6 de maio de 2020

Este mês | Meses anteriores | A seguir

AGOSTO 2021

MOSTRA DIAS COM VIVIANE
Até QUI 5 AGO

Viviane Ferreira é uma importante referência do audiovisual negro brasileiro. Autora de curtas, médias metragens de ficção ou documentais, videoclipes e outros formatos, Ferreira foi a segunda mulher negra a dirigir um longa-metragem no Brasil. Além de cineasta e advogada, Ferreira é ativista e uma liderança na produção independente brasileira. Criou e assumiu a presidência da APAN – Associação de Profissionais do Audiovisual Negro e, em 2021, assumiu a direção da SPCine, distribuidora da prefeitura de São Paulo.

ATÉ QUI 5 AGO
Programa 5. Pessoas – contar para viver de Marcelo Machado, Marco Del Fiol, Pedro Cezer, Tatiana Toffoli e Viviane Ferreira. Brasil, 2019. Documentário. 86’. Classificação indicativa 10 anos

2ª MOSTRA PETROBRAS DE FILMES PARA CRIANÇAS
DOM 1 – DOM 15 AGO

A Cinemateca do MAM apresenta a segunda edição da Mostra Petrobras de filmes para crianças. Com curadoria de Marcelo Marão, a mostra inclui 9 animações brasileiras voltadas para o público infantil, divididas em duas sessões. Uma homenagem será prestada ao animador Sandro Lopes, que faleceu em abril de 2021. A mostra conta ainda com três lives: duas com os criadores e outra sobre a arte de Sandro Lopes, reunindo diversos de seus parceiros e de colaboradores que acompanharam de perto seu percurso criativo. O projeto faz parte do Petrobras Cultural para Crianças.

Programa 1. Calango lengo de Fernando Miller. Brasil, 2008. Animação. 10’. Classificação indicativa livre. + Macacada de Thomas Larson. Brasil, 2016. Animação. 4’. + Josué e o pé de macaxeira de Diogo Viegas. Brasil, 2014. Animação. 12’+ Diário de areia, de Sarah Carvalho. Brasil, 2017. Animação. 6’. Classificação indicativa livre + Por que o coração bate rápido? de Simon Pedro Brethé e Débora D’ávila (03 min, MG, 2019)

Programa 2. Quando a chuva vem? de Jefferson Batista. Brasil, 2019. Animação 8’ + Mariquinha no mundo da imaginação de Tina Xavier (10 min, MS, 2019) + Vento viajante de Analúcia Godoi. Brasil, 2020. Animação. 7’ + Muda de Isabella Pannain. Brasil, 2021. Animação. 07. Classificação indicativa livre

Programa 3. Homenagem a Sandro Lopes. Se essa rua… de Sandro Lopes. Brasil, 2008. 2’50”. (CONFIRMAR) + Nana & Nilo e os animais, segmentos: Baião no cerrado, 2’50”, O jongo do Tongo, 2’40”, Nice no maxixe, 2’30”, Na ponta do pé, 2’20”, Águia-cinzenta do Pampa, 2’50”, Tuca no carimbo, 1’35”, Tobo, o boto vermelho, 2’30”, Tatá e o luau no pantanal, 2’30” de Sandro Lopes. Brasil, 2016. + Nana & Nilo e o tempo de brincar de Sandro Lopes. Brasil, 2015. 14’. + Nana & Nilo em dia de sol e chuva de Sandro Lopes. Brasil, 2019. 5’. + Nana & Nilo na Cidade Verde de Sandro Lopes. Brasil, 2020. 10’22’’ + Tirinhas Animadas Nana & Nilo: Episódio 1 – Um encontro de princesas de Sandro Lopes, Brasil, 2017, 0’43” + Tirinhas Animadas Nana & Nilo: Episódio 2 – Pensando no futuro de Sandro Lopes, Brasil, 2017, 0’48” + Tirinhas Animadas Nana & Nilo: Episódio 3 – Alegria do Jongo de Sandro Lopes, Brasil, 2017, 0’58” + Nanã e o jardim da vida de Sandro Lopes e Flávia Lopes. Brasil, 2021. Live Action e animação. 12’. + Ossain e o axé da folha de Sandro Lopes e Flávia Lopes. Brasil, 2021. Live Action e animação.  18’. Classificação indicativa livre 

Debates:

QUI 5 AGO (YouTube e Facebook MAM Rio)
16h. Debate 1. Com Thomas Larson, Duda Larson, Sarah Carvalho, Simon Pedro Brethé e Débora D’ávila. Mediação Marcelo Marão

TER 10 AGO (YouTube e Facebook MAM Rio)
16h. Debate 2. Com Jefferson Batista, Tina Xavier, Analúcia Godoi e Isabella Pannain. Mediação Marcelo Marão

QUI 12 AGO (YouTube e Facebook MAM Rio)
16h. Debate 3. A arte de Sandro Lopes.

DOBRA – Festival Internacional de Cinema Experimental

Preparando a programação da sétima edição do festival DOBRA – Festival Internacional de Cinema Experimental, apresentamos um encontro com a equipe do projeto, quando serão apresentados os filmes selecionados, bem como as mostras preparadas por curadores convidados. 

Pelo segundo ano consecutivo, o DOBRA acontece de forma online, e a programação estará disponível no site do festival entre os dias 6 de setembro e 3 de outubro de 2021.

SEG 16 AGO (YouTube e Facebook MAM Rio)
16h. Live de apresentação VII DOBRA. Com a participação de Cristiana Miranda (Diretora e curadora do festival). Mediação Domi Valansi (MAM Rio)

CINESUL – VIAGENS E FRONTEIRAS

Programação gratuita em http://festivalcinesul.art.br.
DOM 22 – DOM 29 AGO 

O Cinesul é, desde sua criação há 20 anos, o espaço de exibição do cinema independente ibero-americano na cidade do Rio. Em agosto, a Mostra Viagens e Fronteiras marca a reestreia do Cinesul de uma forma diferente: online, proporcionando ao seu público mais uma vez a oportunidade de conhecer a cinematografia do Brasil e de seus vizinhos. A mostra Cinesul – Viagens e Fronteiras tem curadoria de Claudia Durán.

DOM 22 – SEG 23 AGO (Filme de abertura. Disponível por 24h)
Liberdade é uma grande palavra de Guillermo Rocamora. Uruguai e Brasil, 2018. Documentário. 73’. Classificação indicativa 12 anos

SEG 23 – DOM 29 AGO
Nossas histórias no muro: mulheres e arte na fronteira Brasil-Venezuela de Benjamim Mast e Adriana Duarte. Brasil, 2019. Documentário. 6’. Classificação indicativa livre

As estátuas de Fortaleza de Fabien Guillermont e Natália Albuquerque. Brasil, 2019. Documentário. 89’. Classificação indicativa livre

Alaska de Pedro Novaes. Brasil, 2019. Com Bella Carrijo, Rafael Sieg, Antonio Zayek, José Ronaldo Machado, Ananias Derval. 71’. Classificação indicativa 14 anos

Estradas em fevereiro (Rutas en Febrero). Direção: Katherine Jerkovic. 2018. Com Arlen Aguayo Stewart, Gloria Demassi, Mathías Perdigón, Cecila Baranda, Rafael Soliwoda. 84’ Classificação indicativa 14 anos

Altiplanos de Nayra Antezana. Chile, 2018. Documentário. 33’. Classificação indicativa livre

Pantanal sem fronteira de Tiago Pereira. Brasil, 2019. Documentário 33’. Classificação indicativa livre

Dias de inverno (Días de invierno) de Jaiziel Hernández. México, 2020. 90’. Classificação indicativa 12 anos

Porto escondido (Puerto escondido) de Gabriela Paz Ybarnegaray. Bolívia, 2020. Documentário. 76’. Classificação indicativa livre

Pureza de Renato Barbieri. Brasil, 2019. Com Dira Paes e Flávio Bauraqui. 101’. Classificação indicativa 14 anos. (Acesso através de inscrição em formulário)

Extratos de Sinai Sganzerla. Brasil, 2019. Documentário. 8’. Classificação indicativa 10 anos 

Bogotá Experimental. Programa Imagem da memória. Felicidade agridoce (Felicidad agridulce) de David Walls. Paraguai, 2019. 9’. + Além do mar (Más allá del mar) de Vania Quevedo. México, 2018. 5’50. + Kopacabana de Marcos Bonisson e Khalil Charif. Brasil, 2019. 9’37’’. + Capela do Diabo (Capilla del Diablo) de Nicolás de Bórtoli. Argentina, 2020. Experimental. 8’11. + Temos tudo (We Have Everything) de Francisca Villela. Chile e Alemanha, 2020. 4’56’’ + Cartões postais (Postales) de Paula Andrea Malagón Martínez. Colômbia, 2020. 5’18’’. + Uma andorinha atrás do arame farpado (Una folondrina tras la alambrada) de Santiago Aldunate. Colômbia, 2017. 15’27’’. Classificação indicativa 14 anos

Bogotá Experimental. Programa Viagens para dentro de si.  Escafandro (Escafandra) de Mariana Jiménez Vélez e Nelson Mauricio Vásquez Gómez. Colômbia, 2019. 8’11’. + Diluído (Diluido) de Isabella Londoño. Colômbia, 2019. 5’52’’. + Meu eco, minha sombra e eu (My Echo, My Shadow), and Me de Roger Deutsch. Hungria, 2019. 7’56’’. + Jhatum de Natalia Amaya. Colômbia, 2019. 15’27’’. + Quando acordei (Kada se probudimé) de Goran Nježić. Croácia, 2020. 8’8’’. Sincronicidade (Synchronicity) de Jacalyn Evone. Reino Unido, 2018. 13’47”. + Sou (Soy) de Daniela Goto Uehara. Peru, 2020. 5’3’’. + Naufrágio (Naufragio) de Juan Walker. Colômbia, 2020. 4’42’’. + Dia 420 de quarentena (Día 420 Cuarentena) de Germán Marín e Jessica Cruz. Colômbia, 2020. 2’42’’ + Etéreo (Etéreo) de Brenda Joana Arreola Hernandez. México, 2018. 3min. 8s. + Mare de Guille Vázquez. Espanha, 2020. 7’48’’. + Canto do macho ancião (fragmento) (Canto del macho anciano (fragmento)) de Cristián Tàpies e Roberto Oyarzún Susñar. Chile e Argentina, 2018. 9’32’’. Classificação indicativa 14 anos

SEG 23 – TER 24 AGO (Filme disponível por 24h)
A fronteira (La frontera) de David David. Colômbia, 2019. Com Daylin Vega Moreno, Sheila Monterola, Nelson Camayo, Alejandro Aguilar, Yull Núñez. 90’. Classificação indicativa 14 anos

SEG 23 – QUA 25 AGO (Filme disponível por 48h)
Edna de Eryk Rocha. Brasil, 2021. Documentário. 64’. Classificação indicativa 12 anos

SEG 23 – QUI 26 AGO (Filme disponível por 72h)
Chaco de Diego Mondaca. Bolívia e Argentina, 2020. 80’. Classificação indicativa 14 anos

DOM 29 AGO (Filme de encerramento. Disponível por 24h)
King Kong en Asunción de Camilo Cavalcante. Brasil, 2020. 90’. Classificação indicativa 14 anos.

DEBATES

DOM 22 AGO (YouTube e Facebook MAM Rio)

18h. Cinesul – Viagens e Fronteiras. Abertura. Com a participação de Claudia Durán (curadora), Fabian Nuñez (UFF), Tunico Amancio (UFF), Hugo Gamarra (Crítico. Paraguai). Mediação José Quental 

QUA 25 AGO (YouTube e Facebook MAM Rio)
18h. Cinesul – Viagens e Fronteiras. Abertura. Encontro com realizadores. Com a participação de Nayra Antezana. Eryk Rocha, Gabriela Paz Ybarnegaray e Renato Barbieri. Mediação Claudia Durán

DOM 29 AGO (YouTube e Facebook MAM Rio)
18h. Cinesul – Viagens e Fronteiras. Encerramento. Com a participação de Camilo Cavalcante, Fabian Nuñez (UFF). Mediação Claudia Durán 

RETROSPECTIVA DUAS MARIOLA
DE 23 AGO – 16 SET

Duas Mariola Filmes é uma produtora carioca fundada em 2006 por ex-alunos egressos do curso de cinema da Universidade Federal Fluminense. Destaca-se por uma filmografia que compreende cerca de 20 títulos, entre longas, médias e curtas metragens, em sua maioria exibidos e premiados nos grandes festivais internacionais e brasileiros como Cannes, Berlim, Rotterdam, Brasília, Gramado e Tiradentes. Promotora de experimentações de linguagens, de hibridismos técnicos e formais, e do formato de coprodução internacional, a produção da Duas Mariola Filmes será apresentada em seis programas duplos reunindo alguns dos principais filmes da produtora.

SEG 23 – SEX 27 AGO
Programa 1. O nome dele (o Clóvis) de Felipe Bragança e Marina Meliande. Brasil, 2004. Com Sandro Ribeiro, Camila Monteiro e Robert Pacheco. 15’. Classificação indicativa 12 anos + A alegria de Felipe Bragança e Marina Meliande. Brasil, 2010. Com Tainá Medina, Junior Moura, Flora Dias. 100’. Classificação indicativa 14 anos

SAB 28 AGO – QUA 1 SET

Programa 2. Jonas e a baleia de Felipe Bragança. Brasil 2006. Com Alberto Junior, Ingrid Conte e Gabriel Moura. 20’. Classificação indicativa 12 anos. + Não devore meu coração. Brasil, 2017. Com Cauã Reymond, Eduardo Macedo, Adeli Gonzales e Zahy Guajajara. 106’. Classificação indicativa 14 anos

QUI 2 – SEG 6 SET

Programa 3. Por dentro de uma gota d’água de Felipe Bragança e Marina Meliande. Brasil, 2003. Com Emanuel Cavalcanti. 10’. Classificação indicativa 10 anos 

QUI 2 – SEX 3 SET (Filme disponível por 24h)

Mormaço de Marina Meliande. Brasil, 2018. Com Marina Provenzzano, Pedro Gracindo, Analu Prestes, Igor Angelkorte. 90’. Classificação indicativa 14 anos

TER 7 – SAB 11 SET 

Programa 4.  Fuja dos meus olhos (Escape From My Eyes) de Felipe Bragança. Brasil e Alemanha, 2015. Com Chamseddine Maiga, Eliassou, Abidal Bance, Teophil Nöel Koukou. 34’. Classificação indicativa 12 anos. + A morte de J.P. Cuenca de João Paulo Cuenca. Brasil, 2015. Com João Paulo Cuenca, Ana Flavia Cavalcanti, Leonilce Torato. 90’. Classificação indicativa 18 anos

DOM 12 – QUI 16 SET

Coisas nossas de Daniel Caetano. Brasil, 2013. Com Carol Pucu, João Pedro Zappa, Samuel Toledo. 10’. Classificação indicativa 14 anos + Conceição – autor bom é autor morto de André Sampaio, Cynthia Sims, Daniel Caetano, Guilherme Sarmiento, Samantha Ribeiro. Brasil, 2007.  78’. Classificação indicativa 18 anos

SEX 17 – TER 21 SET

Programa 6. O mundo de um filme de Clara Linhart, Camila Maroja e Daniel Caetano. Brasil, 2010. Documentário. 49’. Classificação indicativa 10 anos. + Verão em Rildas de Daniel Caetano. Brasil, 2018. Com Alice Gorman, Matheus De Martini, Tamiris Eusébio de Souza. 70’. Classificação indicativa 18 anos

DEBATE

SEX 10 SET (YouTube e Facebook MAM Rio)

18h Retrospectiva Duas Mariola. Encontro com Daniel Caetano, Felipe Bragança e Marina Meliande. Mediação: Hernani Heffner

PROJETO: OUVINDO HISTÓRIAS

Em agosto, seguimos apresentando o projeto Ouvindo Histórias. Depoimentos sobre a Cinemateca do MAM, um projeto de história oral que vem recolhendo falas de diversos colaboradores que, ao longo das últimas seis décadas e meia, participaram da história da Cinemateca do Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro. 

TER 17 AGO (vimeo.com/showcase/ouvindohistorias)

18h. Lançamento da quinta entrevista do projeto Ouvindo Histórias. Depoimento de Lótus, que foi secretária do MAM Rio e companheira de Cosme Alves Netto. 

TER 31 AGO (vimeo.com/showcase/ouvindohistorias)

18h. Lançamento da sexta entrevista do projeto Ouvindo Histórias. Depoimento de João Luiz Vieira, professor da UFF e antigo diretor da Cinemateca.

CICLO VEREDAS DO PATRIMÔNIO AUDIOVISUAL

Em agosto, o projeto Veredas do patrimônio audiovisual destaca uma das ações da UCLA Film & Television Archive, segunda maior instituição de preservação audiovisual dos Estados Unidos, o Outfest Legacy Collection. Trata-se de uma pioneira iniciativa de identificação, reunião e restauração da filmografia nacional LGBTQIA+ produzida entre os anos 1960 e 1990. 

Exibiremos o filme Diferente dos outros (Anders als die Andern) de 1919, considerado o primeiro filme voltado para o público gay que hoje só existe como fragmento restaurado pela UCLA Film & Television. Além do filme, apresentaremos  uma conferência de May HaDuong, criadora do projeto e atual diretora geral do arquivo e da preservacionista audiovisual Jillian M. Borders.

O projeto Veredas do Patrimônio Audiovisual é patrocinado pela Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro, Secretaria Municipal de Cultura, pela Concremat, H.I.G. Capital, Guelt Investimentos, por meio da Lei Municipal de Incentivo à Cultura – Lei do ISS.

SEX 27 AGO – DOM 29 AGO
Diferente dos outros (Anders als die Andern) de Richard Oswald. Alemanha, 1919. Com Conrad Veidt, Fritz Schulz e Reinhold Schünzel. 55’. Sessão com acompanhamento musical de Cliff Retallick. Legendas em portugês. Classificação indicativa 12 anos

SEG 30 AGO (Gravado)
Conferência de May Hong HaDuong e Jillian M. Borders sobre o projeto Outfest UCLA Legacy Project. Mediação José Quental (Em inglês com legendas em português)

JULHO 2021

DIAS COM VIVIANE
Mostra dedicada a uma cineasta fundamental para o audiovisual brasileiro. Autora de curtas, médias metragens de ficção e documentais, videoclipes e outros formatos, Viviane Ferreira foi a segunda mulher negra a dirigir um longa-metragem no Brasil. Além de cineasta e advogada, Ferreira é ativista e uma liderança na produção independente brasileira. Criou e assumiu a presidência da APAN – Associação de Profissionais do Audiovisual Negro e, em 2021, assumiu a direção da SPCine, distribuidora da prefeitura de São Paulo. 

SEX 2 – QUI 8 JUL
PROGRAMA 1. Dê sua ideia, debata de Viviane Ferreira. Brasil, 2008. Documentário. 28’. Classificação indicativa livre. + Mumbi7Cenas Pós Burkina de Viviane Ferreira. Brasil, 2010. Com Maria Gol. 7’. Classificação indicativa livre

SEX 9 – QUI 15 JUL
PROGRAMA 2. D’origem africana de Viviane Ferreira. Brasil, 2013. Videoclipe . 4’40’’ + Amor ao rap de Viviane Ferreira. Brasil, 2012. Videoclipe. 4’40’’ + Carroceiro de Viviane Ferreira. Brasil, 2013. Videoclipe. 3’53’’ + Amigo também pode de Viviane Ferreira. Brasil, 2012. Videoclipe. 4’41’’ + O dia de Jerusa de Viviane Ferreira. Brasil, 2014. Com Léa Garcia e Débora Marçal. 20’. Classificação indicativa livre

SEX 16 – QUI 22 JUL
PROGRAMA 3. Peregrinação, de Viviane Ferreira. Brasil, 2014. Documentário. 50’ Classificação indicativa: 10 anos

SEX 23 – QUI 29 JUL
PROGRAMA 4. Sambailando, de Viviane Ferreira. Brasil, 2012. Documentário. 50’ Classificação indicativa: 10 anos.

SEX 30 – QUI 5 AGO
PROGRAMA 5. Pessoas – contar para viver de Marcelo Machado, Marco Del Fiol, Pedro Cezer, Tatiana Toffoli e Viviane Ferreira. Brasil, 2019. Documentário. 86’. Classificação indicativa: 10 anos

DEBATE

SEX 16 JUL, às 16h (YouTube e Facebook)
Conversa com Viviane Ferreira. Mediação Izabel Melo.

MOSTRA RIO DESAPARECIDO

QUI 15 – DOM 25 JUL
Como parte da programação do Congresso Mundial de Arquitetura – UIA 2021, a Cinemateca do MAM apresenta, em parceria com a RioMemórias, a mostra Rio desaparecido. A mostra é composta por três filmes: duas obras contemporâneas e outra realizada há cem anos que retratam o traçado urbanístico, além de outros aspectos do cotidiano da cidade do Rio de Janeiro. São elas O desmonte do monte, de Sinai Sganzerla, Crônica da demolição, de Eduardo Ades, e Nos souverains au Brèsil, filme realizado pelo Serviço Cinematográfico do exército belga em 1920 por ocasião da visita ao Brasil do Rei Alberto 1o da Bélgica. Este filme foi digitalizado a partir dos nitratos originais especialmente para a mostra em parceria com a Cinémathèque Royale de Belgique, instituição que conserva os materiais do filme.

QUI 15 – DOM 25 JUL

PROGRAMA 1. Nossos soberanos no Brasil (Nos souverains au Brèsil) do Service Cinématographique de l’Armée belge. Bélgica, 1920. Documentário.

