6 de maio de 2020
Este mês | Meses anteriores | A seguir

JULHO 2024

Retrospectiva Otto Preminger
Otto Preminger é a manifestação da elegância e da limpidez da mise en scène. Seu cinema é ao mesmo tempo econômico e preciso, ágil e denso, lúdico e severo. Seus filmes figuram entre os melhores exemplares de beleza, equilíbrio visual e composição do cinema americano em seu melhor período. Seu uso do Cinemascope – o mais panorâmico entre os formatos industriais – é inigualável. Filho da finesse da cultura vienense do final do século 19, Otto Preminger abandonou o direito para ser pupilo de Max Reinhardt, e depois foi ator e diretor tanto na Áustria quanto nos EUA. Sua trajetória foi errática até que realizou Laura (1944), que consolidou seu status como diretor de filmes de gênero, em especial o noir (Anjo ou demônio?, Passos na noite, Alma em pânico). A partir de O homem do braço de ouro, em que Frank Sinatra interpreta um junkie, Preminger inicia um ciclo de dramas com temáticas mais amplas e eventualmente polêmicas. Seguem obras-primas como Bom dia, tristeza, Anatomia de um crime, Tempestade sobre Washington, O cardeal… Em julho e agosto, a Cinemateca do MAM exibe 25 filmes de uma filmografia que conta com inúmeras estrelas (Marilyn Monroe, James Stewart, Jean Seberg, Joan Crawford, Robert Mitchum, Henry Fonda, Charles Laughton etc.), mas cujo brilho maior cabe à perfeição e harmonia do ritmo e da encenação.

Mostra NEVES, David
David Neves foi o cineasta mais intimista do grupo do Cinema Novo. Sua índole pendia mais para a música de câmara do que para a ópera, mais para o kammerspiel do que para o teatro épico, mais para o estudo individualizado do que para as grandes especulações históricas, revolucionárias ou sociológicas de seus colegas. Mas que essa aposta no singelo não seja confundida com falta de ambição: é um cinema despojado de qualquer academicismo, pessoal e intransferível, que funde vida real e ficção (Muito prazer), desdobra-se em cotidianos da crônica carioca (Fulaninha, Jardim de Alah) e se alça em aventuras de adaptação intimista (Helena Morley e Memória de Helena, Rubem Fonseca e Lúcia McCartney). Para celebrar o surgimento de novas cópias digitais em alta definição feitas pelo produtor Carlos Moletta, vamos repassar a filmografia quase completa de David Neves, em julho exibindo as novas cópias digitais, e em agosto projetando as cópias 35mm do acervo da Cinemateca do MAM.

10 anos sem Harun Farocki
Em 30 de julho de 2014, falecia Harun Farocki, um dos cineastas que mais e melhor investigou as relações entre produção de imagens, poder e tecnologia do olhar. Numa diversificada produção repleta de curtas, médias e longa-metragens, Farocki foi documentarista, ficcionista e ensaísta na direção cinematográfica, mas sempre com um tom investigativo, perspectivado, a respeito do que quer cada imagem. Farocki, que esteve no Rio de Janeiro e na Cinemateca do MAM em 2012 para fazer palestras e dar oficina, terá a efeméride de dez anos de morte celebrada com uma pequena retrospectiva de sua produção multifacetada, a exibição de alguns incontornáveis de sua filmografia – Imagens do mundo e inscrições da guerra, Imagens da prisão –, além dos pequenos filmes realizados na oficina de 2012 por alunos-cineastas brasileiros. Essa homenagem conta com a parceria institucional do Goethe-Institut Rio de Janeiro.

