visitas ocorrem a partir de dinâmicas e jogos conduzidos pela equipe de educadores do museu.

Agende visitas para julho e agosto.
45 vagas por visita.
Classificação indicativa livre.

VISITAS PETROBRAS
AOS DOMINGOS

Agende gratuitamente em mam.rio/ingressos

11h30 e 15h – Uma volta pelas exposições – Ao circular pelas exposições em cartaz, o público é convidado a observar contrastes e aproximações entre as obras a partir do questionamento: o que pode ser um museu?

13h30 – Arquitetura e paisagismo do MAM – Visita com foco no prédio e nos jardins do MAM Rio, projetados por Affonso Eduardo Reidy e Roberto Burle Marx, respectivamente, investigando arquitetura e paisagismo como arte.

 
Classificação indicativa livre.
Distribuição de pulseira na bilheteria com 30 minutos de antecedência.
As visitas são uma iniciativa conjunta do MAM Rio e da Petrobras através da Lei Federal de Incentivo à Cultura.

________________________________________

VISITAS MEDIADAS

SÁB 11, 18 e 25  JUN . 15h 

As pessoas visitantes são convidadas a se aproximar de obras e práticas artísticas a partir das perspectivas de profissionais da Educação do museu. No mês de junho, as visitas são em torno do tema cidade, elemento que aparece constantemente nas exposições em cartaz.

12 vagas por visita.
Classificação indicativa livre.
Distribuição de pulseira na bilheteria com 30 minutos de antecedência.

___________________________________

VISITAS ACESSÍVEIS ONLINE 

TERRA EM TEMPOS: FOTOGRAFIAS DO BRASIL
A partir de TER 21 JUN

É possível construir narrativas por meio do tempo sem seguir uma linha reta? Nesta edição de Visitas acessíveis as pessoas participantes são convidadas a viajar através das fotografias da exposição Terra em tempos: fotografias do Brasil, onde poderemos encontrar significados e relações entre histórias e imagens. 

Visitas acessíveis são vídeos bilíngues, falados em Libras com áudio em português,  produzidos pelo programa de Educação e Participação do MAM Rio.


As Visitas Acessíveis são patrocinadas pela Wilson Sons por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura.

___________________________________

OFICINAS 

ZONA ABERTA

Oficina de cartão postal
SÁB 4 JUN . 10h – 12h

Através de experiências e vivências nos espaços do MAM Rio, nesta oficina com o educador Phelipe Rezende vamos produzir cartões postais para amigos e familiares. Usando escritas, desenhos, recortes e elementos presentes nos jardins, a oficina explora a forma como ocupamos e vemos o museu ao longo do tempo.

Sem inscrição prévia
Classificação indicativa livre

ZONA ABERTA
Gráfica de ação coletiva
SÁB 11 JUN . 10h – 12h 

A Gráfica de Ação Coletiva investiga a produção visual impressa, digital e do design gráfico. O encontro será ministrado por Lucas Icó e Jandir Jr. Nesta edição do Zona aberta, a Gráfica propõe experimentações visuais com materiais como fotografias impressas, canetas, fita crepe, pedras e papéis. 

Sem inscrição prévia
Classificação indicativa livre

Oficina de LambaRetrô
SÁB 18 JUN . 10h – 12h 

A oficina é um convite para dançar os sucessos dos anos 1990 e 2000 com o instrutor e coreográfo Jhonny Souza. Jhonny “Surdinho” Souza é surdo oralizado. Com experiência de mais de 20 anos em aulas de danças, leva os sentimentos de alegria e nostalgia em seu projeto “LambaRetrô”.

Sem inscrição prévia
Classificação indicativa livre

Oficina de pequenos brinquedos de madeira
SÁB 25 JUN . 10h – 12h 

O educador Daniel Bruno convida a montar brinquedos e objetos lúdicos, que tomam forma e cor a partir do manuseio do material e de técnicas de estamparia. A oficina é voltada para maiores de 15 anos que podem operar ferramentas cortantes, ou crianças acompanhadas de uma pessoa adulta que assuma as tarefas mais complexas.

20 vagas por ordem de chegada.
Classificação indicativa livre.

O projeto Zona Aberta é patrocinado pela Adam Capital e Deloitte por meio da Lei Municipal de Incentivo à Cultura – Lei do ISS RJ e pela Léo Social.

___________________________________

CONVERSAS E PALESTRAS

Estudos vivos: a arte do carnaval com Lais Daflon e Reinaldo Alves

SÁB 4 JUN . 15h – 16h  

Narrativa originária no Rio de Janeiro, as escolas de samba são locais de negociação e disputa. Cada uma delas reúne várias linguagens artísticas formando um coletivo liderado pelo carnavalesco, que traz inúmeras possibilidades de discussões em suas propostas de enredo. Nesta edição de Estudos vivos, a fotografia Carnaval no Rio, de Walter Firmo, exposta em Terra em tempos: fotografias do Brasil, é um convite para dialogar sobre as disputas artísticas e  sociais que envolvem o desfile das escolas de samba. Vamos conversar sobre sua produção intelectual e a relação desses artistas com espaços institucionalizados de cultura.

Indicações de leitura:
Conheça a história das escolas de samba, por Akemi Nitahara.
A voz do sambista na academia, por Vinícius Natal.

Sem inscrição prévia
Não recomendado para menores de 14 anos.
___________________________________

BLOCO ESCOLA

CURSO
Acessibilidade em contexto

O curso Acessibilidade em contexto traz diálogos para entendermos os atravessamentos entre os temas da acessibilidade para pessoas com deficiência e  assuntos fundamentais na discussão social, como questões raciais e de gênero. Como são as vivências de pessoas negras, LGBTQIAPN+ e mulheres com deficiência? Onde essas lutas se encontram? Como a interseccionalidade pode somar e não segmentar essas lutas? As pessoas participantes serão convidadas a refletir e produzir ideias, vocabulários, propostas e ações que favoreçam novas relações dentro do MAM Rio e das áreas de arte, educação e cultura.

70 vagas

INSCRIÇÕES ABERTAS
Abertura das inscrições: 01 de junho
Encerramento das inscrições: 27 de junho
Divulgação dos resultados: 29 de junho
Aulas às segundas-feiras: 04, 11, 18 e 25 JUL, 1, 8, 15 e 22 AGO
Inscrições: acesse aqui

MAIO DE 2022

VISITAS EDUCATIVAS

VISITAS AGENDADAS PRESENCIAIS

QUINTAS e SEXTAS . 13h e 15h

As visitas agendadas têm duração de uma hora e são voltadas para grupos de escolas, ONGs, dentre outras instituições, para visitar e conversar sobre as exposições Terra em tempos: fotografias do Brasil ou sobre a história e arquitetura do MAM Rio. Os grupos são acompanhados pela equipe de educadores do museu.
Agende aqui.

45 vagas por visita. Classificação indicativa livre.

VISITAS AGENDADAS ONLINE

ÀS TERÇAS . 10h e 14h 

Visitas online com duração de 40 minutos para grupos de escolas, ONGs, dentre outras instituições, abordando um dos seguintes temas: colecionismo e o acervo do MAM Rio; história e arquitetura do MAM Rio; e a exposição temporária Terra em tempos: fotografias do Brasil. As visitas ocorrem a partir de dinâmicas e jogos conduzidos pela equipe de educadores do museu.
Agende aqui.

45 vagas por visita. Classificação indicativa livre.

VISITAS PETROBRAS

AOS DOMINGOS
Agende gratuitamente em mam.rio/ingressos

10h30 e 15h – Uma volta pelas exposições – Ao circularem pelas exposições em cartaz, o público é convidado a observar contrastes e aproximações entre as obras a partir do questionamento: o que pode ser um museu?

13h30 – Arquitetura e paisagismo do MAM – Visita com foco no prédio e nos jardins do MAM Rio, projetados por Affonso Eduardo Reidy e Roberto Burle Marx, respectivamente, investigando arquitetura e paisagismo como arte.

12 vagas. Classificação indicativa livre. Distribuição de pulseira na bilheteria com 30 minutos de antecedência.
As visitas são uma iniciativa conjunta do MAM Rio e da Petrobras através da Lei Federal de Incentivo à Cultura.

________________________________________

VISITAS MEDIADAS

AOS SÁBADOS . 15h – 16h
EXCETO 7 MAIO

As pessoas visitantes são convidadas a se aproximar de obras e práticas artísticas a partir das perspectivas de profissionais da Educação do museu. No mês de março, as visitas serão em torno do tema “foco”, elemento que aparece constantemente nas exposições em cartaz.

12 vagas por visita. Classificação indicativa livre. Distribuição de pulseira na bilheteria com 30 minutos de antecedência.

___________________________________

PEQUENOS CINÉFILOS

EU SOU PORQUE NÓS SOMOS
SÁB 14 MAIO . 14h30

A edição de maio de Pequenos Cinéfilos apresenta o tema “Eu sou porque nós somos”. Como construímos os sentidos de identidade e coletividade a partir da perspectiva negra? Por meio de dois curta metragens com personagens negros, vamos pensar de que formas podemos afirmar nossa identidade a partir do corpo e da história.

Nana & Nilo e o tempo de brincar de Sandro Lopes. Brasil, 2015. 14’ + Nana & Nilo na Cidade Verde, de Sandro Lopes. Brasil, 2021. 10′. Classificação indicativa: livre para todos os públicos.

45 vagas por ordem de chegada. Classificação indicativa livre.

___________________________________

OFICINAS 

ZONA ABERTA

DANCE MIX
SÁB 7 MAIO . 10h – 12h 

Dance Mix é uma modalidade de dança que utiliza vários estilos musicais em uma só aula. A bailarina e coreógrafa Bellas da Silveira convida as pessoas a se conhecerem corporalmente de maneira leve e descontraída. 

20 vagas por ordem de chegada. Classificação indicativa livre.

BRINQUEDOS SUSTENTÁVEIS: DISCO DE NEWTON
SÁB 21 MAIO . 10h – 12h

A artista Erika Monteiro ensina as pessoas participantes a criarem um pião cromático produzido com materiais reutilizados. Ao girar o brinquedo, demonstraremos que a composição das cores do arco-íris é a mesma que dá origem à luz branca do sol.

20 vagas por ordem de chegada. Classificação indicativa livre

BRINQUEDOS DE MADEIRA
SÁB 28 MAIO . 10h – 12h

A oficina é um convite para montar brinquedos e objetos lúdicos, que tomam forma e cor a partir do manuseio do material e de técnicas de estamparia. É voltada para maiores de 15 anos que podem operar ferramentas cortantes ou crianças acompanhadas de uma pessoa adulta que assuma as tarefas mais complexas.

20 vagas por ordem de chegada. Oficina indicada para pessoas a partir de 15 anos ou menores acompanhados por uma pessoa adulta.

O projeto Zona Aberta é patrocinado pela Adam Capital e Deloitte por meio da Lei Municipal de Incentivo à Cultura – Lei do ISS RJ e pela Léo Social.

___________________________________

CURSO ONLINE

RELAÇÕES ENTRE FOTOGRAFIA E EDUCAÇÃO

24, 25 e 26 MAIO . 19h – 21h

Os celulares, aplicativos e redes sociais fizeram com que nossos momentos cotidianos pudessem ser enquadrados, alterados e eternizados, assim como compartilhados com mais pessoas. Como a arte e a educação podem se utilizar dessa ferramenta cada vez mais tecnológica sem abrir mão de seu caráter artesanal e comunitário para discutir o mundo hoje?

PROGRAMAÇÃO

24 MAIO – Eduardo Queiroga
É fotógrafo e educador, autor dos livros “Cordão” e “Coletivos fotográficos contemporâneos” e professor do Departamento de Fotografia e Cinema da Escola de Belas Artes da UFMG. É doutor pelo PPGCOM-UFPE e cofundador da Escola Livre de Imagem e do Projeto FotoLibras.

25 MAIO – Mulambö
Nasceu João e cresceu Mulambö na Praia da Vila, em Saquarema. Trabalha a partir da restituição de potências, buscando a valorização de símbolos do existir no Rio de Janeiro e antes de ser artista é neto, filho, padrinho e irmão e faz arte para afirmar que não tem museu no mundo como a casa da nossa vó.

26 MAIO – Tatiana Altberg
É artista visual. Seu trabalho articula a fotografia com criação narrativa textual em projetos colaborativos. Criou o projeto Mão na lata, com a Redes da Maré, e tem participado de exposições, seminários e publicações. A editora Arte Bra publicou, em 2021, o livro “Tatiana Altberg”, sobre sua trajetória. 

95 vagas. Inscrições de 2 até 19 de maio. Divulgação dos resultados em 20 de maio.

Clique aqui e inscreva-se.

ABRIL DE 2022

VISITAS EDUCATIVAS

VISITAS AGENDADAS PRESENCIAIS
QUI e SEX . 13h e 15h

As visitas agendadas têm duração de uma hora e são voltadas para grupos de escolas, ONGs, dentre outras instituições, para visitar e conversar sobre as exposições Terra em tempos: fotografias do Brasil Composições para tempos insurgentes ou sobre a história e arquitetura do MAM Rio. Os grupos são acompanhados pela equipe de educadores do museu. 

Agendamento por formulário:
https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSf1j15_KpACYIBjhJ0vswXieUHEqbdeBEqYAOtLGiz9KuXXcA/viewform

45 vagas por visita
Classificação indicativa livre

_

VISITAS AGENDADAS ONLINE
TER . 10h e 14h 

Visitas online com duração de 40 minutos para grupos de escolas, ONGs, dentre outras instituições, abordando um dos seguintes temas: colecionismo e o acervo do MAM Rio; história e arquitetura do MAM Rio; e as exposições temporárias Composições para tempos insurgentes Terra em tempos: fotografias do Brasil. As visitas ocorrem a partir de dinâmicas e jogos conduzidos pela equipe de educadores do museu.

Agendamento por formulário:
https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSf1j15_KpACYIBjhJ0vswXieUHEqbdeBEqYAOtLGiz9KuXXcA/viewform

45 vagas por visita
Classificação indicativa livre

_

VISITAS PETROBRAS
DOM 3, 10, 17 e 24 ABR

10h30 e 15h – Uma volta pelas exposições – Ao circular pelas exposições em cartaz, o público é convidado a observar contrastes e aproximações entre as obras a partir do questionamento: o que pode ser um museu?

Vagas: 12
Classificação indicativa livre
Distribuição de pulseira na bilheteria com 30 minutos de antecedência

13h30 – Arquitetura e paisagismo do MAM – Visita com foco no prédio e nos jardins do MAM Rio, projetados por Affonso Eduardo Reidy e Roberto Burle Marx, respectivamente, investigando arquitetura e paisagismo como arte.

Vagas: 12
Classificação indicativa livre
Distribuição de pulseira na bilheteria com 30 minutos de antecedência

As visitas são uma iniciativa conjunta do MAM Rio e da Petrobras através da Lei Federal de Incentivo à Cultura.

_

VISITAS MEDIADAS
SÁB 2, 16, 23 e 30 ABR . 15h 

As pessoas visitantes são convidadas a se aproximar de obras e práticas artísticas a partir das perspectivas de profissionais da Educação do museu. No mês de abril, as visitas acontecem em torno do tema “olhar”, elemento que aparece constantemente nas exposições em cartaz.

Vagas: 12
Classificação indicativa livre
Distribuição de pulseira na bilheteria com 30 minutos de antecedência

___________________________________

OFICINAS 

ZONA ABERTA

Serigrafia (com Kaetérine)
SÁB 2 ABR . 10h – 12h 

Nesta edição, a artista Kaetérine nos convida para investigar as fronteiras entre arte e moda através das técnicas de silkagem. Durante a oficina, descobriremos como criar diferentes impressões serigráficas em tecidos e cartazes.

20 vagas por ordem de chegada
Classificação indicativa livre

No corpo do poema (com Natasha Felix)
SÁB 9 ABR . 10h – 12h 

A oficina oferece caminhos para chegar no poema por meio de dispositivos de escrita de Bernadette Mayer, traduzidos por Marília Garcia. O público é convidado a escrever e falar seus textos pensando o corpo e o espaço. 

20 vagas por ordem de chegada
Não recomendado para menores de 18 anos 

Oficina de pipa (com o Coletivo I love MP)
SÁB 16 ABR . 10h – 12h 

O público é convidado a criar pipas com o Coletivo I love MP, ocupando o jardim e os céus do MAM Rio. 

20 vagas por ordem de chegada.
Classificação indicativa livre.

Sim, nós temos Lambada! (com Irla Carina)
SÁB 30 ABR . 10h – 12h 

A lambada é uma das danças brasileiras mais conhecidas em todo o mundo. Sob o comando de Irla Carina, a oficina oferece uma experiência cultural de aprendizado e prática dessa dança.

20 vagas por ordem de chegada
Não recomendado para menores de 18 anos.

O projeto Zona Aberta é patrocinado pela Adam Capital e Deloitte por meio da Lei Municipal de Incentivo à Cultura – Lei do ISS RJ e pela Léo Social.

___________________________________

CONVERSAS E PALESTRAS

Estudos vivos: HIV como metáfora em Linga Acácio com Shion e Keyna Eleison
SÁB 9 ABR . 15h – 16h
[VERÃO NO MAM]

Nesta edição de Estudos Vivos, a instalação Noite no deserto: milênios nas mãos, de Linga Acácio, é um convite para dialogar sobre as tônicas que envolvem o trabalho da artista. Como observar as articulações artísticas a partir da soropositividade e as relações entre o vírus e o corpo? Entre cadernos, desenhos, fragmentos de coral e bulas de remédios anti-retrovirais, o encontro sugere um olhar para o HIV e as travessias do corpo enquanto poéticas e temáticas urgentes que anseiam espaços de troca.

12 vagas por ordem de chegada.
Não recomendado para menores de 14 anos.

___________________________________

BLOCO ESCOLA

Curso online
O que faz de um museu uma escola? 

