Regina Vater

Rio de Janeiro, RJ, 1943

Regina Vater participa de Composições para tempos insurgentes com a remontagem de duas obras: Para um tempo de guerra (1987) e Janaína (2007). A primeira, composta por cerca de 300 pães e pedras dispostas em espiral no chão, é acompanhada de um poema de César Vallejo. Neste trabalho, o que resta dos escombros e o que encerra a fome são colocados em paralelo, aproximando-se. 

Janaína é uma instalação composta por pedras brancas, conchas e uma bacia de metal, organizadas em um círculo sobre uma superfície acima do chão. O título do trabalho remete a um dos diversos nomes usados na cultura afro-brasileira para referenciar Iemanjá. Os materiais que fazem parte da instalação, com origem do mar, também reforçam essa referência ao orixá ligado aos mares.  

Artista multimídia, curadora e escritora, Regina Vater ingressou na faculdade de arquitetura da UFRJ em 1961, além de estudar com artistas como Frank Schaeffer e Iberê Camargo. Sua extensa produção, de natureza transmidiática e polissêmica, transita entre as novas figurações dos anos 1960, a arte conceitual e as experiências relacionais, construindo uma poética singular nas conexões entre arte e cultura, natureza e técnica.

Textos escritos pelas equipes de educação e curadoria.

Regina Vater participates in Composition for insurgent times (Composições para tempos insurgentes) with the reassembly of two works: For a time of war (1987) and Janaína (2007). The first one, composed of around 300 pieces of bread and stones disposed to form a spiral on the ground, is accompanied by a César Vallejo poem. In this piece what is left of the rubble and what ends hunger are put in parallel, in approximation.

Janaína is an installation composed of white stones, shells and a metal bowl, displayed as a circle on a surface above the floor. The title of the work refers to one of the many names attributed in the afro-brazilian culture to Iemanjá. The materials which are part of the installation, with their origin in the sea, also reinforce this reference to the orisha linked to the oceans.

Multimedia artist, curator and writer, Regina Vater entered the faculty of architecture at UFRJ in 1961, while also studying with artists like Frank Schaeffer and Iberê Camargo. Her extensive production, of a transmidiatic and polysemic nature, transits through the new figurations from the 1960s, conceptual art and relational experiences, building a singular poetics in the conexions between art and culture, nature and technique.

Texts written by the educational and curatorial teams.

Obras
Janaina (2017)
pedras, conchas, vidros e bacia de alumínio
Cortesia da artista

Para um tempo de guerra (1987)
pães e pedras
Cortesia da artista
Produção de arte: Caio Costa



Acessibilidade | Fale conosco | Imprensa | Mapa do Site