Wilma Martins

Belo Horizonte, MG, Brasil, 1934

Wilma Martins participa de Composições para tempos insurgentes com diversas obras. Tanto a série Cotidiano quanto as obras individuais que ocupam dois painéis da exposição pertencem à Coleção Gilberto Chateaubriand MAM Rio. Na série, um microuniverso particular é construído a partir de cômodos da casa visitados por animais peculiares. O tom fantástico deste trabalho também aparece fortemente no outro conjunto de obras. Sempre em preto e vermelho, as xilogravuras trazem seres mitológicos em narrativas que exploram cosmopercepções de mundo expandidas. Se, em Cotidiano, os seres habitam o ambiente doméstico, em obras como Carne, os seres se encontram em um novo mundo. 

Wilma Martins estudou durante a década de 1950 no Instituto de Belas Artes. Em sua obra, debruça-se sobre linguagens como pintura, desenho, ilustração e gravura. Participou de diversas bienais internacionais, entre elas, a de Berlim, 1969, São Paulo, em 1967, e Veneza, em 1978. A artista recebeu o Prêmio Itamaraty, na Bienal de São Paulo de 1967, e o Prêmio Principal de Panorama de Arte Atual Brasileira em 1976, no MAM SP.

Textos escritos pelas equipes de educação e curadoria.

Wilma Martins takes part in Compositions for insurgent times (Composições para tempos insurgentes) with a wide range of works. Both the series Quotidian (Cotidiano) and the individual works that take two panels of the exposition belong to the Collection Gilberto Chateaubriand MAM Rio. In the series a private micro universe is built from house rooms visited by peculiar animals. The fantastic tone of this work also appears strongly in another group of works. Always in black and red, the wood-cut prints bring mythological beings in narratives that explore expanded cosmo perceptions of the world. If in Quotidian these beings inhabit the domestic environment, in works like Flesh (Carne) they find themselves in a new world.

Wilma Martins studied during the 1950’s at the Instituto de Belas Artes. In her work, she bends over languages like painting, drawing, illustration and printing. She took part in many International Biennials, among such Berlin, 1969, São Paulo, 1967 and Veneza 1978. The artist was awarded with the Itamaraty Prize the the SãoPaulo Bienal of 1967 and the Main Award Panorama de Arte Atual Brasileira in 1976, at MAM SP.

Texts written by the educational and curatorial teams.

Obras
A carne (1967) 
xilogravura 
Coleção Gilberto Chateaubriand MAM Rio

A mãe (1967) 
xilogravura 
Coleção Gilberto Chateaubriand MAM Rio

Luta (1970) 
xilogravura 
Coleção Gilberto Chateaubriand MAM Rio

O encontro (1968) 
xilogravura 
Coleção Gilberto Chateaubriand MAM Rio

O retorno (1968) 
xilogravura 
Coleção Gilberto Chateaubriand MAM Rio

Sem título (1973) 
série Cotidiano 
nanquim e ecoline sobre papel 
Coleção Gilberto Chateaubriand MAM Rio

Sem título (1972) 
série Cotidiano 
bico de pena e ecoline sobre papel 
Coleção Gilberto Chateaubriand MAM Rio

Sem título (c. 1970)
bico de pena e ecoline sobre papel 
Coleção Gilberto Chateaubriand MAM Rio

Sem título (1972)
série Cotidiano 
nanquim e ecoline sobre papel 
Coleção Gilberto Chateaubriand MAM Rio

Sem título (1973) 
série Cotidiano 
nanquim e ecoline sobre papel 
Coleção Gilberto Chateaubriand MAM Rio

Sem título (1973) 
série Cotidiano 
nanquim e ecoline sobre papel 
Coleção Gilberto Chateaubriand MAM Rio



Acessibilidade | Fale conosco | Imprensa | Mapa do Site