Prestes a completar 75 anos de existência, o MAM Rio repensa sua vocação educativa. Em 1958, foi inaugurada a sede definitiva do museu com o Bloco Escola, um espaço específico para o encontro das práticas artísticas com as educativas, que contou com cursos e palestras de importantes nomes das artes visuais, confundindo sua história com a história da arte brasileira. Neste curso, compartilhamos as experiências adquiridas ao longo da trajetória do museu em conjunto com outras instituições e agentes, atualizando o que poderia ser um museu-escola hoje no Brasil.

As aulas acontecem às segundas-feiras de 19h às 21h, nos meses de maio e junho.

30 vagas. Inscreva-se de 11 ABR até 2 MAIO
Início das aulas a partir de 9 MAIO . 19h – 21h
Divulgação dos resultados: 5 de maio
Inscrições pelo link: https://mamrio.typeform.com/to/zWPZ21EI

Programação
Abertura – 75 anos do MAM Rio
SEG 9 MAIO
Gerência de Educação e Participação MAM Rio, com a gerente Renata Sampaio
Gerência de Pesquisa e Documentação MAM Rio, com a pesquisadora Aline Siqueira

Módulo 1 – Museus instituições de ensino

SEG 16 MAIO – Museus e cursos livres
Escola do Olhar, com Patrícia Dias 
EAV Parque Lage, com Natália Nichols

SEG 23 MAIO – Museus e o ensino formal
Museu Nacional, com Andrea Costa 
MAC USP, com Andrea Amaral Biella

Módulo 2 – Comunidade e território

SEG 30 MAIO 
Acervo da Laje, com José Eduardo Ferreira
Muquifu – Museu dos Quilombos e Favelas urbanos, com Padre Mauro Luiz da Silva

SEG 6 JUN
Galeria Providência, com Hugo Oliveira
Fundação Casa Grande, com Francisco Alemberg

SEG 13 JUN – Museus e promoção da vida
Museu da Vida, com Paula Bonatto
Museu de Saúde Pública Emílio Ribas (Butantan), com Olga Alves (a confirmar)

SEG 20 JUN – Museus e saúde mental
Museu Bispo do Rosário, com Diana Kolker
Museu de Imagens do Inconsciente, com Gladys Schincariol

Encerramento
SEG 27 JUN – Trocas de experiências

A programação poderá sofrer pequenas variações de palestrantes.

MARÇO DE 2022

VISITAS EDUCATIVAS

MAM PARA EDUCADORES
Formação para professores na exposição Terra em tempos
QUI 31 MAR . 14h

O programa de formação para professores consiste em uma visita mediada com educadores do MAM Rio na exposição fotográfica Terra em tempos. Esta visita inaugura o programa de agendamentos de visitas escolares para os meses de abril e maio. O encontro é presencial.

45 vagas. Público-alvo: professores da rede pública
Agendamento até o dia 21 de março via formulário

VISITAS AGENDADAS ONLINE
TER 8, 15, 22, 29 MAR . 10h e 14h 

Visitas online com duração de 40 minutos para grupos de escolas, ONGs, dentre outras instituições, abordando um dos seguintes temas: colecionismo e o acervo do MAM Rio; história e arquitetura do MAM Rio; e a exposição temporária Composições para tempos insurgentes. As visitas ocorrem a partir de dinâmicas e jogos conduzidos por profissionais da equipe de Educação do MAM Rio. 

45 vagas por visita
Classificação indicativa livre
Agendamento via formulário

_

VISITAS PETROBRAS

DOM  6, 13, 20, 27  MAR

10h30 e 15h – Uma volta pelas exposições – Ao circularem pelas exposições em cartaz, o público é convidado a observar contrastes e aproximações entre as obras a partir do questionamento: o que pode ser um museu?

12 vagas
Classificação indicativa livre
Distribuição de pulseira na bilheteria com 30 minutos de antecedência.

13h30 – Arquitetura e paisagismo do MAM Rio – Visita com foco no prédio e nos jardins do MAM Rio, projetados por Affonso Eduardo Reidy e Roberto Burle Marx, respectivamente, investigando arquitetura e paisagismo como arte.

12 vagas
Classificação indicativa livre
Distribuição de pulseira na bilheteria com 30 minutos de antecedência.

As visitas são uma iniciativa conjunta do MAM Rio e da Petrobras através da Lei Federal de Incentivo à Cultura.

_

VISITAS MEDIADAS

AOS SÁBADOS . 15h – 16h

As pessoas visitantes são convidadas a se aproximar de obras e práticas artísticas a partir das perspectivas de profissionais da Educação do museu. No mês de março, as visitas acontecem em torno do tema “habitar”, elemento que aparece constantemente nas exposições em cartaz.

Vagas: 12 
Classificação indicativa livre
Distribuição de pulseira na bilheteria com 30 minutos de antecedência. 

VERÃO NO MAM
oficinas e conversas

saiba mais

CONVERSAS E DEBATES
Estudos vivos: arte e mistério com Daniel Bruno e Natasha Felix 
SÁB 12 MAR . 15h

Oratório de Santa Maria Garra é a instalação criada pela artista Lua Cavalcante para a exposição Composições para tempos insurgentes. No segundo encontro de Estudos vivos, vamos partir de trechos das falas de Stella do Patrocínio para discutir as relações entre arte e mistério e a importância da linguagem artística para rebater silenciamentos.

Atividade com intérprete de Libras.
20 vagas por ordem de chegada.
Classificação indicativa livre.

O projeto Verão no MAM é patrocinado pela Lei Federal de Incentivo à Cultura e pela Lei Estadual de Incentivo à Cultura – Lei do ICMS RJ.

OFICINAS
ZONA ABERTA

Oficina de samba no pé com Alexandre Silva
SÁB 5 MAR . 10h – 12h 
As pessoas participantes são convidadas a aprender os principais passos do ritmo samba com o professor Alexandre Silva.

20 vagas por ordem de chegada.
Classificação indicativa livre.
 

Oficina de desenho de observação com Daniel Bruno
SÁB 12 MAR . 10h – 12h 
Vamos caminhar pelos jardins do MAM Rio, com atenção para a natureza e para a arquitetura, praticando diferentes exercícios de observação e desenho.

20 vagas por ordem de chegada.
Classificação indicativa livre.

Oficina de malabares com Juliano Alvarenga
SÁB 19 MAR . 10h – 12h 
Oportunidade para conhecer mais sobre a prática do malabarismo e criar seus próprios malabares com o uso de materiais diversos. 

20 vagas por ordem de chegada.
Classificação indicativa livre.

Criaturas de Papel com Shion L
SÁB 26 MAR . 10h – 12h
Vamos imaginar criaturas fantásticas com a ajuda de recortes de papel. Como seriam seus corpos, poderes mágicos e cores? Ao final da oficina, expostos em um painel, daremos nomes e histórias aos seres de papéis criados.

20 vagas por ordem de chegada.
Classificação indicativa livre.

O projeto Zona Aberta é patrocinado pela Adam Capital e Deloitte por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura, Lei Estadual de Incentivo à Cultura – Lei do ICMS RJ e Lei Municipal de Incentivo à Cultura – Lei do ISS RJ.

PEQUENOS CINÉFILOS – O que acontece no caminho
SÁB 26 MAR . 14h30 – 15h30

Quais são os rumos possíveis de uma história? O Pequenos Cinéfilos deste mês tem como tema “o que acontece no caminho”. Nesta edição, Shion L nos convida para descobrir, com a ajuda de folhas de acetato e papel, como criar caminhos possíveis para uma história. Serão exibidos quatro filmes do Departamento de Animação da Tokyo University of the Arts. O evento consiste em uma sessão de filmes para crianças na Cinemateca do MAM, com ênfase na primeira infância e com estratégias de acolhimento e mediação voltadas para a experiência da criança e de seus cuidadores.

Googuri Googuri de Yoshiko Misumi, Japão, 2010. Kitsune de Hitomi Nakamura, Japão, 2013. Myaku Myaku de Yuka Imabayashi, Japão, 2013. A jornada da babá do leão de Junqing Duanmu, Japão, 2018.

45 vagas por ordem de chegada.
Classificação indicativa livre.

O projeto Pequenos Cinéfilos é uma iniciativa conjunta do MAM Rio e da Petrobras por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura.

FEVEREIRO DE 2022

VISITAS EDUCATIVAS

VISITAS ACESSÍVEIS
América 
A PARTIR DE QUA 16 FEV

Disponível em: mam.rio/educacao/visitas-acessiveis

A artista Sallisa Rosa mostra, no MAM Rio, a exposição individual América. Vamos explorar as materialidades que compõem a instalação feita de barro, terra e cerâmicas, entendendo as relações afetivas e visuais entre as formas criadas no espaço.

Com tecnologias assistivas e recursos visuais como animações, destaques e contraste para melhor visualização, esses vídeos são acessíveis aos mais diversos públicos, mas priorizam a experiência das pessoas com deficiências.

O projeto é patrocinado pela Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro, Secretaria Municipal de Cultura e pela Wilson Sons por meio da Lei Municipal de Incentivo à Cultura – Lei do ISS.

VISITAS PETROBRAS

10h30 e 15h – Uma volta pelas exposições – Ao circularem pelas exposições em cartaz, as pessoas visitantes são convidadas a observar contrastes e aproximações entre as obras a partir do questionamento: o que pode ser um museu?

Vagas: 8
Classificação indicativa livre
Distribuição de pulseira na bilheteria com 30 minutos de antecedência.

13h30 – Uma volta pelos jardins do MAM – Movido pela investigação do paisagismo como arte, Roberto Burle Marx projetou os jardins do MAM Rio, ponto de partida desta visita. Nesta atividade, vamos relacionar o espaço com a exposição online Fantástico Jardim e com a obra Whirligig (Molinete), de Dan Graham, em exibição na parte externa do museu.

Vagas: 8
Classificação indicativa livre
Distribuição de pulseira na bilheteria com 30 minutos de antecedência.

As visitas são uma iniciativa conjunta do MAM Rio e da Petrobras.

VISITAS MEDIADAS

AOS SÁBADOS . 15h – 16h

As pessoas visitantes são convidadas a se aproximar de obras e práticas artísticas a partir das perspectivas de profissionais da Educação do museu. No mês de fevereiro, as visitas serão em torno do tema “convivio”, elemento que aparece constantemente nas exposições em cartaz.

Vagas: 8
Classificação indicativa livre
Distribuição de pulseira na bilheteria com 30 minutos de antecedência.

CONVERSAS

# 3 árvores moventes – transfigurações e os dribles à ordem binária com jialu pombo e Jonas Van 
QUI 3 FEV . 19h

A atividade propõe uma conversa-exercício em torno de relações plurais e complexas com as plantas. Nesse encontro, acontecem reflexões sobre ancestralidade, hibridismo dos seres e diálogos entre a terra e múltiplos corpos. A conversa acontece ao vivo, no perfil do Instagram do MAM Rio. 

jialu pombo é doutorando em psicologia clínica pela PUC-SP (com graduação e mestrado em artes visuais pela UFRJ), e pesquisa processos clínicos e criação de linguagens como caminhos para descolonizar a vida do binarismo que estrutura o ocidente. Como alguém neurodivergente e dissidente de gênero, participa e realiza atividades que cruzam essas temáticas e a arte. 

Jonas Van é artista transnordestino e cozinheiro. A sua prática se inscreve entre a desobediência de gênero, linguagem e naturezas monstruosas utilizando som-vídeo, instalações efémeras e texto. Seu trabalho propõe narrativas ficcionais profundamente íntimas, fraturas linguísticas e temporais numa perspectiva anticolonial. 

A ativação faz parte da exposição Composições para tempos insurgentes e conta com o patrocínio do BTG Pactual.

VERÃO NO MAM
oficinas e conversas

ZONA ABERTA

Oficina Escultura com materiais orgânicos com Antonio Amador
SÁB 5 e 12 FEV . 10h – 12h

Esta oficina é um convite a experimentar a prática da escultura. Iremos coletar materiais orgânicos (gravetos, folhas, flores, etc.) nos jardins do MAM Rio e construir esculturas com eles. Essa ação tem como referências os trabalhos de artistas do Acervo do MAM como Marga Puntel, Shirley Paes Leme e Frans Krajcberg.  

12 vagas por ordem de chegada.
Classificação indicativa livre.


Oficina de vivência ballroom com Idra Maria Mamba Negra
SÁB 19 FEV . 10h – 12h

A oficina oferece uma experiência que mescla dança, performance e improvisação. Comandada pela performer e artista visual Idra Maria, a atividade incentiva as pessoas participantes a conhecerem um pouco mais da história da cultura ballroom, suas categorias e elementos.

12 vagas por ordem de chegada
Oficina indicada para adultos.

O projeto Zona Aberta é uma iniciativa conjunta do MAM Rio, Adam Capital e Deloitte. O projeto Zona Aberta é patrocinado pelo Governo do Estado do Rio de Janeiro/Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa, pela Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro/ Secretaria Municipal de Cultura, pela Adam Capital e Deloitte, por meio das Lei Estadual de Incentivo à Cultura – Lei ICMS RJ e Lei  Municipal de Incentivo à Cultura – Lei do ISS

Estudos vivos: meio ambiente com Antonio Amador e Renata Sampaio
SÁB 19 FEV . 15h

Abrindo o programa Estudos vivos, convidamos os públicos para debaterem e estudarem as relações entre ecologia e políticas para o meio ambiente a partir das obras de Frans Krajcberg. Quais modos de vidas são possíveis de serem imaginados? Como modelos econômicos e o extrativismo moldam nossa experiência com a natureza? Essas são algumas perguntas que mobilizam o encontro.  

Estudos vivos: meio ambiente é patrocinado através da Lei Federal de Incentivo à Cultura e da Lei Estadual de Incentivo à Cultura – Lei do ICMS.

PEQUENOS CINÉFILOS – O movimento das coisas
SEX 11 FEV . 14h30 – 15h30

Pequenos cinéfilos deste mês tem clima de férias. Vamos exibir três filmes de grandes nomes da animação brasileira de diferentes períodos. O evento consiste em uma sessão de filmes na Cinemateca do MAM com ênfase na primeira infância e com estratégias de acolhimento e mediação voltadas para a experiência da criança e dos seus familiares e cuidadores. 

O átomo brincalhão de Roberto Miller. Brasil, 1961. Animação, 4′ + Desenho abstrato n°2 de Roberto Miller. Brasil, 1989. Animação, 3′ + Animando de Marcos Magalhães. Brasil, 1983. Animação. 13′ + Passo de Alê Abreu. Brasil 2007, Animação. 4′.

45 vagas por ordem de chegada
Classificação indicativa livre

O projeto pequenos cinéfilos é uma iniciativa conjunta do MAM Rio e da Petrobras.

JANEIRO 2022

VISITAS ACESSÍVEIS ONLINE

O QUE SE DEGRADA SEGUE EM FRENTE
A partir de QUA 12 JAN

Será que a arte sempre traz sentimentos bons, de beleza? Ou pode provocar sentimentos ruins, nos fazer questionar? No Visitas acessíveis de janeiro conversaremos sobre sentimentos a partir da exposição individual O que se degrada segue em frente, de Ana Clara Tito, parte do programa Supernova. Com tecnologias assistivas e recursos visuais como animações, destaques e contraste para melhor visualização, os vídeos são acessíveis aos mais diversos públicos e priorizam a experiência das pessoas com deficiências.

O projeto é patrocinado pela Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro, Secretaria Municipal de Cultura e pela Wilson Sons por meio da Lei Municipal de Incentivo à Cultura – Lei do ISS

https://youtube.com/mamrio.

 _

VISITAS PETROBRAS

DOM  10, 17, 24 e 31 JAN

10h30 e 15h – Uma volta pelas exposições – Ao circularem pelas exposições em cartaz, as pessoas visitantes são convidadas a observar contrastes e aproximações entre as obras a partir do questionamento: o que pode ser um museu?

Vagas: 8. Classificação indicativa livre
Distribuição de pulseira na bilheteria com 30 minutos de antecedência.

13h30 – Uma volta pelos jardins do MAM – Movido pela investigação do paisagismo como arte, Roberto Burle Marx projetou os jardins do MAM Rio, ponto de partida desta visita. Nesta atividade, vamos relacionar o espaço com a exposição online Fantástico Jardim e com a obra Whirligig (Molinete), de Dan Graham, em exibição na parte externa do museu. 

Vagas: 8. Classificação indicativa livre
Distribuição de pulseira na bilheteria com 30 minutos de antecedência.

As visitas são uma iniciativa conjunta do MAM Rio e da Petrobras.

VISITAS MEDIADAS

AOS SÁBADOS . das 15h às 16h

As pessoas visitantes são convidadas a se aproximar de obras e práticas artísticas a partir das perspectivas de profissionais da Educação do museu. No mês de janeiro, as visitas serão em torno do tema “natureza”, elemento que aparece constantemente nas exposições em cartaz.

Vagas: 8. Classificação indicativa livre
Distribuição de pulseira na bilheteria com 30 minutos de antecedência 

Agendar visita

VERÃO NO MAM
oficinas e conversas

ZONA ABERTA: EXPERIÊNCIA BAILA COMIGO

SÁB 8 JAN . 10h – 12h

O primeiro Zona aberta do ano é um convite para movimentar o corpo. O projeto Experiência Baila Comigo oferece uma oficina introdutória de dança que passa pelos ritmos do forró, samba de gafieira e salsa. 

Vagas: 20 por ordem de chegada 

Classificação indicativa livre 

O projeto é patrocinado pela Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro, Secretaria Municipal de Cultura e pela Afam Capital e Deloitte por meio da Lei Municipal de Incentivo à Cultura – Lei do ISS.

DEZEMBRO 2021

VISITAS EDUCATIVAS

_

VISITAS ACESSÍVEIS
youtube.com/mamrio

Composições para tempos insurgentes 

A partir de QUA 22 DEZ
Quais formas de vida conhecemos e quais formas de vida podemos ver surgir? No novo vídeo da série Visitas acessíveis, vamos até a exposição Composições para tempos insurgentes conversar sobre como a arte pode gerar vida. Com tecnologias assistivas e recursos visuais como animações, destaques e contraste para melhor visualização, esses vídeos são destinados aos mais diversos públicos, priorizando a experiência das pessoas com deficiências. 