PROGRAMA  2 . O desmonte do monte de Sinai Sganzerla. Brasil, 2018. Documentário. 85’. Classificação indicativa 10 anos

PROGRAMA 3. Crônica da demolição de Eduardo Ades. Brasil, 2015. Documentário. 90’. Classificação indicativa livre

DEBATES

SEG 19 JUL, às 18h (YouTube e Facebook do MAM Rio)
Debate em torno do filme Nossos soberanos no Brasil (Nos souverains au Brésil). Com a participação de Heloisa Starling, Frederico Coelho e Luiz Fernando Janot. Mediação Hernani Heffner 

TER 20 JUL, às 18h (YouTube e Facebook do MAM Rio)
Debate em torno do filme Crônica da demolição. Com a participação de Eduardo Ades, Antônio Edmilson Martins e Nireu Cavalcanti. Mediação Livia Baião

QUA 21 JUL, às 18h (YouTube e Facebook MAM Rio)
Debate em torno do filme O desmonte do monte. Com a participação de Sinai Sganzerla, Evelyn Furquim Werneck Lima, Ceça Guimaraens. Mediação José Quental

_

CICLO VEREDAS DO PATRIMÔNIO AUDIOVISUAL

26 JUL – 10 AGO
Em julho, o projeto é dedicado ao trabalho da própria Cinemateca do MAM, celebrando  o 66° aniversário da sua fundação, bem como a inauguração do novo Centro de Conservação José Carlos Avellar. 

O foco da programação fica no acervo fílmico de José Carlos Avellar, jornalista, crítico, ensaísta e professor que trabalhou na instituição e a dirigiu no biênio 1991/92. Avellar exerceu grande influência sobre os estudos de cinema no Brasil e na América Latina e realizou inúmeros filmes como diretor de fotografia. Juntamente com os filmes de Avellar, um debate discute o pensamento de Avellar e marca simbolicamente a inauguração do novo centro de conservação da Cinemateca.

O projeto Veredas do Patrimônio Audiovisual é patrocinado pela Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro, Secretaria Municipal de Cultura, pela Concremat, H.I.G. Capital, Guelt Investimentos, por meio da Lei Municipal de Incentivo à Cultura – Lei do ISS.

SEX 30 JUL – DOM 1 AGO
Coleção José Carlos Avellar. Clementina de Jesus, de José Carlos Avellar. Brasil, 1972-1978. + Enterro do estudante Edson Luís, de José Carlos Avellar. Brasil, 1968. 10’. Classificação indicativa livre 

DEBATE

SEX 30 JUL, às 16h (YouTube e Facebook do MAM Rio)
José Carlos Avellar: trajetória, memória, acervo. Com a participação de Carlos Alberto Mattos, Pedro Bucher e Cláudia Duarte. Mediação Fábio Vellozo 

_

PROJETO: OUVINDO HISTÓRIAS

Em julho, seguimos apresentando o projeto Ouvindo Histórias. Depoimentos sobre a Cinemateca do MAM, um projeto de história oral que vem recolhendo falas de diversos colaboradores que, ao longo das últimas seis décadas e meia, participaram da história da Cinemateca do Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro. 

TER 13 JUL, às 18h (https://vimeo.com/showcase/ouvindohistorias)
Lançamento da terceira entrevista do projeto. Depoimentos sobre a Cinemateca do MAM. Depoimento de Juçara Palmeira, que foi arquivista da Cinemateca do MAM. 

TER 27 JUL, às 18h (www.vimeo.com/showcase/ouvindohistorias)
Lançamento da quarta entrevista do projeto. Depoimento de Lucila Avelar, que trabalhou como secretária de Cosme Alves Netto na Cinemateca do MAM.

_

ECRÃ – FESTIVAL DE EXPERIMENTAÇÕES AUDIOVISUAIS

Parte da quinta edição de Ecrã – Festival de Experimentações Audiovisuais que, de forma pioneira, incorpora a sua extensa programação, uma seleção de jogos eletrônicos. Em diálogo com esta proposta que busca trazer os games como parte desse universo audiovisual, a Cinemateca do MAM promove uma reflexão sobre o lugar dessas produções como bens culturais e a importância de sua preservação. A programação da quinta edição do festival pode ser acompanhada neste link https://www.festivalecra.com.br/

DEBATE 
SAB 24 JUL, às 20h (YouTube MAM Rio e YouTube Ecrã)
Jogos eletrônicos, patrimônio audiovisual? Com a participação de Rafael  Zamorano, Rian Rezende e Thays Pantuza. Mediação Ines Aisengart Menezes. 

JUNHO 2021

ALLAN RIBEIRO 20 ANOS DE CINEMA

SEX 4 JUN – QUI 10 JUN 
Programa 5. Allan Ribeiro 20 anos de cinema. Mais do que eu possa me reconhecer de Allan Ribeiro. Brasil, 2015. Documentário. Com Darel Valença Lins. 72′. Classificação indicativa livre.

A COR NO CINEMA: INCURSÕES E RELAÇÕES
Estabelecendo um diálogo com a exposição Fayga Ostrower: formações do avesso, a mostra A cor no cinema: incursões e relações toma como ponto de partida o pensamento cromático da artista plástica para revisitar de forma pontual o uso tecnológico, estético, político e cultural da cor na composição visual dos filmes desde o final do século XIX até a atualidade.

QUA 2 JUN – TER 8 JUN
Programa 3- Bicromatismo. A vítima do mar (The Toll of the Sea) de Chester M. Franklyn. Estados Unidos, 1922. Com Anna May Wong e Kenneth Harlan. 53’. Silencioso. Legendas em português. Classificação indicativa livre + A morte cansada (Der müde Tod) de Fritz Lang. Alemanha, 1921. Com Lil Dagover, Walter Janssen, Bernhard Goetzke e Rudolf Klein-Rogge. 105. Silencioso. Legendas em português. Classificação indicativa 14 anos + Moby Dick de John Huston. Reino Unido, 1956. Com Gregory Peck, Richard Basehart, Leo Genn e Orson Welles. 116’. Legendas em português. Classificação indicativa: 10 anos

QUI 3 JUN – 20h (Sessão única) 
O assassinato de Jesse James pelo covarde Robert Ford (The Assassination of Jesse James by the Coward Robert Ford) de Andrew Dominik Estados Unidos, 2007. Com Brad Pitt, Casey Affleck, Mary-Louise Parker e Sam Shepard. 160’. Classificação indicativa 14 anos. Exibição em virtual screening room. Inscrição três dias antes em www.mam.rio/cinemateca.

QUA 9 JUN – TER 15 JUN
Programa 4 – Tricromatismo. As aventuras de Tom Sawyer (The Adventures of Tom Sawyer) de Norman Taurog. Estados Unidos, 1938. Com Tommy Kelly, Jackie Moran, Ann Gillis. 91’. Legendas em português. Classificação indicativa: 10 anos + Sol alegria de Tavinho Teixeira. Brasil, 2018. Com Mariah Teixeira, Jonas Medeiros, Mauro Soares, Tavinho Teixeira. Classificação indicativa: 18 anos

QUA 16 JUN – QUI 17 JUN (disponível por 24 horas)
Ida (Ida) de Pawel Pawlikovski.Polônia e Dinamarca, 2013. Com Agata Kulesza, Agata Trzebuchowska e Dawid Ogrodnik. 80’. Legendas em português. Classificação indicativa 14 anos .

QUA 16 JUN – TER 22 JUN
Programa 5 – Acromatismo. Nosferatu (Nosferatu, eine Symphonie des Grauens) de F. W. Murnau. Alemanha, 1922. Versão Grupo Domo, a partir de cópia do MoMA. Com Max Schreck, Gustav von Wangenheim e Greta Schröder.  Trilha musical de Bernardo Uzeda e Eduardo Agni. 80’. Legendas em português. Classificação indicativa: 12 anos. + Cores de Francisco Garcia. Brasil, 2012. Com Acauã Sol,  Simone Iliescu, Pedro di Pietro e Tonico Pereira. 95’. Classificação indicativa: 14 anos.

RETROSPECTIVA JULIA MURAT

Seguindo a apresentação do trabalho de autores e autoras que construíram suas obras nas duas primeiras décadas do século XXI, a Cinemateca do MAM apresenta o trabalho da cineasta Júlia Murat. Murat pode ser incluída no chamado Novíssimo Cinema brasileiro, termo que reúne uma nova geração de realizadores que começou a ganhar repercussão e prêmios nos principais festivais nacionais e internacionais no início da década de 10. No caso de Júlia Murat, esse reconhecimento vem com seu primeiro longa-metragem ficcional, Histórias que só existem quando lembradas (2011). Iniciou seu trabalho mais próximo do campo das artes plásticas, com curtas e instalações de vídeo-arte na primeira década dos anos 2000. Desempenhou diversas funções na produção de filmes, tendo trabalhado com cineastas consagrados como Ruy Guerra e Lúcia Murat, mas também de novos realizadores. Embora sua atuação não se limite ao papel de diretora, a presente retrospectiva se concentra em suas obras mais autorais. Em 5 programas apresentamos 10 filmes de curta e longa-metragem, ficções, documentários e instalações, alguns realizados em co-direção.

SEX 11 JUN – QUI 17 JUN
Programa 1. A velha, o canto, as fotos de Julia Murat. Brasil, 2001. 7′. + Cinetismo luminoso de Carlos Alberto Murad, Julia Murat e Leonardo Ventapane. Brasil, 2002. 3′. + Movimento intrínseco de Carlos Alberto Murad, Julia Murat e Leonardo Ventapane. Brasil, 2002, 3′ + Desvelar de Julia Murat. Brasil, 2003. Instalação. 4′ + Ausência de Julia Murat e Valentina Homem. Brasil, 2004. Com Fernanda Bond e Renato Linhares. 8’ + Pendular de Julia Murat. Brasil, 2009. Com Leo Corajo e Tereza Fournier. 12’. Classificação indicativa: 14 anos

SEX 18 JUN – QUI 24 JUN
Programa 2. Dia dos pais de Julia Murat e Leo Bittencourt. Brasil, 2008. Documentário. 73’. Classificação indicativa: 12 anos

TER 22 JUN – SEG 28 JUN
Programa 3. Operações de Garantia da Lei e da Ordem de Julia Murat e Miguel Antunes Ramos. Brasil, 2017. Documentário. 80’. Classificação indicativa: 14 anos

SEX 25 JUN – QUI 01 JUL
Programa 4. Histórias que só existem quando lembradas de Juúlia Murat. Brasil, 2011. Com Sonia Guedes, Luiz Serra, Lisa Fávero e Ricardo Merkin. 98’ .Classificação indicativa: 10 anos

TER 29 JUN – QUA 30 JUN (disponível por 24 horas)
Programa 5. Pendular de Julia Murat. Brasil, 2017. Com Raquel Karro. Rodrigo Bolzan, Neto Machado e Valéria Barreto. 108’. Classificação indicativa: 16 anos

DEBATE
TER 29 JUN, às 16h ( ao vivo via Youtube e Facebook)
Caminhos e processos: conversa com Julia Murat. Com a participação de Julia Murat. Mediação:  Nina Tedesco

V SEMANA NACIONAL DE ARQUIVOS
PROJETO OUVINDO HISTÓRIAS – DEPOIMENTOS SOBRE A CINEMATECA DO MAM
Organização: Juliana Mendes e José Quental

Entre os dias 7 e 11 de junho, acontece a V Semana Nacional de Arquivos, promovida pelo Arquivo Nacional. Este ano, Empoderando Arquivos é o tema central do evento e, como parte da programação,  apresentamos o projeto Ouvindo Histórias – Depoimentos sobre a Cinemateca do MAM. Trata-se de um projeto de história oral que vem recolhendo depoimentos de diversos colaboradores que ao longo das últimas seis décadas e meia participaram da história da Cinemateca do Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro. Os entrevistados e entrevistadas são pessoas que fizeram parte dessa história: pesquisadores, programadores, professores, arquivistas, cineastas, funcionários da Cinemateca e do MAM e voluntários. Por meio do registro audiovisual desses depoimentos, busca-se construir parte da história da Cinemateca. Durante a V Semana Nacional de Arquivos, será apresentada a primeira entrevista com o cineasta Walter Lima Jr. e, em seguida, quinzenalmente serão disponibilizados novos depoimentos no em: vimeo.com/showcase/ouvindohistorias. Além disso, durante o evento, será registrada uma entrevista, ao vivo, com o diretor Cacá Diegues e serão realizadas duas mesas de discussão. 

TER 08 JUN, às 16h (via Youtube e Facebook)
A participação em um programa de história oral: a importância do testemunho. Com participação de José Roberto e Walter Lima Jr. Mediação: José Quental. 

TER 08 JUN, às 18h 
Lançamento da primeira entrevista do projeto ouvindo histórias. Depoimento de Walter Lima Jr. (vimeo.com/showcase/ouvindohistorias)

QUA 9 JUN, às 16h (via Youtube e Facebook)
Entrevista com Cacá Diegues. Com participação de, Hernani Heffner, José Quental e  Juliana Maia.

QUI 10 JUN, às 16h (via Youtube e Facebook)
História oral e patrimônio audiovisual: construindo a memória institucional. Com a participação de Carlos Eduardo Marconi (Arquivo Nacional) e Luciana Heymann (COC/Fiocruz) Mediação: Juliana Maia.

TRÊS DÉCADAS BRASILEIRAS PELA CINEFILIA 
Curadoria: Bruna Toscano e Pedro Lovallo

Quais os melhores filmes brasileiros dos últimos trinta anos? A mostra Três décadas brasileiras pela cinefilia se estrutura a partir de uma ampla lista, organizada pelo crítico Pedro Lovallo e  elaborada a partir da contribuição de mais de 150 cinéfilos e entusiastas da arte cinematográfica.  A proposta foi pedir uma lista de vinte filmes favoritos a das décadas de 1990, 2000 e 2010 para este amplo grupo. A partir dessa lista, que inclui filmes de todos os países, selecionamos os filmes brasileiros que se destacavam. A programação traz os três mais bem votados filmes brasileiros de cada década, totalizando nove obras seminais da filmografia nacional.

Anos 90

SEG 7 JUN – DOM 13 JUN 
Alma corsária de Carlos Reichenbach. Brasil, 1993. Com Bertrand Duarte e Jandir Ferrari. 112’. Classificação indicativa: 16 anos + O vigilante de Ozualdo Candeias. Brasil, 1992. Com Walter Carlos, Rogério Costa e Bárbara Fázio. 80’. Classificação indicativa: 16 anos + O viajante de Paulo César Saraceni. Brasil, 1999. Com Marília Pêra, Jairo Mattos, Leandra Leal, Nelson Dantas. 118’. Classificação indicativa: 14 anos

Anos 00

SEG 14 JUN – DOM 20 JUN 
O signo do caos de Rogério Sganzerla. Brasil, 2003. Com Eduardo Cabús, Guaracy Rodrigues, Helena Ignez. 80’. Classificação indicativa livre 

SEG 14 JUN – TER 15 JUN (disponível por 24 horas)
Jogo de cena
 de Eduardo Coutinho. Brasil, 2007. Documentário. 105’. Classificação indicativa livre 

SEG 14 JUN – TER 16 JUN (disponível por 48 horas)
Falsa loura de Carlos Reichenbach

Anos 10

SEG 21 JUN – DOM 27 JUN 
Garoto de Júlio Bressane. Brasil, 2015. Com Marjorie Estiano, Gabriel Leone, Josie Antello. 76’ Classificação indicativa livre + Frente fria que a chuva traz de Neville D’Almeida. Brasil, 2015. Ficção. Classificação indicativa 16 anos.

Já visto jamais visto de Andrea Tonacci. Brasil, 2014. Documentário. Classificação indicativa livre.
Assista em: https://www.looke.com.br/filmes/ja-visto-jamais-visto.

MAIO 2021

CINEMATECA ONLINE
Programação gratuita em www.vimeo.com/channels/cinematecadomam

CENTENÁRIO DE ZEQUINHA MAURO (leia mais)
Em maio chega ao final a mostra em homenagem a Zequinha Mauro. Neste mês serão apresentadas duas sessões. A primeira com curtas, entre eles o clássico A velha a fiar. A segunda sessão é composta de filmes caseiros da família Mauro, digitalizados especialmente para a mostra. Finalizando a homenagem temos um encontro para celebrar a memória de Zequinha a partir das lembranças de diversos amigos que conviveram com ele ao longo da vida.

SEG 3 MAI – DOM 9 MAI 
Centenário de Zequinha Mauro. Programa 7.  A Velha a fiar de Humberto Mauro. Brasil, 1964. 6’. Classificação indicativa Livre. O João de Barro de Humberto Mauro. Brasil, 1956. 22 minutos +  Congonhas do Campo de Humberto Mauro. Brasil, 1957. Documentário. 16’. + Construções Rurais de Humberto Mauro. Brasil, 1956. 11’. Classificação indicativa livre

SEG 10 MAI – DOM 16 MAI
Centenário de Zequinha Mauro. Programa 8. [Chegada de Humberto Mauro do Festival de Veneza no porto do Rio de Janeiro]. Brasil, [19xx]. 3’. + [Festa da Primavera – Volta Grande – MG – 1949]. Brasil, 1949. 11’. + [Inauguração da av. Cineasta Humberto Mauro, em Volta Grande/MG – 1975). Brasil, 1975. 4’. Classificação indicativa livre

NEVILLE 80  (leia mais)
Neville D’Almeida é um dos cineastas mais singulares do cinema moderno brasileiro. Tendo iniciado sua carreira na década de 1960, construiu ao longo das décadas uma obra cinematográfica de muitas faces e que atravessa diversos movimentos e caminhos do cinema brasileiro. Em Neville 80, a Cinemateca do MAM vai apresentar sete longas-metragens de Neville D’Almeida e realizar um debate, buscando revisitar seu cinema e contextualizando sua obra. 

SAB 1 MAI – DOM 15 MAI
Assista em www.vimeo.com/showcase/neville80

Programa 1. Jardim de Guerra de Neville D’Almeida. Brasil, 1968. 100′. Classificação indicativa 18 anos

Programa 2. A Dama do Lotação de Neville D’Almeida. Brasil, 1978. 90′. Classificação indicativa 16 anos

Programa 3. Os sete gatinhos de Neville D’Almeida. Brasil, 1980. 109′. Classificação indicativa 16 anos

Programa 4. Rio babilônia de Neville D’Almeida. Brasil, 1982. 115′. Classificação indicativa 16 anos

Programa 5. Matou a família e foi ao cinema de Neville D’Almeida. Brasil, 1991. 86′ Classificação indicativa 16 anos. 

Programa 6. Navalha na carne de Neville D’Almeida  Brasil, 1997. 105′. Classificação indicativa 16 anos

Programa 7. A frente fria que a chuva traz de Neville D’Almeida. Brasil, 2015. 80′  Classificação indicativa 16 anos

Programa 8. Boa noite Cinderela de Neville D’Almeida. Brasil, 2010. Com Ana Tavares e Otávio III. 18’. Classificação 18 anos.

Programa 9. Redenção de Joaquim Haickel e Neville D’Almeida. Brasil, 2017. Com Daya Ananias. 15’.  Classificação 18 anos

Programa 10. A Voz do Provocador. Parte 1. Os artísticos de Neville D’Almeida. Brasil, [s/d].  Com Antônio Abujamra. 4’ + O Provocador. Internacionalização da Amazônia de Neville D’Almeida. Brasil, [s/d].  5’+ O Diário de Jane Joy. Episódio: Receita de sedução de Neville D’Almeida. Brasil, [s/d]. 1’20’’. + O Diário de Jane Joy. Episódio: Calcinha de Neville D’Almeida. Brasil, [s/d]]. 2’. + A água, a mulher e o regador de Neville D’Almeida. Brasil, [20xx]. Com Ana Tavares. 6’. Classificação 18 anos.

MOSTRA TRÊS ÁGUAS OS FILMES DE EVERLANE MORAES E LARA SOUZA (leia mais)
A mostra busca destacar o diálogo e a parceria de duas jovens cineastas negras. Everlane Moraes, brasileira, e Lara Souza, moçambicana, se conheceram no curso de cinema da Escuela Internacional de Cine y Televisión (EICTV), em Cuba, e estabeleceram uma troca cinematográfica que vem se ampliando. 

TER 4 MAI – SEG 10 MAI 

Sessão 1. Pattaki de Everlane Moraes. Cuba, 2018. Documentário. 21′. + La santa cena de Everlane Moraes. Cuba, 2015. Documentário. 13’31’’. + Aurora de Everlane Moraes. Cuba, 2018. Documentário. 15’. Classificação indicativa 12 anos.+ Caixa d’água: qui-lombo é esse? de Everlane Moraes. Brasil, 2013. Documentário. 15’

Sessão 2. Kalunga de Lara Sousa. Cuba, 2018. Documentário. 22’. + Fim (Fin) de Lara Sousa. Cuba, 2018. 15’.Documentário. 15. +  A quinta do medo de Lara Sousa. Cuba, 2017. Documentário. 14’.  Machimbo – o homem novo (Machimbrao – el hombre nuevo) de Lara Sousa. Cuba, 2016. Documentário. 13’30’’.

DEBATE 
QUI 6 MAI (ao vivo youtube e facebook MAM) 
14h Mostra três águas. Os filmes de Everlane Moraes e Lara Souza. Debate com as realizadoras Lara Sousa e Everlane Moraes. Mediação Keyna Eleison

ALLAN RIBEIRO 20 ANOS DE CINEMA (leia mais)
Retrospectiva dedicada ao realizador Allan Ribeiro, nome incontornável do cinema independente brasileiro do século 21. A mostra se divide em cinco programas que apresentam o percurso cinematográfico do cineasta, desde os primeiros filmes até seu mais recente longa-metragem. Serão apresentados 14 filmes do diretor que segue produzindo e está terminando seu terceiro longa-metragem, O dia da posse.

SEX 7 MAI – QUI 13 MAI
Programa 1 – “Universitários”. O brilho dos meus olhos de Allan Ribeiro. Brasil, 2006. Com Marcelo Dias, Dona Antônia, Zezé Veneno. 11’. Classificação indicativa livre. + Desconforto de Allan Ribeiro. Brasil, 2001. 1’. Classificação indicativa 12 anos. + Boca a boca de Allan Ribeiro. Brasil, 2003. Com Dal Ribeiro, Antônio Carlos Guerreiro, Ângela Weiner. 17’. Classificação indicativa 10 anos. + Papo de botequim de Allan Ribeiro. Brasil, 2004. Documentário. 20’. Classificação indicativa 12 anos.