Amor serial – Cinema em série
A série domina o mundo. Nunca se consumiu tanta série quanto hoje, nunca se produziu também e, talvez mais importante, as séries das últimas décadas têm envergadura estética para rivalizar e até ultrapassar muitos longas-metragens, o formato mais tradicional de exibição cinematográfica. Mas a série tem uma longa relação com as salas de cinema: das décadas de 1910 a 1950 era comum haver seriados de aventura ou de faroeste. O oposto também se deu: cineastas de trajetória firme no longa-metragem indo para a televisão arriscar-se no formato serial: Maurice Pialat, Rainer Werner Fassbinder, David Lynch e Marco Bellocchio são alguns dos exemplos mais notáveis. Há também o caso de cineastas renomados dirigindo episódios especiais de séries, sejam eles os pilotos (Martin Scorsese, Walter Hill) ou não (Quentin Tarantino). E, por fim, há o caso de séries que bebem de um universo outrora estritamente cinematográfico, como A família Soprano ou Mad Men. Portanto, há cinema nas séries e há séries no cinema. Em julho, daremos continuidade à mostra Amor serial exibindo A casa do bosque, série do mestre Maurice Pialat (Aos nossos amores, Van Gogh, Nós não envelheceremos juntos) feita para a televisão francesa em 1971, e o seminal O guarda vingador – nome original da série também conhecida como O cavaleiro solitário –, série de 1938 dirigida por William Whitney e John English que recupera o serial de rádio e cria um padrão para todas as séries de aventura que tomaram as salas de cinema e os televisores da década de 1940 em diante.

Cine-Concerto Tela Sonora: Quatro animações brasileiras + Marinheiro de encomenda
Tela Sonora é um cine-concerto inédito reunindo música eletrônica e curtas de animação de diretores brasileiros. O trabalho de composição foi realizado pelos artistas Xavier Garcia e Jérôme Lopez, e se baseia numa dupla escrita (eletrônica e contemporânea), incorporando elementos sonoros e culturais provenientes de pesquisas sonoras, em conexão com gravações de cantos indígenas do Brasil, bem como gravações de campo realizadas durante a última visita dos artistas pelo país, em 2022. Os artistas são membros do coletivo francês ARFI, conhecido desde os anos 80 por revitalizar o conceito de cine-concerto na França e na Europa. Além do Tela Sonora, a dupla de artistas apresentará um cine-concerto com o clássico do cinema silencioso Marinheiro de encomenda

Oficina Vídeo-maleta – Criação audiovisual
A oficina vídeo-maleta oferece tanto na sua essência quanto na sua forma uma abordagem artística original, em conexão com um determinado público, população ou território. É um cruzamento entre arte sonora e visual, narrativas coletadas e criação digital. Concebida inicialmente por Jérôme Lopez com o propósito de criar uma performance audiovisual, esta ferramenta acabou sendo igualmente utilizada para criações de obras artísticas coletivas e para instalações autônomas de captação de vídeo. (Vagas limitadas)

Inéditos contemporâneos
O circuito exibidor brasileiro traz às salas comerciais filmes contemporâneos, de diversos perfis e nacionalidades. No entanto, não consegue abarcar tudo o que é feito de mais interessante ao redor do globo, incluindo filmes em voga, premiados em grandes festivais e novas obras de diretores renomados. Em julho, veremos o cineasta Jonás Trueba com sua musa Itsaso Arana em A virgem de agosto, filme vencedor de prêmios em Karlovy Vary e Toulouse, top ten da Cahiers du Cinéma em 2020, e que passou no Festival do Rio em 2019 e agora retorna às telas cariocas na Cinemateca do MAM.

Aconteceu 100 anos atrás
Faz parte do trabalho de uma cinemateca manter viva a memória do cinema em todas as suas épocas, e esta rubrica contínua oferece ao frequentador do MAM a chance de conhecer mais profundamente o panorama do que acontecia há um século nas telas do mundo, dos grandes clássicos até filmes de menor notoriedade mas de importância histórica inegável.

