Lua Cavalcante

São Paulo, SP, Brasil, 1996

Lua Cavalcante contribui em Composições para tempos insurgentes, com a instalação comissionada Oratório de Santa Maria Garra. A obra consiste em um oratório para uma santa inventada, onde se reza pelos corpos aleijados que já viveram, vivem e ainda viverão na terra. Um oratório onde se suplica para que a Santa interceda pela autonomia dos corpos com deficiências, dos corpos enlouquecidos, dos corpos aprisionados, vítimas do capacitismo, corpos entendidos como aleijados. Uma santa que não cura as deformidades da matéria, mas sim as perspectivas a respeito delas. Santa Maria Garra anuncia o entendimento de uma ancestralidade aleijada, ancorada na elaboração de modos de interpretar e produzir a realidade a partir de encantarias que cercam os corpos aleijados, trazendo noções de coletividade que vão além das violências que os conectam.

Lua Cavalcante é artista, educadora e aleijada. Tecnóloga em fotografia, pedagoga e se aventura pelos caminhos da pedagogia griô. Sua linguagem artística é a produção de experimentações em autorretrato, desenvolvendo investigações sobre as particularidades de seu corpo, lido sob o aspecto da deficiência. Coloca-se como um ser artístico, político e pedagógico, propondo reflexões sobre quais lugares reais e encantados ela habita e opera.

Texto enviado pela artista

Lua Cavalcante contributes with Santa Maria Garra Oratory in Compositions for Insurgent Times. The work consists of an oratory for an invented saint, where crippled bodies that have lived, live and will still live on earth are prayed for. An oratory where the Saint is begged to intercede for the autonomy of bodies with disabilities, bodies driven mad, bodies imprisoned, victims of ableism, bodies perceived as crippled. A saint who does not cure the deformities of matter, but the perspectives about them. Santa Maria Garra announces the understanding of a crippled ancestry, anchored in the elaboration of ways of interpreting and producing reality from enchantments that surround crippled bodies, bringing notions of collectivity that go beyond the violence that connects them.

Lua Cavalcante is an artist, educator and cripple. She is also technologist in photography, educator and an adventurous in the paths of griot pedagogy. Her artistic language is the production of experiments in self-portraits, by developing investigations into the particularities of her body, perceived under the aspect of disability. She positions herself as an artistic, political and pedagogical being, proposing reflections on which real and enchanted places she inhabits and operates.

Text sent by the artist

Obra
Oratório de Santa Maria Garra (2021)
bordado, tinta spray, aquarela, colagem, miçangas, pérolas, espelhos, cianotipia a partir de raio-X, exame ortodôntico, acetato queimado, cera derretida, bijuterias coladas e unhas postiças sobre tela, vasos de vidro, bonecos, prótese ortopédica, fotografia com relevo, cerâmica pintada e assemblage
Escultura da Santa Maria Garra : Alien F.J. (Salvador, BA, 1993)
Produção de arte: Caio Costa



Acessibilidade | Fale conosco | Imprensa | Mapa do Site