SEX 14 MAI – QUI 20 MAI 
Programa 2 – “Em casa”. Com vista para o céu de Allan Ribeiro. Brasil, 2011. Com Marcelo Dias e Adriana Calcanhotto. 10’. Classificação indicativa Livre + Ensaio de cinema de Allan Ribeiro. Brasil, 2009. Com Gatto Larsen e Rubens Barbot. 15’. Classificação indicativa Livre + Depois das nove de Allan Ribeiro. Brasil, 2008. Com Rafael Primo e Selma Lopes. 15’. Classificação indicativa 12 anos. + A dama do Peixoto de Allan Ribeiro e Douglas Soares. Brasil, 2011. Documentário. 11’. Classificação indicativa Livre

SEX 21 MAI – QUI 27 MAI 
Programa 3 – “Retratos e Encontros”. O quebra-cabeça de Sara de Allan Ribeiro. Brasil, 2017. Documentário. 10’30’’. Classificação indicativa 12 anos. + Darel e Raskólnikov de Allan Ribeiro. Brasil, 2019. Documentário. 14’. Classificação indicativa Livre. + O clube de Allan Ribeiro. Brasil, 2014. Com Elaine Parker, Sophya Monroe, Patrícia San Lorran. 17’30’’. Classificação indicativa 12 anos. + O canto do homem de Allan Ribeiro. Brasil, 2013. Com Marcello Taurino. 4’. Classificação indicativa Livre.

SEX 28 MAI – QUI 3 JUN 
Programa 4. Esse amor que nos consome de Allan Ribeiro. Brasil, 2012. Com Gatto Larsen, Rubens Barbot. 80′. Classificação indicativa 12 anos.

SEX 4 JUN – QUI 10 JUN 
Programa 5. Mais do que eu possa me reconhecer de Allan Ribeiro. Brasil, 2015. Documentário. Com Darel Valença Lins. 72′. Classificação indicativa Livre.

DEBATE
SEX 21 MAI (Youtube e Facebook MAM)
16h – Encontro com Allan Ribeiro. Com Allan Ribeiro, João Luiz Vieira e Mariana Baltar. Medicação José Quental

SAÚDE E AMBIENTE  DOCUMENTÁRIO COMO FORMA DE EXPRESSÃO E DEBATE
A Cinemateca do MAM, em parceria com a VideoSaúde Distribuidora da Fiocruz, apresenta sessão especial com dois documentários que buscam pensar a relação entre saúde e ambiente. As obras de Tiago Carvalho e Beto Novaes expressam a importância da preservação ambiental, novas formas de relação com a terra e o solo, participação coletiva e o controle de agrotóxicos como fatores fundamentais de promoção da saúde. O evento celebra também o aniversário da Fundação Oswaldo Cruz e integra a programação do Núcleo de Estudos Audiovisual e Saúde (Neavs) da VideoSaúde\Icict\Fiocruz.

TER 25 MAI – SEG 31 MAI
Chapada do Apodi, morte e vida de Tiago Carvalho. Brasil, 2013. Documentário. 27’40’’. + O diagnóstico de Beto Novaes. Brasil, 2019. Documentário. 45’. Classificação indicativa livre. 

DEBATE
SEX 28 MAI (ao vivo pelo Facebook e Youtube do MAM)
16h – Debate com os diretores Tiago Carvalho e Beto Novaes, e Wagner Oliveira, coordenador do Selo Fiocruz Vídeo. Mediação José Quental

INTERNATIONAL URANIUM FILM FESTIVAL 2021 
Único festival anual de filmes que destaca as questões nucleares e radioativas: a cadeia do combustível nuclear, a mineração de urânio, as bombas atômicas, as usinas nucleares, os resíduos nucleares e os acidentes nucleares: de Hiroshima a Fukushima. O primeiro International Uranium Film Festival foi realizado em maio de 2011, no Rio de Janeiro. Desde então, tornou-se um evento global com exibições ao redor do mundo.

20 – 30 MAI
Confira a programação completa.
Assista em www.vimeo.com/showcase/uranium2021

DEBATES

QUI 20 MAI (Youtube e Facebook do MAM)
19h – Abertura do festival. Conversa com os  sobreviventes da bomba atômica de Hiroshima Takashi Morita (que será representado por André Loula), Kunihiko Bonkohara. Com a participação de Akira Kawasaki, coordenador do Peace Boat – organização civil japonesa de fomento à paz mundial. Mediação Márcia de Oliveira.

SEG 24 MAI (Youtube e Facebook do MAM)
16h – Conversa com o embaixador Sérgio Duarte. Participação de Cristian Ricardo Wittmann.  Mediação Márcia de Oliveira e Norbert Suchanek.

90 ANOS DE LIMITE HOMENAGEM A SAULO PEREIRA DE MELLO 

Em 17 de maio de 1931 era apresentado publicamente pela primeira vez o mítico filme de Mário Peixoto, Limite. O filme se tornou um clássico do cinema brasileiro e um marco incontornável do cinema experimental de vanguarda. Para lembrar os 90 anos daquela primeira sessão e saudar a memória de Saulo Pereira de Mello, incansável defensor e protetor de Limite e responsável por sua existência, a Cinemateca do MAM promove a exibição do filme em seu canal online e promove uma série de debates e conversas em torno do filme.

SEG 17 MAI – DOM 23 MAI
Limite de Mário Peixoto. Brasil, 1931. Com Olga Breno, Taciana Rey e Raul Schnoor. 120’. Classificação indicativa Livre

SEG 17 MAI (24h) 
/lost+found, ep. 1 – Saulo Pereira de Mello de Rafael Saar. Brasil, 2021. Com Saulo Pereira de Mello, Ayla Pereira de Mello, Joaquim Pedro de Andrade, Mário Peixoto, Ruy Solberg e Walter Salles. 30’. Série inédita, em finalização, episódio em work-in-progress. Classificação Livre

DEBATES

SEG 17 MAI
19h – Em memória de Saulo Pereira de Mello. Conversa com Filipi Fernandes e Walter Salles. Mediação Hernani Heffner. (Youtube e Facebook do MAM) 

TER 18 MAI
16h – Saulo e Limite. Debate com Alex Vasquez, Luciana Corrêa de Araújo e Rafael Saar. Mediação: José Quental. (Youtube e Facebook do MAM) 

QUA 19 MAI 
19h – Masterclass de Denilson Lopes. 90 anos esta noite. Uma leitura da exibição de limite em 17 de maio de 1931. Mediação de Hernani Heffner (Youtube e Facebook do MAM) 

A COR NO CINEMA: INCURSÕES E RELAÇÕES
19 MAI – 20 JUN

Programa 1 – Monocromatismo
QUA 19 – TER 23 MAI

Blue (Blue) de Derek Jarman. Reino Unido, 1993. Experimental. 79’. Legendas em português. Classificação indicativa 14 anos

O Ébrio de Gilda de Abreu. Brasil, 1946. Com Vicente Celestino, Alice Archambeau, Rodolfo Arena. (Versão sepiada). 131’. Classificação indicativa livre.

Nosferatu – Uma sinfonia do horror (Nosferatu, Eine Symphonie des Grauens) de Friedrich Wilhelm Murnau. Alemanha, 1922. Com Max Schreck, Gustav von Wangenheim, Greta Schröder e Alexander Granach. 88’. Silencioso. Legendas em português. Classificação indicativa 14 anos.

Programa 2 – Policromatismo
Seleção de filmes de Secondo de Chomón (filmes pintados à mão, stencil e cinemacoloris).
QUA 26 MAI – TER 1 JUN

Uma noite terrível (La nuit épouvantable) de Segundo de Chomón. França, 1905. 2’20” + O teatro de Bob (Le théâtre de Bob) de Segundo de Chomón. França, 1906. 5’20”+ As rosas mágicas (Les roses magiques) de Segundo de Chomón. França, 1906. 2’53” + Aladdin e a lâmpada maravilhosa (Aladin ou la lampe merveilleuse) de Albert Capellani. França, 1906. 15’11” + As chamas diabólicas (Les flammes diaboliques) de Segundo de Chomón. França, 1907. 4’06”+ Os ovos de Páscoa (Les oeufs de Pâques) de Segundo de Chomón. França, 1907. 3’20” + O besouro de ouro (Le scarabée d’or) de Segundo de Chomón. França, 1907. 2’12” + A diversão de Satã (Le spectre rouge) de Ferdinand Zecca e Segundo de Chomón. França, 1907. 3’54” + Excursão à Lua (Excursion dans la Lune) de Segundo de Chomón. França, 1908. 7’03” + Blocos mágicos (Les blocs magiques) de Segundo de Chomón. França, 1908. 3’51” + Uma nova maneira de viajar (Voyage original) de Segundo de Chomón. França, 1908. 5’31” + Borboletas japonesas (Les papillons japonais) de Segundo de Chomón. França, 1908. 4’33” + A bela adormecida (La belle au bois dormant) de Albert caperllani e Lucien Nonguet. França, 1908. 14’28” + Viagem a Júpiter (Le voyage sur Jupiter) de Segundo de Chomón. França, 1909. 8’27” + Viagem a Burgos (Viaje a Burgos) de Giuseppe de Liguoro e Segundo de Chomón. Espanha/Itália, 1911. 4’13” + Superstição andaluza (Superstition andalouse) de Segundo de Chomón. Espanha/França, 1912.  10’14”

Seleção de filmes de George Méliès (pintado à mão)

O castelo assombrado (Le château hanté) de Georges Méliès. França, 1897. 47”. + A dança do fogo (La danse du feu) de Georges Méliès. França, 1897. 1’07”+ Joana d’Arc (Jeanne d’Arc) de Georges Méliès. França, 1900. 11’32” + Viagem à Lua (Le voyage dans la lune) de Georges Méliès. França, 1902. 12’59” + O reino das fadas (le royaume des fées) de Georges Méliès. França, 1903. 16’44”+ Viagem através do impossível (Le voyage a travers l’impossible) de Georges Méliès. França, 1904. 20’26” + O palácio das mil e uma noites (Les palais des mille et une nuits) de Georges Méliès. França, 1905. 20’58”.

Cyrano de Bergerac de Augusto Genina. Itália e França, 1923. Com Pierre Magnier, Linda Moglia e Angelo Ferrari. 117’. Silencioso. Legendas em português. Classificação indicativa. livre

VEREDAS DO PATRIMÔNIO AUDIOVISUAL
O projeto Veredas do patrimônio audiovisual destaca em maio a Cinemateca Pernambucana. Criada em 2018, é uma das mais recentes entidades de guarda da memória audiovisual brasileira. No seio de sua fundação está a Coleção Geneton Moraes Neto, jornalista e cineasta falecido em 2016, que na década de 1970 foi um dos principais nomes do movimento do Super-8 do Recife. Apresentaremos dois programas com a quase totalidade das obras realizadas por Geneton, tanto em Super 8 quanto em outras bitolas. O programa se completa com uma conversa com Ana Farache e Paulo Cunha, respectivamente coordenadora geral e coordenador acadêmico da Cinemateca Pernambucana. Veredas do patrimônio audiovisual é um projeto patrocinado pela Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro, Secretaria Municipal de Cultura, pela Concremat, H.I.G. Capital e Guelt Investimentos, por meio da Lei Municipal de Incentivo à Cultura – Lei do ISS.

SEX 28 MAI – DOM 30 MAI 
Programa 1.Mudez Mutante de Geneton Moraes Neto. Brasil, 1973. Com Lele Almeida e João Coelho. Experimental. 7’.  Classificação indicativa livre + Conteúdo Zero, um Filme para Desentendidos de Geneton Moraes Neto. Brasil, 1973/1974. Experimental. 14’. Classificação indicativa livre + Isso é Que é de Geneton Moraes Neto. Brasil, 1974. Com Camilo Brollo, Nara Lúcia, Salette Allievi, Wilson Urquiza, José de Arimatéa, Juliana Cuentro, Machado Freire e Silvana Hiluey. Experimental. 6’. Classificação indicativa livre + Fabulário Tropical de Geneton Moraes Neto. Brasil, 1979. Experimental. 6’. Classificação indicativa livre. + Funeral para a Década das Brancas Nuvens de Geneton Moraes Neto. Brasil, 1979. Experimental. 10’. Classificação indicativa 14 anos + A Esperança é um animal nômade de Geneton Moraes Neto. Brasil, 1981. Documentário. Com Iracema Cunha, Elizabeth Passi, Fernando Correia, Rafael Vildeuil. Experimental. 9’. Classificação indicativa livre + Loja dos Trapos do Coração de Geneton Moraes Neto. Brasil, 1982. Experimental. 10’. Classificação indicativa livre + Gilbertianas Brasileiras de Geneton Moraes Neto. Brasil, 1983. Experimental. 25’. Classificação indicativa Livre + O Coração do Cinema de Geneton Moraes Neto e Paulo Cunha. Brasil, 1983. Experimental. 18’. Classificação indicativa livre

Programa 2. Esses onze ai de Geneton Moraes Neto e Paulo Cunha. Brasil, 1978. Documentário. 10’. Classificação indicativa Livre. + A Flor do Lácio é vadia de Geneton Moraes Neto. Brasil, 1978. Documentário. 6’. Classificação indicativa livre + America Morena 1 de Geneton Moraes Neto. Brasil, 1977. Documentário. 12’. Classificação indicativa livre + America Morena 2 de Geneton Moraes Neto. Brasil, 1977. Documentário. 20’. Classificação indicativa livre + Corinthians Coração de Geneton Moraes Neto. Brasil, 1977. Documentário. 8’. Classificação indicativa livre + Verão, Veredas de Geneton Moraes Neto. Brasil,1976.  Documentário. 14’. Classificação indicativa livre + Quando JK de Geneton Moraes Neto. Brasil, 1977. Documentário. 11’. Classificação indicativa livre + Dr Francisco de Geneton Moraes Neto. Brasil, 1981-1984. Documentário. 16’. Classificação indicativa livre

SEG 31 MAI (ao vivo pelo Youtube e Facebook)
16h – Conferência de Ana Farache e Paulo Cunha sobre a coleção Geneton Moraes Neto e o trabalho da Cinemateca Pernambucana. Mediação José Quental. 

ABRIL 2021

CINEMATECA ONLINE
Programação gratuita em www.vimeo.com/channels/cinematecadomam

VEREDAS DO PATRIMÔNIO AUDIOVISUAL
Em abril, Veredas do patrimônio audiovisual focaliza este mês as vanguardas cinematográficas e apresenta uma obra daquele que é considerado o primeiro crítico de cinema da história, Louis Delluc (1890-1924). Cineasta, crítico, escritor e animador cultural, Delluc é possivelmente o criador do termo “cineclube”. Figura central da vanguarda do cinema francês do período silencioso ao lado de nomes como Germaine Dulac e Jean Epstein, em 1922 Delluc realiza La femme de nulle part aquele que seria considerado seu principal e mais bem sucedido filme. A valorização e conservação de sua obra está diretamente ligada ao empenho de Henri Langlois, fundador da Cinemateca Francesa.

E vem justamente da Cinemateca Francesa a cópia restaurada que apresentamos deste filme que é, até onde pudemos levantar, inédito no Brasil. Acompanhando a apresentação do filme haverá conferência da Cinemateca Francesa sobre o trabalho por trás da plataforma de difusão online da instituição, batizada, justamente em homenagem a seu fundador, Henri. Veredas do patrimônio audiovisual é um projeto patrocinado pela Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro, Secretaria Municipal de Cultura, pela Concremat, H.I.G. Capital e Guelt Investimentos, por meio da Lei Municipal de Incentivo à Cultura – Lei do ISS. 

DOM 4 – DOM 12 ABR
Mulheres fazem cinema: um novo filme de estrada através do cinema (Women Make Film: A New Road Movie Through Cinema) de Mark Cousins. Grã-Bretanha, 2019. Série documental. 840’.  Legendas em português. Classificação indicativa: 14 anos

SEX 30 ABR – DOM 2 MAI
A mulher de lugar algum (La Femme de nulle part) de Louis Delluc. França 1922. Versão restaurada. Com Ève Francis, Roger Karl, Gine Avril, André Daven. 66’. Silencioso. Intertítulos em francês. Legendas em português. Classificação indicativa: 12 anos

SEX 30 ABR (gravado)
Conferência de Emilie Cauquy, Nicolas le Thierry e Catherine Hulin sobre Henri, plataforma de vídeo criada pela Cinemateca Francesa durante a pandemia. Mediação José Quental (em francês com legendas em português)

O CINEMA DE RODRIGO DE OLIVEIRA
Retrospectiva dedicada ao cineasta, roteirista, montador e crítico de cinema Rodrigo de Oliveira. Serão apresentados seus três longas e três curtas-metragens realizados entre 2012 e 2019. Rodrigo tem uma trajetória singular como realizador, pois antes de realizar seu primeiro curta, já tinha dois longa-metragens (As horas vulgares, co-dirigido com Vitor Graize e Teobaldo morto, Romeu exilado) que, além de serem exibidos nos circuitos dos festivais, tiveram lançamentos comerciais em diversas cidades do país. Originário de Volta Redonda e radicado na cidade de Vitória (ES), Rodrigo é sócio da produtora Pique Bandeira Filmes que vem se destacando na produção e coprodução de alguns dos filmes mais significativos da produção contemporânea no país, além de realizar um importante trabalho de recuperação da memória audiovisual do Espírito Santo, com o projeto Acervo Capixaba. A retrospectiva faz parte do esforço da Cinemateca do MAM em revisitar e divulgar o cinema brasileiro contemporâneo.

SEX 2 – QUI 8 ABR
As horas vulgares de Rodrigo de Oliveira e Vitor Graize. Brasil, 2012. Com João Gabriel Vasconcellos, Romulo Braga, Tayana Dantas, Sara Antunes, Thaís Simonassi, Julia Lund, Higor Campagnaro, Raphael Sil, Murilo Abreu, Erik Martincues e Abner Nunes. 123’. Classificação indicativa: 16 anos

SEX 9 – QUI 15 ABR
Teobaldo morto, Romeu exilado de Rodrigo de Oliveira. Brasil, 2014. Com Alexandre Cioletti, Rômulo Braga, Sara Antunes, Margareth Galvão e Erik Martíncues. 118’. Classificação indicativa: 16 anos

QUI 15 ABR, às 16h (via Youtube e Facebook)
Debate O cinema de Rodrigo de Oliveira. Com Rodrigo de Oliveira, Lucas Barbi, Rômulo Braga e Luiz Pretti. Mediação: Kênia Freitas.
Assista aqui

SEX 16 – QUI 22 ABR
Eclipse solar de Rodrigo de Oliveira. Brasil, 2016. Com Rejane Arruda, Erik Martíncues, Natália Hubner, Leonardo da Silva e Rômulo Braga. 28’. Classificação indicativa 10 anos. Ano passado eu morri de Rodrigo de Oliveira. Brasil, 2017. Com João Paulo Stein, Rodrigo de Oliveira, Lorena Lima e Isabella Masiero. 25’. Classificação indicativa 12 anos. + Os mais amados de Rodrigo de Oliveira. Brasil, 2019. Com Alberto Contarato, Fagner Soares, Rômulo Braga, Suely Bispo. 28’. Classificação indicativa: 16 anos

Sex 23 – DOM 25 ABR
Todos os Paulos do mundo de Rodrigo de Oliveira e Gustavo Ribeiro . Brasil, 2018. Documentário. 90’. Classificação indicativa: 14 anos.

CENTENÁRIO DE ZEQUINHA MAURO
Filho do pioneiro Humberto Mauro, Zequinha foi um dos mais talentosos e prolíficos fotógrafos de cinema do país. Além de ter uma produção de mais de uma centena de filmes, Zequinha Mauro formou diversas gerações de fotógrafos de cinema no Brasil. Ele também montou e dirigiu filmes produzidos pelo Instituto Nacional de Cinema Educativo. A programação teve início em março e se estenderá até o final de maio.

SEG 29 MAR – DOM 4 ABR
Programa 2. Canções populares (Chuá… Chuá e A casinha pequenina) de Humberto Mauro. Brasil, 1945. Documentário. 7’+ Aboio e cantigas de Humberto Mauro. Brasil, 1954. Documentário. 10’. + Canções populares (Azulão e o Pinhal) de Humberto Mauro. Brasil, 1948. Documentário. 8’ + Cantos de trabalho – Música folclórica brasileira de Humberto Mauro. Brasil, 1955. Documentário. 10’. + Engenhos e usinas – música folclórica brasileira de Humberto Mauro. Brasil, 1955. 8’ + Manhã na Roça: o carro de bois de Humberto Mauro. Brasil, 1956, 8’. Classificação indicativa: livre

SEG 5 – DOM 11 ABR
Programa 3. Alberto Nepomuceno – 1864 – 1920 de Humberto Mauro. Brasil, 1950. Documentário. 12’. + Castro Alves (1847 – 1871) de Humberto Mauro, Brasil, 1948. Documentário.  22’ + Cidade do Rio de Janeiro de Humberto Mauro. Brasil, 1949. Documentário. 32’. Classificação indicativa: livre

SEG 12 – DOM 18 ABR
Programa 4. Festa de São Benedito de José de A. Mauro e Paulo Jorge de Souza. Brasil, 1975. Documentário. 11’. + Festa do Divino Espírito Santo de José de A. Mauro e Paulo Jorge de Souza. Brasil, 1975. 10’. Classificação indicativa: livre

SEG 19 – DOM 25 ABR
Programa 5. Laço de fita: Folclore do Piauí de Paulo Cezar Saraceni, Brasil, 1976. Documentário. 30’. + Conversa com Cascudo de Walter Lima Júnior. Brasil, 1977. Documentário. 8’. + Taim de Lyonel Lucini. Brasil, 1978. Documentário. 31’. Classificação indicativa: livre

SEG 19 ABR, às 16h (ao vivo pelo Youtube e Facebook)
Debate A trajetória de Zequinha Mauro no INCE, INC e Embrafilme. Com Sheila Schvarzman, Carlos Roberto de Souza, Ronaldo Werneck, André Di Mauro. Mediação José Quental

SEG 26 ABR – DOM 2 MAI
Programa 6. Oswaldo Cruz de Jurandyr Passos Noronha. Brasil, 1973.Documentário. 15’. + Cinegrafista de Rondon de Jurandyr Passos Noronha. Brasil, 1979. Documentário.  9’. + Os brasileiros e a conquista do ar de Jurandyr Passos Noronha. Brasil, 1973. 11’. Classificação indicativa: livre

CINEMATECA JÚNIOR
Sessão com dois filmes realizados coletivamente em oficinas de animação conduzidas pela Cinemateca Portuguesa dentro do projeto Cinemateca Júnior. São animações em duas técnicas diferentes, a primeira em stop motion faz uma linda homenagem ao 25 de abril, a chamada Revolução dos Cravos. A  segunda em pintura sobre película gera um filme abstrato cheio de poesia.  Ambas os trabalhos foram criados por crianças e adolescentes em oficinas oferecidas no quadro deste pioneiro projeto. 

