6 de maio de 2020
Este mês | Meses anteriores | A seguir


FEVEREIR
O 2021

CINEMATECA ONLINE
Programação gratuita em www.vimeo.com/channels/cinematecadomam

MULHERES DE LUZ PRÓPRIA (leia mais)
A mostra Mulheres de luz própria, dedicada ao cinema de Helena Ignez, Sinai Sganzerla e Djin Sganzerla, será finalizada em fevereiro, com destaque para a exibição do longa de estreia da última, e uma live em torno do filme.

TER 26 jan – SEG 1 fev
Fakir de Helena Ignez. Brasil, 2019. Documentário. 92’. Classificação indicativa 14 anos

SEX 29 jan – QUI 4 fev
Extratos de Sinai Sganzerla. Brasil, 2019. Documentário. 8’. Classificação indicativa 10 anos + A mulher de luz própria de Sinai Sganzerla. Brasil, 2019. Documentário. 74’. Classificação indicativa 12 anos

SEX 5  – DOM 7 fev
Mulher oceano de Djin Sganzerla. Brasil, Japão, 2020. Com Djin Sganzerla, Kentaro Suyama, Stênio Garcia, Lucélia Santos, Gustavo Falcão, Rafael Zulu, Jandir Ferrari. 99’ Classificação indicativa 14 anos

SEX 5  fev  (Com transmissão pelo Facebook e Youtube do MAM)
16h – Conversa em torno de “Mulher oceano”. Com Djin Sganzerla, Marcus Mello, Duda Kuhnert e Isabel Veiga. Mediação José Quental.

 


A GOTA PRETA FILMES APRESENTA
A mostra vai reunir dez filmes da distribuidora que serão incorporados ao acervo da Cinemateca. A Gota Preta foi criada por Renato Ranquine em 2016 e reúne filmes ligados ao universo das artes visuais e ao cinema experimental brasileiro, cada vez mais próximos e interconectados.

SEX 12 fev – QUI 18 fev
A Gota Preta Filmes Apresenta. Adeus às coisas de Ian Schuler. Brasil, 2019. Videoarte/Experimental. 16’. Classificação Livre + Bárbara Balaclava de Thiago Martins de Melo. Brasil, 2016. Animação. 14’. Classificação 18 anos + Rasga mortalha de Thiago Martins de Melo. Brasil, 2019. Animação. 14’. Classificação 16 anos + A Noite dos lanches de Ian Schuler. Brasil/Portugal, 2020. Videoarte/Experimental. 9’. Classificação Livre

SEX 19 fev – QUI 25 fev
Estudos superficiais de Gustavo Speridião. Brasil, 2016. Experimental. 36’. Classificação Livre + Time Color de Gustavo Speridião. Brasil/França, 2020. Experimental. 24’ Classificação Livre

SEX 26 fev – QUI 4 mar
Tupinambá lambido de Lucas Parente. Brasil, 2018. Documentário Experimental. 12’. Classificação 14 anos + A cristalização de Brasília de Guerreiro do Divino Amor. Brasil, 2019. Experimental/Animação. 7’. Classificação 14 anos + O mundo mineral de Guerreiro do Divino Amor. Brasil, 2020. Experimental/Animação. 9’. Classificação 14 anos + Calypso de Lucas Parente e Rodrigo Lima. Brasil, 2018. Experimental. 61’. Classificação 14 anos.



SEG 15 – DOM 28 fev
MOSTRA LADO B DA FAVELA
Uma diversidade de narrativas em torno dos territórios das favelas do Rio de Janeiro em 19 filmes, entre longas e curtas-metragens, realizados ao longo das últimas seis décadas. A mostra tem seis eixos temáticos. Curadoria: Chico Serra.

Confira a programação completa aqui
Assista em: www.vimeo.com/showcase/ladobdafavela
Baixe o catálogo aqui

VEREDAS DO PATRIMÔNIO AUDIOVISUAL (leia mais)
O ciclo Veredas do Patrimônio Audiovisual visa valorizar o patrimônio audiovisual brasileiro e mundial conservado pela Cinemateca do Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro e outras instituições de guarda brasileiras e estrangeiras. O ciclo promove o contato direto com as formas históricas de exibição audiovisual, oferecendo quando possível rigorosas condições de fruição do cinema tal como elas se apresentaram em determinado momento histórico e tecnológico. Isso inclui a possibilidade de assistir as obras do passado também em novos arranjos técnicos e associações criativas. O projeto tem patrocínio da Concremat, H.I.G. Capital, Guelt Investimentos e da Prefeitura do Rio de Janeiro.

26 – 28 FEV
Veredas do patrimônio audiovisual. Homenagem a Máximo Barro. O vigilante de Ozualdo Candeias. Brasil, 1992. Com Walter Carlos, Rogério Costa e Bárbara Fázio. 80’. + Vamos fallá do Norte de Paulo Benedetti. Brasil, 1929. Registro sincronizado a disco da música “Vamos fallá do Norte”, com Bando dos Tangarás (Almirante, Alvinho, João de Barro, Henrique Brito e Noel Rosa), acrescido de um ritmista anônimo. 3’. Classificação indicativa 16 anos.

cinemateca@mam.rio