O projeto é patrocinado pela Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro, Secretaria Municipal de Cultura e pela Wilson Sons por meio da Lei Municipal de Incentivo à Cultura – Lei do ISS. 

_

VISITAS AGENDADAS ONLINE

TER 7 e 14 DEZ . 10h e 14h
QUI 2, 9, 16 DEZ . 10h

Com duração de 40 minutos, as visitas online são direcionadas para grupos de escolas, ONGs, dentre outras instituições e abordam os temas: colecionismo e o acervo do MAM Rio; história e arquitetura do MAM Rio; e a exposição A memória é uma invenção. As visitas ocorrem a partir de dinâmicas e jogos conduzidos por integrantes do time de Educação do museu. 

Vagas: 45 por visita

Classificação indicativa livre 

Agendamento por meio do formulário: clique aqui

_

VISITAS AGENDADAS (PRESENCIAIS)

QUI 2, 9, 16 DEZ . 14h 

Com duração de uma hora, as visitas presenciais são voltadas para grupos de escolas, ONGs, dentre outras instituições. Os públicos entram em contato com as exposições A memória é uma invenção e Composições para tempos insurgentes; além das duas mostras do programa Supernova: O que se degrada segue em frente, de Ana Clara Tito; e América, de Sallisa Rosa. Os grupos são acompanhados por integrantes da Gerência de Educação do MAM Rio. 

Classificação indicativa livre

Agendamento por meio do formulário: clique aqui

_

VISITAS PETROBRAS

DOM 5, 12 e 19 DEZ

15h – Uma volta pelas exposições – Ao circularem pelas exposições em cartaz, as pessoas visitantes são convidadas a observar contrastes e aproximações entre as obras a partir do questionamento: o que pode ser um museu?

Vagas: 8
Classificação indicativa livre
Distribuição de pulseira na bilheteria com 30 minutos de antecedência.

13h30 – Uma volta pelos jardins do MAM – Movido pela investigação do paisagismo como arte, Roberto Burle Marx projetou os jardins do MAM Rio, ponto de partida desta visita. Nesta atividade, vamos relacionar o espaço com a exposição online Fantástico Jardim e com a obra Whirligig (Molinete), de Dan Graham, em exibição na parte externa do museu. 

Vagas: 8
Classificação indicativa livre
Distribuição de pulseira na bilheteria com 30 minutos de antecedência.
As visitas são uma iniciativa conjunta do MAM Rio e da Petrobras.

_

VISITAS SOB MEDIDA 

QUINTAS E SEXTAS . 10h e 11h30
Agendar em www.mam.rio/ingressos

Monte um grupo de seu relacionamento para ter acesso exclusivo às exposições antes do horário de abertura do museu. Com ingresso de valor especial, o grupo tem direito a reserva no estacionamento e acompanhamento de integrantes da Gerência de Educação do MAM Rio. Circuitos de visitação são propostos a cada grupo a partir de um percurso previamente escolhido. São apenas duas sessões diárias para grupos de até 8 pessoas, seguindo todos os protocolos de segurança sanitária. 

Percursos à escolha: 

Paisagens imaginadas –  Como vemos e sentimos os lugares por onde passamos? A proposta da visita é fazer um percurso que passa pela paisagem na área externa do museu até as paisagens reais ou imaginadas, externas ou internas, presentes nas diversas exposições em cartaz.  

História do MAM – Ao longo de sua história, o MAM Rio realizou inúmeras exposições que marcam até hoje expressões e linguagens das artes visuais, assim como se tornou um polo para múltiplos eventos e movimentos artísticos na cidade, desde sua inauguração. O percurso sugere uma imersão na história do MAM através de exposições, arquitetura, obras e jardins.

Arquitetura MAM – Um percurso pela arquitetura de Affonso Eduardo Reidy enquanto obra motriz. A visita propõe um olhar sobre o marco da arquitetura moderna para além de um recipiente de exposições ou vanguardas artísticas no Rio de Janeiro, mas como obra que instala-se no território da cidade.

_

VISITAS MEDIADAS

AOS SÁBADOS . 15h – 16h

As pessoas visitantes são convidadas a se aproximar de obras e práticas artísticas a partir das perspectivas de profissionais da Educação do museu. No mês de dezembro, as visitas serão em torno do tema “presença”, elemento que aparece constantemente nas exposições em cartaz.

Vagas: 8 
Classificação indicativa livre
Distribuição de pulseira na bilheteria com 30 minutos de antecedência

ZONA ABERTA: FEIRA DE TROCAS DE BRINQUEDOS

SÁB 18 DEZ . 10h – 12h

Nesta edição, o Zona aberta realiza uma feira de troca de brinquedos. Se você tem um brinquedo parado em casa, traga-o e venha trocar. A atividade faz parte do projeto Zona Aberta, que propõe práticas artístico-pedagógicas nos jardins e demais áreas externas do MAM Rio. 

Classificação indicativa livre

Zona Aberta é patrocinado pela Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro, Secretaria Municipal de Cultura, pela Adam Capital e Deloitte, por meio da Lei Municipal de Incentivo à Cultura – Lei do ISS.

NOVEMBRO 2021

VISITAS AGENDADAS ONLINE

TER 2, 9, 16, 23 e 30 NOV . 10h e 14h
QUI 4, 11, 18 e 25 NOV . 10h 

Visitas online com duração de 40 minutos para grupos de escolas, ONGs, dentre outras instituições, abordando um dos seguintes temas: colecionismo e o acervo do MAM Rio; história e arquitetura do MAM Rio; e a exposição temporária A memória é uma invenção. As visitas ocorrem a partir de dinâmicas e jogos conduzidos por educadores. 

Vagas: 45 por visita
Classificação indicativa livre 

Agendamento através do formulário: https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSccESZY7jFip9JPKYRZQBe_3ztqRfaWREOEnjVY_TiSeaNVAA/viewform?vc=0&c=0&w=1&flr=0

VISITAS AGENDADAS PRESENCIAIS
QUI 4, 11, 18 e 25 NOV . 14h 

As visitas agendadas têm duração de 1 hora e são voltadas para grupos de escolas, ONGs, dentre outras instituições, para visitar e conversar sobre as exposições em cartaz. Os grupos são acompanhados pela mediação de educadores do MAM Rio. 

VISITAS PETROBRAS

DOM 7, 14, 21, 28 NOV
Agendar em www.mam.rio/ingressos

10h30 – Uma volta pelas exposições – A visita propõe uma visão panorâmica da programação com uma volta pelas exposições em cartaz instigando relações de contrastes e aproximações a partir da reflexão: o que pode ser um museu?

Vagas: 8
Classificação indicativa livre
Distribuição de pulseira na bilheteria com 30 minutos de antecedência.

13h30 e 15h – Uma volta pelos jardins do MAM – Visita com foco nos Jardins do MAM, projetado por Roberto Burle Marx, investigando o paisagismo como arte. A experiência dialoga com a exposição Fantástico Jardim que acontece em um jardim online e a obra Whirligig (Molinete) do artista Dan Graham em exibição do lado externo do museu. 

Vagas: 8
Classificação indicativa livre
Distribuição de pulseira na bilheteria com 30 minutos de antecedência.
As visitas são uma iniciativa conjunta do MAM Rio e da Petrobras.

VISITAS SOB MEDIDA 

QUINTAS E SEXTAS . 10h e 11h30

Agendar em www.mam.rio/ingressos

Monte um grupo de seu relacionamento para ter acesso exclusivo às exposições antes do horário de abertura do museu para o público. Com ingresso de valor diferenciado, o grupo terá direito a reserva no estacionamento e acompanhamento de educadores, que irão propor circuitos de visitação a cada grupo a partir de um percurso previamente escolhido. São apenas duas sessões diárias, para grupos de até 8 pessoas, e seguem todos os protocolos de segurança sanitária.

Percursos à escolha: 

Paisagens imaginadas – Como vemos e sentimos os lugares por onde passamos? A proposta da visita é fazer um percurso que passa pela paisagem na área externa do museu até as paisagens reais ou imaginadas, externas ou internas, presentes nas diversas exposições em cartaz.  

História do MAM – Ao longo de sua história, o MAM Rio realizou inúmeras exposições que marcam até hoje expressões e linguagens das artes visuais, assim como tornou-se um polo para múltiplos eventos e movimentos artísticos na cidade desde sua inauguração. O percurso sugere uma imersão na história do MAM através de exposições, arquitetura, obras e jardins.

Arquitetura MAM – Um percurso através da arquitetura de Affonso Eduardo Reidy enquanto obra motriz. A visita propõe um olhar sobre o marco da arquitetura moderna para além de um recipiente de exposições ou vanguardas artísticas no Rio de Janeiro, mas como obra que instala-se no território da cidade.

VISITAS MEDIADAS

AOS SÁBADOS . 15h – 16h
Visitas às exposições, percorrendo obras e práticas artísticas, a partir das perspectivas de educadores postas em diálogo com as do grupo. No mês de novembro, as visitas serão em torno do tema origens, elemento presente nas exposições em cartaz no museu. 

Vagas: 08 
Classificação indicativa livre
Distribuição de pulseira na bilheteria com 30 minutos de antecedência. 

ACERVO EM FOCO

SÁB 20 NOV . 14h

A Criação No 2: Obatalá e Exu de Abdias Nascimento com Daniel Bruno
Diálogo sobre a obra A Criação No 2: Obatalá e Exu, do acervo Ipeafro do artista e intelectual Abdias Nascimento, que integra a exposição A memória é uma invenção.  A visita faz parte do projeto Acervo em Foco, que propõe conversas sobre uma obra do acervo, estudando junto com os públicos suas singularidades e suas histórias, explorando diversos caminhos para entender sua possível relevância nos contextos da arte e da cultura.

Vagas: 12 
Classificação indicativa livre 
Distribuição de pulseira na bilheteria com 30 minutos de antecedência. 

CONVERSAS E PALESTRAS

# 2 TRANS-HUMANIZAÇÃO VIRÓTICA com Linga Acácio
SÁB 6 NOV . 15h

Qual o limite entre a percepção cisgênera e as construções temporais de sexo dissidentes? Quais alianças e contra condutas são possíveis de ser pensadas a partir da convivência com seres invisíveis como vírus? 

Essa ativação faz parte da instalação ÂNSIA: Programa de Estudos em Naturezas Monstruosas, de Jonas Van, comissionada para Composições para tempos insurgentes. A atividade parte de uma escuta ativa aos sintomas e partilhas de tecnologias trans e travestis na lida com o adoecimento e convivência com os vírus e seres invisíveis, discutindo as fricções de um entendimento de humanidade e monstruosidade. 

Linga Acácio é artista cearense. Pesquisa, escreve e produz conhecimentos que se atravessam nos campos da performance, interseccionalidade, dissidência de gênero e travestilidade, HIV+, contaminações entre corpo e espaço e estratégias anticoloniais.

Jonas Van é artista transnordestino e cozinheiro. Inscreve sua prática entre a desobediência de gênero, linguagem e naturezas monstruosas utilizando som-vídeo, instalações efémeras e texto. Propõe narrativas ficcionais profundamente íntimas, fraturas linguísticas e temporais numa perspectiva anticolonial. 

A ativação faz parte da exposição Composições para tempos insurgentes, apoiada pela BTG Pactual. 

Conversa online com Barbara Copque

QUA 14 NOV . 19h
Conversa com a pesquisadora Barbara Copque. Mediação: Camilla Rocha Campos.
Vagas: 50. Inscrições online: formulário. https://mamrio.typeform.com/to/lriBYpxy

Barbara Copque é pós-doutora em ciências sociais, deu máquinas fotográficas para crianças em situação de rua, entrou com máquinas nos presídios cariocas e sempre utilizou a fotografia nos estudos sobre violência institucional. É curadora da FAIM – Festival de Artes de Imbariê e do coletivo Negras[fotos]grafias. Participou de exposições individuais e coletivas, sendo as últimas no Museu de Arte do Rio de Janeiro (MAR), nas exposições Casa Carioca e Crônicas Cariocas

Residência Pesquisa em artes recebe no MAM Rio um time de artistas e pesquisadoras durante 8 meses, criando situações de diálogo entre profissionais do campo da arte e contribuindo com a formação desses profissionais e seus posicionamentos frente às dinâmicas de se fazer e circular arte. Conta com o patrocínio de Beck’s e do Grupo PetraGold. 

Ciclo de autoleitura residência Pesquisa em artes 

SÁB 27 NOV . 16h

Os “Ciclos de autoleitura” são momentos em que o grupo de residentes de Pesquisa em artes do MAM Rio compartilham processos entre si e desenvolvem os projetos de texto e podcast ao longo da residência. No último encontro, de forma pública e presencial, as pessoas residentes falarão sobre as atividades realizadas na residência. 

Mediação: Camilla Rocha Campos.
Vagas: 50. Inscrições online: formulário. 

residência Pesquisa em artes recebe no MAM Rio um time de artistas e pesquisadoras durante 8 meses, criando situações de diálogo entre profissionais do campo da arte e contribuindo com a formação desses profissionais e seus posicionamentos frente às dinâmicas de se fazer e circular arte. Conta com o patrocínio de Beck’s e do Grupo PetraGold. 

LANÇAMENTO DA PUBLICAÇÃO: Cultura digital e educação em rede

SEX 27 NOV . 14h – 16h

O livro apresenta os projetos realizados no projeto Expresso Educação: Residência professor-pesquisador, desenvolvido pelo MAM Rio em 2021, a partir do tema “arte, educação e cultura digital”, pensando metodologias educacionais de ensino remoto e híbrido. 

Haverá distribuição gratuita da publicação por ordem de chegada. 

O projeto Expresso Educação é patrocinado pela Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro, Secretaria Municipal de Cultura, pela JSL e Multiterminais, por meio da Lei Municipal de Incentivo à Cultura – Lei do ISS. 

OFICINAS

PARA FAZER EM CASA

Oficina de Desenho Mágico com Lê Nor
A partir de QUA 3 NOV 

Nesse mês, a artista e arte-educadora Lê Nor divide um truque para criar desenhos mágicos. Com giz de cera, tinta e papel, podemos desvendar desenhos e mundos de cores. Como criar uma superfície preta no papel que possa nos surpreender a cada traço raspado? Descubra com Lê Nor. A oficina faz parte do projeto Para fazer em casa, atividade online para crianças de todas as idades. Vídeos nos quais artistas e educadores propõem atividades para serem realizadas em casa e divulgadas em redes sociais.

Disponível em www.vimeo.com/mamrio

O projeto para fazer em casa é uma iniciativa conjunta do MAM Rio e da Petrobras.

ZONA ABERTA 

Oficina de POESIA com Tom Grito
SÁB 13 NOV . 10h – 12h 
Nesta oficina de 120 minutos o poeta Tom Grito apresenta algumas atividades que levarão os presentes a progredir da ideia para confecção do texto até a performance de poesia falada. As atividades consistem de práticas de escrita criativa e identificação de recursos do texto e corporeidade pautados na vivência poética de slammers.

Vagas: 12 por ordem de chegada
Classificação indicativa livre 

Dançar coco, com Tati Oliveira
SÁB 27 NOV . 10h – 12h
Nesta oficina iremos aprender e experimentar a dança tradicional do coco. Oficina ministrada por Tati Oliveira a convite de Jade Teles e Rebeca Teixeira, participantes da residência Germinadora do MAM Rio. A oficina faz parte do projeto Zona Aberta que propõe práticas artístico-pedagógicas nos jardins e demais áreas externas do MAM Rio. 

Vagas: 12 por ordem de chegada

Classificação indicativa: crianças e jovens

Zona Aberta é patrocinado pela Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro, Secretaria Municipal de Cultura, pela Adam Capital e Deloitte, por meio da Lei Municipal de Incentivo à Cultura – Lei do ISS

MAM PARA EDUCADORES

10, 11 e 12 NOV . 19h – 21h
Arte e Educação Antirracista  com Viviane Rodrigues, Rafa Éis e Marcia Paulo.
O curso propõe refletir sobre educação antirracista a partir da experiência de três educadores convidados. Pretendemos discutir como trabalhar as questões raciais em diversos níveis de ensino e plataformas, e como a arte pode nos auxiliar nesse processo, tornando-se uma importante ferramenta para combater o racismo em nossa sociedade.  O projeto é uma ação contínua de formação de professores e educadores que se propõe a discutir temas relacionados à arte e educação.  

Vagas: 95
Inscrições online: formulário https://mamrio.typeform.com/to/LueUhs6O

Viviane Rodrigues é Pedagoga, Professora da SME/RJ; Especialista em História da África e do Negro no Brasil; Educação e Relações Étnico-Raciais; e Mestre em Relações Étnico-Raciais. Idealizadora do Projeto Antirracista @hqdatiavivi. Foi uma das residentes da Residência Professor-Pesquisador do Projeto Expresso Educação do MAM/RJ.

Rafa Éis é artista-correria, educador e curador. Mestre em processos artísticos contemporâneos pelo PPGARTES/UERJ, é responsável pela área de artes visuais da Coart-UERJ, onde desenvolve o projeto de formação anti-racista ‘Racializando as artes visuais’.

Márcia Cristina Paulo dos Santos é Professora de Libras-INES/MEC e Mestranda da Educação Bilíngue do DESU/INES.

OUTUBRO 2021

FANTÁSTICO JARDIM
A partir de TER 12 OUT
Fantástico jardim é uma exposição interativa online com dispositivos de aprendizado para crianças de 0 a 6 anos. O projeto tem o Parque do Flamengo e seus jardins como inspiração. Nele, as plantas funcionam como um recurso artístico para a criação de ambientes e paisagens. A plataforma traz jogos em que a criança monta seu próprio projeto paisagístico com base nas formas sinuosas e orgânicas encontradas no parque. A partir de
um banco de dados ilustrativo das espécies de plantas, a criança é convidada a imaginar e construir o seu jardim.