DOM 25 ABR – SAB 1 MAI
O Dia da Liberdade, 25 de Abril de Alunos da oficina Técnicas de Cinema de Animação. Portugal, 2014. Animação. 1’. + [Workshop intervenção direta em película 16 mm] de alunos da oficina. Portugal, 2015. Animação. 33’ 37’’. Classificação indicativa: livre

MARÇO 2021

CINEMATECA ONLINE
Programação gratuita em www.vimeo.com/channels/cinematecadomam

A GOTA PRETA FILMES APRESENTA
Últimos dias da mostra de filmes da distribuidora A Gota Preta, ligados ao universo das artes visuais e ao cinema experimental brasileiro, cada vez mais próximos e interconectados.  Os filmes serão incorporados ao acervo da Cinemateca do MAM.

SEX 26 FEV – QUI 4 MAR
Tupinambá lambido de Lucas Parente. Brasil, 2018. Documentário Experimental. 12’. Classificação indicativa: 14 anos + A cristalização de Brasília de Guerreiro do Divino Amor. Brasil, 2019. Experimental/Animação. 7’. Classificação indicativa: 14 anos + O mundo mineral de Guerreiro do Divino Amor. Brasil, 2020. Experimental/Animação. 9’. Classificação indicativa: 14 anos + Calypso de Lucas Parente e Rodrigo Lima. Brasil, 2018. Experimental. 61’. Classificação indicativa: 14 anos.

TRILOGIA FEMINISTA DE VERA DE FIGUEIREDO
Para dar início à homenagem ao Dia Internacional da Mulher, a Cinemateca traz A trilogia feminista de Vera de Figueiredo, com três obras da cineasta, arquiteta e artista plástica Vera de Figueiredo, que dialoga com uma nova agenda de discussões sobre feminismo na qual o corpo e o sexo ganham novas dimensões.

SEG 1 – DOM 14 MAR
Feminino plural de Vera de Figueiredo. Brasil, 1976. Com Adriana Figueiredo, Ângela Figueiredo, Dorinha Durval, Léa Garcia e Kita Xavier. 86’. Classificação indicativa: 14 anos. + Samba da criação do mundo de Vera de Figueiredo. Brasil, 1978. 93’. Classificação indicativa: 14 anos + Amazônia como metáfora de Vera de Figueiredo. Brasil, 1992. Documentário. 52’. Classificação indicativa: 14 anos

SEG 8 MAR (gravado)
A trilogia feminista de Vera de Figueiredo. Conversa com Vera de Figueiredo. Mediação Hernani Heffner

_

VEREDAS DO PATRIMÔNIO AUDIOVISUAL
Projeto patrocinado pela Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro, Secretaria Municipal de Cultura, pela Concremat, H.I.G. Capital e Guelt Investimentos, por meio da Lei Municipal de Incentivo à Cultura – Lei do ISS.

Cinema realizado por mulheres é o foco central do ciclo em março. A premiada série Women Make Films revela a contribuição negligenciada por historiadores, imprensa e indústria quanto ao papel criativo e decisivo na evolução da arte cinematográfica. A série explora dezenas de arquivos fílmicos nos cinco continentes e apresenta o trabalho de 183 diretoras desde o final do século 19 até a atualidade. Teremos ainda uma apresentação de Kate Saccone, coordenadora do The Women Film Pioneers Project (https://wfpp.columbia.edu), projeto que propõe produzir conteúdo sobre centenas de mulheres que trabalham atrás das câmaras no período do cinema silencioso. Duas conversas complementam as programações.

SEG 1 MAR (gravado)Mesa-redonda: A formação de profissionais em preservação na Universidade de Amsterdam e no EYE Filmmuseum. Com a participação de Ines Aisengart Menezes, Bárbara Rangel, Bernardo Bortolotti e Sara Gazini. Mediação José Quental (Cinemateca do MAM).

TER 2 MAR, às 16h (ao vivo pelo Youtube e Facebook)Mesa-redonda: O legado de Máximo Barro. Com a participação de Fernanda Coelho, Arthur Autran e Luciana Rodrigues. Mediação Hernani Heffner.

SEG 29 MAR (gravado em inglês, com legendas)
Conferência de Kate Saccone sobre as origens e conquistas do The Women Film Pioneers Project. Mediação José Quental

FESTIVAL CORPOS DA TERRA
Assista em www.corposdaterra.com.br
A terceira edição do festival apresenta de 5 a 14 de março 16 filmes, entre curtas e longas-metragens, e uma série de debates que procuram pensar o audiovisual como um instrumento de conexão entre diferentes povos e realidades. Com curadoria de Renata Tupinambá, o festival este ano foca a experiência das mulheres indígenas.

SEX 5 – DOM 14 MARFestival Corpos da Terra. Sessão 1. Grande Canto de Michele Perito Concianza. Brasil, 2019. Documentário. 11’. + Mãtãnãg, a Encantada de Shawara Maxakali e Charles Bicalho. Brasil, 2019. Animação. 14’. + Teko Haxy – ser imperfeita de Patrícia Ferreira e Sophia Pinheiro. Brasil, 2018. Documentário. 40’. Legendas em português. Classificação indicativa: livre

Festival Corpos da Terra. Sessão 2. Equilíbrio de Olinda Muniz Silva Wanderley. Brasil, 2020. Documentário. 11’. + Kunhangue – Universo de um Novo Mundo de Graciela Guarani. Brasil, 2020. Documentário. 21’ + Yãmĩyhex: As Mulheres-Espírito de Isael Maxakali, Sueli Maxakali. Brasil,  2020. Documentário 76’. Legendas em português. Classificação indicativa: livre

Festival Corpos da Terra. Sessão 3. Mandayaki e Takino de Yariato e Dadyma Juruna. Brasil, 2020. Documentário. 10’ + Mitos Indígenas em Travessia de Julia Vellutini & Wesley Rodrigues. Brasil, 2019. Animação. 21’. + Yarang Mamin de Kamatxi Ikpeng. Brasil, 2019. Documentário. 21’. + Opy’i Regua de Júlia Gimenes e Sérgio Guidoux. Brasil, 2020. Documentário. 20’. Legendas em português. Classificação indicativa: livre

Festival Corpos da Terra. Sessão 4. Fôlego Vivo da Associação dos Índios Cariris do Poço do Dantas. Brasil, 2021. Documentário. 28’. + O último sonho de Alberto Alvares. Brasil, 2019. Documentário. 60’. Legendas em português. Classificação indicativa: 12 anos

Festival Corpos da Terra. Sessão 5. Os donos da terra em perigo de Flay Guajajara, Edivan dos Santos Guajajara e Erisvan Bone Guajajara. Brasil, 2019. Documentário. 14’. + Nũhũ yãg mũ yõg hãm: essa terra é nossa! de Isael Maxakali, Sueli Maxakali, Carolina Canguçu, Roberto Romero. Brasil, 2020. Documentário. 70’’. Legendas em português. Classificação indicativa: livre

Festival Corpos da Terra. Sessão 6. Apiyemiyekî? de Ana Vaz. Brasil, 2019. Documentário. 27’ + O índio cor de rosa contra a fera invisível: a peleja de Noel Nutels de Tiago Carvalho. Brasil, 2019. Documentário. 80’. Classificação: indicativa livre
_

10 ANOS DO ACIDENTE NUCLEAR DE FUKUSHIMA
Entre 11 e 17 de março, sessão em lembrança dos 10 anos do acidente nuclear em Fukushima. Composta por dois documentários que refletem sobre o acidente e suas consequências, a sessão será acompanhada de um bate-papo com Alphonse Kelecom, do Laboratório de Radiobiologia e Radiometria do Instituto de Biologia da Universidade Federal Fluminense. O programa marca ainda a chamada para o 10º Uranium Film Festival que será realizado com o apoio da Cinemateca do MAM entre 20 e 30 de maio.

QUI 11 – QUA 17 MAR
O senhor de Fukushima (Fukushima No Daimyo) de Alessandro Tesei. Itália, 2014. Documentário, 20’. Legendas em português. Classificação indicativa: 14 anos + Ranga Yogeshwar em Fukushima – a luta do Japão contra a radioatividade (Ranga Yogeshwar in Fukushima – Japans Kampf Gegen Die Radioaktivität) de Reinhart Brüning, Ranga Yogeshwar, Thomas Hallet, Wolfgang Lemme. Alemanha, 2014. Documentário, 45’. Legendas em português. Classificação indicativa: 14 anos.

QUI 11 MAR, às 17h (ao vivo pelo Youtube e Facebook do MAM)
Bate-papo com Alphonse Kelecom, do Laboratório de Radiobiologia e Radiometria do Instituto de Biologia da Universidade Federal Fluminense. Mediação: Márcia Gomes de Oliveira, fundadora e diretora executiva do Uranium Film Festival.

_

RETROSPECTIVA PETRUS CARIRY
Uma retrospectiva quase integral de um dos diretores mais aclamados do cinema brasileiro contemporâneo, o cearense Petrus Cariry. Petrus rodou toda sua produção no Ceará. De forte cunho autoral, domina referências eruditas amplas, alinhando-se a um cinema sensorial contemporâneo e investigando temas caros à contemporaneidade, como na chamada Trilogia da Morte, formada pelos longas realizados antes de O barco.

SEX 5 – QUI 11 MARA velha e o mar de Petrus Cariry. Brasil, 2005. Documentário. 13’. Classificação indicativa: 14 anos + Dos restos e das solidões de Petrus Cariry. Brasil, 2006. Documentário. 13’. + Quando o vento sopra de Petrus Cariry. Brasil, 2008. 18’. Classificação indicativa: 14 anos + A montanha mágica de Petrus Cariry. Brasil, 2009. 13’. Classificação indicativa: 14 anos + O som do tempo de Petrus Cariry. Brasil, 2010. Documentário. 10’. Classificação indicativa: 14 anos

TER 9 – QUI 11 MARO barco de Petrus Cariry. Brasil, 2018. Com Samya de Lavor, Rômulo Braga, Everaldo Pontes, Verônica Cavalcanti e Nanego Lira. 72’. Classificação indicativa 14 anos

SEX 12 – QUI 18 MARO grão de Petrus Cariry. Brasil, 2007. Com Leuda Bandeira, Verônica Cavalcanti. 88’. Classificação indicativa: 12 anos

SEX 19 – QUI 25 MARMãe e filha de Petrus Cariry. Brasil, 2011. Com Zezita de Matos, Juliana Carvalho. 80’. Classificação indicativa: 12 anos

DOM 21 MAR, às 18h (ao vivo pelo Youtube e Facebook)
Conversa com o cineasta Petrus Cariry. Mediação Hernani Heffner. 

TER 23 – QUI 25 MAR
A jangada de Welles de Firmino Holanda e Petrus Cariry. Brasil, 2019. Documentário. 75’. Faixa etária: livre

SEX 26 MAR – QUI 1 ABR
Clarisse ou alguma coisa sobre nós dois de Petrus Cariry. Brasil, 2015. Com . 85’. Classificação indicativa: 16 anos

_

CENTENÁRIO DE ZEQUINHA MAURO
Filho do pioneiro Humberto Mauro, Zequinha foi um dos mais talentosos e prolíficos fotógrafos de cinema do país. Além de ter uma produção de mais de uma centena de filmes, Zequinha Mauro formou diversas gerações de fotógrafos de cinema no Brasil.

SEG 22 – DOM 28 MAR
100 anos de Zequinha Mauro. Programa 1. O canto da saudade: lenda do carreiro de Humberto Mauro. Brasil, 1952. Com Mário Mascarenhas, Cláudia Montenegro e Alfredo Souto de Almeida. 83’. Faixa etária: livre

SEG 22 MAR (com transmissão pelo Youtube e Facebook)16h – Mesa-redonda. O legado de Zequinha Mauro para a fotografia do cinema brasileiro. Com Walter Carvalho, Affonso Beato, Luiz Carlos Saldanha e Bia Mauro. Mediação Mauro Domingues.

SEG 29 MAR – DOM 4 ABR100 anos de Zequinha Mauro. Programa 2. Canções populares (Chuá… Chuá e A casinha pequenina) de Humberto Mauro. Brasil, 1945. Documentário. 7’+ Aboio e cantigas de Humberto Mauro. Brasil, 1954. Documentário. 10’. + Canções populares (Azulão e o Pinhal) de Humberto Mauro. Brasil, 1948. Documentário. 8’ + Cantos de trabalho – Música folclórica brasileira de Humberto Mauro. Brasil, 1955. Documentário. 10’. + Engenhos e usinas – música folclórica brasileira de Humberto Mauro. Brasil,1955. 8’ + Manhã na Roça: o carro de bois de Humberto Mauro. Brasil, 1956, 8’. Faixa etária: livre

FEVEREIRO 2021

CINEMATECA ONLINE
Programação gratuita em www.vimeo.com/channels/cinematecadomam

MULHERES DE LUZ PRÓPRIA (leia mais)
A mostra Mulheres de luz própria, dedicada ao cinema de Helena Ignez, Sinai Sganzerla e Djin Sganzerla, será finalizada em fevereiro, com destaque para a exibição do longa de estreia da última, e uma live em torno do filme.

TER 26 jan – SEG 1 fev
Fakir de Helena Ignez. Brasil, 2019. Documentário. 92’. Classificação indicativa 14 anos

SEX 29 jan – QUI 4 fev
Extratos de Sinai Sganzerla. Brasil, 2019. Documentário. 8’. Classificação indicativa 10 anos + A mulher de luz própria de Sinai Sganzerla. Brasil, 2019. Documentário. 74’. Classificação indicativa 12 anos

SEX 5  – DOM 7 fev
Mulher oceano de Djin Sganzerla. Brasil, Japão, 2020. Com Djin Sganzerla, Kentaro Suyama, Stênio Garcia, Lucélia Santos, Gustavo Falcão, Rafael Zulu, Jandir Ferrari. 99’ Classificação indicativa 14 anos

SEX 5  fev  (Com transmissão pelo Facebook e Youtube do MAM)
16h – Conversa em torno de “Mulher oceano”. Com Djin Sganzerla, Marcus Mello, Duda Kuhnert e Isabel Veiga. Mediação José Quental.




A GOTA PRETA FILMES APRESENTA
A mostra vai reunir dez filmes da distribuidora que serão incorporados ao acervo da Cinemateca. A Gota Preta foi criada por Renato Ranquine em 2016 e reúne filmes ligados ao universo das artes visuais e ao cinema experimental brasileiro, cada vez mais próximos e interconectados.

SEX 12 fev – QUI 18 fev
A Gota Preta Filmes Apresenta. Adeus às coisas de Ian Schuler. Brasil, 2019. Videoarte/Experimental. 16’. Classificação Livre + Bárbara Balaclava de Thiago Martins de Melo. Brasil, 2016. Animação. 14’. Classificação 18 anos + Rasga mortalha de Thiago Martins de Melo. Brasil, 2019. Animação. 14’. Classificação 16 anos + A Noite dos lanches de Ian Schuler. Brasil/Portugal, 2020. Videoarte/Experimental. 9’. Classificação Livre

SEX 19 fev – QUI 25 fev
Estudos superficiais de Gustavo Speridião. Brasil, 2016. Experimental. 36’. Classificação Livre + Time Color de Gustavo Speridião. Brasil/França, 2020. Experimental. 24’ Classificação Livre

SEX 26 fev – QUI 4 mar
Tupinambá lambido
de Lucas Parente. Brasil, 2018. Documentário Experimental. 12’. Classificação 14 anos + A cristalização de Brasília de Guerreiro do Divino Amor. Brasil, 2019. Experimental/Animação. 7’. Classificação 14 anos + O mundo mineral de Guerreiro do Divino Amor. Brasil, 2020. Experimental/Animação. 9’. Classificação 14 anos + Calypso de Lucas Parente e Rodrigo Lima. Brasil, 2018. Experimental. 61’. Classificação 14 anos.

SEG 15 – DOM 28 fev
MOSTRA LADO B DA FAVELA
Uma diversidade de narrativas em torno dos territórios das favelas do Rio de Janeiro em 19 filmes, entre longas e curtas-metragens, realizados ao longo das últimas seis décadas. A mostra tem seis eixos temáticos. Curadoria: Chico Serra.

Confira a programação completa aqui
Assista em: www.vimeo.com/showcase/ladobdafavela
Baixe o catálogo aqui

VEREDAS DO PATRIMÔNIO AUDIOVISUAL (leia mais)
O ciclo Veredas do Patrimônio Audiovisual visa valorizar o patrimônio audiovisual brasileiro e mundial conservado pela Cinemateca do Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro e outras instituições de guarda brasileiras e estrangeiras. O ciclo promove o contato direto com as formas históricas de exibição audiovisual, oferecendo quando possível rigorosas condições de fruição do cinema tal como elas se apresentaram em determinado momento histórico e tecnológico. Isso inclui a possibilidade de assistir as obras do passado também em novos arranjos técnicos e associações criativas. O projeto tem patrocínio da Concremat, H.I.G. Capital, Guelt Investimentos e da Prefeitura do Rio de Janeiro.

26 – 28 FEV
Veredas do patrimônio audiovisual. Homenagem a Máximo Barro. O vigilante de Ozualdo Candeias. Brasil, 1992. Com Walter Carlos, Rogério Costa e Bárbara Fázio. 80’. + Vamos fallá do Norte de Paulo Benedetti. Brasil, 1929. Registro sincronizado a disco da música “Vamos fallá do Norte”, com Bando dos Tangarás (Almirante, Alvinho, João de Barro, Henrique Brito e Noel Rosa), acrescido de um ritmista anônimo. 3’. Classificação indicativa 16 anos.

JANEIRO 2021

CINEMATECA ONLINE
Programação gratuita em www.vimeo.com/channels/cinematecadomam

MULHERES DE LUZ PRÓPRIA
Três diretoras da mesma família vem realizando filmes de grande força e de relevância na produção atual do cinema produzido no Brasil. Helena Ignez, Sinai Sganzerla e Djin Sganzerla. Cada uma à sua maneira, em diferentes chaves temáticas e de gênero, dialogam de forma livre e sólida com as linhas e influências do cinema brasileiro, em particular com a obra de Rogério Sganzerla, pai de Sinai e Djin e companheiro de Helena, morto em janeiro de 2004.

TER 5 – SEG 11 Jan
A reinvenção da rua 
de Helena Ignez. Brasil, 2003, Documentário. 30’, Classificação Indicativa: 12 anos + A miss e o dinossauro de Helena Ignez. Brasil, 2005. Documentário experimental. Versão montada reduzida. 18’. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 10 anos + Poder dos afetos de Helena Ignez. Brasil, 2013. Com Ney Matogrosso, Simone Spoladore, Djin Sganzerla, Dan Nakagawa . 31’. Classificação indicativa 16 anos. + Ossos de Helena Ignez. Brasil, 2014. Com Amanda Freitas, Barbara Vida, Diego Salvador, Helena Ignez, Honório Felix, Leuise Furtado, Luciana Rodrigues, Maria Isabel, Maria Vitoria, Michell Barros, Michelle Gandolphi, Sara Sintique, Thales Luz. 19’. Classificação indicativa 12 anos.

SEX 08 – QUI 14 Jan
Canção de Baal
 de Helena Ignez. Brasil, 2008. Com Carlos Careqa, Beth Goulart, Felipe Kannenberg e Simone Spoladore. 77’. Classificação indicativa: 14 anos

TER 12 – SEG 18 Jan
O desmonte do monte de Sinai Sganzerla. Brasil, 2018. Documentário, 85’. Classificação indicativa 10 anos

SEX 15 – QUI 21 Jan
Luz nas trevas. A volta do Bandido da Luz Vermelha de Helena Ignez e Ícaro C. Martins. Brasil, 2010. Com André Guerreiro Lopes, Arrigo Barnabé, Bruna Lombardi, Djin Sganzerla, Maria Luisa Mendonça, Ney Matogrosso, Sandra Coverloni e Simone Spoladore. 81’. Classificação indicativa 14 anos

TER 19 – SEG 25 Jan
Feio, eu? de Helena Ignez. Brasil, 2013, Documentário, 70’.  Classificação indicativa 16 anos

SEX 22 – QUI 28 Jan
Ralé de Helena Ignez. Brasil, 2015. Com Ney Matogrosso, Simone Spoladore, Djin Sganzerla, Dan Nakagawa, José Celso Martinez, Roberto Alencar, André Guerreiro Lopes, Mário Bortolotto, 73’. Classificação indicativa 14 anos

TER 26 Jan – SEG 01 Fev
Fakir
 de Helena Ignez. Brasil, 2019. Documentário. 92’. Classificação indicativa 14 anos.

QUA 27 (Único dia de exibição)
A moça do calendário
 de Helena Ignez. Brasil, 2017. Com Andre Guerreiro Lopes, Djin Sganzerla e Mario Bortolotto. 86’. Classificação indicativa 14 anos.

