Brígida Baltar

Rio de Janeiro, RJ, Brasil, 1959

Irmãs e Favos são as obras de Brígida Baltar expostas em Composições para tempos insurgentes. A obra Irmãs compõe a série A carne do mar, desenvolvida entre 2017 e 2018. O trabalho apresenta um conjunto de duas esculturas de cerâmica com formas que se assemelham a conchas cintilantes com cavidades azuladas. A natureza antropomorfizada é um dos pontos de interesse da artista, que nesse período se debruça sobre as poéticas do mar. 

Favos, parte da coleção Gilberto Chateaubriand MAM Rio, é originalmente um políptico, ou seja, uma obra dividida em seis peças e que, aqui, apresentamos apenas uma. Neste trabalho, favos de mel são retratados de maneira minimalista. Distintas, as estruturas de cada uma compõem um cenário diretamente relacionado à pesquisa de Brígida em torno das maneiras de lidar com a casa. 

Brígida Baltar é artista carioca, vive e trabalha no Rio de Janeiro. Iniciou sua produção artística durante a década de 1990, em sua casa-ateliê, no bairro de Botafogo. Entre as últimas exposições individuais, destaca-se Brígida Baltar: filmes Espaço Cultural BNDES, no Rio de Janeiro (2019), Brígida Baltar – Dois vídeos, na Galeria Gustavo Schnoor da UERJ – Universidade do Estado do Rio de Janeiro (2019), e A carne do mar, na Galeria Nara Roesler, em São Paulo (2018). Obras de Baltar podem ser vistas, hoje, no Museu de Arte do Rio de Janeiro (MAR), ASU Art Museum, nos Estados Unidos, Instituto de Cultura Brasil Colômbia (Ibraco), na Colômbia, entre outras instituições. Dentre as obras da artista, está Abrigo (1996), ação em que a mesma extrai da parede de sua casa um fragmento que comporta sua silhueta.

Textos escritos pelas equipes de educação e curadoria.

Sisters (Irmãs) and Honeycombs (Favos) are the two pieces by Brígida Baltar shown in Composition for insurgent times (Composições para tempos insurgentes). Sisters is part of the series The flesh of the sea (A carne do mar), developed between 2017 and 2018. The work presents a set of two ceramic sculptures with shapes that resemble glistening shells with bluish cavities. Anthropomorphized nature is one of the artist’s interests, who at this time delved into the poetics of the sea.

Honeycombs, belonging originally to the collection Gilberto Chateaubriand MAM Rio, is originally a poliptic (a work composed of six pieces) of which only one is shown here. In this work the honeycombs are shown in a minimalistic way. Distinct, each structure composes a scenery that is directly related to Brigida’s research on the ways of dealing with the house.

Brígida Baltar is an artist from Rio de Janeiro, who lives and works in the city. She started her artistic production in the 1990 ‘s in her atelier-house in the vicinity of Botafogo. Among her latest individual showings should be highlighted Brígida Baltar: filmes Espaço Cultural BNDES, no Rio de Janeiro (2019), Brígida Baltar – Dois videos, at Galeria Gustavo Schnoor at UERJ – Universidade do Estado do Rio de Janeiro (2019), and Flesh of the sea, na Galeria Nara Roesler, in São Paulo (2018). Today her works can be seen at Museu de Arte do Rio de Janeiro (MAR), ASU Art Museum, in the USA, Instituto de Cultura Brasil Colômbia (Ibraco), in Colombia, and also other institutions. Amongst her works there is Shelter (Abrigo, 1996), an action in which she extracts a fragment in the shape of her own silhouette from the walls of her house.

Texts written by the educational and curatorial teams.

Obras
Irmãs (2017)
cerâmica esmaltada
Cortesia da artista e Nara Roesler

Favos (2003) 
nanquim sobre papel 
Coleção Gilberto Chateaubriand MAM Rio




Acessibilidade | Fale conosco | Imprensa | Mapa do Site