Gêneros ao redor do mundo
Comédia, film noir, musical, giallo, artes marciais, melodrama, faroeste e adiante! Os gêneros são o atestado de comunicação eficiente entre a indústria e seu público, vivendo entre os motivos recorrentes e a necessidade de constante reinvenção. Em julho, voltaremos a Hong Kong, esse celeiro de uma das melhores cinematografias de gênero do mundo, para exibir o gênio maior do cinema policial de HK neste século, Johnnie To. Seu cinema ao mesmo tempo estilizado, profundamente ágil e agoniado poderá ser desfrutado em The Mission (1999), primeiro filme a torná-lo mais conhecido internacionalmente.

A Samambaia.org é patrocinadora da Cinemateca do MAM.

PROGRAMAÇÃO PRESENCIAL
AUDITÓRIO COSME ALVES NETTO

TER 2 JUL . 13h40
Curso Cinema para adiar o fim do mundo: Imaginários, Re-existências, Transformações, com Marco Antonio Gonçalves, Tatiana Bacal e Eliska Altmann. Curso oferecido em parceria com PPGSA-IFCS-UFRJ. Aula 11: O mar como esperança e re-existência. Filme: Atlantique (2019), de Mati Diop.

TER 2 JUL . 18h30
Encontro com Rossana Ghessa. Ana Terra, de Durval Garcia. Brasil, 1971. Com Rossana Ghessa, Geraldo Del Rey, Pereira Dias. 104’ Em 35mm. Classificação indicativa livre + conversa com Rossana Ghessa e mediação de Fábio Vellozo.

QUA 3 JUL . 18h30
Aconteceu 100 anos atrás. Ouro e maldição (Greed), de Erich Von Stroheim. EUA, 1924. Com Gibson Gowland, Zasu Pitts, Jean Hersholt. 140’. Em DCP. Legendas em português. Classificação indicativa livre.

QUI 4 JUL . 16h-18h
Oficina Vídeo-maleta – Criação audiovisual, com Jérôme Lopez. Oficina de dois dias de criação audiovisual com o artista francês, Jérôme Lopez. Carga horária de 4 horas (dias 4 e 5 de julho). 15 vagas. Classificação indicativa 16 anos. Inscrições via formulário.

QUI 4 JUL . 15h
Curso Arqueologias do cinema/Histórias da fantasmagoria: filme, mídia, percepção, com Tadeu Capistrano.  Curso oferecido em parceria com o Programa de Pós-graduação em Artes Visuais (PPGAV) da UFRJ. Com o apoio do departamento de filmes experimentais do Centre Pompidou – Musée National d’Art Moderne.

QUI 4 JUL . 18h30
Amor serial – Cinema em série. A casa do bosque (La Maison des bois), de Maurice Pialat. França, 1971. Com Pierre Dorris, Jacqueline Dufranne, Agathe Natanson. Ep.1. 54’ + Ep. 2. 48’. Em DCP. Legendas em português. Classificação indicativa 14 anos.

SEX 5 JUL . 16h – 18h
Oficina Vídeo-maleta – Criação audiovisual, com Jérôme Lopez
Oficina de dois dias de criação audiovisual com o artista francês, Jérôme Lopez. Carga horária de 4 horas (dias 4 e 5 de julho). 15 vagas. Classificação indicativa 16 anos. Inscrições via formulário.

SEX 5 JUL . 16h40
Gêneros ao redor do mundo. The Mission (Cheung foh), de Johnnie To. Hong Kong, 1999. Com Anthony Wong, Francis Wong, Jackie Lui. 84’. Em DCP. Legendas em português. Classificação indicativa 14 anos.

SEX 5 JUL . 18h30
Amor serial – Cinema em série. A casa do bosque (La Maison des bois), de Maurice Pialat. França, 1971. Com Pierre Dorris, Jacqueline Dufranne, Agathe Natanson. Ep. 3. 40’ + Ep. 4. 53’. Em DCP. Legendas em português. Classificação indicativa 14 anos.