O Projeto Fantástico Jardim é uma iniciativa conjunta do MAM Rio e da Petrobras. Acesse em: http://fantasticojardim.org/


VISITAS EDUCATIVAS

VISITAS ACESSÍVEIS: FANTÁSTICO JARDIM
A partir de QUA 13 OUT
Os jardins do MAM são imensas obras de arte que podemos atravessar e vivenciar. Além disso, elas abrigam obras de artistas importantes para a arte brasileira. Desta vez o Visitas acessíveis vai falar sobre a exuberante natureza dos jardins e as pesadas obras de aço que nela estão. Os jardins evocam ideias que, auxiliadas por tecnologias assistivas, podem ajudar a construir imagens e narrativas próprias.

VISITAS PETROBRAS
DOM 3, 10, 17, 24, 31 OUT
10h30 – Uma volta pelas exposições
A visita propõe uma visão panorâmica da programação com uma volta pelas exposições em cartaz instigando relações de contrastes e aproximações a partir da reflexão: o que pode ser um museu?

Vagas: 8
Faixa etária: livre.
Agendar em www.mam.rio/ingressos
Distribuição de pulseira na bilheteria com 30 minutos de antecedência.

13h30 – Uma volta pelos jardins do MAM
Visita com foco nos Jardins do MAM, projetado por Roberto Burle Marx, o paisagismo como arte. Em diálogo com a exposição Fantástico Jardim que acontece em um Jardim online.

15h – Uma volta pelas exposições
A visita propõe uma visão panorâmica da programação com uma volta pelas exposições em cartaz instigando relações de contrastes e aproximações a partir da reflexão: o que pode ser um museu?


VISITAS MEDIADAS
AOS SÁBADOS, das 15h às 16h
Visitas às exposições, percorrendo obras e práticas artísticas, a partir das perspectivas de educadores, postas em diálogo com as do grupo. No mês de maio, as visitas serão em torno do tema: Brincadeira, elemento presente nas exposições em cartaz no MAM Rio.
Vagas: 08.
Faixa etária: livre.
Distribuição de pulseira na bilheteria com 30 minutos de antecedência.

ACERVO EM FOCO
SÁB 30 OUT às 14h
Jardim de Pedra de Burle Marx e Haruyoshi Ono de 1950 com Antonio Amador
Diálogo sobre a obra dos paisagistas Burle Marx e Haruyoshi Ono que integram os arredores do MAM e propõe um diálogo com o Fantástico Jardim, uma exposição virtual e interativa dedicada às crianças. A visita faz parte do projeto Acervo em Foco, dedicado uma conversa sobre uma obra do acervo, estudando junto com os públicos suas singularidades e suas histórias, explorando diversos caminhos para entender sua possível relevância nos
contextos da arte e da cultura.

Vagas: 12.
Faixa etária: livre. Distribuição de pulseira na bilheteria com 30 minutos de antecedência.

PARA FAZER EM CASA
Oficina de Escultura de Embalagem – com Ismael David
Que formas conseguimos inventar e descobrir a partir de embalagens que seriam descartadas? Você já imaginou como elas são por dentro? Nesta edição, Ismael David mostra como podemos brincar de criar esculturas com embalagens que temos em casa. A oficina faz parte do projeto para fazer em casa, atividade online para crianças de todas as idades. Vídeos nos quais artistas e educadores propõem atividades para serem realizadas em casa, disponível em https://mam.rio/oficinas-caseiras-criancas e divulgadas em redes sociais.

OFICINAS

Oficina de construção de carrinho de rolimã, com Coletivo MP.
SÁB 9 OUT, das 10h às 13h
Convidamos as famílias a aprenderem a fabricação de um brinquedo tradicional: o carrinho de rolimã. O material será disponibilizado para os públicos. A oficina faz parte do projeto Zona Aberta que propõe práticas artístico – pedagógicas nos jardins e demais áreas externas do MAM Rio.
Vagas: 12 por ordem de chegada
Faixa etária: livre

Oficina de Instalação com plantas com Alex Lemos.
TER 12 OUT, das 10h às 12h e 14h às 16h
Nesta edição do Zona Aberta, o artista e produtor musical, Alex Lemos faz um convite para criarmos intervenções com diferentes espécies de plantas nos pilotis e jardins de pedra do MAM. A ação dialoga com a exposição digital Fantástico Jardim e sugere outras possibilidades para o projeto paisagístico do Parque do Flamengo. A oficina faz parte do projeto Zona Aberta que propõe práticas artístico – pedagógicas nos jardins e demais áreas externas do MAM Rio.
Vagas: 12 por ordem de chegada
Faixa etária: livre

Oficina de desenho com Antonio Amador e Shion Lucas
SÁB 16 OUT, das 10h às 13h
Nesta ação, iremos dialogar com o acervo do MAM Rio e o material histórico das oficinas e exposições de crianças que aconteceram no museu nas décadas de 50 e 60. A oficina faz parte do projeto Zona Aberta que propõe práticas artístico – pedagógicas nos jardins e demais áreas externas do MAM Rio.
Vagas: 12 por ordem de chegada
Faixa etária: livre

Oficina de pintura com spray com Pedro Gomes e Bruno Brasil
SÁB 23 OUT, das 10h às 12h e 14h às 16h.
Ensinando técnicas de pintura com spray e produção de murais numa atividade dinâmica e enriquecedora. dialoga com todos aqueles que pensam em começar no graffiti mas não sabem como e também os que já fazem e querem se aprimorar. Atividade proposta por Ana Cristina Santana, Helena Costa, Manoela Gomes e Yamandu Germano, participantes da Residência Germinadora do MAM Rio. A oficina faz parte do projeto Zona Aberta que propõe práticas artístico – pedagógicas nos jardins e demais áreas externas do MAM Rio.
Vagas: 12 por ordem de chegada
Faixa etária: livre

Oficina de Modelagem com Ywzar Guajajara
SÁB 30 OUT, das 10h ás 12h
Nesta oficina iremos aprender e experimentar o processo de modelagem em 3D usando a massa de porcelana fria (biscuit). Proposta elaborada e desenvolvida por Ywyzar Guajajara, participante da residência Germinadora do MAM Rio. A oficina faz parte do projeto Zona Aberta que propõe práticas artístico – pedagógicas nos jardins e demais áreas externas do MAM Rio.
Vagas: 12 por ordem de chegada
Faixa etária: livre

SETEMBRO 2021

VISITAS AGENDADAS ONLINE

Visitas online com duração de 40 minutos para grupos de escolas, ONGs, dentre outras instituições, abordando um dos seguintes temas: Colecionismo e o Acervo do MAM Rio; História e Arquitetura do MAM Rio; e a exposição temporária A memória é uma invenção. As visitas ocorrem a partir de dinâmicas e jogos conduzidos por profissionais da área de Educação e Participação do museu. 

Vagas: 45 por visita
Classificação indicativa livre
Agendamento através do formulário: https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSccESZY7jFip9JPKYRZQBe_3ztqRfaWREOEnjVY_TiSeaNVAA/viewform?vc=0&c=0&w=1&flr=0

VISITAS PETROBRAS

DOM 5, 12, 19, 26 SET
10h30 – Uma volta pelas exposições – A visita propõe uma visão panorâmica da programação com uma volta pelas exposições em cartaz instigando relações de contrastes e aproximações a partir da reflexão: o que pode ser um museu?
Vagas: 8. Classificação indicativa livre. Agendar em www.mam.rio/ingressos. Distribuição de pulseira na bilheteria com 30 minutos de antecedência.

13h30 – Arquitetura MAM – Visita com foco no edifício, projetado por Affonso Eduardo Reidy, e nos Jardins do MAM, de autoria de Roberto Burle Marx: arquitetura e o paisagismo como arte.
Vagas: 8. Classificação indicativa livre. Agendar em www.mam.rio/ingressos. Distribuição de pulseira na bilheteria com 30 minutos de antecedência.

15h – Uma volta pelas exposições – A visita propõe uma visão panorâmica da programação em cartaz, instigando relações de contrastes e aproximações a partir da reflexão: o que pode ser um museu?
Vagas: 8. Classificação indicativa livre. Agendar em www.mam.rio/ingressos. Distribuição de pulseira na bilheteria com 30 minutos de antecedência.

_

VISITAS SOB MEDIDA 

QUINTAS E SEXTAS – 10h e 11h30
Monte um grupo de seu relacionamento para ter acesso exclusivo às exposições antes do horário de abertura do museu para o público. Com ingresso de valor específico, o grupo terá direito a reserva no estacionamento e acompanhamento de educadores, que irão propor circuitos de visitação a partir de um percurso previamente escolhido. São apenas duas sessões diárias, para grupos de até 8 pessoas, e seguem todos os protocolos de segurança sanitária. Agendar em www.mam.rio/ingressos

Percursos à escolha: 
Paisagens imaginadas –  Como vemos e sentimos os lugares por onde passamos? A proposta da visita é fazer um percurso da paisagem que vemos na área externa do museu até as paisagens reais ou imaginadas, externas ou internas, presentes nas diversas exposições em cartaz.  

História do MAM – Ao longo de sua história, o MAM Rio realizou exposições que marcam até hoje expressões e linguagens das artes visuais, assim como se tornou um polo para múltiplos eventos e movimentos artísticos na cidade desde sua inauguração. O percurso sugere uma imersão na história do MAM por meio de suas de exposições, arquitetura, obras e jardins.

Arquitetura MAM – Um percurso que se dá a partir da arquitetura de Affonso Eduardo Reidy enquanto obra motriz. A visita propõe um olhar sobre o marco da arquitetura moderna para além de um recipiente de exposições ou vanguardas artísticas no Rio de Janeiro, mas como obra que se instala no território da cidade.

_

VISITAS MEDIADAS

AOS SÁBADOS . 15h – 16h
Visitas às exposições, percorrendo obras e práticas artísticas, a partir das perspectivas de educadores, postas em diálogo com as do grupo. No mês de setembro, as visitas serão em torno do tema “memória, como elemento presente nas exposições em cartaz no MAM Rio. 

Vagas: 08.  Classificação indicativa livre Distribuição de pulseira na bilheteria com 30 minutos de antecedência. 

ACERVO EM FOCO

SÁB 25 SET – 14h
Obra de Zaca Oliveira 
com Laís Daflon
Diálogo sobre a obra do artista Zaca Oliveira, parte do Acervo da Laje, que integra a exposição A memória é uma invenção. A visita faz parte do projeto Acervo em Foco, dedicado uma conversa sobre uma obra de acervo, estudando junto com os públicos suas singularidades e suas histórias, explorando diversos caminhos para entender sua possível relevância nos contextos da arte e da cultura.

Vagas: 12.  Classificação indicativa livre. Distribuição de pulseira na bilheteria com 30 minutos de antecedência. 

CONVERSAS E PALESTRAS

Ciclo de conversas: Cenas da cultura imaterial

O que nos veste e nos ativa
A arte associada ao vestuário (indumentária), reúne como campo de pesquisa figurinos, adereços, adornos, joias, decorações, máscaras e os instrumentos de uso característicos do traje em questão. Nesta sessão, vamos conversar sobre modos e condições de ativação para corpos e situações. Desde o ser zombeteiro, encarnado pelo fofão e bate-bola, às representações de corpos vestidos e pintados, onde a resistência e o sagrado se materializam.

QUA 22 SET . 14h – 16h
Mesa 1 
José Alencar e Anderson Budah, moderada por Gabriel Gutierrez.

Antônio José Alencar Chaves, morador do bairro da Madre de Deus, trabalha desde os 40 anos nos movimentos culturais nos bairros de São Luís, confeccionando máscaras de fofão tradicionais do carnaval maranhense. Anderson Mangorra (BUDA) é atuante no mundo dos bate bolas desde 1996, é auxiliar de atividade cultural  na Secretaria Municipal de Cultura do Rio e líder da turma FASCINAÇÃO, promovendo a cultura do Carnaval do subúrbio carioca.

Bio Gabriel Gutierrez 

QUI 23 SET . 14h – 16h
Mesa 2 
Hanayrá Negreiros e Zahy Guajajara, moderado por Erika Palomino.

Hanayrá Negreiros é pesquisadora em moda e práticas curatoriais. Atualmente  é curadora-adjunta de moda no MASP e assina a coluna digital Negras Maneiras na ELLE Brasil. 

Zahy Guajajara é multiartista do povo Tentehar-Guajajara. Acredita que a arte tem o poder de comunicar e transformar. Comunica-se em Ze’eng Eté (fala boa/verdadeira), português and learning English as well.

Erika Palomino é jornalista e Gerente de Comunicação do MAM Rio.
O ciclo é organizado pelo MAM Rio em colaboração com o Centro Cultural Vale Maranhão (São Luíz, MA), e faz parte do projeto Legados vivos, patrocinado pelo Instituto Cultural Vale. Legados vivos inclui também a exposição A memória é uma invenção, e uma publicação do mesmo título.  

Vagas: 50. Inscrições online: formulário.https://mamrio.typeform.com/to/BKiFdyrm

ACESSIBILIDADE EM DIÁLOGO – Culturas surdas

SÁB 11 SET . 14h – 15h
Em setembro se comemora o mês do orgulho surdo. Dentro da chamada Cultura Surda existem diversas perspectivas e identidades diferentes, criando uma rica teia de possibilidades e formas de estar no mundo. Convidamos a drag queen e ativista surda Kitana Dreams e Juliana Pavan, que é educadora, estudante de pedagogia e instagramer para discutir essas diferentes formas de ser surdo.

Webinário, arte, educação e cultura digital

TER 14 SET 
Este evento torna público os projetos desenvolvidos durante a residência Expresso Educação – Residência Professor-pesquisador pelos residentes, professores das redes públicas e privadas. Durante seis meses a partir de abril de 2021, os professores participaram de encontros remotos coletivos e individuais com o objetivo de explorar as intersecções entre arte, educação e cultura digital.

10h – 12h – Projetos dos residentes 
Gisele Ferreira da Silva
Jaciara Cristina Soares da Conceição
Maria Madeira 

15h – 17h – Projetos dos residentes
Rafael Adorjan
Thamy Dalethese 
Viviane Rodrigues 

Vagas: 50. Inscrições online: formulário. https://mamrio.typeform.com/to/eaYuRdZx

O projeto Expresso Educação é patrocinado pela Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro, Secretaria Municipal de Cultura, pela JSL e Multiterminais, por meio da Lei Municipal de Incentivo à Cultura – Lei do ISS.

Conversa online com Denise Ferreira da Silva e Valentina Desideri

QUA 15 SET – 19h
Conversa sobre formatos e meios que facilitam o estudo colaborativo e a experimentação com diferentes práticas e ferramentas de leitura (por exemplo, Tarô e Astrologia) e cura (por exemplo, Reiki e Terapia Política). O evento faz parte da Residência Pesquisa em Artes, na qual ambas as convidadas participam como propositoras de jornada de estudos para as artistas residentes durante o mês de setembro. Mediação: Camilla Rocha Campos.

Vagas: 50. Inscrições online: https://mamrio.typeform.com/to/hthd08p5.

Denise Ferreira da Silva é filósofa, escritora e cineasta. Seus trabalhos acadêmicos e artísticos abordam os desafios ético-políticos do presente global. Entre seus trabalhos destacamos os livros Toward a Global Idea of Race (2007), A dívida impagável (2019), Unpayable Debt (2021) e os filmes Serpent Rain (2016), 4Waters/Deep Implicancy (2018) and Soot Breath/Corpus Infinitum (2020), todos em colaboração com Arjuna Neuman. 

Valentina Desideri explora o fazer artístico como forma de estudo e o estudo como forma de fazer arte. Realiza trabalhos de Terapia falsa e Terapia política, é uma das co-organizadoras do Fórum de Artes Cênicas na França (PAF) e em parceria com Denise Ferreira da Silva realiza o  Leituras Poéticas e os Sensing Salons.

A Residência Pesquisa em Artes recebe no MAM Rio 12 artistas e pesquisadoras durante 8 meses, criando situações de diálogo entre profissionais do campo da arte e contribuindo com a formação desses profissionais e seus posicionamentos frente às dinâmicas de se fazer e circular arte. É patrocinada por Beck’s e Grupo PetraGold.

_

OFICINAS

A partir de QUA 1 SET
Oficina de tambor de pote e fita – com Rodrigo Maré
Neste mês, nosso convidado é o artista Rodrigo Maré. Que propõe a atividade tambor de pet e fita, ensinando como treinar ritmo com um instrumento feito em casa com materiais reaproveitados ou reciclados. A oficina faz parte do projeto Para fazer em casa, atividade online para crianças de todas as idades. Vídeos nos quais artistas e educadores propõem atividades para serem realizadas em casa, disponível em https://vimeo.com/586353087/193c7da51f  e divulgadas em redes sociais.

Oficina de Poesia em LIBRAS, com Ricardo Boaretto.
SÁB 18 SET . 10h – 13h
Nesta oficina iremos experimentar a criação de poesias a partir da Língua Brasileira de Sinais – LIBRAS. Iremos conhecer os principais métodos poéticos de criação, o Visual Vernacular e outras maneiras de expressão através de sinais, com Ricardo Boaretto.  Vagas: 12 por ordem de chegada. Classificação indicativa livre.

Ricardo Boaretto trabalha no Instituto Superior de Educação do Rio de Janeiro, atuando como professor de Libras para ouvintes.

A oficina faz parte do projeto Zona Aberta que propõe práticas artístico – pedagógicas nos jardins e demais áreas externas do MAM Rio.