SEX 29 Jan – QUI 04 Fev
Extratos de Sinai Sganzerla. Brasil, 2019. Documentário. 8’. Classificação indicativa 10 anos + A mulher de luz própria de Sinai Sganzerla. Brasil, 2019. Documentário. 74’. Classificação indicativa 12 anos

DEBATE
QUA 20 Jan (via Youtube e Facebook–  16h
Mulheres de luz própria, conversa com Helena Ignez, Sinai Sganzerla e Djin Sganzerla. Mediação Ruy Gardnier

SEX 29 Jan – 31 Jan

VEREDAS DO PATRIMÔNIO AUDIOVISUAL (leia mais)
O projeto tem patrocínio da Concremat, H.I.G. Capital, Guelt Investimentos e da Prefeitura do Rio de Janeiro.

A Brilhante Biograph: Primeiras Imagens em Movimento da Europa (1897-1902) (The Brilliant Biograph: Earliest Moving Images of Europe (1897-1902)). 52’. Sessão com acompanhamento musical criado por Daan van den Hurk. + O making of de The Brilliant Biograph (The making of The Brilliant Biograph: Earliest Moving Images of Europe (1897-1902)). Holanda, 2020. Documentário. 8’. Legendas em português. + Santos Dumont: Pré-Cineasta? de Carlos Adriano. Brasil, 2010. Documentário de reapropriação. 63′. Classificação indicativa livre.

DEZEMBRO 2020

Programação online gratuita em www.vimeo.com/mamrio.
Leia sobre a mostra Em torno de Hélio Oiticica.
Apresentação da retrospectiva Alê Abreu.

TER 1 – DOM 6 dez
Brasil, um relato de tortura (Brazil, a report on torture) de Haskell Wexler e Saul Landau. EUA, 1971. Documentário. 60’.Legendas em português. Classificação indicativa 16 anos.
+
Diálogo “Relato de uma denúncia”, com Jom Tob Azulay e Hernani Heffner, estará disponível no Vimeo e Youtube do MAM.

TER 8 – SEG 14 dez
Retrospectiva Alê Abreu (saiba mais). Sírius de Alê Abreu. Brasil, 1993, Animação. 13′ + Espantalho de Alê Abreu. Brasil, 1998. Animação. 10′ + Garoto Cósmico de Alê Abreu. Brasil 2007. Animação. 76′.

TER 15 – SEG  21 dez
Retrospectiva Alê Abreu (saiba mais). Passo de Alê Abreu, 2007, Animação. 4′ + Vivi Viravento (episódio piloto) de Alê Abreu, Brasil, 2009. Animação. 11′ + O Menino e o Mundo de Alê Abreu, 2013. Animação. 80′

SEX 18 – SAB 26 dez
Em torno de Hélio Oiticica (saiba mais). Agripina é Roma-Manhattan de Hélio Oiticica, 1972, super-8, 15’. + Battery Park de Hélio Oiticica. 1971, super-8, 3’. + Héliophonia de Marcos Bonisson. Brasil, 2002.  Experimental, 14’. +  Invenção da Cor de César Oiticica Filho. Brasil, 2008. 7’. Classificação indicativa 16 anos

NOVEMBRO 2020

SEX 6 – QUA 11 nov (Vimeo)
Jardim do Crime de Daniel de Jesus. Brasil, 2020. Com Renato Carrera. 45’. Classificação indicativa 12 anos

Criado e produzido em pleno isolamento social, Jardim do Crime é uma adaptação livre do conto Crimes de Amor do escritor João do Rio. A obra é um passeio pela mente sombria de assassinos que mataram por amor. Interpretados pelo ator Renato Carrera, os assassinos revelam os detalhes de seus atos, movidos pelas loucuras das paixões, a um misterioso narrador durante sua visita à antiga Casa de Detenção. O trabalho apresenta uma linguagem híbrida entre o cinema, teatro e artes visuais. O filme marca a estreia na direção de cinema do diretor de arte, cenógrafo e publicitário Daniel de Jesus.

QUI 12 nov às 17h15 (Youtube)
Debate com transmissão ao vivo com Zelito Viana, Fernando Henrique Cardoso e Hernani Heffner sobre o curta-metragem Choque Cultural e as ideias de Celso Furtado.

Para marcar a sessão especial de “Choque Cultural” e lembrar o centenário de nascimento de Celso Furtado, será realizado um debate entre o diretor Zelito Viana, o ex-presidente da República Fernando Henrique Cardoso e o gerente da Cinemateca do MAM, Hernani Heffner. O debate será transmitido simultaneamente pelas redes sociais do MAM e do Canal Brasil.


QUI 12 às 18h15 – 18 nov (Vimeo)
Choque cultural de
Zelito Viana. Brasil, 1976. Com Celso Furtado. Documentário, 22’. Classificação indicativa Livre.

Em parceria com o Canal Brasil e com a Mapa Filmes, a Cinemateca do MAM apresenta a versão restaurada do filme Choque Cultural, de Zelito Viana. Curta-metragem rodado em 1975, apresenta a visão de cultura do renomado cientista social Celso Furtado, que posteriormente foi ministro da da Cultura do governo Sarney e responsável pela criação da Lei de Incentivo à Cultura. Em diálogo com as idéias de Furtado, Zelito expõe facetas do cotidiano brasileiro que flagram uma sociedade e m processo acelerado de transformação cultural face o contato com a chamada indústria cultural ou criativa, em especial a de origem internacional. O filme foi restaurado em 4K pelo diretor e terá uma exibição especial no Canal Brasil e no canal online Vimeo da Cinemateca do MAM.

SEG 9 – TER 30 nov (Panorâmica Rosemberg)
Panorâmica Rosemberg
Todos os filmes estarão disponíveis no endereço: panoramicarosemberg.art.brLeia a apresentação da mostra.
Veja a programação fílmica e de mesas-redondas


SEX 20 – SEG 29 nov  (
presencial e online)
1666 – Festival Internacional de Cinema 16mm
Sessões ao ar livre nos dias 20 e 21 novTodos os filmes estarão disponíveis no endereço: mundoemfoco.org/1666festival de 22 a 29 novVeja a programação completa.

SEX 20 nov (sessão ao ar livre)

18h – Debate Expressão e Documentação da Cultura Negra Brasileira com Jom Tob Azulay, Djalma Corrêa, Caio Prado e Rodrigo Sousa & Sousa. Mediação: Keyna Eleison

19h – Os doces bárbaros de Jom Tob Azulay [ 1977 . 100’ . Brasil (RJ) . 16mm >> Digital 
Versão digital restaurada em 4K – Sessão de abertura do Festival 1666


SÁB 21 nov
(sessão ao ar livre)

18h30 – Corações a Mil de Jom Tob Azulay (1983), 90’, Brasil (RJ), 16mm >> Digital.

20h – Super 8 Carioca + Filmes de Oficina (Super 8, 16mm e digital). Mais detalhes na programação do Festival 1666.

SEG 23 – SEG 29 nov 
Sessão extra – Jom Tob Azulay – Para além do 16mm

Em complemento a retrospectiva Jom Tob Azulay organizada em parceria com o 1666 – Festival Internacional de Cinema 16mm, apresentamos duas sessões extras com obras que desdobram e complementam aquela experiência realizada em bitola 16 mm. Em dois programas apresentamos oito obras realizadas em diversos suportes, do 35mm ao digital, passando pelos formatos de vídeo analógico. Para Jom Tob Azulay, em particular a produção em suportes de vídeo, mas com desdobramentos para o digital, incorporou um processo de produção que tinha sido implementado pelo 16mm, sendo um desdobramento deste.

Programa 1
Euphrasia de Jom Tob Azulay. Brasil, 1973. Documentário, 9’. + Ilha Grande de Jom Tob Azulay. Brasil, 1981. Documentário. 11’ . + Debret – uma aquarela do Brasil de Jom Tob Azulay brasil, 2000. docudrama. 29’+ Retratos brasileiros: Alberto Cavalcanti de Jom Tob Azulay. Brasil, 2008. 26’.
Classificação indicativa Livre

Programa 2
Pintinho. de Jom Tob Azulay e codireção de Sandra Werneck. Brasil, 1976. Documentário, 12´ + Sant’Anna dos Pescadores de Jom Tob Azulay. Brasil, 1993. Documentário. 17’. + Mais feliz ainda, de Jom Tob Azulay. Brasil, 2000. 6’. + Uns braços (Episódio de 5x Machado) de Jom Tob Azulay. Brasil, 2009. 24’.
Classificação indicativa Livre

SEX 27 nov (gravado e disponibilizado no Vimeo)
Conversa entre Jom Tob Azulay, Lauro Escorel e Fernando Duarte.

DOM 29 nov
19h – O som no 16mm: Os casos de “Doces Bárbaros” e “Corações a mil”. Com Jom Tob Azulay, Carlos de Andrade, Luís Carlos Saldanha e José Luiz Sasso, Marília Alvim com mediação de Joice Scavone.

SEG 30 nov (gravado e disponibilizado no Youtube)
Panorâmica Rosemberg. Conversa com Sindoval Aguiar. Entrevistador Hernani Heffner.

OUTUBRO 2020


Sex 30 out – Sex 06 nov

Retrospectiva Alumbramento
O Último trago de Ricardo Pretti, Pedro Diógenes, Luiz Pretti. Brasil, 2016. Com Mariana Nunes, Ana Luiza Rios, Larissa Siqueira, Demick Lopes, Fernando Piancó. 93’. Classificação indicativa 14 anos  + Flash Happy Society de Guto Parente, 2009. Experimental. 8’. Classificação indicativa Livre  + O Mundo é Belo de Luiz Pretti. Brasil, 2010. Com Themis Memória. Classificação indicativa Livre

TER 8 – DOM 4 out
6o. Dobra – Festival Internacional de Cinema Experimental
.
Consulte a programação detalhada
Leia a apresentação do festival

Sex 02 – Qui 08
Retrospectiva Alumbramento
Espuma e Osso de Guto Parente e Ticiano Monteiro. Brasil, 2007. Com Ticiano Monteiro. 20’. Classificação indicativa 12 anos + Vista Mar de Claugeane Costa, Henrique Leão, Pedro Diógenes, Rodrigo Capistrano, Rubia Mercia, Victor Furtado. Brasil, 2009. Documentário, 12’. Classificação indicativa Livre. + Casa da vovó de Victor de Melo. Brasil, 2008. Documentário. Classificação indicativa Livre + Sábado à noite de Ivo Lopes Araujo. Brasil, 2007. Documentário. Classificação indicativa Livre.

Ter 06 – Seg 12
Homenagem a Sergio Ricardo.
Na Rota do Vento, o cinema na música de Sergio Ricardo de Cavi Borges, Marina Lutfi, Victor Magrath. Brasil, 2019. Documentário. 22’. Classificação indicativa 12 anos.


Sex 09 – Qui 15

Exercícios poéticos. Série Aula SUSpensa de Estudantes da FAETEC, Fundamental Henrique Lage e do Colégio Conselheiro Josino. Brasil, 2020. 5’
+ Retrospectiva Alumbramento.
Perto demais de Rúbia Mércia. Brasil, 2010. 11’ Classificação indicativa Livre + Azul de Themis Memória e Luiz Pretti. Brasil, 2007. Com Themis Memória e Luiz Pretti. 6’. Classificação indicativa Livre + Longa vida ao cinema cearense de Irmãos Pretti. Brasil, 2008. Com Pedro Diógenes, Carol Louise, Mariana Smith, Marco Rudolf, Euzébio Zloccowic, Rodrigo Capistrano, Rúbia Mércia e Hugo Pierot, 11’. Classificação indicativa 12 anos + Cidade desterro de Gláucia Soares. Brasil, 2009. Documentário, 15’. Classificação indicativa 12 anos + A amiga americana de Ricardo Pretti, Ivo Lopes Araújo. Brasil, 2009. Com Paris Leicester, Thais de Campos e Ian Lopes Araújo. 19’ + Meu amigo mineiro de Victor Furtado. Brasil, 2012. Com Gabriel Martins, Victor Furtado, Joana de Paula, Natália Bezerra, Luciana Vieira, Lucas Ribeiro, 23’. Classificação indicativa livre.

Sab 10 – Seg 12
Dia das Crianças na Cinemateca do MAM
A traça Teca de Diego M. Doimo. Brasil, 2002. Animação. 8′. Classificação indicativa livre + Eu queria ser um monstro de Marão. Brasil, 2009. Animação. 8′ Classificação indicativa livre + O primeiro movimento de Érica Valle Brasil, 2003. Animação. 6′. Classificação indicativa livre.

Ter 13 – Seg 19
Guarany – Eu sou o menino do Cinema Paradiso de Aline Castella. Brasil, 2019. Documentário, 16’. Classificação indicativa livre
Misérias e Grandezas de São José do Rio Preto de Raul Ramos. Brasil, 1946-1948. Documentário. 142’. Classificação livre.

Sex 16 – Qui 22
Exercícios poéticos. Série Aula SUSpensa de Estudantes da FAETEC, Fundamental Henrique Lage e do Colégio Conselheiro Josino. Brasil, 2020. 3′

+ Retrospectiva Alumbramento 
As Vezes é Mais Importante Lavar a Pia do Que a Louça ou simplesmente Sabiaguaba de Irmãos Pretti. Brasil, 2006. Com Irmãos Pretti. 21’. Classificação indicativa Livre + Estrada para Ythaca de Guto Parente, Luiz Pretti, Ricardo Pretti, Pedro Diógenes. Brasil, 2010. Com Guto Parente, Luiz Pretti, Pedro Diógenes, Ricardo Pretti, Rodrigo Capistrano, Uirá dos Reis e Ythallo Rodrigues. 70’. Classificação indicativa 12 anos.

Qua 21, às 16h (Ao vivo no Facebook do MAM)
Retrospectiva Alumbramento
Mesa redonda: Estrada para Ythaca dez anos depois – caminhos do Alumbramento. Participantes: Claire Alouche, Francis Vogner dos Reis, Ruy Gardnier, Guto Parente, Luiz Pretti, Ricardo Pretti, Pedro Diógenes. Mediação: José Quental.


Sex 23 – Qui 29
Retrospectiva Alumbramento
As corujas de Fred Benevides. Brasil, 2009. Com Alano de Freitas, Euzebio Zloccowick, Ludovico, Manoel Osdemi. 21’. Classificação indicativa 12 anos + Dizem que os Cães Veem Coisas de Guto Parente. Brasil, 2012. Com Marco Goulart,  Karla Karenina, Guilherme Moreira, Cristina Francescutti, Miguel Filho, Joca Andrade, Rodrigo Fernandes, Tatiana Amorim. 12’. Classificação indicativa Livre + Com os punhos cerrados de Ricardo Pretti, Luiz Pretti, Pedro Diógenes. Brasil, 2014. Com Luiz Pretti, Pedro Diogenes e Ricardo Pretti, Samya de Lavor, Rodrigo Capistrano, Uirá dos Reis, Guto Parente. 74’. Classificação indicativa 14 anos

Ter 27 out – Ter 02 nov
Dia Mundial do Patrimônio audiovisual
Seleção de materiais do Acervo Djalma Corrêa: Música e Cultura Afro-Brasileira.

+ Mesa redonda com a participação de Djalma Corrêa, Cecília de Mendonça e Marco Dreer, Marcos Issa e José Caetano Dable Corrêa. Mediação Hernani Heffner.

Qui 29 Out – Qua 04 nov
Retrospectiva Alumbramento
Sessão especial Medo do Escuro de Ivo Lopes Araújo. Brasil, 2014. Com Jonnata Doll, Nataly Rocha, Solon Ribeiro, Themis Memória, Uirá dos Reis. 62’. Classificação indicativa 12 anos. Sessão com performance musical criada especialmente para a mostra com o grupo Chinfrapala: Diego Maia (Baixo, Synth e Texturas), Tuan Fernandes (Guitarra, Bateria e Texturas) e Pedro Lima (Saxofone, Synth e Ruídos). Masterizado por Lucas Coelho no Atelier Rural.


SETEMBRO 2020

SEX 28 ago – QUI 3 set
Me Cuidem-se! – Um Filme Processo (parte VI) de Bebeto Abrantes e Cavi Borges. Brasil, 2020. Documentário. 20’. Classificação indicativa 12 anos
Pessoas das mais variadas idades, credos, profissões e grupos sociais em rigorosa quarentena. Elas dão depoimentos, gravam cenas em suas casas e rotinas alteradas, fazem lives, tiram selfies, filmam a cidade de suas janelas e nas breves saídas por necessidade, registram as transformações da urbe por conta da pandemia do coronavírus. São com esses relatos/diários de nossos personagens, que está sendo construída a narrativa de ME CUIDEM-SE!, um filme processo.

SEX 4 – QUI 10 set
Anarca Filmes (coletivo LGBTQI+)
Migues de Lorran Dias. Brasil, 2015. Experimental. 3’45’’. Waleska Molotov de Amandla Veludo. Brasil, 2017. Com Jéssica Orquídea de aço. 19’30’’. + Bad Galeto: No Limite da Morte de Amandla Veludo, Def Ex Machina, Lorran Dias. Brasil, 2017. Com Amandla Veludo, Carmen Laveau, Stephanie Abrantes, Walla Capelobo, Def Ex Machina, Slim Soledad e Bianca Kalutor. 12’. Classificação indicativa 18 anos

AGOSTO 2020

Mostra Cinemateca do MAM 65 anos  10 jul – 6 ago
Mostra Petrobras de filmes para crianças 13 jul – 13 ago
Cinema Brasileiro Contemporâneo  7 – 30 ago

SEG 13 jul – QUI 13 ago
sessão 1 | Mostra Petrobras de filmes para crianças
Minutos Lumière de Estudantes da Escola de Cinema CINEAD do CAp UFRJ Nelson Pereira dos Santos. Brasil, 2013-2019. Documentário. 5’30” + Nimbus, o Caçador de Nuvens de Marco Nick. Brasil, 2016. Animação, 16’40”.

SEG 20 jul – QUI 13 ago
sessão 2 | Mostra Petrobras de filmes para crianças
Minutos Lumière de Escolas de Cinema CINEAD de Educação Básica. Brasil, 2013-2019. Documentário, 15′.

SEG 27 jul  – QUI 13 ago
sessão 3 | Mostra Petrobras de filmes para crianças
As Aventuras do Chauá de Alunos da Escola Municipal Santo Antônio do Norte. Brasil, 2016. Animação, 4′. + No Caminho da Escola de Alunos do Projeto Animação Instituto Marlin Azul. Brasil, 2017. Animação, 9’18”. + Space Scape de Bruno Monteiro. Brasil, 2017. Animação, 3’56”. + O Fim da Fila de William Côgo. Brasil, 2016. Animação, 2’47”. + Macacada de Thomas Larson. Brasil, 2016. Animação, 4’05”. + Caminho dos Gigantes de Alois Di Leo. Brasil, 2016. Animação, 11’52”.

SEX 31 jul – QUI 6 ago
sessão 4 | Mostra Cinemateca do MAM 65 anos
Sessão ABPA 2019. Gafieira de Gerson Tavares. Brasil, 1972. 12′ + Creche-Lar de Maria Luiza Aboim. Brasil, 1978. 9′. + Carnaval de Rua – Porto Alegre de Wilkens Filmes Ltda. Brasil, 1959. Documentário 5′. + Pantera Negra de Jô Oliveira. Brasil, 1968. 3′. + Eclipse de Antonio Moreno. Brasil, 1984. 12′.

SEX 7 – QUI 13
Uma questão de fé de Elber Xavier. Brasil, 2020. Documentário, 21’. Classificação indicativa livre
Um dos movimentos religiosos mais tradicionais, o cortejo a Iemanjá é celebrado em todo o Brasil. No Rio de Janeiro, o documentarista Elber Xavier registra detalhes da homenagem, desde o Mercadão de Madureira, local de partida, até a praia de Copacabana. Durante o percurso, especialistas e líderes do movimento contam detalhes históricos e sobre a importância dessa celebração.
Saiba mais

SEX 14 – QUI 20
Animal Indireto de Daniel Lentini. Brasil, 2019. Documentário. 51’. Classificação indicativa livre
Após um ataque de pânico severo, o cineasta Daniel Lentini é diagnosticado com ansiedade e depressão. Com a intenção de usar a arte como um válvula de escape e uma ferramenta terapêutica, ele parte em uma viagem para filmar a realidade do Brasil, de Cuba e do Haiti.

Edna de Edna Toledo. Brasil, 2018. Documentário, 16’. Classificação indicativa livre
Através de objetos ao redor do seu quarto a cineasta dialoga consigo mesma sobre sua história pessoal para combater a fibromialgia.

TER 18 – QUI 27
Sessão especial Recine – Festival Internacional de Cinema de Arquivo
Cacaso na corda bamba de José Joaquim Salles e Ph Souza. Brasil, 2016. Documentário. 88’. Classificação indicativa livre. Filho de uma família rural e destinado a trabalhar com criação de gado, Antonio Carlos de Brito encontrou na poesia um sentido para a vida transformando-se em Cacaso. O artista multifacetado, que incendiou a juventude carioca em aulas e discussões sobre a arte, mudou a poesia brasileira, sendo um dos precursores do movimento marginal. Irônico e perspicaz, Cacaso foi responsável por reunir um grande número de artistas e intelectuais em projetos e parcerias, deixando um indiscutível legado literário e musical.  

SEX 21 – QUI 27
Juliana na cinemateca de Diego Quinderé e Estevão Mabilia Meneguzzo. Brasil, 2017. Documentário. 18’. Classificação indicativa livre
O documentário mostra a cinemateca do MAM no Rio de Janeiro, que conta com um acervo de 80 mil rolos de filmes. Ocupada com a restauração das obras, Juliana lida com a deterioração e os constantes dilemas presentes na preservação de filmes.

Valentina de Estevão Mabilia Meneguzzo e André Felix. Brasil, 2017. Com Gabriela Fabriani, André Emidio, Hernani Heffner, Flavio Migliaccio, Daniel Passi. 16’. Classificação indicativa livre
Valentina precisa tomar uma importante decisão em sua vida enquanto trabalha com preservação de filmes na Cinemateca do Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro.