SÁB 6 JUL . 17h
Cine-concerto Tela sonora com Jérôme Lopez et Xavier Garcia. Meow, de Marcos Magalhães. Brasil, 1981. Animação. 8’ + Guida, de Rosana Urbes. Brasil, 2014. Animação. 11’ + Faroeste, um autêntico western, de Wesley Rodrigues. Brasil, 2013. Animação. 19’ + Plantae, de Guilherme Gehr. Brasil, 2017. Animação. 10’. Em mp4. Classificação indicativa 12 anos. Com o apoio da Institut Français e da cidade de Lyon, da Embaixada da França no Brasil, da SPEDIDAM e das Alianças Francesas no Brasil. O coletivo Arfi é subsidiado pela DRAC Auvergne-Rhône-Alpes, pela Região Auvergne-Rhône-Alpes, pela cidade de Lyon, pela SPEDIDAM e pela SACEM.

SÁB 6 JUL . 18h20
Amor serial – Cinema em série. A casa do bosque (La Maison des bois), de Maurice Pialat. França, 1971. Com Pierre Dorris, Jacqueline Dufranne, Agathe Natanson. Ep. 5. 53’. + Bósforo (Bosphore), de Maurice Pialat. França, 1964. Documentário. 13’ + Bizâncio (Byzance), de Maurice Pialat. França, 1964. Documentário. 11’ + Istambul, de Maurice Pialat. França, 1964. Documentário 13’. Em DCP. Legendas em português. Classificação indicativa 14 anos.

DOM 7 JUL . 16h30
Cine-concerto com Jérôme Lopez et Xavier Garcia. Marinheiro de encomenda (Steamboat Bill, Jr.), de Buster Keaton e Charles Reisner. EUA, 1928. 71’. Em mp4. Classificação indicativa 12 anos. Com o apoio da Institut Français e da cidade de Lyon, da Embaixada da França no Brasil, da SPEDIDAM e das Alianças Francesas no Brasil. O coletivo Arfi é subsidiado pela DRAC Auvergne-Rhône-Alpes, pela Região Auvergne-Rhône-Alpes, pela cidade de Lyon, pela SPEDIDAM e pela SACEM.

DOM 7 JUL . 18h
Amor serial – Cinema em série. A casa do bosque (La Maison des bois), de Maurice Pialat. França, 1971. Com Pierre Dorris, Jacqueline Dufranne, Agathe Natanson. Ep. 6. 57’ + Ep. 7. 59’. Em DCP. Legendas em português. Classificação indicativa 14 anos.

TER 9 JUL . 16h30
Amor serial – Cinema em série. O guarda vingador (The Lone Ranger), de William Witney e John English. EUA, 1938. Com Chief Thunder-Cloud, Lynne Roberts, George Cleveland. Ep. 1: Aiô Silver (Hi-Yo, Silver!). 27’ + Ep. 2: Terra trovejante (Thundering Earth). 17’ + Ep. 3: A armadilha (The Pitfall). 17’ + Ep. 4: Agente da traição (Agent of Treachery). 16’ + Ep. 5: O caldeirão fervente (The Steaming Cauldron). 17’. Em DCP. Legendas em português. Classificação indicativa 14 anos.

TER 9 JUL . 18h30
Sessão especial: Fluxo das relíquias. Fluxo – O filme, de Filipe Barbosa. Brasil, 2023. Com Andrio Cândido, Ester Tenório, François Augusto. 15′ + Neurótico e Consciente, de Andrey Haag e Luiz Marq’s. Brasil, 2023. Com Priscila Ribeiro, Lucas Pereira e Kelvyn Kelner. 8’ + A batalha do passinho, de Emílio Domingos. Brasil, 2013. Com Danilo, Julio Ludemir, Lelê, Cebolinha. 73’. Em DCP. Classificação indicativa 12 anos + Debate com os realizadores e mediação de Juliana Bragança.

QUA 10 JUL . 16h30
Amor serial – Cinema em série. O guarda vingador (The Lone Ranger), de William Witney e John English. EUA, 1938. Com Chief Thunder-Cloud, Lynne Roberts, George Cleveland. Ep. 6: A coragem do pele vermelha (Red Man’s Courage). 16’ + Ep. 7: Rodas do desastre (Wheels of Disaster). 17’ + Ep. 8: Tesouro fatal (Fatal Treasure). 15’ + Ep. 9: A espora desaparecida (The Missing Spur). 15’ + Ep. 10: Fúria flamejante (Flaming Fury). 12’. Em DCP. Legendas em português. Classificação indicativa 14 anos.