AGOSTO 2021

VISITAS EDUCATIVAS

VISITAS AGENDADAS ONLINE

TER 3, 10, 17, 24 e 31 AGO . 10h e 14h
QUI 5, 12, 19 e 26 AGO . 10h e 14h
Visitas online com duração de 40 minutos para grupos de escolas, ONGs, dentre outras instituições, abordando um dos seguintes temas: Colecionismo e o Acervo do MAM Rio; História e Arquitetura do MAM Rio; e a exposição Estado bruto. – visitas ocorrem a partir de dinâmicas e jogos conduzidos por educadores.  Vagas: 45 por visita. Classificação indicativa livre

VISITAS PETROBRAS

Os educadores acompanham grupos de até oito pessoas de qualquer idade, em que dialogam e compartilham olhares, leituras e significados em relação às exposições do MAM Rio. Vagas: 8 por visita. Agende em www.mam.rio/ingressos

DOM 1, 8, 15, 22 e 29 AGO

10h30 – Uma volta pelas exposições – A visita propõe uma visão panorâmica da programação a partir da exposição Estado bruto, em cartaz, instigando relações de contrastes e aproximações a partir da reflexão: o que pode ser um museu? Vagas: 8 Classificação indicativa livre.

Agendar em www.mam.rio/ingressos.
Distribuição de pulseira na bilheteria com 30 minutos de antecedência.

13h30 – Arquitetura MAM – Visita com foco no edifício, projetado por Affonso Eduardo Reidy, e nos Jardins do MAM, de autoria de Roberto Burle Marx. A arquitetura e o paisagismo como arte. Vagas: 8 Classificação indicativa livre.

Agendar em www.mam.rio/ingressos.
Distribuição de pulseira na bilheteria com 30 minutos de antecedência.

15h – Uma volta pelas exposições A visita propõe uma visão panorâmica da programação a partir de Estado bruto, exposição em cartaz, instigando relações de contrastes e aproximações a partir da reflexão: o que pode ser um museu? Vagas: 8. Classificação indicativa livre.

Agendar em www.mam.rio/ingressos.
Distribuição de pulseira na bilheteria com 30 minutos de antecedência.

VISITAS SOB MEDIDAS

QUINTAS E SEXTAS – 10h e 11h30

Monte um grupo de seu relacionamento para ter acesso exclusivo – exposições antes do horário de abertura do museu para o público. Com ingresso de valor diferenciado, o grupo terá direito a reserva no estacionamento e acompanhamento de educadores, que irão propor circuitos de visitação a cada grupo a partir de um percurso previamente escolhido. São apenas duas sessões diárias, para grupos de até 8 pessoas, e seguem todos os protocolos de segurança sanitária. Agendar em www.mam.rio/ingressos

Percursos à escolha: 

Paisagens imaginantes – Como vemos e sentimos os lugares por onde passamos? A proposta da visita é fazer um percurso da paisagem que vemos na área externa do museu até – paisagens reais ou imaginadas, externas ou internas, presentes nas diversas exposições em cartaz.  

História do MAM – Ao longo de sua história, o MAM Rio realizou inúmeras exposições que marcam até hoje expressões e linguagens das artes visuais, assim como tornou-se um polo para múltiplos eventos e movimentos artísticos na cidade desde sua inauguração. O percurso sugere uma imersão na história do MAM Rio através de exposições, arquitetura, obras e jardins.

Arquitetura MAM – Um percurso através da arquitetura de Affonso Eduardo Reidy enquanto obra motriz. A visita propõe um olhar sobre o marco da arquitetura moderna para além de um recipiente de exposições ou vanguardas artísticas no Rio de Janeiro, mas como obra que instala-se no território da cidade.

VISITAS MEDIADAS

AOS SÁBADOS . 15h – 16h
Visitas às exposições, percorrendo obras e práticas artísticas, a partir das perspectivas de educadores, postas em diálogo com as do grupo. No mês de agosto, as visitas serão em torno do tema “tempo” como elemento presente na exposição em cartaz no MAM Rio. 

Vagas: 12. Classificação indicativa livre
Distribuição de pulseira na bilheteria com 30 minutos de antecedência. 

ACERVO EM FOCO
SÁB 28 AGO . 14h
Reino distante, de Márcia X com Shion Lucas 
Diálogo sobre a obra da artista Márcia X de 1998 que integra a exposição Estado bruto, e que faz parte do acervo do MAM Rio. A visita faz parte do projeto Acervo em Foco, dedicado uma conversa sobre uma obra do acervo do MAM, estudando junto com os públicos suas singularidades e suas histórias, explorando diversos caminhos para entender sua possível relevância nos contextos da arte e da cultura.

Vagas: 12. Classificação indicativa livre
Distribuição de pulseira na bilheteria com 30 minutos de antecedência. 

PALESTRAS e CONVERSAS

TER 03 AGO . 10h – 12h
Tecnologia educacional e inclusão digital, com Carla Vieira, Alexandre Rosado e 

Cristiane Taveira

Debate sobre o uso de novas tecnologias e ferramentas digitais para fins educacionais e a utilização destas plataformas para a educação de pessoas com deficiência. A palestra faz parte do Ciclo de Palestras Arte, Educação e Cultura Digital que torna público os debates realizados no projeto Expresso Educação – Residência Professor Pesquisador.

Vagas: 50.
Inscrições online: formulário. https://mamrio.typeform.com/to/NC7LnFQx

Convidados:

Carla Vieira é Bacharel em Sistemas de Informação pela USP e mestranda em Inteligência Artificial pela USP. Atua como engenheira de software e foi reconhecida como Google Developer Expert em Machine Learning. Participa como co-organizadora da comunidade perifaCode, buscando levar a tecnologia para dentro das periferias.

Alexandre Rosado é doutor em Educação (PUC-Rio, 2012) com parte da pesquisa desenvolvida no CREMIT (UCSC) em Milão, Itália. Mestre em Educação (UNESA, 2008) e graduado em Comunicação Social (UGF, 2004). Atualmente é Professor Adjunto do Departamento de Ensino Superior do INES atuando no curso de Pedagogia e no Mestrado Profissional em Educação Bilíngue, em que é coordenador adjunto (2019-2021), com temáticas na área de educação, mídias e tecnologia.

Cristiane Taveira é doutora em Educação pela PUC Rio. Professora das redes municipal e estadual por 20 anos. Atualmente é professora Adjunta da área de Educação Bilíngue do Departamento de Ensino Superior do Instituto Nacional de Educação de Surdos (DESU/INES). Tem experiência na área de Tecnologia Assistiva, Educação Bilíngue (Libras, Língua Portuguesa), Letramento Visual e Materiais didáticos voltados para Escolas Bilíngues de surdos, principalmente, Monografias videografadas em Libras.

O projeto Expresso Educação é patrocinado pela Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro, Secretaria Municipal de Cultura, pela JSL e Multiterminais, por meio da Lei Municipal de Incentivo à Cultura – Lei do ISS.

QUA 11 AGO, – 19h

Conversa online de Linn da Quebrada

Conversa com a multiartista Linn da Quebrada sobre seus trabalhos como performer e roteirista, abordando ferramentas para a produção artística de um programa de podcast no museu. O evento faz parte da Residência Pesquisa em Artes, na qual Linn da Quebrada participa como propositora de oficina para as artistas residentes durante o mês de agosto. Mediação: Camilla Rocha Campos.

Vagas: 50. Inscrições online: https://mamrio.typeform.com/to/UzfhVUR5

Linn da Quebrada é uma artista multimídia e agitadora cultural conhecida pela sua carreira na música, na TV e no cinema. Em 2021, disseca algumas de suas principais provocações sobre o atual mercado musical e o fazer artístico em seu novo disco, Trava Línguas (Natura Musical), enquanto cria ideias e experimentos baseados no que mais lhe chama atenção: o transtornar-se em meio a uma celebração do fracasso.

A Residência Pesquisa em Artes recebe no MAM Rio 12 artistas e pesquisadoras durante 8 meses, criando situações de diálogo entre profissionais do campo da arte e contribuindo com a formação desses profissionais e seus posicionamentos frente às dinâmicas de se fazer e circular arte. É patrocinada por Beck’s e Grupo PetraGold.

OFICINAS

A partir de QUA 4 AGO
Oficina online Meditando com Catavento, com Bruno Baltazar
Neste mês, nosso convidado é o educador Bruno Baltazar, que propôs a oficina Meditando com Catavento, mostrando que é possível se concentrar e manter o foco brincando. Com poucos materiais, a criança pode aprender os conceitos básicos da meditação de maneira lúdica e divertida. A oficina faz parte do projeto Para Fazer em Casa, atividade online para crianças de todas as idades, disponível em www.vimeo.com/mamrio

Oficina de Patins, com Gustavo Carilo
SÁB 7 AGO . 10h – 13h
Esta oficina explora as relações entre o corpo em movimento e o espaço externo do MAM Rio. Os públicos são convidados a aprender a andar de patins, experimentar o corpo e o deslize sobre rodinhas. A oficina faz parte do projeto Zona Aberta, que propõe práticas artístico-pedagógicas nos jardins e demais áreas externas do MAM Rio. 

Zona Aberta é patrocinado pela Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro, Secretaria Municipal de Cultura, pela Adam Capital e Deloitte, por meio da Lei Municipal de Incentivo à Cultura – Lei do ISS.

Vagas: 12, por ordem de chegada. Classificação indicativa livre. O equipamento necessário será disponibilizado durante a oficina.

Dançar em Patins, com Gustavo Carilo
SÁB 21 AGO . 10h – 13h
A oficina dá continuidade à proposta de explorar as relações entre o corpo em movimento e o espaço externo do MAM Rio. Desta vez, os públicos serão convidados a executar coreografias sobre rodinhas. A oficina faz parte do projeto Zona Aberta, que propõe práticas artístico-pedagógicas nos jardins e demais áreas externas do MAM Rio.

Vagas: 12, por ordem de chegada. Faixa etária: livre. O equipamento necessário será disponibilizado durante a oficina.

Cursos

MAM PARA EDUCADORES
17, 18 e 19 AGO das 19 – 21h
Arte, Educação e Acessibilidade. Com Ana Regina Campelo, Lua Cavalcanti e Rosana  Grasse. 
Vagas: 95.  Inscrições online: formulário https://mamrio.typeform.com/to/wqvLlCju

O curso propõe refletir sobre o campo da educação com atenção para pessoas com deficiência a partir de perspectivas diferentes, desde a arte como lugar de saber produzidos por outros corpos não normativos.  Além de propor novos desafios ainda a serem alcançados no âmbito da educação formal no Brasil, compreendendo os avanços já alcançados e as possibilidades de tornar a escola um lugar mais acessível e inclusivo para a diversidade de pessoas com deficiência.

Ana Regina Campello

Profa. Dra. Ana Regina Campello a) Curso de Pedagogia – Departamento de Ensino Superior – INES; b) Pesquisadora e Líder do Grupo de Pesquisa: Instrução em Libras como L1 e L2; c) Professora Colaboradora do Curso de Mestrado Profissional da Diversidade e Inclusão – CMPDI/UFF; d) Professora Colaboradora do Curso de Doutorado de Ciência, Tecnologia e Inclusão – PGCTIn/UFF; e) Professora de Pós Graduação do INES (Especialização) e Coordenadora do próximo Curso de TRADINES (Especialização); f) Tradutora e Intérprete da LP para Libras e vice versa e ASL e g) Proficiente em Prolibras (Libras – Ensino e Tradução/Interpretação) e Celpre-BRA (Língua Portuguesa).

Lua Cavalcanti

Lua Cavalcante é artista, educadora e mulher com deficiência. É tecnóloga em Fotografia, no momento está concluindo a formação em Pedagogia e se aventura pelos caminhos da Pedagogia Griô, um projeto de comunidade/humanidade que tem como foco a expressão da identidade, o vínculo com a ancestralidade e a celebração do direito à vida. No presente, ela compõe a equipe de mediadoras do Programa EducAtiva, no Museu Nacional da República Honestino Guimarães. Lua foi Orientadora de Público no IMS Paulista e Arte Educadora no CCBB DF. Lua se coloca como corpo-artístico-político-pedagógico propondo reflexões sobre quais lugares reais, imaginários e encantados esse corpo habita e opera.

Rosana Grasse
Professora de Libras. Trabalha através da Oficina de Literatura em LIBRAS na Educação Infantil do INES.  Teve experiências com as oficinas sobre poesia em LIBRAS e artística teatral. É formada em Letras/Libras. Possui especialização em Educação de Surdos pelo INES. No momento cursando o mestrado no mesmo instituto.

 Mediação: Gilson Plano e Daniel Bruno

CURSO COLECIONISMOS CONTEMPORÂNEOS
SEG, das 19h as 21h de SET, OUT, NOV.
O curso visa contribuir com a formação de profissionais no campo da gestão de coleções, objetivando contribuir com a formação, teórica e prática, para a expansão do acesso aos acervos culturais enquanto patrimônios históricos. Com o objetivo de oferecer um panorama amplo das diversas vertentes que compõem essa área do conhecimento, cada módulo deste programa focará em uma perspectiva diferente: materialidades, imaterialidades e medialidades. As atividades serão desenvolvidas sob formatos distintos, tais como conferências, estudos de casos, compartilhamento de práticas e encontros para debates; com inscrições gratuitas e livres, e certificação pelo MAM Rio.

Carga horária: 30 horas distribuídas por três ciclos mensais – realizados ao longo dos meses de setembro, outubro e novembro – com encontros virtuais, através da plataforma digital do museu, sempre nas noites das segundas-feiras.

Datas: setembro –  06, 13, 20, 27;  outubro –  04, 11, 18, 25;  novembro – 01, 8, 22, 29.
Horário:  19h – 21h
Vagas: 60.

JULHO 2021

VISITAS MEDIADAS
SÁB, das 15h às 16h

Visitas presenciais às exposições, percorrendo obras e práticas artísticas, a partir das perspectivas de educadores em diálogo com as do grupo. No mês de julho, as visitas serão em torno do tema “histórias”, elemento presente nas exposições em cartaz no MAM Rio. Vagas: 12 por visita.  Distribuição de pulseira na bilheteria com 30 minutos de antecedência. Classificação indicativa livre

SÁB 3 JUL 
História e música
O violeiro Du Machado utiliza violas brasileiras, principalmente viola caipira e viola de cocho, e ritmos tradicionais como o catira e o lundu.

SÁB 17 JUL
História e mímica
Mímico e ator, Gabriel Lélis constrói e inventa histórias em diálogo com as coisas, o espaço e no encontro com as pessoas.  

SÁB 31 JUL 
História e invenção
A contadora de histórias Juliana Costa relaciona saberes e músicas populares. 

_

VISITAS PETROBRAS

Os educadores acompanham grupos de até oito pessoas de qualquer idade, em que dialogam e compartilham olhares, leituras e significados em relação às exposições do MAM Rio. Vagas: 8 por visita. Agende em www.mam.rio/ingressos.

DOM 4, 11, 18 e 25 JUL

10h30 – Uma volta pelas exposições – A visita propõe uma visão panorâmica da programação, instigando relações de contrastes e aproximações a partir da reflexão: o que pode ser um museu?

13h30 – Arquitetura MAM – Visita com foco no edifício, projetado por Affonso Eduardo Reidy, e nos Jardins do MAM, de autoria de Roberto Burle Marx. A arquitetura e o paisagismo como arte.

15h – Uma volta pelas exposições – A visita oferece uma visão panorâmica da programação, instigando relações de contrastes e aproximações a partir da reflexão: o que pode ser um museu?

_

VISITAS EM GRUPO

Monte um grupo de seu relacionamento para ter acesso exclusivo às exposições antes do horário de abertura do museu para o público. Com ingresso de valor diferenciado, o grupo terá direito a reserva no estacionamento e acompanhamento de educadores, que irão propor circuitos de visitação a cada grupo a partir de um percurso previamente escolhido. São apenas duas sessões diárias, para grupos de até 8 pessoas, e seguem todos os protocolos de segurança sanitária. Agendar em www.mam.rio/ingressos.

QUINTAS E SEXTAS, às 10h e 11h30

Percursos à escolha: 
Exposição. Visita aprofundada em uma das exposições em cartaz.​
Coleções. Aspectos gerais das coleções e exposições do MAM​ Rio.
Arquitetura. Um percurso através da arquitetura, do edifício MAM, da história do patrimônio cultural do museu, jardins e entorno.​
Família. Crianças e familiares visitam o museu com abordagem voltada à experiência entre gerações.

_

ACERVO EM FOCO

SÁB 31 JUL, às 14h
Obra escultórica de José Bezerra
Encontro presencial dedicado a debater uma obra das coleções do MAM Rio. Neste mês, o educador Daniel Bruno conduzirá uma conversa sobre a escultura de José Bezerra de 2008 que integra a exposição Estado bruto. Vagas: 12. Distribuição de pulseira na bilheteria com 30 minutos de antecedência. Classificação indicativa livre.

_

PALESTRAS e CONVERSAS

QUI 01 JUL, às 18h30
Conversa com Marcos Chaves
Bate-papo online com o artista Marcos Chaves sobre a exposição As imagens que nos contam, em cartaz no MAM Rio até 25 de julho. Chaves falará com Keyna Eleison e Pablo Lafuente, Diretoria Artística do MAM Rio, sobre o seu processo de criação, e sobre a concepção e montagem da exposição, compartilhando registros, vistas e histórias. Vagas: 50. Inscrições online: https://mamrio.typeform.com/to/got14YOO.

TER 06 JUL, das 10h às 12h 
Processos artísticos e virtualidades, com biarritzz e Giordano Castro
Debate online (via Zoom) sobre os processos de criação artística ligados às práticas virtuais desde sua criação até sua dinâmica de circulação. O evento faz parte do ciclo de palestras Arte, Educação e Cultura Digital, em que tornamos públicos os debates realizados no projeto Expresso Educação – Residência Professor Pesquisador, voltados para professores e educadores. Vagas: 50. Inscrições online: https://mamrio.typeform.com/to/rSDyoQEG.

Uma das primeiras artistas brasileiras expoentes em GIF arte, biarritzz investiga interações entre internet, imagens e corpos não hegemônicos. Remixa cultura pop, videoarte, política de memes, estéticas de videogame e poesia com as novas mídias. 

