Manauara Clandestina

Manaus, AM, Brasil

Manauara Clandestina participa de Composições para tempos insurgentes com a remontagem Por enquanto 35 e Memórias de retorno. Por enquanto 35 retrata travestis e mulheres trans brasileiras e latino-americanas de diversas idades, refletindo sobre nossa atual expectativa de vida – ou de morte –, nossas tecnologias de sobrevivência e percursos de migração. O projeto já passou pelas cidades de São Paulo, Rio de Janeiro, Salvador, São Luís, Londres e Barcelona, e segue seu curso diaspórico. O arquivo nasce em 2019, na cidade de São Paulo, diante das notícias diárias do genocídio de transexuais e travestis, como forma de subverter uma lógica de morte, com possibilidade e demarcação de vida. Polaroids abordam vivências, investigando processos de migração que subvertem as estruturas coloniais de aniquilação dos corpos que escapam das definições normativas que o mundo dispõe. Uma oposição às estruturas genocidas em curso no Brasil, onde a perspectiva de vida das travestis e mulheres trans é de aproximadamente 35 anos. A metodologia de pesquisa é pautada pela troca de experiências, como já abordado no happeningTRAVECHURRAS (2018), apostando na potência do encontro como um contínuo movimento de afirmação de vida, fissurando antigos dispositivos necropolíticos. Posicionadas em frente à janela, a incidência direta de luz solar nas polaroids as modificará com o passar do tempo. 

Memórias de retorno trata-se de uma colagem de roupas usadas em uma viagem pela América Latina, criada a partir do acúmulo de memórias transitórias, oferecendo um amálgama de narrativas que destacam a violência derivada da travessia de fronteiras. Esta instalação advém dos territórios atravessados, estabelecendo paralelos com Por Enquanto 35 e também com a instalação Vapor, realizada a partir do coletivo do Projeto Migranta, desenvolvido em Barcelona, onde a indumentária passa a ser encarada como despojos da passagem, rastros da fuga da colonialidade.

Filha de missionários evangélicos do Amazonas, sua relação com a arte se inicia dentro da igreja entre viagens da capital até os interiores, sendo também preparada para a sua missão que começaria fora dali. Em São Paulo, nasce como uma intérprete da vida noturna na cidade, e seu trabalho com a performance se expande aos diálogos com novas perspectivas sobre a existência travesti, questionando as condições que as permeiam a partir de processos de transição de fronteiras e de mergulhos sensíveis que constroem registros íntimos de uma artista nortista. Na posição de diretora artística do Ateliê TRANSmoras, ao lado da estilista Vicenta Perrotta, edifica construções imaginárias dentro da moda, evocando diálogos que dão luz às subjetividades das corporeidades dissidentes brasileiras. Em 2020, desenvolveu sua pesquisa a partir do Programa de Residências da Delfina Foundation, com parceria do Instituto Inclusartiz em Londres e, em 2021, no Piramidón – Centro de Arte Contemporânea, Barcelona, Espanha, ambos com o apoio do Instituto Inclusartiz. Participou de exposições coletivas e, em 2021, esteve à frente de duas individuais: Pitiu de Cobra, Delirium, São Paulo, e Saltação – Casa70, Lisboa, Portugal. 

Texto enviado pela artista

She participates in Compositions for Insurgent Times with the works For Now 35 and Return Memory. For Now 35 portrays Brazilian and Latin American travestis and transgender women of different ages, reflecting on our current life expectancy – or death –, our survival technologies and migration paths. The project has already passed through the cities of São Paulo, Rio de Janeiro, Salvador, São Luís, London and Barcelona, and is continuing its diasporic course. The archive was created in 2019, in the city of São Paulo, in view of the daily news of the genocide of transsexuals and transvestites, as a way to subvert a logic of death, with the possibility and demarcation of life. Polaroids address the experiences, investigating migration processes that subvert the colonial structures of annihilation of bodies that escape the normative definitions that the world has. An opposition to the ongoing genocidal structures in Brazil, where the life expectancy of travestis and transgender women is approximately 35 years. The research methodology is guided by the exchange of experiences, as discussed in the happeningTRAVECHURRAS (2018), betting on the power of the encounter as a continuous movement of life affirmation, and cracking old necropolitical devices. Positioned in front of the window, the direct incidence of sunlight on the Polaroids will change them over time.