Julho 2020

SEX 10 – QUI 16 jul 
sessão 1 | Mostra Cinemateca do MAM 65 anos
Tudo por amor ao cinema de Aurélio Michiles. Brasil, 2014. Documentário, 98′.
Saiba mais

SEX 17 – QUI 23 jul
sessão 2 | Mostra Cinemateca do MAM 65 anos
Humberto Mauro de André Di Mauro. Brasil, 2018. Documentário, 90′.
Saiba mais

SEX 24 – QUI 30 jul
sessão 3 | Mostra Cinemateca do MAM 65 anos
Até onde pode chegar um filme de família de Rodolfo Junqueira. Brasil, 2018. Documentário, 75′.
Saiba mais

Março 2020

PS. A programação foi cumprida até 15/3/20, quando teve de ser suspensa pela quarentena de combate à pandemia do Covid-19.

Homenagem a Nelson Rodriguez

Falecido no dia 13 de fevereiro de 2020, Rodriguez foi um personagem fundamental do cinema cubano pós revolução. Montador, roteirista e professor na Escuela Internacional de Cine y Televisión de San Antonio de los Baños (EICTV), trabalhou também durante anos no Instituto Cubano del Arte e Industria Cinematográficos (ICAIC) e contribuiu com algumas das principais obras da cinematografia cubana e do cinema latinoamericano, entre elas Memorias del subdesarrollo (Tomás Gutiérrez Alea, 1968),  Lucía (Humberto Solás, 1968) e El outro Francisco (Sergio Giral, 1974). A Cinemateca do MAM presta uma pequena homenagem a essa grande figura do cinema cubando e latino-americano.

dom 01

15h – Memórias do subdesenvolvimento (Memorias del subdesarrollo) de Tomás Gutiérrez Alea. Cuba, 1968. Com Sergio Corriere, Daisy Granados, Eslinda Nunes, Beatriz Ponchora, Omar Valdés e René de la Cruz. 97’. Legendas em português. Exibição em 35mm. Classificação indicativa 14 anos.

17h – Lucia (Lucía) de Humberto Solás. Cuba, 1968. Com Raquel Revuelta, Eslinda Núñez e Adela Legrá. 160’. Legendas em português. Exibição em 35mm. Classificação indicativa 14 anos.

Desde Guayaquil: visões do cinema equatoriano contemporâneo

Sessão especial dedica ao cinema equatoriano contemporâneo com curadoria de Arturo Serrano, professor do curso de cinema da Universidad de las Artes (Guayaquil, Equador).

ter 03

18h30 – Persistência Persistencia de Fernando Mieles. Equador, 2016. Doc. 45’. + No meio do caminho A medio caminho de Nantu Mantilla. Equador, 2018. Doc. 20’. Legendas em inglês. + Martha com H Martha con H de Frank Vera. Equador, 2018. Doc. 11’. Legendas em inglês. + Sombras envolventes de Michael Lojano. Equador, 2019. Doc. 15’. Sessão seguida de conversa com Arturo Serrano e Lúcia Monteiro Ramos, Professora do curso de cinema e vídeo da UFF.Classificação indicativa 16 anos.

Pré-estreias

Em março três pré-estreias vão ocupar a tela da sala Cosme Alves Netto. No dia 4 de março apresentamos quatro episódios da websérie Meninos que não vão para o céu 2 dirigida e protagonizada por Ed Lopez. Discutindo questões.  Em seguida, no dia 6 de março, o canal de youtube Deslegendário apresenta a Operação Resgato 2: A maneira correta de se resgatar um amigo. Por último, no dia 31, apresentamos o curta-metragem O Dono Do Meu Coração. Dirigido por Marcelo Martins, o filme foi todo realizado na cidade de São João de Meriti e conta com um elenco todo da baixada fluminense.

qua 04

18h e 19h30 – Pré-estreia – Meninos que não vão para o céu 2 de Ed Lopez Dassilva. Brasil, 2020. Com Ed Lopez Dassilva, Vitor Andrade, Tárcio Bernardes, Evandro Ferreira, Kassia Di Paula, Marlon Vares, Sabryna Gonçalves, Itamer Júnior e Danilo Araújo. (Episódios 1 a 4). 75’. Exibição em MP4 (H264). Classificação indicativa 16 anos.

sex 06

18h30 – Pré-estreia – Operação Resgato 2: A maneira correta de se resgatar um amigo de Lucas Stuvok. Brasil, 2020. 40’. Exibição em MP4 (H264). Sessão seguida da apresentação do grupo musical Mauro e seus Machados. Classificação indicativa 12 anos.

ter 31

19h – Pré-estreia – O dono do meu coração de Marcelo Martins. Brasil, 2020. Com Anderson Pinheiro, Beatriz Faria, Cintia Brito, Dilmar Siuza, Johnny Amaresco, Marcelo Martins, Max Jolina, Marcos Lins, Jaciara, Gabriela, Paula e Willian. 15’. Exibição em MP4 (H264). Classificação indicativa Livre.

Cineclubes

Em março voltamos a receber as sessões de quatro cineclubes que nos últimos anos vem sendo abrigados pela Cinemateca. O Cineclube Retrolâmpago, dedicado ao cinema silencioso; O RISCO Cinema focado no cinema experimental; O Cine MAM Fantástico enfocado no cinema fantástico e de gênero; e o CineMAM no qual são exibidas obras brasileiras contemporâneas, muitas delas em pré-estreia ou inéditas. Além disso, um novo cineclube apresenta sua primeira sessão no mês de março, o Plano Geral.

qui 05

18h30 – Sessão Retrolâmpago – Aitaré da Praia de Gentil Roiz. Brasil, 1925. Com Ary Severo, Almery Steves e Rilda Fernandes. 60’. Exibição em MP4 (H264). Sessão apresentada por Igor Andrade Pontes. Classificação indicativa Livre.

sab 07

17h – RISCO Cinema – Tratado de baba e de eternidade (Traité de bave et d’Eternité) de Isidore Isou. França, 1951. Experimental. 120’. Legendas em português. Exibição em MP4 (H264). Sessão seguida de debate com Lucas Murari. Classificação indicativa Livre. Organização: Lucas Murari e Luiz Garcia.

sex 20

18h30 – Plano Geral – A Dama Oculta (The Lady Vanishes) de Alfred Hitchcock. Estados Unidos, 1938. Com Margaret Lockwood, Michael Redgrave, Paul Lukas Dame e May Whitty.  Exibição em 35mm. Sessão seguida de debate com Julhia Quadros. Organização: Fabrício Duque e Julhia Quadros. Classificação indicativa 12 anos.

sab 21

16h – CineMAM #19 – Morrer de Amor de Cristiano Requião. Brasil, 2017. Com Rafael Schmitt, Nathália Klein, Janice Fernandes, Marina Trindade e Jorge Leite. 72′. Exibição em MP4 (H264). Curadoria: Felipe Cataldo. Classificação indicativa 18 anos.

18h – CineMAM #19 – Amnestia de Susanna Lira. Brasil, 2019. Documentário. 15’. + Rebento de Vinicius Elizario. Brasil, 2019. 18’. + Na Rota do Vento – O Cinema na Música de Sergio Ricardo de Marina Lutfi, Cavi Borges e Victor Magrath. Brasil, 2019. 22’. + Adeus às Coisas de Ian Schuler. Brasil, 2019. Experimental. 17’. + De longe, ninguém vê o presidente de Rená Tardim. Brasil, 2018. Documentário. 15’. Exibição em MP4 (H264). Sessão seguida de debate com os realizadores. Curadoria: Felipe Cataldo. Classificação indicativa 16 anos.

seg 30

18h30 – Cine MAM Fantástico – O substituto (The stunt man) de Richard Rush. Estados Unidos, 1980. Com Peter O’Toole, Steve Railsback e Barbara Hershey. 131’. Legendas em português. Exibição em MP4 (H264). Classificação indicativa 16 anos.

Dia Internacional da Mulher

Para celebrar o dia 8 de março, dia internacional da mulher, a Cinemateca do MAM apresenta dois filmes dirigidos e protagonizados por mulheres: Antonia de Tata Amaral e Baronesa de Juliana Antunes. Com propostas cinematográficas bastante diversas, ambos os filmes colocam em questão a vida cotidiana de mulheres em regiões periféricas de São Paulo e Belo Horizonte.

dom 08

15h – Dia internacional da mulher – Antonia de Tata Amaral. Brasil, 2006. Com Negra Li, Leilah Moreno, Quelynah e Cindy. 90’. Exibição em 35 mm. Classificação indicativa 12 anos.

17h – Dia internacional da mulher – Baronesa de Juliana Antunes. Brasil, 2017. Com Andreia Pereira de Sousa, Leid Ferreira e Felipe Rangel Soares. 71’. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 16 anos.

Curso Antropologia e Cinema: alteridade, alteração

O curso de 4 meses tem por objetivo tratar a relação entre cinema e antropologiacentrada na questão da alteridade enquanto modo de alteração de perspectivas e de percepções. Partiremos da equação Alteridade/Alteração como guia para o debate, além de trabalhar conceitos como os de alegoria, mímeses, ressonância e verossimilhança como forma de problematizar as dicotomias: documentário social/filme etnográfico, ficção/realidade, ciência/arte, forma/ conteúdo, imagem/texto. O filme, tomado enquanto construção de um conhecimento etnográfico e produção imagética, levanta questões crucias sobre o modo como se produz o conhecimento na antropologia. Entre outros, serão trabalhados os filmes coloniais realizados por Gerard de Boe no Congo, as realizações de Robert Flaherty a partir de seus icônicos filmes Nanook e Moana, as filmagens de Murnau em Samoa que resultaram em Tabu, Que Viva Mexico de Eisenstein, o cinema verdade de Jean Rouch, as realizações de Eduardo Coutinho e sua fecunda herança no documentário moderno e as importantes revisões críticas propostas por Trinh T. Minh-há e Arthur Omar. As questões que o curso problematiza apontam para a importância que tem o cinema para a reflexão contemporânea das Ciências Sociais e para o rendimento conceitual das imagens enquanto propulsoras de novas perspectivas sobre temas clássicos como os da representação, alteridade, subjetividade, individualidade e imaginação. O curso será ministrado pelos professores Marco Antonio Gonçalves (UFRJ) e Tatiana Bacal (UFRJ) é uma iniciativa do Programa de Pós-Graduação em Sociologia e Antropologia e do Departamento de Antropologia Cultural, IFCS/UFRJ. Mais informações entrar em contato com antropologiaecinema.mam@gmail.com

ter 10

13h40 –Curso – Antropologia e Cinema: alteridade, alteração. Seminário regular de Graduação e pós-graduação da UFRJ com os professores Marco Antonio Gonçalves e Tatiana Bacal. Antidocumentário: crítica à representação. Congo de Arthur Omar. Brasil, 1972. Documentário. 12’. + Reassemblage de Trinh T. Minh-há. Senegal, 1982. Documentário. 40’. + Visão de Juazeiro de Eduardo Escorel. Brasil, 1970. Documentário. 20’. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 16 anos.

ter 17

13h40 –Curso – Antropologia e Cinema: alteridade, alteração. Seminário regular de Graduação e pós-graduação da UFRJ com os professores Marco Antonio Gonçalves e Tatiana Bacal. Modernidade: alucinação e cinema. Crônica de um verão (Chronique d’un été) de Jean Rouch e Edgar Morin. França, 1961. Documentário. 90’. Exibição em DVD. Classificação indicativa 14 anos.

ter 24

13h40 –Curso – Antropologia e Cinema: alteridade, alteração. Seminário regular de Graduação e pós-graduação da UFRJ com os professores Marco Antonio Gonçalves e Tatiana Bacal. Alteridade e alteração Inuit. Nanook do norte (Nanook of the North) de Robert Flaherty. Estados Unidos, 1922. Documentário. 79’. + Rouch/Nanook de Ricardo Leizaola. Brasil, 2017. Documentário. 3’. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 16 anos.

ter 31

13h40 – Curso – Antropologia e Cinema: alteridade, alteração. Seminário regular de Graduação e pós-graduação da UFRJ com os professores Marco Antonio Gonçalves e Tatiana Bacal. Alteridade nos Mares do Sul. Moana de Robert Flahert. Estados Unidos 1929. Documentário. 98’. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 16 anos.

Mostra Paul Newman – Belo e Indomável

A mostra reúne 17 filmes nos quais atuou e um longa-metragem dirigido por Newman. Nas palavras de Rodrigo Fonseca: “Para o público arrebatado por ele e por seus olhos de ardósia em suas atuações inesquecíveis, Paul Newman foi o mais dionisíaco dos Apolos do cinema: era um signo de beleza e de virilidade que transpirava tormentos e autocrítica. Lee Strasberg dizia, que Newman poderia ter sido tão grande quanto Marlon Brando se não fosse ele tão bonito. Segundo Strasberg, “Newman tinha o talento de Brando, mas ele, com frequência, confiava mais em sua aparência do que em seus dotes cênicos”. Ganhou um único Oscar por seu desempenho dramático: com “A cor do dinheiro” (1987). Mas teve mais nove indicações ao longo de uma trajetória em que teve a atriz Joanne Woodward (hoje com 89 anos) sempre a seu lado: eles se casaram em 1958. Newman estreou como realizador com “Rachel, Rachel”, de 1968, que concorreu a quatro Oscars, incluindo o de melhor filme. Joanne era a protagonista. Nos 54 anos em que atuou, afetuosidade foi o motor da técnica Newman de brilhar, centelha do azul de seu olhar. Centelha essa que esta retrospectiva resgata, como um tributo a um dos titãs do cinema.”

Curadoria: Ricardo Cota

ter 10

18h30 – Mostra Paul Newman – Marcado pela sarjeta (Somebody up there likes me) de Robert Wise. Estados Unidos, 1956. Com Paul Newman, Pier Angeli e Everett Sloane. 113’. Legendas em português. Exibição em mov (H264). Sessão apresentada por Ricardo Cota e Ana Rodrigues. Classificação indicativa 12 anos.

qua 11

17h – Mostra Paul Newman – O mercador de almas (The Long, Hot Summer) de Martin Ritt. Estados Unidos, 1958. Com Paul Newman, Joanne Woodward e Anthony Franciosa. 115’. Legendas em português. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa Livre.

19h – Mostra Paul Newman – Doce pássaro da juventude (Sweet Bird of Youth) de Richard Brooks. Estados Unidos, 1962. Com Paul Newman, Geraldine Page e Shirley Knight. 120’. Legendas em português. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 16 anos.

qui 12

16h30 – Mostra Paul Newman – O moço de Filadélfia (The Young Philadelphians) de Vincent Sherman. Estados Unidos, 1959. Com Paul Newman, Barbara Rush e Alexis Smith. 134’. Legendas em português. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 14 anos.

sex 13

15h – Mostra Paul Newman – O indomado (Hud) de Martin Ritt. Estados Unidos, 1963. Com Paul Newman, Melvyn Douglas e Patricia Neal. 112’. Legendas em português. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 12 anos.

17h – Mostra Paul Newman – Butch Cassidy (Butch Cassidy and the Sundance Kid) de George Roy Hill. Estados Unidos, 1969. Com Paul Newman, Robert Redford e Katharine Ross. 110’. Legendas em português. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 12 anos.

19h – Mostra Paul Newman – Raquel, Raquel (Rachel, Rachel) de Paul Newman. Estados Unidos, 1968. Com Joanne Woodward, James Olson e Kate Harrington. 101’. Legendas em português. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 14 anos.

sab 14

15h – Mostra Paul Newman – Desafio à corrupção (The Hustler) de Robert Rossen. Estados Unidos, 1961. Com Paul Newman, Jackie Gleason e Piper Laurie. 134’. Legendas em português. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 12 anos.

17h30 – Mostra Paul Newman – Paixões desenfreadas (From the Terrace) de Mark Robson. Estados Unidos, 1960. Com Paul Newman, Joanne Woodward e Myrna Loy. 149’. Legendas em português. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 16 anos.

dom 15

15h – Mostra Paul Newman – Vale tudo (Slap Shot) de George Roy Hill. Estados Unidos, 1977. Com Paul Newman, Michael Ontkean e Strother Martin. 123’. Legendas em português. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 14 anos.

17h30 – Mostra Paul Newman – O veredito (The Verdict) de Sidney Lumet. Estados Unidos, 1982. Com Paul Newman, Charlotte Rampling e Jack Warden. 129’. Legendas em português. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 14 anos.

ter 17

18h30 – Mostra Paul Newman – Golpe de mestre (The Sting) de George Roy Hill. Estados Unidos, 1973. Com Paul Newman, Robert Redford e Robert Shaw. 129’. Legendas em português. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa Livre.

qua 18

15h – Mostra Paul Newman – Ausência de malícia (Absence of Malice) de Sydney Pollack. Estados Unidos, 1981. Com Paul Newman, Sally Field e Bob Balaban. 116’. Legendas em português. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 14 anos.

17h – Mostra Paul Newman – Gata em teto de zinco quente (Cat on a Hot Tin Roof) de Richard Brooks. Estados Unidos, 1958. Com Elizabeth Taylor, Paul Newman e Burl Ives. 108’. Legendas em português. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 14 anos.

19h – Mostra Paul Newman – Rebeldia indomável (Cool Hand Luke) de Stuart Rosenberg. Estados Unidos, 1967. Com Paul Newman, George Kennedy e Strother Martin. 127’. Legendas em português. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 14 anos.

Qui 19

15h – Mostra Paul Newman – O indomável: assim é minha vida (Nobody’s Fool) de Robert Benton. Com Paul Newman, Bruce Willis e Jessica Tandy. 110’. Legendas em português. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 14 anos.

17h – Mostra Paul Newman – A cor do dinheiro (The Color of Money) de Martin Scorsese. Estados Unidos, 1986. Com Paul Newman, Tom Cruise e Mary Elizabeth Mastrantonio. 119’. Legendas em português. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 12 anos.

19h – Mostra Paul Newman – Harper, o caçador de aventuras (Harper) de Jack Smight. Estados Unidos, 1966. Com Paul Newman, Lauren Bacall e Julie Harris. 121’. Legendas em português. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 14 anos.

Silvio Tendler 70 Anos

Em homenagem aos 70 anos do cineasta Silvio Tendler, a cinemateca exibe seu último filme, Nas asas da Pan Am. Documentarista incontornável da história do cinema brasileiro, Tendler realizou, entre muitos outros, Os Anos JK – Uma trajetória política, Jango – Como, quando e por que se derruba um presidente, dois documentários fundamentais do cinema político brasileiro.

qui 12

19h – Silvio Tendler 70 Anos – Nas Asas da Pan Am de Silvio Tendler. Brasil, 2020. Documentário. 120’. Exibição em mov (H264). Sessão apresentada pelo diretor e seguida de coquetel em sua homenagem. Classificação indicativa 12 anos.

Curso Cinema Brasileiro Contemporâneo

A proposta deste curso é adensar e desdobrar as reflexões políticas, estéticas e afetivas contidas em um certo cinema brasileiro contemporâneo, sobretudo nas produções a partir dos anos 2000. Os filmes apresentados são, em muitos espaços de crítica e discussão, marcados pejorativamente como “identitários”. Tal marcação é sintoma de uma desestabilização nos modos tradicionais de narrar, produzir, ver e experimentar o audiovisual, o que amedronta o produtor e espectador familiarizado com o domínio das narrativas, a saber: o macho branco, cisheterossexual, das camadas médias/altas. Em um contexto de embrutecimento, do autoritarismo que nos espreita e do belicismo declarado à arte e a cultura, a produção audiovisual brasileira contemporânea não se exime de materializar nas telas as potências estéticas e plurais do país. Estas imagens assombram as ruínas políticas de um país fundado no mito da democracia racial e do delírio de classes políticas e econômicas que imaginam esta terra uma europa perdida na América do Sul. Os filmes são como “bombas culturais” nesta terra arrasada. Bombas que fecundam, brotam vida e nos permitem imaginar outros brasis. Ao longo do curso serão apresentados, entre outros: Madame Satã de Karin Aïnuz, Batguano de Tavinho Teixeira, Branco Sai, Preto Fica de Adirley Queirós e Sete Anos em Maio de Affonso Uchoa. Curso será ministrado pelos professores Dr. Diego Paleólogo (UERJ) e Dr. Vinicios Ribeiro (UFRJ) e Departamento de História e Teoria da Arte da Escola de Belas Artes da Universidade Federal do Rio de Janeiro (EBA-UFRJ). Para mais informações entrar em contato com diego.paleologo@gmail.com

qua 18

10h – Curso – Cinema brasileiro contemporâneo. Seminário regular de Graduação da UFRJ com os professores Diego Paleólogo e Vinicius Ribeiro. Madame Satã de Karim Aïnouz. Brasil, 2002. Com Lázaro Ramos, Marcélia Cartaxo e Flávio Bauraqui. 105’. Exibição em 35mm. Classificação indicativa 18 anos.

qua 25

10h – Curso – Cinema brasileiro contemporâneo. Seminário regular de Graduação da UFRJ com os professores Diego Paleólogo e Vinicius Ribeiro. Café com Canela de Glenda Nicácio e Ary Rosa. Brasil, 2017. Com Arlete Dias, Vaidinéia Soriano e Aline Brune. 100’. Exibição em MP4 (H264). Classificação indicativa 14 anos.