Giordano Castro é ator e dramaturgo. É membro e um dos fundadores do Grupo Teatral Magiluth e responsável por cinco dramaturgias montadas pelo grupo. Licenciado em Artes Cênicas pela UFPE, participou dos filmes como Tatuagem, de Hilton Lacerda, e Tungstênio, de Heitor Dahlia. 

O projeto Expresso Educação é patrocinado pela Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro, Secretaria Municipal de Cultura, pela JSL e Multiterminais, por meio da Lei Municipal de Incentivo à Cultura – Lei do ISS.

SÁB 10 JUL, às 16h
Fala online de Diego del Valle Ríos 
Conversa com o editor e gestor Diego del Valle Ríos sobre os limites da linguagem e a geração de símbolos em ocasião de sua participação como propositor de jornada de estudo na Residência Pesquisa em Artes. Mediação: Camilla Rocha Campos. Vagas: 50. Inscrições online: https://mamrio.typeform.com/to/pqwRJWss.

Diego del Valle Ríos é editor, gestor-facilitador cultural e escritor independente. Desde 2017 é editor da revista mexicana Terremoto, plataforma dedicada à divulgação do pensamento crítico em torno da arte contemporânea.

A Residência Pesquisa em Artes recebe no MAM Rio 12 artistas e pesquisadoras durante 8 meses, criando situações de diálogo entre profissionais do campo da arte e contribuindo com a formação desses profissionais e seus posicionamentos frente às dinâmicas de se fazer e circular arte. É patrocinada por Beck’s e Grupo PetraGold.

CICLO DE CONVERSAS – CENAS DA CULTURA IMATERIAL
Parte 1: Culturas imateriais como culturas da cena

Ciclo de conversas sobre práticas culturais imateriais a partir do convite às mestras e mestres ligadas a essas tradições no Maranhão, Rio de Janeiro e outras regiões do Brasil. Organizado pelo MAM Rio em colaboração com o Centro Cultural Vale Maranhão (MA), o ciclo se estende de julho a novembro, e faz parte do projeto Legados vivos, patrocinado pelo Instituto Cultural Vale. O projeto inclui também a exposição A memória é uma invenção, prevista para setembro deste ano no MAM Rio, e uma publicação com o mesmo título, a ser lançada ainda em 2021. 

QUA 28 JUL, de 14h às 16h
Introdução ao ciclo com Gabriel Gutierrez, Diretor e Coordenador Artístico do CCVM, e Keyna Eleison e Pablo Lafuente, Diretoria Artística do MAM Rio. Em seguida, acontece a mesa Atos ancestrais, que se aproxima às culturas imateriais em tanto que culturas da cena em sua relação com saberes ancestrais, com Mãe Celina de Xangô e Nadir Cruz; mediação de Keyna Eleison. Vagas: 50. Inscrições online: https://mamrio.typeform.com/to/WqqDKAUE

QUI 29 JUL, de 14h às 16h
A segunda mesa, titulada A efemeridade da cena, se aproxima ao paradigma cênico ao centro das tradições do samba e do boi bumbá, com Haroldo Costa e Lauande Aires; mediação de Ubiratã Trindade, Coordenador Educativo do CCVM. Vagas: 50. Inscrições online: https://mamrio.typeform.com/to/WqqDKAUE.

_

OFICINAS

SÁB 3 JUL, das 10h às 12h e 14h às 16h
Projeto Zona Aberta |Oficinas de pipa
Duas oficinas presenciais para criar pipas com o Coletivo I love MP, ocupando o jardim e os céus do MAM Rio. Sem inscrição. Classificação indicativa livre. 

Lançamento QUA 7 JUL
Oficinas online de tintas caseiras para crianças
Nessa oficina online em vídeo para crianças, o artista Benoit Fournier mostra como a cozinha pode virar um ateliê a partir de tintas feitas com beterraba e temperos. Parte do projeto Para fazer em casa.
Disponível em www.vimeo.com/mamrio.

SÁB 10 JUL, das 10h às 12h e 14h às 16h
Projeto Zona Aberta | Capoeira para crianças
Oficinas presenciais com o professor João Borges Paranhos dedicada à experiência da ginga e do movimento da capoeira para crianças. Sem inscrição. Crianças até 12 anos acompanhadas pelo responsável.

SEX 16 JUL, das 14h às 16h
Dançar Carimbó
Oficina presencial de férias para aprender com o corpo sobre a música e dança do ritmo amazônico Carimbó, com  o professor Silvan Galvão. Classificação indicativa livre. Vagas: 12. Inscrições online: https://mamrio.typeform.com/to/qqYL3IVW

SÁB 17 JUL, das 10h às 12h e 14h às 16h
Projeto Zona Aberta| Fitdance
Convite para dançar, aproveitar o parque e a arquitetura do MAM Rio e participar de duas aulas presenciais de fitdance com o professor Jhonny Souza. Sem inscrição. Classificação indicativa livre.

SEX 23 JUL, das 14h às 16h
Música e letramento
Oficina presencial de pratica musical para crianças e família, conhecendo diversos ritmos como ijexá, samba, funk entre outras sonoridades afrobrasileiras por meio do ritmo, a melodia e a canção. são conexões com nossos ancestrais, com o pesquisador Carlos Carvalho. Para crianças até 12 anos acompanhadas pelo responsável. Vagas: 12. Inscrições online: https://mamrio.typeform.com/to/J4mnBDKd

SÁB 24 JUL, das 10h às 12h e 14h às 16h
Projeto Zona Aberta| Brincando com bandeirinhas 
Vamos brincar no MAM Rio de construir e criar com o educador Antonio Amador a partir das bandeirinhas dos presentes nas festas de junho e na obra de Alfredo Volpi. Sem inscrição. Classificação indicativa livre.

SEX 30 JUL, das 14h às 16h
Oficina de Jongo
Oficina presencial de férias uma prática dos passos e ritmos musicais do jongo, uma dança de roda patrimônio cultural imaterial do Brasil, com Quilombo Etu. Para crianças até 12 anos acompanhadas pelo responsável. Vagas: 12. Inscrições online: https://mamrio.typeform.com/to/zIysMMqp

SÁB 31 JUL, das 10h às 12h e 14h às 16h
Projeto Zona Aberta | Oficinas de Perna de Pau
Junto com Raquel Poti e seu grupo de pernaltas, esta oficina presencial é uma oportunidade para aprender a andar de perna de pau. Sem inscrição. Classificação indicativa livre.

O projeto Zona Aberta é um ateliê móvel que propõe atividades artístico-pedagógicas nas áreas externas do MAM Rio. Zona Aberta é patrocinado pela Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro, Secretaria Municipal de Cultura, pela Adam Capital e Deloitte, por meio da Lei Municipal de Incentivo à Cultura – Lei do ISS

JUNHO 2021

ZONA ABERTA
Ateliê móvel que propõe atividades e práticas artístico-pedagógicas nos jardins e demais áreas externas do MAM Rio. Visa a integração e participação de grupos e pessoas que frequentam o Aterro do Flamengo, a partir de diferentes formas de vivenciar, conviver e se apropriar do museu. Classificação indicativa livre

O projeto Zona Aberta é patrocinado pela Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro, Secretaria Municipal de Cultura, pela Adam Capital e Deloitte, por meio da Lei Municipal de Incentivo à Cultura – Lei do ISS

SÁB 5 JUN, das 10h às 13h
Território Luminoso, com Shion Lucas e Prili
Como observamos a distribuição da luz? Ela chega da mesma forma em todos os lugares? Através da observação da distribuição da luz e do olhar, na zona aberta deste sábado, vamos investigar, a partir do desenho e do uso de objetos luminosos, as visibilidades e as invisibilidades, nos espaços do Aterro do Flamengo e do MAM Rio.

SÁB 19 JUN, das 10h às 13h
Território Sonoro, com Daniel dos Santos 
O geógrafo Daniel dos Santos sugere cartografias para o Parque do Flamengo a partir de ativações sonoras e intervenções no espaço. Nessa ação, seremos convidados a experimentar e reimaginar locais do MAM através de provocações rítmicas e formas de vivenciar os territórios onde se situa o museu.

ACERVO EM FOCO
No último sábado do mês organizamos uma conversa dedicada a uma obra dos acervos do MAM, estudando junto com os públicos suas singularidades e sua história, e explorando diversos caminhos para entender sua possível relevância nos contextos da arte e da cultura.

SÁB 26 JUN, às 14h
Comfundo, de Marcos Chaves com Prili 
Diálogo sobre a obra do artista Marcos Chaves de 1990 que integra a exposição Marcos Chaves: as imagens que nos contam, que agora faz parte do acervo do MAM. Vagas: 12. Distribuição de pulseira na bilheteria com 30 minutos de antecedência. Classificação indicativa livre

VISITAS PETROBRAS
Os educadores acompanham grupos de até 8 pessoas de qualquer idade, quando dialogam e compartilham olhares, leituras e significados nas exposições do MAM. Agendar em www.mam.rio/ingressos

DOM 6, 13, 20 e 27 JUN

10h30 – Uma volta pelas exposições – A visita propõe uma visão panorâmica da programação com uma volta pelas exposições em cartaz, instigando relações de contrastes e aproximações a partir da reflexão: o que pode ser um museu?

13h30 – Arquitetura MAM – Visita com foco no edifício, projetado por Affonso Eduardo Reidy, e nos Jardins do MAM, de autoria de Roberto Burle Marx. A arquitetura e o paisagismo como arte.

15h – Uma volta pelas exposições – A visita propõe uma visão panorâmica da programação com uma volta pelas exposições em cartaz instigando relações de contrastes e aproximações a partir da reflexão: o que pode ser um museu?

VISITAS EXCLUSIVAS
Monte um grupo de seu relacionamento para ter acesso exclusivo às exposições antes do horário de abertura do museu para o público. Com ingresso de valor diferenciado, o grupo terá direito a reserva no estacionamento e acompanhamento de educadores, que irão propor circuitos de visitação a cada grupo a partir de um percurso previamente escolhido. São apenas duas sessões diárias, para grupos de até 8 pessoas, e seguem todos os protocolos de segurança sanitária. Agendar em www.mam.rio/ingressos

QUINTAS E SEXTAS, às 10h e 11h30

Percursos à escolha: 
1. Exposição
Visita aprofundada em uma das três exposições em cartaz: Marcos Chaves: as imagens que nos contamFayga Ostrower: formações do avesso e Estado bruto.​
2. Coleções
Aspectos gerais das coleções e exposições do MAM​ Rio. O museu possui uma das mais importantes coleções de arte moderna e contemporânea da América Latina, com cerca de 15 mil obras de arte.
3. Arquitetura 
Um percurso pela arquitetura do edifício MAM, projetado pelo arquiteto Affonso Eduardo Reidy, da história do patrimônio cultural do museu, jardins e entorno.​
4. Família
Crianças e familiares visitam o museu com abordagem voltada à experiência entre gerações.

VISITAS ACESSÍVEIS 
Com tecnologias assistivas e recursos visuais como animações, destaques e contraste para melhor visualização, esses vídeos são acessíveis aos mais diversos públicos, mas priorizam a experiência das pessoas com deficiências. 

A partir de QUI, 10 JUN – YouTube e Vimeo
Estado bruto. As mãos do escultor projetam e moldam formas de maneira única. E nós, que relações podemos ter com as formas de uma escultura? Como o tato e a visão se relacionam no momento que observamos uma obra de arte? Vamos refletir sobre os sentidos e sua relação com o fazer artístico.

_

ACESSIBILIDADE EM DIÁLOGO – A EDUCAÇÃO 

SÁB 12 JUN, das 14h às 15h
A educação sempre foi um dos pilares na constituição do MAM e em diálogo com a exposição Fayga Ostrower: formações do avesso, convidamos para esta edição do Acessibilidade em Diálogo a escritora e autora do blog A menina neurodiversa, Alice Casimiro e Saulo Laucas, tenor cego, diagnosticado autista aos três anos, para conversar sobre suas trajetórias de aprendizado, seus desafios e potencialidades no caminho da educação. 

VISITAS MEDIADAS

AOS SÁBADOS, das 15h às 16h
Visitas às exposições, percorrendo obras e práticas artísticas, a partir das perspectivas de educadores, postas em diálogo com as do grupo. No mês de maio, as visitas serão em torno do tema ‘’matéria’’, elemento presente nas exposições em cartaz no MAM Rio. Vagas: 12. Distribuição de pulseira na bilheteria com 30 minutos de antecedência. Classificação indicativa livre

PARA FAZER EM CASA
Oficinas online para crianças de todas as idades. Vídeos nos quais artistas e educadores propõem atividades para serem realizadas em casa, disponível em www.vimeo.com/mamrio e divulgadas em redes sociais.

A partir de QUA 2 JUN
Oficina de Pregaturas, com Zie e Clarissa Diniz
Para dialogar com a exposição Estado bruto, convidamos Zie e Clarissa Diniz que propuseram uma oficina na qual Zie e sua mãe vão mostrar como criar todo tipo de criaturas usando pregadores. Com muita imaginação, aquele cesto de pregadores que mora ao lado do varal pode se transformar num baú de seres, robôs, máquinas e outras coisas. 

AniMAM Petrobras
QUI 23 DE JUN (lançamento) nos canais Instagram, Facebook, YouTube e Vimeo

Fayga Ostrower é o tema do novo AniMAM, filme de animação para a primeira infância (0 a 6 anos) produzido pelo museu. A animação realizada por Nara Normande é feita  em stop-motion, com areia colorida e terá como trilha sonora uma música composta por Letícia Novaes. A dupla propõe um passeio de livre associação pelas paisagens criadas por Fayga. O que se pode ver nos encontros das cores que aparecem nas gravuras e litografias da artista? De pássaros e baleias a fones de ouvido. Nara, Leticia e Fayga convidam para uma viagem mágica. 

www.mam.rio/animam/

EXPRESSO EDUCAÇÃO – RESIDÊNCIA PROFESSOR-PESQUISADOR 

CICLO DE PALESTRAS Arte, Educação e Cultura Digital 
O ciclo torna público os debates realizados no projeto Expresso Educação – Residência Professor-pesquisador. Quatro palestras, com periodicidade mensal, voltadas para professores e educadores de diferentes disciplinas e contextos educacionais. A participação acontecerá mediante inscrições prévias.

O projeto Expresso Educação é patrocinado pela Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro, Secretaria Municipal de Cultura, pela JSL e Multerminais, por meio da Lei Municipal de Incentivo à Cultura – Lei do ISS.

TER, 08 JUN, das 10h às 12h
Jogos digitais e hackerativismo, com Marli Bassini e Anápuàka, Muniz, Tupinambá, Hã ha hãe. Vagas: 50. Inscrições online: formulário. Debate sobre os dispositivos de jogos como mediação para a aprendizagem e as estratégias de luta por meio do hackerativismo. Marili Bassini éprofessora há 26 anos. Desenvolve projetos na área de gamificação e uso de games em sala de aula utilizando metodologias ativas no Ensino Médio (Núcleo de Educação Integral da Fundação Romi, Anglo São Pedro e Colégio Ser/Poliedro), no interior de São Paulo. Trabalha, também, com cursos pré-vestibulares (Iter cursos e pré-vestibular, e Anglo Piracicaba). Já lecionou na Educação Básica nos níveis Fundamental I e II, Ensino Superior e programas de Pós-Graduação/formação de professores, desenvolvendo projetos de gamificação. Atuou como pesquisadora do SAE e do Grupo Gestor de Projetos Educacionais do Gabinete do Reitor, na área de educação, na UNICAMP. Anápuàka, Muniz, Tupinambá, Hã hã hãe é de Abya Yala, filho de Pindorama, nação Tupinambá, ancião e avô, comunicador, empresário, cultura digital indígena no Brasil, Tecno-Xamanista, Artista Indígena Orgânico e Virtual, etnomídia indígena, CEO, Produtor Executivo, Rádio Yandê (web rádio indígena), Casa Yandê, Prêmio da Música Indígena Contemporânea, Yby Festival, Yby MANI, Maker Indígena, especialista em HiperMuseus, Bussines RedSkin Money, RePangeia Indígena, e criando uma startup um Open Banking Indígena (o 1º banco indígena do Brasil),  atualmente estudante de jornalismo na Faculdade Católica Paulista.

BLOCO ESCOLA

CICLO DE LEITURAS CINEMATOGRÁFICAS
SÁB, 19 JUN, das 15h às 17h
A produção em vídeo e cinema de Marcos Chaves.
Inscrições online, por meio de formulário: https://mamrio.typeform.com/to/iYauesbW de 9 a 19 de junho.
Como parte da programação da exposição Marcos Chaves: as imagens nos contam, iremos exibir e debater sobre a produção de vídeos e filmes do artista, atentando para o lugar das imagens em movimento em sua produção. O encontro contará com a presença de Marcos Chaves, em interlocução com a produtora e pesquisadora Luiza Melo, a cineasta Karen Harley e o diretor artístico do MAM Rio, Pablo Lafuente.

ENCONTROS NO MAM
Conversas sobre artes, com pessoas convidadas, que a cada mês compartilham processos de trabalho, criação e pesquisa a partir de dinâmicas variadas. 

SÁB 12 JUN, às 16h
Fala Pública – Residências MAM.
Este mês, o convidado é o artista angolano Yonamine, cujo trabalho articula-se por entre complexas instalações, grandes murais, fotografias e vídeos. Yonamine utiliza uma imensa gama de objetos e materiais, tais como jornais, serigrafias, grafismos, colagens e rasgos onde imagens oriundas da cultura popular, de filmes americanos, personalidades que povoam as massas e figuras políticas do continente africano e do mundo se sobrepõem. Nesta grande mescla, o artista constrói um vocabulário peculiar sobre estas referências, indicando seus posicionamentos político-sociais. 

MAIO 2021

PARA FAZER EM CASA
Oficinas online para crianças de todas as idades. Vídeos nos quais artistas e educadores propõem atividades para serem realizadas em casa, disponível em www.vimeo.com/mamrio e divulgadas em redes sociais.