Return Memory is a collage of clothes worn on a journey through Latin America, created from the accumulation of transient memories, offering an amalgamation of narratives that highlight the violence derived from crossing borders. This installation comes from the territories crossed, establishing parallels with For Now 35 and also with the Vapor installation, carried out from the collective of the Migranta Project, developed in Barcelona, where clothing is seen as the spoils of the passage, traces of the escape from coloniality.

Daughter of evangelical missionaries from Amazonas, her relationship with art begins within the church between trips from the capital to the interior, which also prepared her for a mission that would start somewhere else. In São Paulo, she rises as an interpreter of the city’s nightlife, and her work with performance expands to the dialogues with new perspectives on the travesti existence, questioning the conditions that permeate them from border transition processes and sensitive dives that build intimate records of a northern artist. As artistic director of the TRANSmoras studio, alongside the stylist Vicenta Perrotta, she builds imaginary constructions within fashion, evoking dialogues that shed light on the subjectivities of dissident Brazilian corporeality. In 2020, she developed her research with the help of the Delfina Foundation Residency Program, in partnership with the Inclusartiz Institute in London and, in 2021, at the Piramidón – Contemporary Art Center, Barcelona, Spain, both with the support of the Inclusartiz Institute. She participated in group exhibitions and, in 2021, was in charge of two individual exhibitions: Pitiu de Cobra, Delirium, São Paulo, and Saltação – Casa70, Lisbon, Portugal.

Text sent by the artist 

Travestis photographed in For Now 35
Albert Magno | Alice Guel | Amanda Araújo | Ana Maria | Anis Yaguar | Anuby Messias | Aradia Cancilieri | Aretha Sadick |Auá Mendes | Audre Verneck | Ave Terrena | Aya Ibeji | Bárbara Britto | Bioncinha do Brasil | CACAO | Cais Vicente | Camila Ribeiro | Castiel Vitorino Brasileiro | Catarina Aranha | Cindy Makena | Daniela de Carvalho | Dominique Marie | Duda Leão | Endy Ribeiro | Eric Oliveira | Fernanda Custodio | Gabs Ambrosia | Groupie D | Guilhermina Urze | Iki Yos | Isis Luna | Jade Sassará | Jaque Cardoso | Jhoweni | Julia Teixeira | La Max | Larissa Cemitério | Leona Jhovs | Lia | Magô Tonhon | Miquéias Lira | Naja| Natalia Falcón | Nathiaga | Nebraska Diamonds | Norma Mor | Paulete Lindacelva | Qaete | Rafa Pinah | Rainha Favelada | Saffira Santtos | Sumé Aguiar | Tayna Sikenia | Terra Johari | Transalien | Vavah Lopes | VENI | Ventura Profana | Vicenta Perrotta | Walla Capelobo | Wiliane Jacob | Xantana Xantara | Yris Franco | Yuki Hayashi.

Obras
Memória de retorno (2021)
roupas costuradas e coladas

Por enquanto 35 (2019-2021)
série 73 retratos
fotografia instantânea

Travestis fotografadas:
Albert Magno | Alice Guel | Amanda Araújo | Ana Maria | Anis Yaguar | Anuby Messias | Aradia Cancilieri | Aretha Sadick |Auá Mendes | Audre Verneck | Ave Terrena | Aya Ibeji | Bárbara Britto | Bioncinha do Brasil | CACAO | Cais Vicente | Camila Ribeiro | Castiel Vitorino Brasileiro | Catarina Aranha | Cindy Makena | Daniela de Carvalho | Dominique Marie | Duda Leão | Endy Ribeiro | Eric Oliveira | Fernanda Custodio | Gabs Ambrosia | Groupie D | Guilhermina Urze | Iki Yos | Isis Luna | Jade Sassará | Jaque Cardoso | Jhoweni | Julia Teixeira | La Max | Larissa Cemitério | Leona Jhovs | Lia | Magô Tonhon | Miquéias Lira | Naja| Natalia Falcón | Nathiaga | Nebraska Diamonds | Norma Mor | Paulete Lindacelva | Qaete | Rafa Pinah | Rainha Favelada | Saffira Santtos | Sumé Aguiar | Tayna Sikenia | Terra Johari | Transalien | Vavah Lopes | VENI | Ventura Profana | Vicenta Perrotta | Walla Capelobo | Wiliane Jacob | Xantana Xantara | Yris Franco | Yuki Hayashi.



Acessibilidade | Fale conosco | Imprensa | Mapa do Site