QUA 10 JUL . 18h30
Mostra NEVES, David. Mauro, Humberto, de David Neves. Brasil, 1968. Documentário. 21’. Em DCP + Memória de Diamantina, de David Neves. Brasil, 1984. Documentário. 15’. Em DCP + Bienal, mão do povo, de David Neves e Gilberto Santeiro. Brasil, 1971. 8’. Em 35mm + Palácio dos arcos, de David Neves e Gilberto Santeiro. Brasil, 1970. 11’. Em 35mm + Colagem, de David Neves. Brasil, 1968. Documentário. 10’. Em 35mm + O fazendeiro do ar, de Fernando Sabino e David Neves. Brasil, 1974. Documentário. 10’. Em 35mm + Um contador de histórias, de Fernando Sabino e David Neves. Brasil, 1974. 10’. Em 35mm. Classificação indicativa 12 anos. Com apoio do CTAV, instituição de salvaguarda e preservação de obras cinematográficas e audiovisuais brasileiras.

QUI 11 JUL . 16h30
Amor serial – Cinema em série. O guarda vingador (The Lone Ranger), de William Witney e John English. EUA, 1938. Com Chief Thunder-Cloud, Lynne Roberts, George Cleveland. Ep. 11: A bala de prata (The Silver Bullet). 16’ + Ep. 12: Fuga (Escape). 16’ + Ep. 13: O mergulho fatal (The Fatal Plunge). 16’ + Ep. 14: Mensageiros do destino (Messengers of Doom). 15’ + Ep. 15: O último dos guardas (The Last of the Rangers). 15’. Em DCP. Legendas em português. Classificação indicativa 14 anos.

QUI 11 JUL . 18h30.
Pré-estreia. O cangaceiro da moviola, de Luís Rocha Melo. Brasil, 2022. Documentário. 95’. Em DCP. Classificação indicativa 12 anos + Conversa com Severino Dadá, Luís Rocha Melo e Bárbara Daniel (Edt.). Sessão com apoio da edt. – Associação de Profissionais de Edição Audiovisual

SEX 12 JUL . 14h
Cine POP. Minha mãe é uma peça: o filme, de André Pellenz. Brasil, 2013. Com Paulo Gustavo, Rodrigo Pandolfo, Mariana Xavier. 84’. Em DCP. Classificação indicativa 12 anos. Sessão em parceria com o Centro Pop Barbara Calazans (1ª CAS – Primeira Coordenadoria de Assistência Social da Secretaria Municipal de Assistência Social) + conversa.

SEX 12 JUL . 18h30
Mostra NEVES, David. Muito prazer, de David Neves. Brasil, 1979. Com Ítala Nandi, Otávio Augusto, Cecil Thiré, Antonio Pedro. 93’. Em DCP. Classificação indicativa 16 anos.

SÁB 13 JUL . 16h20
Mostra NEVES, David. Flamengo paixão, de David Neves. Brasil, 1980. Documentário. 78’. Em DCP. Classificação indicativa livre.

SÁB 13 JUL . 18h
Mostra NEVES, David. Luz del fuego, de David Neves. Brasil, 1982. Com Lucélia Santos, Walmor Chagas, Joel Barcellos. 102’. Em DCP. Classificação indicativa 14 anos.

DOM 14 JUL . 16h
Mostra NEVES, David. As meninas, de Emiliano Ribeiro. Brasil, 1995. Com Adriana Esteves, Cláudia Liz, Drica Moraes. 92’. Em DCP. Classificação indicativa 14 anos.