A partir de SEX 7 MAI
Oficina de jeitos de dar nomes, com Carol Dall Farra. Para dialogar com a exposição Marcos Chaves: as imagens que nos contam, a artista Carol Dall farra propõe uma oficina sobre jeitos de dar nomes. O artista Marcos Chaves cria relações entre os objetos que encontra e, por vezes, provoca em seu trabalho muitas relações entre imagens e palavras. Pensando nisso, Carol Dall farra convida as crianças a escolher nomes para as coisas que temos em casa, e contar histórias sobre elas. 

_

ZONA ABERTA
Ateliê móvel que propõe atividades e práticas artístico-pedagógicas nos jardins e demais áreas externas do MAM Rio. Visa a integração e participação de grupos e pessoas que frequentam o Aterro do Flamengo, a partir de diferentes formas de vivenciar, conviver e se apropriar do museu. Faixa etária: livre.

O projeto Zona Aberta é patrocinado pela Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro, Secretaria Municipal de Cultura, pela Adam Capital e Deloitte, por meio da Lei Municipal de Incentivo à Cultura – Lei do ISS

SÁB 8 MAI, das 10h às 13h
Formas de aprender, com Laís Daflon e Daniel Bruno
Como você aprendeu a escrever? Quem te ensinou a cozinhar seu prato preferido? Você sabe ensinar algo que aprendeu na escola? Você já aprendeu a fazer algo sozinho? O que a internet te ensinou? No Zona Aberta deste sábado, vamos relembrar com quem e como aprendemos coisas importantes que nos marcaram. Em diálogo com a exposição Fayga Ostrower: Formações do Avesso, vamos também descobrir o que podemos aprender no espaço do museu.

SÁB 15 MAI, das 10h às 13h
Formas de aprender, com Taiana Simões
Dando continuidade à pesquisa, convidamos Taiana Simões, educadora, para uma ação com o público voltada para formas de aprender a partir das relações com o meio ambiente e a natureza nos arredores do MAM.

_

VISITAS PETROBRAS
Os educadores acompanham grupos de até 8 pessoas de qualquer idade, quando dialogam e compartilham olhares, leituras e significados nas exposições do MAM. Agendar em www.mam.rio/ingressos

DOM 09, 16, 23 e 30 MAI
10h30 – Uma volta pelas exposições – A visita propõe uma visão panorâmica da programação com uma volta pelas exposições em cartaz instigando relações de contrastes e aproximações a partir da reflexão: o que pode ser um museu?
13h30 – Arquitetura MAM – Visita com foco no edifício, projetado por Affonso Eduardo Reidy, e nos Jardins do MAM, de autoria de Roberto Burle Marx. A arquitetura e o paisagismo como arte.
15h – Uma volta pelas exposições – A visita propõe uma visão panorâmica da programação com uma volta pelas exposições em cartaz instigando relações de contrastes e aproximações a partir da reflexão: o que pode ser um museu?

_

PERCURSOS
Monte um grupo de seu relacionamento para ter acesso exclusivo às exposições antes do horário de abertura do museu para o público. Com ingresso de valor diferenciado, o grupo terá direito a reserva no estacionamento e acompanhamento de educadores, que irão propor circuitos de visitação a cada grupo a partir de um percurso previamente escolhido. São apenas duas sessões diárias, para grupos de até 8 pessoas, e seguem todos os protocolos de segurança sanitária. Agendar em www.mam.rio/ingressos

QUINTAS E SEXTAS, às 10h e 11h30
Percursos à escolha: 
Paisagens imaginantes – Como vemos e sentimos os lugares por onde passamos? A proposta da visita é fazer um percurso da paisagem que vemos na área externa do museu até as paisagens reais ou imaginadas, externas ou internas, presentes nas diversas exposições em cartaz. 
História do MAM – Ao longo de sua história, o MAM realizou inúmeras exposições que marcam até hoje expressões e linguagens das artes visuais, assim como tornou-se um polo para múltiplos eventos e movimentos artísticos na cidade desde sua inauguração. O percurso sugere uma imersão na história do MAM através de exposições, arquitetura, obras e jardins.
Arquitetura MAM – Um percurso através da arquitetura de Affonso Eduardo Reidy enquanto obra motriz. A visita propõe um olhar sobre o marco da arquitetura moderna para além de um recipiente de exposições ou vanguardas artísticas no Rio de Janeiro, mas como obra que instala-se no território da cidade.

_

VISITAS ACESSÍVEIS 
Com tecnologias assistivas e recursos visuais como animações, destaques e contraste para melhor visualização, esses vídeos são acessíveis aos mais diversos públicos, mas priorizam a experiência das pessoas com deficiências. 

A partir de QUA, 12 mai – YouTube e Vimeo
Estado bruto. As mãos do escultor projetam e moldam formas de maneira única. E nós, que relações podemos ter com as formas de uma escultura? Como o tato e a visão se relacionam no momento que observamos uma obra de arte? Vamos refletir sobre os sentidos e sua relação com o fazer artístico.

_

VISITAS MEDIADAS
AOS SÁBADOS, das 15h às 16h
Visitas às exposições, percorrendo obras e práticas artísticas, a partir das perspectivas de educadores, postas em diálogo com as do grupo. No mês de maio, as visitas serão em torno do tema cor, como elemento presente nas exposições em cartaz no MAM Rio. Vagas: 12. Faixa etária: livre. Distribuição de pulseira na bilheteria com 30 minutos de antecedência. 

_

ACERVO EM FOCO
No último sábado do mês organizamos uma conversa dedicada a uma obra dos acervos do MAM, estudando junto com os públicos suas singularidades e sua história, e explorando diversos caminhos para entender sua possível relevância nos contextos da arte e da cultura.

SÁB 29 MAI às 14h
Opá Exin Ati Eye Meji, de Mestre Didi, com Gilson Plano e Noan Moreira
Diálogo sobre a escultura do artista Mestre Didi da década de 1990 que integra a exposição “Estado Bruto”, dedicada ao acervo do MAM. Vagas: 12. Faixa etária: livre. Distribuição de pulseira na bilheteria com 30 minutos de antecedência. 

_

CICLO DE PALESTRAS
Arte, Educação e Cultura Digital 
O ciclo torna público os debates realizados no projeto Expresso Educação – residência Professor-pesquisador. Quatro palestras, com periodicidade mensal, voltadas para professores e educadores de diferentes disciplinas e contextos educacionais. A participação acontecerá mediante inscrições prévias.

TER, 11 MAI, das 10h às 12h
Educação e linguagens de mídias sociais, com Audino Vilão e Jonathan Caroba. Vagas: 50. Inscrições online: formulário. Debate sobre as mídias sociais como linguagem e como redes sociais podem se configurar como espaços de pesquisa e aprendizagem. Audino Vilão é o pseudônimo do estudante de história Marcelo Marques, que possui um canal no Youtube no qual apresenta, de maneira decodificada, conteúdos de filosofia. Ele nasceu em Paulínia (SP), é candomblecista e tem fé que um dia a educação chegue para todos em um linguajar acessível. Jonathan Carroba é comunicólogo pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) e midia-educador no NAVE Rio – Colégio Estadual José Leite Lopes. É Google Innovator (2019), formado em roteiro para mídias digitais (NAVE Rio) e especializado em metodologias ativas (ESPM). Atua com formação em letramento digital para educadores e audiovisual para estudantes. Usa mídias sociais em sala de aula, introduzindo a linguagem midiática nos projetos pedagógicos contextualizados com o ensino remoto, ensino híbrido, aprendizagem baseada em projetos e cultura maker

_

BLOCO ESCOLA

TER 11 – QUI 13 MAI, das 19 às 21h
Curso: MAM para educadores. 50 anos dos Domingos da Criação – museu e experimentação.
Vagas: 95. Inscrições online: clique aqui

Liberdade, poética e criatividade marcaram as edições dos Domingos da Criação, organizados por Frederico Morais em 1971 no MAM Rio, ocasião na qual o artista, crítico e curador era coordenador dos cursos do Bloco Escola. A experiência partiu da premissa de que qualquer material, incluindo sobras industriais, pode ser usados para a criação de trabalhos artísticos. Morais defendia ainda que todo ser humano é criador, independentemente de cultura ou formação artística. Os Domingos da Criação aconteceram em meio às mudanças radicais na arte e cultura brasileira nos anos 1960 e 1970, e ampliaram os sentidos de arte e educação, assim como o conceito e o papel do museu, que nesta experiência configurou-se como um lugar de criação.

O curso rende homenagem a Frederico Morais e à importância dos Domingos da Criação na história do MAM Rio. Além disso, debaterá sobre o que significa, atualmente, um museu se definir como experimental. Com Jessica Gogan (curadora, pesquisadora e educadora, diretora do Instituto MESA e editora geral da Revista MESA), Janaina Melo (diretora de desenvolvimento e articulação institucional da Secretaria Municipal de Belo Horizonte e mestranda em museologia e patrimônio – UNIRIO/MAST) e Bruno Brulon, professor da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO), doutor em antropologia e história pela Universidade Federal Fluminense (UFF), coordenador do Grupo de Pesquisa Museologia Experimental e Imagem e o Laboratório de Museologia Experimental e presidente do Comitê Internacional de Museologia e co-presidente do Comitê Permanente para a Definição de Museu do Conselho Internacional de Museus. Mediação: Gleyce Kelly Heitor e Leno Veras

SEG 17 – SÁB 22 MAI
19ª SEMANA NACIONAL DE MUSEUS
O futuro dos museus: recuperar e reimaginar
conheça a programação completa do evento: clique aqui

Organizada pelo Instituto Nacional de Museus (Ibram), a 19ª Semana Nacional de Museus propõe às instituições uma revisão crítica acerca de suas próprias missões, tendo em vista que tanto a salvaguarda do passado quanto a construção do futuro estão sendo gravemente tensionadas pelas experiências do presente, em que recuperar e reimaginar tornaram-se desafios ainda mais prementes.

O MAM Rio se propõe, frente à complexidade do debate, a fomentar discussões metodológicas que contribuam com a atualização de nossas práticas, a partir de problematizações cujos focos são métodos de trabalho que precisam não somente ser recuperados e reimaginados, mas, sobretudo, situados no contemporâneo.

Essas são premissas para a realização do conjunto de atividades, que foram pensadas para fomentar abordagens técnicas e eticamente fundamentadas. Neste sentido, vamos oferecer duas programações, públicas e gratuitas – o Curso Duas Perspetivas e uma prática, e o Encontro no MAM titulado ‘Reimaginar os museus como ética, técnica e poética’.  desenvolvidas junto a parceiros nacionais e internacionais, cujas práxis serão lidas como transformadoras, desde o âmbito da linguagem, por meio da busca por reparação e reinvenção de categorizações. Repensar o museu, por suas dimensões materiais e imateriais, demanda novos repertórios éticos, técnicos e poéticos.

_

ATIVIDADE DO MAM RIO NA 19ª SEMANA NACIONAL DE MUSEUS
TER 18 – QUI 20 MAI, das 19h às 21h
Curso: Duas perspectivas e uma prática.
Semioses – metodologias para novas classificações no contemporâneo.
Vagas: 50. Inscrições online, entre 11 e 15 de maio: clique aqui
As aulas serão realizadas pela plataforma Zoom 

Gabriel Moore Bevilaqua e Maria Aparecida Moura, profissionais com abordagens complementares no campo das ciências da informação, apresentarão problematizações das práticas tradicionais de categorização de coleções e proposições críticas às nomenclaturas usadas nas organizações de acervos. Vocabulários podem revelar, e obliterar, a profundidade da estruturação colonialista das coleções, perpetuando léxicos que apresentaram-se, a um só tempo, enquanto problemas, e também como soluções. Face a esta urgência, buscamos instrumentalizar profissionais do campo da história, memória e patrimônio para uma reavaliação terminológica. O MAM Rio abre esse diálogo e reflexão no momento em que começa a redefinir suas políticas de colecionamento, de pesquisa e de documentação. Questões como inclusão, diversidade e reparação são aspectos metodológicos a serem considerados na formação e salvaguarda de coleções. 

Gabriel Moore Bevilaqua é graduado em história, mestre em história social pela USP e especialista em organização e documentação de acervos pelo IEB-USP, Modern Archives Institute (NARA/Library of Congress) e pelo Documentation Training Program do ICOM-CIDOC/Museum of Texas Tech University. Foi analista e coordenador do Centro de Documentação e Memória da Pinacoteca de São Paulo e coordenador de sistemas de informação e gestor de acervos do Instituto Moreira Salles, tendo atuado como consultor em diversas instituições de memória brasileiras. Também atuou como professor de ciência da informação na UFF, do Programa de Treinamento em Documentação do ICOM-CIDOC no Brasil e do ICOM International Training Centre for Museum Studies. Atualmente, trabalha como consultor independente e voluntário em projetos e programas envolvendo gestão, informatização e preservação do patrimônio cultural no Brasil e no Canadá. Maria Aparecida Moura é professora do departamento de Organização e Tratamento da Informação da Escola de Ciência da Informação da Universidade Federal de Minas Gerais. Mediação: Gleyce Kelly Heitor e Leno Veras.

_

ENCONTROS NO MAM
Conversas sobre artes, com pessoas convidadas, que a cada mês compartilham processos de trabalho, criação e pesquisa a partir de dinâmicas variadas. 

SÁB 15 MAI, às 16h
Fala pública – Residências MAM. Vagas: 50. Inscrições online: entre 10 e 14 de maio. Encontro pela plataforma Zoom. Este mês, a convidada é a ativista anticolonial Geni Núñez. Ela pertence ao povo Guarani, é graduada em psicologia, mestre em psicologia social e doutoranda em ciências humanas (UFSC). Autora do livro infantil Jaxy Jatere: um saci guarani e co-organizadora da coletânea Não monogamia LGBT+.

ATIVIDADE DO MAM RIO NA 19ª SEMANA NACIONAL DE MUSEUS
SÁB 22 MAI, das 15h às 17h
Reimaginar os museus como ética, técnica e poética.
Vagas: 50. Inscrições online, entre 11 e 15 de maio: clique aqui. Os inscritos receberão um certificado de participação.
Encontro aberto ao público. A live será transmitida com tradução simultânea (clique aqui) e também com o áudio original em espanhol (clique aqui).
Com Marília Bonas (diretora do Conselho Internacional de Museus no Brasil e do Museu da Língua Portuguesa)
Elvira Dyangani Ose (diretora de The Showroom, Londres).
Mediação de Keyna Eleison,diretora artística do MAM Rio.

Em ocasião da 19º Semana Nacional de Museus, convidamos duas profissionais que estão à frente da gestão de instituições artísticas com tipologias e desafios distintos, para que compartilhem o desafio de pensar que os processos de conceber e imaginar futuros para os museus, passa pela assunção de pressupostos éticos, de revisões técnicas e de adesão a um projeto poético. Nos interessa o exercício de gestar coletivamente – e a partir dos museus – um projeto mais inclusivo de sociedade.

_

CICLO DE LEITURAS CINEMATOGRÁFICAS

SÁB 29 MAI, das 15h às 17h
A cor no cinema: incursões e relações. Redefinições cromáticas em Madame Satã.
Análise do filme Madame Satã (2002), de Karim Ainouz, marco de uma redefinição cromática do cinema brasileiro, seja pelo uso do bleach bypass, da textura superoitista e da paleta dominante monocromática. Nos 20 anos de sua realização, o filme será discutido pelo crítico Ruy Gardnier, pela cineasta Milena Manfredini e pela artista visual Rafael BQueer.

ABRIL 2021


AniMAM

QUI 14 abr (lançamento)
Hélio Oiticica é o tema do novo AniMAM, filme de animação para a primeira infância (0 a 6 anos) produzido pelo museu. O desenho enfatiza a relação do artista com o samba e o Carnaval, manifestações que contribuíram para o desenvolvimento de sua obra. Os desenhos e a animação são de Ambrosio Pentu e a música é um samba das cariocas Marina Iris e Manu da Cuíca.

www.mam.rio/animam/

PARA FAZER EM CASA

QUA, 27 ABR (lançamento)
Oficina de carimbo de batata, com Aline Besouro. Enquanto o MAM faz exposição de Fayga Ostrower, com gravuras, litografias e outras impressões a partir de matrizes, uma oficina em vídeo convida as crianças a produzirem matrizes de batatas desenhadas com um lápis, e a imprimi-las no papel.

www.mam.rio/oficinas-caseiras-criancas/

MEDIAÇÃO

Todos os meses construímos com diferentes grupos e indivíduos relações com as exposições, as programações e os acervos através do desenvolvimento de visitas, residências, debates, oficinas e formações. Com elas tornamos públicas as reflexões suscitadas pelo museu, dando ênfase à integração do museu com o território e com a cidade, à acessibilidade e os agenciamentos culturais, e às relações entre museu e comunidade escolar. 

ACERVO EM FOCO

No último sábado do mês organizamos uma conversa dedicada a uma obra dos acervos do MAM, estudando junto com os públicos suas singularidades e sua história, e explorando diversos caminhos para entender sua possível relevância nos contextos da arte e da cultura.

SÁB 24 abr, às 14h, onlin
Políptico do Itamaraty, de Fayga Ostrower, com Antonio Amador. Diálogo sobre a gravura que a artista Fayga Ostrower elaborou em 1968, e que integra a exposição “Fayga Ostrower: formações do avesso” .
Live no Instagram. Faixa etária: livre.

ENCONTROS NO MAM

A cada segundo sábado do mês haverá uma conversa com e sobre arte com profissionais convidados e profissionais do MAM, especialmente programas de Residências MAM. A cada mês a conversa adota dinâmicas e temáticas diferentes, compartilhando processos de trabalho, criação e pesquisa que se desenvolvem no museu.

SÁB 10 abr, às 16h (Facebook e Youtube do MAM)
Fala pública com Amara Moira
No âmbito do projeto de residência Pesquisa em Artes, haverá palestra da escritora e poeta Amara Moira. Nascida em Campinas (SP), Amara Moira é uma transexual, feminista, escritora e professora de literatura.