Um homem discreto – Centenário de Éric Rohmer

Éric Rohmer nasceu na cidade de Tulle, França, em 21 de março de 1920 e faleceu em Paris no dia 11 de janeiro de 2020. O que nem todos sabem é que seu verdadeiro nome era Maurice Schérer. Durante toda sua vida Rohmer cultivou a discrição e a separação entre espaço privado e o público, entre sua vida pessoal e sua vida profissional. Mesmo pessoas muito próximas ignoravam a vida dupla deste grande diretor da Nouvelle Vague, inclusive sua própria mãe, que faleceu sem saber que o filho era um cineasta consagrado e que seus filmes eram vistos por milhões de espectadores na França e no mundo. Construiu uma cinematografia singular marcada pela literatura, pela filosofia, pelo olhar sensível, irônico e afiado do cotidiano e das relações humanas, assim como pela presença feminina em seus filmes. No centenário Rohmer, a Cinemateca convida o público a (re)descobrir esse grande cineasta através de uma seleção de filmes de 9 filmes.

dom 22

15h – Um homem discreto – Centenário de Éric Rohmer – Conto de primavera (Conte de printemps) de Éric Rohmer. França, 1989. Com Anne Teyssèdre, Hugues Quester e Florence Darel. 112. Exibição em 35mm. Classificação indicativa Livre.

17h – Um homem discreto – Centenário de Éric Rohmer – Conto de inverno (Conte d’hiver) de Éric Rohmer. França, 1991. Com Charlotte Very, Frédéric Van den Driessche e Michel Voletti. 114’. Exibição em 35mm. Classificação indicativa 12 anos.

ter 24

18h30 – Um homem discreto – Centenário de Éric Rohmer – A carreira de Suzanne (La Carrière de Suzanne) de Éric Rohmer. França, 1963. Com Philippe Beuze, Catherine Sée e Christian Charrière. Exibição em 35mm. Classificação indicativa 14 anos.

qua 25

18h30 – Um homem discreto – Centenário de Éric Rohmer – O Raio verde (Le Rayon vert) de Éric Rohmer. França, 1985. Com Marie Rivière, Vincent Gauthier, Rosette, Béatrice Romand e María Luisa García. 90’. Exibição em 35mm. Classificação indicativa 14 anos.

qui 26

18h30 – Um homem discreto – Centenário de Éric Rohmer – O joelho de Claire (Le genou de Claire) de Éric Rohmer. França, 1970. Com Jean-Claude Brialy, Aurora Cornu, Laurence de Monaghan e Béatrice Romand. 105’. Exibição em 35mm. Classificação indicativa 10 anos.

sex 27

18h30 – Um homem discreto – Centenário de Éric Rohmer – A mulher do aviador (La Femme de l’aviateur) de Éric Rohmer. França, 1980. Com Philippe Marlaud, Marie Rivière e Anne-Laure Meury. 104’. Exibição em 35mm. Classificação indicativa Livre.

sab 28

17h30 – Um homem discreto – Centenário de Éric Rohmer – Pauline na praia (Pauline à la plage) deÉric Rohmer. França, 1983. Com Amanda Langlet, Arielle Dombasle e Pascal Greggory. 95’. Exibição em 35mm. Classificação indicativa 14 anos.

dom 29

15h – Um homem discreto – Centenário de Éric Rohmer – Conto de verão (Conte d’été) de Éric Rohmer. França, 1995. Com Melvil Poupaud, Amanda Langlet, Aurelia Nolin e Gwenaëlle Simon.113’. Exibição em 35mm. Classificação indicativa 10 anos.

17h – Um homem discreto – Centenário de Éric Rohmer – Conto de Outono (Conte d’automne) de Éric Rohmer. França, 1997. Com Marie Rivière, Béatrice Romand e Alain Libolt. 110’. Exibição em 35mm. Classificação indicativa Livre.

Sessão CESPEB

Exibição dos trabalhos audiovisuais desenvolvidos pelos estudantes do Curso de Especialização em Educação Básica (CESPEB) com ênfase no ensino contemporâneo de Artes. Projeto ligado a Faculdade de Educação/Colégio de Aplicação – UFRJ.

Sab 28

15h – Sessão CESPEB – Cem crianças esperando um trem (Cien ninhos esperando un tren) de Ignacio Agüeros. Chile, 1987. 54’. Legendas em português. + Exercícios audiovisuais dos estudantes do Curso de Especialização em Educação Básica (CESPEB). 50’. Exibição em MP4 (H264). Organização Adriana Fresquet. Classificação indicativa Livre.

fevereiro 2020

Pré-estreias

Dois documentários serão apresentados em pré-estreia em fevereiro na Cinemateca. Começamos o mês com o filme Harmonia Enlouquece da diretora Flavia Martins. Um documentário de grande sensibilidade sobre a banda formada por médicos, pacientes e voluntários no Centro Psiquiátrico do Rio de Janeiro (CPRJ), cujas canções tocam o mundo com humor e poesia. No dia 18 de fevereiro exibiremos Rosa Vênus. O filme acompanha o trabalho de criação corporal e de dança da artista Amarcél em uma viagem pelo México. Um documentário poético sobre a criação artística.

Mostra Melhores Filmes do Ano – Homenagens

Em parceria com a Mostra Melhores Filmes do ano organizada pela Associação de Críticos de Cinema do Rio de Janeiro (ACCRJ) a Cinemateca apresenta dois filmes para celebrar a memória das duas importantes mulheres do cinema que nos deixaram no ano de 2019: a atriz Ruth de Souza (1921 – 2019) e a diretora Agnès Varda (1928-2019).

Cineklap Planet_A. O Corpo no Mundo.

Logo após o carnaval a Cinemateca retoma sua programação com uma mostra de seis filmes dinamarqueses contemporâneos. Em parceria com o Instituto Cultural da Dinamarca e com curadoria de Tatiana Groff, a mostra apresenta filmes representativos da diversidade da produção cinematográfica daquele país tendo o corpo e sua relação com o mundo como eixo central de ligação.

sáb 01

17h – Pré-estreia – Harmonia Enlouquece de Flavia Martins. Brasil, 2019. Documentário. 42′. Sessão seguida de apresentação musical da banda Harmonia Enlouquece. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa Livre

dom 02

15h – Mostra Carnaval – Berlim na Batucada de Luiz de Barros. Brasil, 1944. Com Procópio Ferreira, Chocolate e Francisco Alves. 100’. Exibição em 35mm. Classificação indicativa livre.

17h – Mostra Carnaval – Banda de Ipanema : a folia de Albino de Paulo César Saraceni. Brasil, 2002. Documenrtário. 83’. Exibição em 35mm. Classificação indicativa 12 anos

ter 04

18h30 – O Mestre de Rimini – Fellini in città de Maurizio Ponzi. Itália, 1968. Documentário. 20’. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa livre

qua 05

14h30 – O Mestre de Rimini – Na Frente Há Lugar Avanti c’è posto… de Mario Bonnard. Itália, 1942. Com Aldo Fabrizi, Andrea Checchi e Adriana Benetti. 90’. Legendas em portugês. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 12 anos

17h – O Mestre de Rimini – Sem Piedade Senza pietà de Alberto Lattuada. Itália, 1948. Com Carla Del Poggio, John Kitzmiller e Giulietta Masina. 90’. Legendas em português. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 12 anos

19h – O Mestre de Rimini – O Amor L’amore de Roberto Rosselini. Itália, 1948. Com Anna Magnani, Federico Fellini, Peparuolo. 79’. Legendas em portugês. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 12 anos

qui 06

14h30 – O Mestre de Rimini – Paisà Paisà de Roberto Rosselini. Itália, 1946’. Com Carmela Sazio, Gar Moore, William Tubbs. 134`. Legendas em portugês. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 12 anos

17h – O Mestre de Rimini – Abismo de um sonho Lo sceicco bianco de Federico Fellini. Itália, 1952. Com Alberto Sordi, Giulietta Masina, Brunella Bovo. 146`. Legendas em português. Exibição em 35mm. Classificação indicativa Livre

19h30 – O Mestre de Rimini – Em busca de Fellini In search of Fellini de Taron Lexton. EUA, 2017. Com Ksenia Solo e Maria Bello. 93’. Legendas em pórtuguês. Exibição em MP4 (H264). Classificação indicativa 16 anos

sex 07

15h – O Mestre de Rimini – Noites de Cabiria Le notti di Cabiria de Federico Fellini. Itália, 1957. Com Giulietta Masina, François Périer, Franca Marzi 120’. Legendas em pórtuguês. Exibição em 35mm. Classificação indicativa Livre

17h – O Mestre de Rimini – O Circo The circus de Charles Chaplin. Estados Unidos, 1928. Com Charles Chaplin, Merna Kennedy e Al Ernest Garcia. 81’. Legendas em pórtuguês. Exibição em Blu-ray. Classificação indicativa Livre

18h30 – O Mestre de Rimini – Estrada da Vida La strada de Federico Fellini. Itália, 1954. Com Anthony Quinn, Giulietta Masina, Richard Basehart. 115’. Exibição em mov (H264). + O picadeiro felliniano, conversa com Julhia Quadros. Classificação indicativa Livre

sáb 08

15h – Mostra Carnaval – Orfeu do Carnaval Orfeu Negro de Marcel Camus. Brasil, França e Itália, 1959. Com Breno Mello, Marpessa Dawn, Lourdes de Oliveira. Legendas em português. 100’. Exibição em MP4 (H264). Classificação indicativa 16 anos.

17h – Mostra Carnaval – Copacabana mon amour de Rogério Sganzerla. Brasil, 1970. Com Helena Ignez, Paulo Villaça, Guará Rodrigues. Exibição em 35mm. Classificação indicativa 14 anos

dom 09

15h – Mostra Carnaval – Carnaval, bexiga, funk e sombrinha de Marcus Vinicius Faustini. Brasil, 2006. Documentário. 60’ Exibição em DVD. Classificação indicativa livre.

17h – Mostra Carnaval – Claun (Parte 1: Os dias aventurosos de Ayana) de Felipe Bragança. Brasil, 2013. Com André de Souza Esteves, Eduardo Speroni, Jennifer Melo, Begê Muniz. 69’. Exibição em DCP. Classificação indicativa livre

ter 11

14h30 – O Mestre de Rimini – Os boas vidas I vitelloni de Federico Fellini. Itália, 1953. Com Alberto Sordi, Franco Fabrizi, Franco Interlenghi. 109’. Legendas em português. Exibição em 35mm. Classificação indicativa livre

16h30 – O Mestre de Rimini – A doce vida La dolce vita de Federico Fellini. Italia, 1960. Com Marcello Mastroianni, Anita Ekberg, Anouk Aimée. 174’ Legendas em português. Exibição em MP4 (H264). Classificação indicativa 16 anos.

19h30 – O Mestre de Rimini – Encontros da meia noite Les rencontres d’après minuit de Yann Gonzales. França, 2013. Com Kate Moran, Niels Schneider e Nicolas Maury. 92’. Legendas em portugês. Exibição em MP4 (H264). Classificação indicativa 16 anos.

qua 12

14h30 – O Mestre de Rimini – O Caminho da Esperança Il cammino della speranza de Pietro Germi. Itália, 1950. Com Raf Vallone, Elena Varzi e Saro Urzì. 105’ Exibição em MP4 (H264). Classificação indicativa 14 anos.

17h – O Mestre de Rimini – Amarcord Amarcord de Federico Fellini. Itália e França, 1973. Magali Noël, Bruno Zanin, Pupella Maggio. 123’. Exibição em MP4 (H264). Classificação indicativa livre

19h – O Mestre de Rimini – Eu me lembro de Edgar Navarro. Brasil, 2005. Com Lucas Valadares, Fernando Neves e Arly Arnaud. 110’. Exibição em MP4 (H264). Classificação indicativa 16 anos.

qui 13

14h30 – O Mestre de Rimini – Fellini : eu sou um grande metiroso Fellini: je suis um grand menteur de Damian Pettigrew. França, Itália e Reino Unido, 2002. Documentário. 105’ Legendas em português. Exibição em MP4 (H264). Classificação indicativa livre.

16h20 – O Mestre de Rimini – E la nave va E la nave va de Federico Fellini. Itália, 1983. Com Freddie Jones, Barbara Jefford e Victor Poletti. 127’. Legendas em português. Exibição em Blu-Ray. Classificação indicativa 16 anos.

18h30 – O Mestre de Rimini – Um Corpo que Cai Vertigo de Alfred Hitchcock. Estados Unidos, 1958. Com James Stewart e Kim Novak. 130’. Legendas em português. Exibição em Blu-Ray. Classificação indicativa 16 anos.

sex 14

14h30 – O Mestre de Rimini – Os Palhaços I Clowns de Federico Fellini. Itália, França e Alemanha, 1970. 92’. Legendas em português. Exibição em Blu-Ray. Classificação indicativa. Livre.

16h – O Mestre de Rimini – 2046: Os Segredos do Amor 2046 de Wong Kar-wai. Hong Kong, China, França, Itália e Alemanha, 2006. Com Tony Chiu-Wai Leung, Ziyi Zhang e Faye Wong. 129’. Legendas em português. Exibição em MP4 (H264). Classificação indicativa 16 anos.

18h – O Mestre de Rimini – 8 1/2 de Federico Fellini. França e Itália, 1963. Com Marcello Mastroianni, Anouk Aimée, Claudia Cardinale. 140’. + Terry Giliam on Federico Fellini 8 1/2. Estados Unidos, 2001. Documentário. 8’. Legendas em português. Exibição em MP4 (H264). Classificação indicativa livre.

sáb 15

15h – Mostra Carnaval – Lira do delírio de Walter Lima Jr. Brasil, 1978. Com Anecy Rocha, Paulo César Pereio e Cláudio Marzo. 105’. Exibição em 35mm. Classificação indicativa 14 anos

17h – Mostra Carnaval – Amor carnaval e sonhos de Paulo Cesar Saraceni. Brasil, 1972. Com Arduino Colassanti, Ana Maria Miranda, Leila Diniz, Hugo Carvana e Isabel Ribeiro. 80’. Exibição em MP4 (H264). Classificação indicativa 14 anos

dom 16

16h – Canção enigmática – Wavelenght de Michael Snow. Estados Unidos e Canada, 1967. Experimental. 45’ + Brazil 84 de Phill Niblock. Estados Unidos e Canada, 1984. 77’. Exibições em Exibição em MP4 (H264). Classificação indicativa 12 anos.

18h15 – Canção enigmática – Blight de John Smith. Reino Unido, 1966. Experimental. 16’. + A construção do som de José Carlos Asbeg. Brasil, 1980. Documentário. 28’ + Fiorucci made me hardcore de Mark Leckey. Reino Unido, 1999. 15’. + Abalo de Chiara Banfi. Brasil, 2019. 30’. Exibições em Exibição em MP4 (H264). Classificação indicativa 12 anos.

ter 18

19h – Pré-estreia – Rosa Vênus de Marcela Morê. Brasil, 2020. Documentário. 75’. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 12 anos.

qua 19

18h30 – Mostra Melhores filmes do ano – Homenagens – Filhas do vento de Joel Zito Araujo. Brasil, 2004. Com Ruth de Souza, Léa Garcia, Taís Araújo e Maria Ceiça. 85’. Exibição em 35mm. Classificação indicativa 14 anos.

qui 20

18h30 – Mostra Melhores filmes do ano – Homenagens – As Praias de Agnès Les plages d`Agnes de Agnès Varda. França, 2008. Documentário. 110’. Legendas em portugês. Exibição em 35mm. Classificação indicativa 14 anos

qui 27

17h – Cineklap Planet_A. O Corpo no Mundo – Guerreiro da escuridão Underverden de Fenar Ahmad. Dinamarca, 2017. Com Dar Salim, Stine Fischer Christensen e Ali Sivandi. 94’. Legendas em português. Exibição em Blu-Ray. Classificação indicativa 12 anos.

19h – Cineklap Planet_A. O Corpo no Mundo – Culpa Den skyldige de Gustav Møller. Dinamarca, 2018. Com Jakob Cedergren, Jessica Dinnage, Omar Shargawi. 88’ Legendas em português. Exibição em Blu-Ray. Classificação indicativa 12 anos.

sex 28

17h – Cineklap Planet_A. O Corpo no Mundo – Irmãos do inverno Vinterbrødre de Hlynur Pálmason. Dinamarca e Islândia, 2017. Com Elliott Crosset Hove, Simon Sears, Victoria Carmen Sonne. 94’. Legendas em português. Exibição em Blu-Ray. Classificação indicativa 14 anos.

19h – Cineklap Planet_A. O Corpo no Mundo – Darling de Brigitte Stærmose. Dinamarca, 2017. Com Aviad Arik Herman, Benjamin Buza, Johanna Bystrom. 102’. Legendas em português. Exibição em Blu-Ray. Classificação indicativa 12 anos.

sáb 29

17h – Cineklap Planet_A. O Corpo no Mundo – Ande comigo De Standhaftige de Lisa Ohlin. Dinamarca, 2017. Com Nikolaj Coster-Waldau, Nikolaj Lie Kaas, Ulrich Thomsen. 105′. Exibição em Blu-Ray. Sessão com acessibilidade (libras, legendagem descritiva e Audiodescrição). Classificação indicativa 12 anos.
19h – Cineklap Planet_A. O Corpo no Mundo – Além das águas Fuglene over Sundet
de Nicolo Donato. Dinamarca, 2016. Com David Dencik, Danica Curcic, Jakob Cedergren. 94′ Legendas em português. Exibição em Blu-Ray. Classificação indicativa 14 anos.

ENTRADA FRANCA

Janeiro 2020

85 anos de Elvis Presley Além de ser o rei do rock, Elvis Presley teve uma relação muito forte com o cinema. O astro do rock fez 31 filmes como ator. Se ele estivesse vivo, Elvis completaria 85 anos no dia 8 de janeiro. Para comemorar a data e o início da programação de filmes para 2020, no dia 20 de janeiro serão exibidos dois filmes raros do rei do rock que não costumam ser exibidos em retrospectivas do seu trabalho para o cinema. O primeiro é “O bacana do volante”, em que Elvis contracena com Nancy Sinatra, filha de Frank Sinatra, e Bill Bixby que depois ficaria muito famoso fazendo o papel do Dr. David Banner, o alter ego do Hulk, no seriado cult “O Incrível Hulk”, dos anos 70. O segundo é “Ele e as três noviças”, o último filme da sua carreira, em que ele atua ao lado de Mary Tyler Moore. Curadoria Mário Abade.

qui 16

19h – Homenagem a Nelson Hoineff – Meu caro Francis de Nelson Hoineff. Brasil, 2009. Documentário. 95’. Sessão precedida do lançamento do livro “Preparativos” de Nelson Hoineff. Exibição em DVD. Classificação indicativa 12 anos

seg 20

17h – 85 anos de Elvis Presley – O bacana do volante Speedway de Norman Taurog. Estados Unidos, 1968. Com Elvis Presley, Nancy Sinatra, Bill Bixby. 94’. Legendas em português. Exibição em MP4 (H264). Classificação indicativa 12 anos

19h – 85 anos de Elvis Presley – Ele e a três noviças Change of Habit de William A. Graham. Estados Unidos, 1969. Com Elvis Presley, Mary Tyler Moore, Barbara McNair. 93’. Legendas em português. Exibição em MP4 (H264). Classificação indicativa 12 anos

ter 21

15hs – Festival do Rio 20 anos – Pindorama, a verdadeira história dos 7 anões de Lula Queiroga, Leo Crivellare e Roberto Berliner. Brasil, 2007. Documentário 84`. Com a presença do diretor Roberto Berliner. Exibição em mov. (H264). Classificação indicativa Livre

17h – Festival do Rio 20 anos – O sonho de Rose, 10 anos depois de Tetê Moraes. Brasil, 1997. Documentário. 92’. Exibição em DVD. Classificação indicativa Livre

19h – Festival do Rio 20 anos – Cinema, aspirinas e urubus de Marcelo Gomes. Brasil, 2007. Com João Miguel, Peter Ketnath e Hermila Guedes. 99’. Exibição em Blu-ray. Classificação indicativa 14 anos.

qua 22

15h – Festival do Rio 20 anos – O Menino que Fazia Rir Der Junge muss an die frische Luft de Caroline Link. Alemanha, 2018. Com Luise Heyer, Sönke Möhring e Diana Amft. 100’. Legendas em português. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 12 anos.

17h – Festival do Rio 20 anos – Saneamento básico de Jorge Furtado. Brasil, 2007. Com Fernanda Torres, Wagner Moura, Camila Pitanga, Lázaro Ramos, Tonico Pereira e Paulo José. 114’. Exibição em Blu-ray. Classificação indicativa 14 anos.

19h – Festival do Rio 20 anos – Ônibus 174 de José Padilha. Brasil, 2002. 150’. Com a presença do produtor associado e entrevistado, Rodrigo Pimentel. Documentário. Exibição em Blu-ray. Classificação indicativa 14 anos.

qui 23

15h – Festival do Rio 20 anos – 25km/h de Markus Goller. Alemanha, 2018. Com Franka Potente, Alexandra Maria Lara, Lars Eidinger, Jördis Triebel, Sandra Hüller, Jella Haase, Bjarne Mädel, Wotan Wilke Möhring, Martin Brambach, Dirk Helbig. 116’. Legendas em português. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 14 anos.

17h – Festival do Rio 20 anos – Fala Tu de Guilherme Coelho. Brasil, 2003. 74’. Documentário. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 12 anos.

19h – Festival do Rio 20 anos – Gundermann de Andreas Dresen. Alemanha, 2018. Com Milan Peschel, Alexander Scheer, Bjarne Mädel, Peter Schneider, Leni Wesselman e Anna Unterberger. 127’. Legendas em português. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 14 anos.

sex 24

15h – Festival do Rio 20 anos – O palhaço de Selton Mello. Brasil, 2011. Com Selton Mello, Paulo José, Tonico Pereira e Larissa Manoela. 88’. Com a presença da produtora Vania Catani. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 10 anos.

17h – Festival do Rio 20 anos – My Border’s Joy Fence de Michael Kranz. Alemanha, 2018. Com Agnes Kiyomi Decker, Lucy Wirth, Herman van Ulzen, Sobi Darcal, Uday Alturk e Shukry Alturk. 1’30’’. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 12 anos. + Oray de Mehmet Akif Büyükatalay. Alemanha, 2019. Com Zejhun Demirov, Deniz Orta e Cem Göktas. 100’. Com a presença de Katja Eichinger, idealizadora da série “…and the winners are…”. Legendas em português. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 14 anos.