DOM 14 JUL . 18h
Mostra NEVES, David. Fulaninha, de David Neves. Brasil, 1986. Com Cláudio Marzo, Mariana de Moraes, Kátia D’angelo. 100’. Em DCP. Classificação indicativa 14 anos.

TER 16 JUL . 18h30
Aurora Cineclube. Orgia ou O homem que deu cria, de João Silvério Trevisan. Brasil, 1970. Com Pedro Paulo Rangel, Cláudio Mamberti, Jean-Claude Bernardet. 90’ + Ecologia, de Leon Hirszman. Documentário. 10’. Em DCP. Classificação indicativa 16 anos + Debate com equipe e colaboradores da revista.

QUA 17 JUL . 18h30
Cineclube Lemakino. Paloma, de Marcelo Gomes. Brasil/Espanha/Reino Unido/Itália, 2022. Com Kika Sena, Ridson Reis, Zé Maria. Samya de Lavor. 99′. Em DCP. CLassificação indicativa 16 anos. + debate com Vivian Froes Ferrão e Galeno Tinoco.

QUI 18 JUL . 18h30
Retrospectiva Otto Preminger. Um pequeno erro (Margin for Error), de Otto Preminger. Com Joan Bennett, Milton Berle, Otto Preminger. 74’. EUA, 1943. Em DCP. Legendas em português. Classificação indicativa livre.

SEX 19 JUL . 16h30
Retrospectiva Otto Preminger. Czarina (A Royal Scandal), de Otto Preminger. EUA, 1945. Com Tallulah Bankhead, Charles Coburn, Anne Baxter. 94’. Em DCP. Legendas em português. Classificação indicativa livre.

SEX 19 JUL . 18h30
Retrospectiva Otto Preminger. Laura, de Otto Preminger. EUA, 1944. Com Gene Tierney, Dana Andrews, Vincent Price. 88’. Em DCP. Legendas em português. Classificação indicativa livre.

SÁB 20 JUL . 16h20
Retrospectiva Otto Preminger. A ladra (Whirlpool), de Otto Preminger. EUA, 1950. Com Gene Tierney, Richard Conte, Jose Ferrer. 98’. Em DCP. Legendas em português. Classificação indicativa livre.

SÁB 20 JUL . 18h20
Retrospectiva Otto Preminger. Anjo ou demônio? (Fallen Angel), de Otto Preminger. EUA, 1945. Com Alice Faye, Dana Andrews, Linda Darnell. 98’. Em DCP. Legendas em português. Classificação indicativa livre.

DOM 21 JUL . 16h20
Retrospectiva Otto Preminger. Passos na noite (Where the Sidewalk Ends), de Otto Preminger. EUA, 1950. Com Dana Andrews, Gene Tierney, Gary Merrill. 95’. Em DCP. Legendas em português. Classificação indicativa livre.

DOM 21 JUL. 18h20
Retrospectiva Otto Preminger. Êxtase de amor (Daisy Kenyon), de Otto Preminger. EUA, 1947. Com Joan Crawford, Dana Andrews, Henry Fonda. 99’. Em DCP. Legendas em português. Classificação indicativa livre.

QUA 24 JUL . 18h30
Inéditos contemporâneos. A virgem de agosto (La virgen de agosto), de Jonás Trueba. Espanha, 2019. Com Itsaso Arana, Vito Sanz, Isabelle Stoffel.125’. Em DCP. Legendas em português. Classificação indicativa 14 anos.

QUI 25 JUL . 18h30
Incontornáveis. Recordações da casa amarela, de João César Monteiro. Portugal, 1999. Com João César Monteiro, Manuela de Freitas, Ruy Furtado. 122’. Em DCP. Legendas em português. Classificação indicativa 14 anos.

SÁB 27 JUL . 16h10
Retrospectiva Otto Preminger. Carmen Jones, de Otto Preminger. EUA, 1954. Com Dorothy Dandridge, Harry Belafonte, Pearl Bailey. 105’. Em DCP. Legendas em português. Classificação indicativa livre.