VISITAS PETROBRAS

Os educadores acompanham grupos de até 8 pessoas de qualquer idade, quando dialogam e compartilham olhares, leituras e significados nas exposições do MAM. Agendar em www.mam.rio/ingressos

DOM 18 e 25 abr

10h30 – Uma volta pelas exposições – A visita propõe uma visão panorâmica da programação com uma volta pelas exposições em cartaz, instigando relações de contrastes e aproximações a partir da reflexão: o que pode ser um museu?

13h30 – Arquitetura MAM – Visita com foco no edifício, projetado por Affonso Eduardo Reidy, e nos Jardins do MAM, de autoria de Roberto Burle Marx. A arquitetura e o paisagismo como arte.

15h – Uma volta pelas exposições – A visita propõe uma visão panorâmica da programação com uma volta pelas exposições em cartaz, instigando relações de contrastes e aproximações a partir da reflexão: o que pode ser um museu?

PERCURSOS

Monte um grupo de seu relacionamento para ter acesso exclusivo às exposições antes do horário de abertura do museu para o público. Com ingresso de valor diferenciado, o grupo terá direito a reserva no estacionamento e acompanhamento de educadores, que irão propor circuitos de visitação a cada grupo a partir de um percurso previamente escolhido. São apenas duas sessões diárias, para grupos de até 8 pessoas, e seguem todos os protocolos de segurança sanitária. Agendar em www.mam.rio/ingressos

QUINTAS E SEXTAS, às 10h e 11h30

Percursos à escolha:
Paisagens imaginantes – Como vemos e sentimos os lugares por onde passamos? A proposta da visita é fazer um percurso da paisagem que vemos na área externa do museu até as paisagens reais ou imaginadas, externas ou internas, presentes nas diversas exposições em cartaz.  

História do MAM – Ao longo de sua história, o MAM realizou inúmeras exposições que marcam até hoje expressões e linguagens das artes visuais, assim como tornou–se um polo para múltiplos eventos e movimentos artísticos na cidade desde sua inauguração. O percurso sugere uma imersão na história do MAM através de exposições, arquitetura, obras e jardins.

Arquitetura MAM – Um percurso através da arquitetura de Affonso Eduardo Reidy enquanto obra motriz. A visita propõe um olhar sobre o marco da arquitetura moderna para além de um recipiente de exposições ou vanguardas artísticas no Rio de Janeiro, mas como obra que instala–se no território da cidade.

VISITAS ACESSÍVEIS

Assista em www.youtube.com/mamrio

As visitas acessíveis juntam-se às tradicionais visitas em vídeo com tecnologias assistivas e recursos visuais para criar um recurso de educação que preze, em primeiro lugar, pela acessibilidade para os mais diversos públicos, com foco em pessoas com deficiências. Os vídeos têm como língua principal a Libras, sendo também utilizada a apresentação falada em português.

Visita à exposição Fayga Ostrower: formações do avesso
QUA 14 abr (lançamento)
As paisagens quase abstratas de Fayga Ostrower nos convidam a sensações. Estas paisagens propõem também texturas que serão exploradas neste vídeo. Como tratar do sentido tátil visualmente? Neste vídeo vamos buscar formas de relacionar os sentidos para explorar as formas e texturas que a artista utiliza para criar seu próprio mundo. 

Visita à exposição Marcos Chaves: as imagens que nos contam
QUA 21 abr (lançamento)
Será que notamos os objetos comuns que vemos nas ruas? Um buraco no asfalto é um enorme problema para quem precisa se locomover, mas será possível ver arte nele? Quais os limites entre a arte e funcionalidade. Será que fazer arte é uma atividade acessível? Este vídeo vai olhar para a rua de dentro do museu e descobrir com você novos significados.

MARÇO 2021

JORNADA DE ESTUDOS HÉLIO OITICICA

Bloco Escola. Coincidindo com o encerramento da exposição “Hélio Oiticica: a dança na minha experiência”, o MAM Rio convida a curadora Vivian Crockett; o crítico de arte Max Jorge Hinderer Cruz e a artista Agrippina R. Manhattan para um processo imersivo de atividades remotas sobre Hélio Oiticica desde suas respectivas pesquisas e em relação com  as demandas e especificidades dos tempos presentes.

Os encontros visam contribuir para a formação de professores, educadores, pesquisadores, colecionadores, artistas visuais e audiovisuais, profissionais da cultura e do museu, bem como pessoas interessadas em conhecer e se aproximar da produção do conhecimento em artes.
A jornada será composta por cursos e debates online, com inscrição prévia.

QUA 3 mar, das 19h às 21h
Três perspectivas, uma prática – Hélio Oiticica
Aula para pesquisadores, estudantes, críticos e curadores de arte.
Vagas: 80 pessoas. Classificação indicativa: 18 anos. Inscrição online: https://mamrio.typeform.com/to/OEdSkIY2

Nos interessa pensar no museu como um espaço de produção de conhecimento. Neste sentido, convidamos Agrippina R. Manhattan, Vivian Crockett e Max Jorge Hinderer Cruz para uma conversa a partir do trabalho e trajetória de Hélio Oiticica desde uma perspectiva contemporânea, em diálogo com as exposições Hélio Oiticica: a dança na minha experiência e Cosmococa: programa in progress. O curso inaugura uma série de encontros nos quais convidaremos diferentes visões para que confluam sobre uma mesma prática artística, obra ou exposição, para que possamos criar repertórios para a reflexão sobre os projetos do museu com e a partir do público.

QUI 4 mar, das 19h às 21h
Ciclo de leitura cinematográfica Hélio Oiticica
Transmissão pelo Youtube do MAM, www.youtube.com/c/MAMRio. Classificação indicativa: 18 anos

Exibição online de filmes de Hélio Oiticica, seguida de uma conversa entre Vivian Crockett e Keyna Eleison em torno de obras cinematográficas presentes na coleção da Cinemateca do MAM que dialogam com o universo intelectual, epistemológico e estético de Hélio Oiticica.

Apocalipopótese – Guerra e Paz (Fragmento) de Raymundo Amado. Brasil, 1968. Documentário. 10’. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa: 12 anos + Arte Pública de Jorge Sirito de Vives e Paulo Roberto Martins. Brasil, 1968. Documentário. 14’. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa Livre + Loucura e Cultura de Antônio Manuel. Brasil, 1970. Experimental. 9’. + Agripina é Roma-Manhattan de Hélio Oiticica, 1972. 15’. + Battery Park de Hélio Oiticica. 1971. 3’. + Brasil Jorge de Hélio Oiticica 1971-72. 3’. + Cosmococa de Hélio Oiticica e Neville d’Almeida, 1973. 17’. + Fillmore East de Hélio Oiticica 1971-72. 3’. + Gay Pride, 1971, super-8, 9 min. + Haffer’s Office, 1972-73. 3’. + Igreja Notre Dame de Hélio Oiticica. 1972. 2’. + Teresa Jordão de Hélio Oiticica. 1973. 3’. + TV Shots de Hélio Oiticica. 1973. 3’. Exibição em mov (H264). 

SEG 15 – QUA 17 mar, das 19h às 21h
MAM para Educadores: Hélio Oiticica, experimentação e participação
Curso para professores e educadores. Vagas: 95. Inscrições online: formulário, vai ter seleção

Quem é Hélio Oiticica e qual a importância da sua pesquisa artística para a história da arte, no Brasil? Como seu trabalho pode contribuir para uma reflexão, na atualidade, sobre experimentação, participação, trocas e apropriações culturais no campo da arte? A partir dessas questões, convidamos Agrippina R. Manhattan, Vivian Crockett e Max Jorge Hinderer Cruz, para ministrar os 3 encontros nos quais a poética de Hélio Oiticica será posta em debate a partir de sua prática participativa e experimental.

Sobre os convidados

Agrippina R. Manhattan é artista, pesquisadora e travesti de São Gonçalo. “Meu trabalho é parte de uma profunda preocupação sobre tudo aquilo que restringe a liberdade. A palavra, a norma, a hierarquia, o pensamento ou eu mesma. Sinto que não sou obrigada a nada e isso me realiza. Escolhi meu nome e inventei a mim mesma, como escolho um título para um trabalho ou encontrando a tradução do que sinto em poesia. Por tudo aquilo que é possível imaginar mas ainda é impossível de nomear.”

Vivian Crockett é pesquisadora, acadêmica e curadora brasileira-americana com foco na arte moderna e contemporânea das diásporas africanas, diásporas latino-americanas e das Américas nas diversas intersecções de raça, gênero e teoria queer. É doutoranda em história da arte na Columbia University, cuja dissertação examina as práticas e discursos artísticos no Brasil nos anos 1960 e 1970. Crockett trabalhou no Museu de Arte Moderna de San Francisco, foi bolsista do Mellon Museum Research Consortium e atualmente é The Nancy e Tim Hanley Curador Assistente de Arte Contemporânea no Museu de Arte de Dallas. 

Max Jorge Hinderer Cruz é escritor, curador e filósofo boliviano-alemão baseado em La Paz, Bolívia. De março de 2019 a junho de 2020 foi diretor do Museu Nacional de Arte (MNA) em La Paz. Foi também curador do projecto de exposição e publicação “Principio Potosí” (com Alice Creischer e Andreas Siekmann, Museo Reina Sofía, Madrid/Haus der Kulturen der Welt, Berlim/MNA e MUSEF La Paz, 2008-2011), e coordenador do Programa de Ações Culturais Autônomas e do Seminário Público Micropolíticas (com Suely Rolnik, Amilcar Packer e Tatiana Roque, São Paulo, 2014-2016). É autor do livro “Hélio Oiticica e Neville D’Almeida: Block-Experiments in Cosmococa – programa in progress” (com Sabeth Buchmann, Afterall Books/MIT Press, 2013), publicado em português por Azougue/Capacete em 2014. 

ZONA ABERTA

Ateliê móvel na área dos Pilotis do MAM, com patrocínio de Adam Capital e Deloitte. Faixa etária: livre.

SÁB 20 mar, das 14h às 17h
Formas de Escutar – Com Escutadores
Dando continuidade às nossas pesquisas e diálogos em torno da escuta, como questão e matéria para a convivência e a criação, convidamos o coletivo Escutadores para realizarem uma experiência de escuta com o público, a partir do diálogo entre abordagens clínico-artístico de saúde pública, troca e terapia.

VISITAS PETROBRAS

Os educadores acompanham grupos de até 8 pessoas de qualquer idade, quando dialogam e compartilham olhares, leituras e significados nas exposições do MAM. Agendar em www.mam.rio/ingressos

DOM 7 e 21 mar

10h30 – Uma volta pelas exposições – A visita propõe uma visão panorâmica da programação com uma volta pelas exposições em cartaz instigando relações de contrastes e aproximações a partir da reflexão: o que pode ser um museu?

13h30 – Arquitetura MAM – Visita com foco no edifício, projetado por Affonso Eduardo Reidy, e nos Jardins do MAM, de autoria de Roberto Burle Marx. A arquitetura e o paisagismo como arte.

15h – Uma volta pelas exposições – A visita propõe uma visão panorâmica da programação com uma volta pelas exposições em cartaz instigando relações de contrastes e aproximações a partir da reflexão: o que pode ser um museu?

PERCURSOS

Monte um grupo de seu relacionamento para ter acesso exclusivo às exposições antes do horário de abertura do museu para o público. Com ingresso de valor diferenciado, o grupo terá direito a reserva no estacionamento e acompanhamento de educadores, que irão propor circuitos de visitação a cada grupo a partir de um percurso previamente escolhido. São apenas duas sessões diárias, para grupos de até 8 pessoas, e seguem todos os protocolos de segurança sanitária. Agendar em www.mam.rio/ingressos

QUINTAS E SEXTAS, às 10h e 11h30

Percursos à escolha: 

Paisagens imaginantes –  Como vemos e sentimos os lugares por onde passamos? A proposta da visita é fazer um percurso da paisagem que vemos na área externa do museu até as paisagens reais ou imaginadas, externas ou internas, presentes nas diversas exposições em cartaz.

História do MAM – Ao longo de sua história, o MAM realizou inúmeras exposições que marcam até hoje expressões e linguagens das artes visuais, assim como tornou-se um polo para múltiplos eventos e movimentos artísticos na cidade desde sua inauguração. O percurso sugere uma imersão na história do MAM através de exposições, arquitetura, obras e jardins.

Arquitetura MAM – Um percurso através da arquitetura de Affonso Eduardo Reidy enquanto obra motriz. A visita propõe um olhar sobre o marco da arquitetura moderna para além de um recipiente de exposições ou vanguardas artísticas no Rio de Janeiro, mas como obra que instala-se no território da cidade.

Agendar visita

2020

ANIMAM MARIA MARTINS

SEX 13
Vimeo e Youtube do MAM
Filme de animação sobre a artista.

ZONA ABERTA

Vão livre do MAM
Ateliê móvel com atividades nas áreas externas do MAM. Visa a participação de frequentadores do Aterro do Flamengo.

SÁB 14 – 14h às 16h

Aula: Modelo Vivo em Movimento, com Robnei Bonifácio

Conceitos básicos podem ser compreendidos rapidamente quando o ambiente favorece o desenho. Todos estão convidados a usar material gráfico e desenhar situações típicas dos Jardins do MAM: pessoas de bicicleta, patins ou fazendo piquenique. Corpos e velocidades diferentes podem conduzir à fluidez dos gestos.

Duas sessões. 10 vagas cada. Inscrições no local, 30 minutos antes da aula.

SÁB 28 – 14h às 16h

Ação: Como iniciar um mapa, com Prili, Daniel Bruno e Antonio Amador

O espaço ao redor do MAM Rio guarda diversas paisagens, texturas, sons e serve de espaço para diferentes pessoas praticarem inúmeras atividades. Nesta ação, mapearemos de maneira colaborativa elementos fixos – ou não, de maneira viva no entorno do museu. Trabalharemos com materiais de desenho, um mapa e algumas pistas para sugerir ideias e despertar curiosidades. Faixa etária: a partir de 7 anos.

CURSO PARA EDUCADORES

Como descolonizar o currículo a partir de olhares negros?

23, 24 e 30 NOV – das 19h às 21h
Plataforma: Zoom
95 vagas: 95
Inscrições: XXXXXXX
Grátis

O programa MAM para educadores oferece cursos que abordam a transversalidade das áreas de educação, arte e cultura, a partir das coleções, exposições e acervos do MAM. O intuito é estreitar os laços entre o museu e a escola, e colaborar com a formação continuada dos profissionais da educação.  

No mês da Consciência Negra convidamos artistas, pesquisadores e educadores para um diálogo a partir das questões: É possível descolonizar o currículo, a partir de práticas e olhares negros? Como instaurar questionamentos e ações que apresentam a perspectiva negra como base epistemológica para a arte e a educação? Nosso objetivo é que as trocas e debates instaurados pelo curso contribuam com a construção de currículos que tenham como premissa o antirracismo e a descolonização do saber.

Aula 1 – SEG 23 NOV 

Com Wanderson Flor do Nascimento, professor de Filosofia da Universidade de Brasília. Pesquisa filosofias africanas, relações raciais e tradições brasileiras de matrizes africanas. Trabalha com formação docente. É autor do livro Entre apostas e heranças: contornos africanos e afro-brasileiros na educação e no ensino de filosofia no Brasil (NEFI Edições, 2020). 

Aula 2 – TER 24 NOV 

Com Andreza Jorge, artista e ativista. Atua há mais de 10 anos com projetos sociais voltados para as discussões sobre gênero, processos de empoderamento coletivo feminino e construção de novas masculinidades, relações étnico-raciais, diversidade e sexualidade.

Aula 3 – SEG 30 NOV 

Com Tiago Sant’Anna, artista visual, curador e doutorando em Cultura e Sociedade pela Universidade Federal da Bahia. Seus trabalhos imergem nas tensões e representações das identidades afro-brasileiras, entendendo as dinâmicas coloniais que envolvem a produção da História e da memória. Foi laureado com o Soros Arts Fellowship (2020), vencedor do Prêmio Foco ArtRio (2019) e um dos indicados ao Prêmio Pipa (2018). Participou de exposições nacionais e internacionais como “The discovery what it means to be Brazilian”, na Mariane Ibrahim Gallery, “Rua!” (2020)  e “O Rio dos Navegantes” (2019), no Museu de Arte do Rio, “Histórias afro-atlânticas” (2018), no MASP e Instituto Tomie Ohtake, “Axé Bahia: The power of art in an afro-brazilian metropolis” (2017), no The Fowler Museum e “Reply All” (2016), na Grosvenor Gallery UK. Foi curador-assistente da 3a. Bienal da Bahia (2014). É curador do programa de exposição do Goethe-Institut Salvador.

VISITAS PETROBRAS

1, 8, 15, 22 e 29 NOV
Aos domingos, educadores acompanham grupos de até 8 visitantes para trocar olhares, leituras e significados das produções artísticas.

10h30 – Hélio Oiticica – Cosmococa – Programa in Progress, mostra com imagens do trabalho feito com Neville Dalmeida, além de filmes.

13h30 – Irmãos Campana – 35 Revoluções – A maior exposição já feita sobre a dupla de designers Fernando e Humberto Campana.

15h – Arquitetura do MAM – Visita ao edifício do arquiteto Affonso Eduardo Reidy e jardins do paisagista Roberto Burle Marx.

Agendar pelo site: www.mam.rio

PERCURSOS NO MAM

Quintas e sextas-feiras, às 10h e 11h3
Valor único: R$ 360 para até 8 pessoas
Mediação em português ou inglês
Estacionamento incluso

Quer o museu aberto só para o seu grupo? Percursos é uma visita especial e exclusiva, para grupo fechado de no máximo 8 pessoas, realizada antes do horário da abertura do museu ao público. O visitante reserva o horário e monta seu grupo.

Essa visita tem preço diferenciado, dá direito a reserva no estacionamento e acompanhamento de educadores no percurso escolhido. São apenas duas sessões diárias, nas quintas e sextas-feiras de manhã, que seguirão todos os protocolos de segurança sanitária.

_

Agendar visita