SÁB 27 JUL . 18h20 
Retrospectiva Otto Preminger. O rio das almas perdidas (River of No Return), de Otto Preminger. EUA, 1954. Com Robert Mitchum, Marilyn Monroe, Rory Calhoun. 91’. Em DCP. Legendas em português. Classificação indicativa livre.

DOM 28 JUL . 15h
Sessão especial. Colheita de Maia, de Giovanna Luz. Brasil, 2023. Documentário. Com Maia Protetti Czernohous e Anna Márcia Protetti Silva. 7’. Em DCP + Conversa com Giovanna Luz e Maia Protetti.

DOM 28 JUL . 16h10
Retrospectiva Otto Preminger. Cartas venenosas (The 13th Letter), de Otto Preminger. EUA, 1951. Com Linda Darnell, Charles Boyer, Michael Rennie. 85’. Em DCP. Legendas em português. Classificação indicativa livre.

DOM 28 JUL . 18h
Retrospectiva Otto Preminger. O homem do braço de ouro (The Man with the Golden Arm), de Otto Preminger. EUA, 1955. Com Frank Sinatra, Kim Novak, Eleanor Parker. 119’. Em DCP. Legendas em português. Classificação indicativa 14 anos.

TER 30 JUL . 18h30
10 anos sem Harun Farocki. A entrevista (Die Bewerbung), de Harun Farocki. Alemanha, 1996. Documentário. 59’ + Como viver na República Federal da Alemanha (Leben – BRD), de Harun Farocki. Alemanha Ocidental, 1990. Documentário. 83’. Em DCP. Legendas em português. Classificação indicativa 14 anos. Sessão com parceria institucional do Goethe-Institut Rio de Janeiro

QUA 31 JUL . 16h30
10 anos sem Harun Farocki. SESSÃO CURTAS OFICINA FAROCKI.

QUA 31 JUL . 18h30
10 anos sem Harun Farocki. Saída dos operários da fábrica (Arbeiter verlassen die Fabrik), de Harun Farocki. Alemanha, 1995. Documentário. 36’ + Imagens da prisão (Gefängnisbildser), de Harun Farocki. Alemanha, 2001. Documentário. 80’. Em DCP. Legendas em português. Classificação indicativa 14 anos. Sessão comentada por Fernanda Bruno. Sessão com parceria institucional do Goethe-Institut Rio de Janeiro.

PROGRAMAÇÃO ONLINE

Programação gratuita: www.vimeo.com/channels/cinematecadomam

TER 2 a SEG 8 JUL
Cinemateca do MAM apresenta. Incelência para um trem de ferro, de Vladimir Carvalho. Brasil, 1972. Documentário. 25’. + A Pedra da riqueza: ou a peleja do sertanejo para desencantar a pedra que foi parar na lua com a nave dos astronautas, de Vladimir Carvalho. Brasil, 1976. Documentário. 16’. Classificação indicativa livre. Com apoio do CTAV, instituição de salvaguarda e preservação de obras cinematográficas e audiovisuais brasileiras.

TER 9 a SEG 15 JUL
Cinema brasileiro contemporâneo. Para Berta, com amor, de Bianca França. Brasil, 2021-2023. Documentário. 48’. Classificação indicativa livre.

SEG 15 JUL . 16h (YouTube e Facebook)
Conversa sobre Para Berta, com amor e o centenário de Berta Ribeiro. Com a participação de Bianca França, Marco Antônio Gonçalves, Renato Athias e Olivia Maria Gonçalves. Mediação de Ana Coutinho.

TER 16 a SEG 22 JUL
Curta do mês. Ideograma, de Julio Bressane e Rodrigo Lima. Brasil, 2023. Filme-ensaio. 9’. Classificação indicativa 12 anos.

QUI 18 JUL . 16h (YouTube e Facebook)
Conversa sobre Ideograma, com Julio Bressane e Rodrigo Lima.

QUI 25 JUL . 16h
Conversa sobre Sylvio Lanna.

Informações: [email protected]