19h – Festival do Rio 20 anos – Uma mulher extraordinária Nur eine Frau de Sherry Hormann. Alemanha, 2018. Com Almila Bagriacik, Rauand Taleb, Aram Arami e Meral Perin. 96’. Com a presença da atriz Almila Bagriacik. Legendas em português. Exibição em DCP. Classificação indicativa 14 anos.

sab 25

15h – Festival do Rio 20 anos – Campo Grande de Sandra Kogut. Brasil, 2015. Com Carla Ribas, Julia Bernat, Ygor Manoel. 108′. Exibição em Blu-ray. Classificação indicativa 14 anos.

17h – Festival do Rio 20 anos – Estamira de Marcos Prado. Brasil, 2006. Documentário. 120’. Com a presença do diretor Marcos Prado. Exibição em Blu-ray. Classificação indicativa 10 anos.

19h – Festival do Rio 20 anos – STYX de Wolfgang Fischer. Alemanha, 2018. Com Susanne Wolff, Gedion Oduor Wekesa e Kelvin Mutuku Ndinda. 94’. Com a presença do diretor de fotografia, Benedict Neuenfels. Exibição em Blu-ray. Classificação indicativa 16 anos.

dom 26

15h – Festival do Rio 20 anos – Durval Discos de Anna Muylaert. Brasil, 2002. Com Ary França, Etty Fraser e Isabela Guasco. 96’. Exibição em 35mm. Classificação indicativa 12 anos.

17h – Festival do Rio 20 anos – Rocca Muda o Mundo (Rocca verändert die Welt) de Katja Benrath. Alemanha, 2019. Com Luna Maxeiner, Caspar Fischer-Ortmann e Luise Richter. 101’. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 10 anos.

19h – Festival do Rio 20 anos – O Invasor de Beto Brant. Brasil, 2001. Com Marco Ricca, Alexandre Borges e Paulo Miklos. 97’. Exibição em DCP. Classificação indicativa 18 anos.

ter 28

9h – Festival do Rio 20 anos – Workshop de fotografia: Point of narration as a key decision com Benedict Neuenfels. Voltada para fotógrafos e estudantes, a oficina teórico-prática levanta questões morais, estéticas e técnicas envolvidas na concepção visual de filmes, tais como as possibilidades entre analógico x digital e manual x tripé. A atividade será ministrada em inglês, com tradução consecutiva. Participação gratuita, mediante inscrição prévia em: bit.ly/workshopbenedict
Para outras informações entrar em contato com Renata Leite (renata.leite@goethe.de)

15h – Festival do Rio 20 anos – Central do Brasil de Walter Salles. Brasil, 1998. Com Fernanda Montenegro, Vinícius de Oliveira, Marília Pêra. 112’. Com a presença da produtora de vídeo filmes, Maria Carlota. Exibição em 35mm. Classificação indicativa 12 anos.

17h – Festival do Rio 20 anos – De pais e filhos – Os filhos do califado Kinder des Kalifats de Talal Derki. Alemanha/USA/Síria/Líbano/Holanda, 2017. 98’. Legendas em português. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 16 anos.

19h – Festival do Rio 20 anos – As canções de Eduardo Coutinho. Brasil, 2011. Com a presença da produtora Maria Carlota. Documentário. 90’. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa Livre

qua 29

9h – Festival do Rio 20 anos – Workshop de fotografia: Point of narration as a key decision com Benedict Neuenfels. Voltada para fotógrafos e estudantes, a oficina teórico-prática levanta questões morais, estéticas e técnicas envolvidas na concepção visual de filmes, tais como as possibilidades entre analógico x digital e manual x tripé. A atividade será ministrada em inglês, com tradução consecutiva. Participação gratuita, mediante inscrição prévia em: bit.ly/workshopbenedict
Para outras informações entrar em contato com Renata Leite (renata.leite@goethe.de)

15h – Festival do Rio 20 anos – Atlas de David Nawrath. Alemanha, 2018. 100’ Legendas em português. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 12 anos.

17h – Festival do Rio 20 anos – Estômago de Marcos Jorge. Brasil/Itália, 2007. Com João Miguel, Fabiula Nascimento e Babu Santana. 100’. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 16 anos.

19h – Festival do Rio 20 anos – Xica da Silva de Carlos Diegues. Brasil, 1976. Com Zezé Motta, Walmor Chagas, Altair Lima e Elke Maravilha. 114’. Com a presença do diretor Carlos Diegues. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 16 anos.

qui 30

15h – Festival do Rio 20 anos – Moacir – Arte Bruta de Walter Carvalho. Brasil, 2005. 72’. Documentário. Exibição em DVD. Classificação indicativa Livre.

17h – Festival do Rio 20 anos – Casa de areia de Andrucha Waddington. Brasil, 2005. Com Fernanda Montenegro, Fernanda Torres, Ruy Guerra e Seu Jorge. 98’. Com a presença do diretor Andrucha Waddigton. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 16 anos.

19h – Festival do Rio 20 anos – Índia, a filha do sol de Fábio Barreto. Brasil, 1982. Com Nuno Leal Maia, Glória Pires e Sebastião Vasconcelos. 85’. Com a presença de Paula, Luiz Carlos e Lucy Barreto. Exibição em 35mm. Classificação indicativa 16 anos.

sex 31

15h – Festival do Rio 20 anos – Bicho de 7 cabeças de Laís Bodanzky. Brasil, 2000. Com Rodrigo Santoro, Othon Bastos e Cássia Kiss. 88’. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 14 anos.

17h – Festival do Rio 20 anos – O som ao redor de Kleber Mendonça Filho. Brasil, 2012. Com Albert Tenório, Irma Brown e Sebastião Formiga. 124’. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 16 anos.

19h – Festival do Rio 20 anos – Pixote, a lei do mais fraco de Héctor Babenco. Brasil, 1981. Com Fernando Ramos da Silva, Jorge Julião, Gilberto Moura. 128′. Exibição em mov. (H264). Classificação indicativa 18 anos.

PROGRAMAÇÃO – dezembro 2019

dom 1

15h – Rock Horror Film Festival – Sessão Tardes Assustadoras. Lobisomem Lobisome de Juan de Dios Garduño. Espanha, 2018. 11’. + Tia Aunt de Brian Carmody. Estados Unidos, 2018. 13’. + Viciado Addict de Nir Ivaniv. Israel, 2018. 15’ + O aprendiz de assassino The Assassins Apprentice de Russ Emanuel. Estados Unidos, 2018. 15’. + O show da noção The Notion Show de Joachim Gautier. Estados Unidos, 2018. 18’. + Como todas as manhãs Comme tous les matins de Cédric Dupuis. França, 2018. 18’. Legendas em português. Exibição em DCP. Classificação indicativa 16 anos

16h45 – Rock Horror Film Festival – Sessão Anoitecer Sinistro. Boa noite, Gracie Goodnight, Gracie de Stellan Kendrick. Estados Unidos, 2018. 4’. + A gaiola da andorinha La gàbia de les orenetes de David Conill. Espanha, 2018, 10’. + A casa do assassinato Murder House de Billy e Richard Chizmar. Estados Unidos, 2018. 20’. + O jogo de escape The Escape Room de Bessy Adut. Estados Unidos, 2018. 22’. + A virgem azul The Blue Virgin de Tim Klok. Holanda, 2018. 34’ Legendas em português. Exibição em DCP. Classificação indicativa 16 anos

18h30 – Rock Horror Film Festival – Sessão Gala de terror. Ouse perturbar Dare 2 Disturb de Paul Rees. Reino Unido, 2018. 3’. + A caixa de Renata Jesion. Brasil, 2018 7’. + Quimera Chimera de Maurice Haeems. Emirados Árabes, 2019. 80’. Legendas em português. Exibição em DCP. Classificação indicativa 16 anos

seg 2

15h – Rock Horror Film Festival – Sessão Tardes Assustadoras. Kokosmos Kokosmos de Anna Radchenko. Reino Unido, 2018. 2’. + O outro lado de Marcos de Castro. Brasil, 2019. 89’. Legendas em português. Exibição em DCP. Classificação indicativa 16 anos

16h45 – Rock Horror Film Festival – Sessão Anoitecer sinistro. Rezzurekt Rezzurekt de Travis Darkow. Estados Unidos, 2018. 5’. + Açougueiro americano U.S. Butcher de Aleksey Smirnov. Rússia, 2018. 5’. + Olhos sedentos Thirsty Eyes de Ioan Gavriel. Austria, 2018. 6’. + O Fogo do Diabo The Devils Fire de John Santo. Estados Unidos, 2018. 12’. + Para minha gata Mieze de Wesley Gondim. Brasil, 2018. 25’. + Como Todas as manhãs Comme tous les matins de Cédric Dupuis. França, 2018. 18’. + Corpos sob o chão Dead Bodies under the Floor de Andreas Tschiedel. Alemanha, 2018. 38’. Legendas em português. Exibição em DCP. Classificação indicativa 16 anos

18h30 – Rock Horror Film Festival – Sessão Gala de terror. Evströnger Evströnger de Silvia Conesa Zamora. Espanha, 3’. + Dona de Casa Alienígena x Zumbi Gay Housewife Alien vs Gay Zombie de Andreas Samuelson. – Suécia, 96’. Legendas em português. Exibição em DCP. Classificação indicativa 16 anos

ter 3

15h – Rock Horror Film Festival – Sessão Tardes Assustadoras. A caixa de Renata Jesion. Brasil, 2018 7’. + 11010 de Rodrigo Amim e Gabriela Monnerat. Brasil, 2018. 8’. + Vale da Lua: o mito de Anhangá de Danilo Custódio. Brasil, 2019. 12’. + Mar de monstro de Isabella Raposo. Brasil, 2018. 19’. + Para minha gata Mieze de Wesley Gondim. Brasil, 2018. 25’. + O Show da noção The Notion Show de Joachim Gautier. Estados Unidos. 2018. 18’. Legendas em português. Exibição em DCP. Classificação indicativa 16 anos

16h45 – Rock Horror Film Festival – Sessão Anoitecer Sinistro. É você, Albano? de Camilo Bevilacqua. Brasil, 2018. 15’. + Mil beijos A Thousand Kisses de Richard Goldgewitch. Brasil, 2018. 16’. + 12° andar de Pedro Kalli e Renata Moraes. Brasil, 2018. 29’. + A ressurreição de Lázaro não servirá de Clodoaldo Lino. Brasil, 2018. 30’. Legendas em português. Exibição em DCP. Classificação indicativa 16 anos

18h30 – Rock Horror Film Festival – Sessão Gala de terror. Olhos sedentos Thirsty Eyes de Ioan Gavriel. Austria, 2018. 6’. + O outro lado de Marcos de Castro. Brasil, 2019. 89’. Legendas em português. Exibição em DCP. Classificação indicativa 16 anos

qua 4

15h – Rock Horror Film Festival – Sessão Tardes Assustadoras. O Homem no banco traseiro The Man in the Back Seat de Tom Kircher. Estados Unidos, 2018. 5’. + Olhe duas vezes Look Twice de Kyle Wilson. Estados Unidos, 2018. 8’. + Meu irmão Juan Mi hermano Juan de Cristina e Maria José Martin Barcelona. Espanha, 2019. 10’. + Marta Marta de Lucía Forner, Espanha, 2018. 15’. + O Jogo de escape The Escape Room de Bessy Adut. Estados Unidos, 2018. 22’. + Beije o Diabo no escuro Kiss the Devil in the Dark de Jonathan e Rebecca Martin. Estados Unidos, 2018. 30’. Legendas em português. Exibição em DCP. Classificação indicativa 16 anos

16h45 – Rock Horror Film Festival – Sessão Anoitecer Sinistro. Boa noite, Gracie Goodnight, Gracie de Stellan Kendrick. Estados Unidos, 2018. 4’. + Vale da Lua: o mito de Anhangá de Danilo Custódio. Brasil, 2019. 12’. + Mil beijos A Thousand Kisses de Richard Goldgewitch. Brasil, 2018. 16’. + O Barulho da luz Le bruit de la lumière de Valentin Petit. França, 2018. 24’. + A virgem azul The Blue Virgin de Tim Klok. Holanda, 2018. 34’. Legendas em português. Exibição em DCP. Classificação indicativa 16 anos

18h30 – Rock Horror Film Festival – Sessão Gala de terror. Evströnger Evströnger de Silvia Conesa Zamora. Espanha, 2018. 3’. + Ambição Ambition de Bob Shaye. Estados Unidos, 2019. 87’. Legendas em português. Exibição em DCP. Classificação indicativa 16 anos

qui 5

13h – Curso – Afetos e Sensações no Cinema Brasileiro Contemporâneo, com os professores Denílson Lopes e Mariana Baltar. Seminário de pós-graduação acompanhado da projeção de Pendular de Júlia Murat. Brasil/Argentina/França/Alemanha, 2017. Com Raquel Karro e Rodrigo Bolzan. 108’. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 18 anos

15h – Rock Horror Film Festival – Sessão Tardes Assustadoras. Rezzurekt Rezzurekt de Travis Darkow. Estados Unidos, 2018. 5’. + Dona de Casa Alienígena x Zumbi Gay Housewife Alien vs Gay Zombie de Andreas Samuelson. Suécia, 2018. 96’. Legendas em português. Exibição em DCP. Classificação indicativa 16 anos

16h45 – Rock Horror Film Festival – Sessão Anoitecer sinistro. Rastejadores noturnos Night Crawl de Gregory Shultz. Estados Unidos, 2018. 9’. + Enfeitiçada Wicken de Faisal Hashmi. Emirados Árabes, 2018. 8’. + Viciado Addict de Nir Ivaniv. Israel, 2018. 15’+ De dentro Desde dentro de Pablo Guirado. Espanha, 2018. 10’. + Mar de monstro de Isabella Raposo. Brasil, 2018. 19’. + 12° andar de Pedro Kalli e Renata Moraes. Brasil, 2018. 29’. Legendas em português. Exibição em DCP. Classificação indicativa 16 anos

18h30 – Rock Horror Film Festival – Sessão Gala de terror. Os últimos minutos Los últimos minutos de Bora Barroso. Espanha, 2018. 10’. + Quimera Chimera de Maurice Haeems. Emirados Árabes, 2019. 80’. Legendas em português. Exibição em DCP. Classificação indicativa 16 anos

sex 6

10h – Sobreurbano: Cotidiano e solidariedade na favela Retalhos de uma manta coletiva de Felipe Eugenio e Raquel Finco. Brasil, 2013. 32’. + Favela que me viu crescer de Paula Morena. Brasil, 2017. 15’. + Histórias de vila de Leo Shun. Brasil, 2016. 98’. Documentário. Exibição em mov (H264). Sessão seguida de debate com os diretores e produtores dos filmes. Classificação indicativa 12 anos

15h – Rock Horror Film Festival – Sessão Tardes Assustadoras. Eu confesso Yo confieso de Saul Gallego Mateo. Espanha, 2018. 6’. + A Gaiola da andorinha La gàbia de les orenetes de David Conill. Espanha, 2018, 10’. + Sem você Sin ti de Allan J. Arcal. Espanha, 2018. 10’. +  Jimmy Jimmy de Luis Centurión. Espanha, 2018. 12’. + Vovó Nana de Bel Armenteros. Espanha, 2018. 9’. + Ed Atômico Atomic Ed de Nicolas Hugón. França, 19’. + O barulho da luz Le bruit de la lumière de Valentin Petit. França, 2018. 24’. Legendas em português. Exibição em DCP. Classificação indicativa 16 anos

16h45 – Rock Horror Film Festival – Sessão Anoitecer Sinistro. Vovó Nana de Bel Armenteros. Espanha, 2018. 9’. + Meu irmão Juan Mi hermano Juan de Cristina e Maria José Martin Barcelona. Espanha, 2019. 10’. + A Gaiola da andorinha La gàbia de les orenetes de David Conill. Espanha, 2018, 10’. + De dentro Desde dentro de Pablo Guirado. Espanha, 2018. 10’. + Os últimos minutos Los últimos minutos de Bora Barroso. Espanha, 2018. 10’. + Lobisomem Lobisome de Juan de Dios Garduño. Espanha, 2018. 11’. + Amancio, o vampiro do vilarejo Amancio, a village vampire de Alejo Ibáñez. Espanha, 2018. 15’. + Marta Marta de Lucía Forner, Espanha, 2018. 15’. Legendas em português. Exibição em DCP. Classificação indicativa 16 anos

18h30 – Rock Horror Film Festival – Sessão Gala de terror. Semillas, um poema sobre a vida Semillas, un poema sobre la vida de Javier Mondragón Cazorla. Espanha, 2018. 5’. + Rocambola (Rocambola) de Juanra Fernández. Espanha, 2018. 85’. Legendas em português. Exibição em DCP. Classificação indicativa 16 anos

sab 7

15h – Rock Horror Film Festival – Sessão Tardes assustadoras. O Homem no banco traseiro The Man in the Back Seat de Tom Kircher. Estados Unidos, 2018. 5’. + Rocambola Rocambola de Juanra Fernández. Espanha, 2018. 85’. Legendas em português. Exibição em DCP. Classificação indicativa 16 anos

16h45 – Rock Horror Film Festival – Sessão Anoitecer sinistro. Kokosmos Kokosmos de Anna Radchenko. Reino Unido, 2018. 2’. + Semillas, um poema sobre a vida Semillas, un poema sobre la vida de Javier Mondragón Cazorla. Espanha, 2018. 5’. + Eu confesso Yo confieso de Saul Gallego Mateo. Espanha, 2018. 6’. + Tia Aunt de Brian Carmody. Estados Unidos, 2018. 13’. + Estou cheio I Am Full de Orlando Torres. Estados Unidos, 2018. 9’. + Sem você Sin ti de Allan J. Arcal. Espanha, 2018. 10’. + Amancio, o vampiro do vilarejo Amancio, a Village Vampire de Alejo Ibáñez. Espanha, 2018. 15’. + Beije o Diabo no escuro Kiss the Devil in the Dark de Jonathan e Rebecca Martin. Estados Unidos, 2018. 30’. Legendas em português. Exibição em DCP. Classificação indicativa 16 anos

18h30 – Rock Horror Film Festival – Sessão Gala de terror. Comigo With Me de Azadeh Ghochagh. Irã, 5’ Rastejadores noturnos Night Crawl de Gregory Shultz. Estados Unidos, 2018. 9’ + Sob as árvores Beneath the Trees de Marco de Luca.Reino Unido, 2019. 76’ Legendas em português. Exibição em DCP. Classificação indicativa 16 anos

dom 8

15h – Rock Horror Film Festival – Sessão Tardes Assustadoras. Boa noite, Gracie Goodnight, Gracie de Stellan Kendrick. Estados Unidos, 2018. 4’. + Enfeitiçada Wicken de Faisal Hashmi. Emirados Árabes, 2018. 8’. + Sob as árvores Beneath the Trees de Marco de Luca.Reino Unido, 2019. 76’. Legendas em português. Exibição em DCP. Classificação indicativa 16 anos

16h45 – Rock Horror Film Festival – Sessão Anoitecer Sinistro. Olhe duas vezes Look Twice de Kyle Wilson. Estados Unidos, 2018. 8’. + Estou cheio I Am Full de Orlando Torres. Estados Unidos, 2018. 9’. + O fogo do Diabo The Devils Fire de John Santo. Estados Unidos, 2018. 12’. + Jimmy Jimmy de Luis Centurión. Espanha, 2018. 12’. + O aprendiz de assassino The Assassins Apprentice de Russ Emanuel. Estados Unidos, 2018. 15’. + É você, Albano? de Camilo Bevilacqua. Brasil, 2018. 15’. + Ed Atômico Atomic Ed de Nicolas Hugón. França, 19’. Legendas em português. Exibição em DCP. Classificação indicativa 16 anos

18h30 – Rock Horror Film Festival – Sessão Gala de terror. Evströnger Evströnger de Silvia Conesa Zamora. Espanha, 2018. 3’. + Ambição Ambition de Bob Shaye. Estados Unidos, 2019. 87’. Legendas em português. Exibição em DCP. Classificação indicativa 16 anos

ter 10

14h30 – Festival do Rio 2019. Espero a tua (re)volta de Eliza Capai. Brasil, 2019. Com Marcela Jesus, Lucas Penteado, Nayara Souza. 93’. Documentário. Exibição em DCP. Classificação indicativa 14 anos

17h – Festival do Rio 2019.  Alice Júnior de Gil Baroni. Brasil, 2019. Com Anne Celestino Mota, Emmanuel Rosset, Matheus Moura, Surya Amitrano, Thaís Schier. 87’. Exibição em DCP. Classificação indicativa 12 anos

19h – Festival do Rio 2019.  Banquete Coutinho de Josafá Veloso. Brasil, 2019. 74’. Documentário. Exibição em DCP. Classificação indicativa 12 anos

qua 11

14h – Lançamentos Fiocruz Vídeo/Editora Fiocruz. Todos juntos contra as doenças negligenciadas (Malária) de Zezão Castro. Brasil, 2019. 3’. Animação. + Todos juntos contra as doenças negligenciadas (Dengue) de Zezão Castro. Brasil, 2019. 3’. Animação. + Homens invisíveis de Luis Carlos de Alencar. Brasil, 2019. 26’. Documentário. + Meia lua falciforme de Débora Evellyn Olimpio e Denise Kelm. Brasil, 2019. 22’. Documentário. Exibição em MP4 (H264). Classificação indicativa 14 anos

15h – Lançamentos Fiocruz Vídeo/Editora Fiocruz. Todos juntos contra as doenças negligenciadas (Doença de Chagas) de Zezão Castro. Brasil, 2019. 3’. Animação. + Todos juntos contra as doenças negligenciadas (Esquistossomose) de Zezão Castro. Brasil, 2019. 3’. Animação. + Territórios marginais de Julio Matos. Brasil, 2019. 28’. Documentário. + Evitável de Júlia Morim. Brasil, 2019. 28’. Documentário. 26’. Exibição em MP4 (H264). Classificação indicativa Livre

16h – Lançamentos Fiocruz Vídeo/Editora Fiocruz. Todos juntos contra as doenças negligenciadas (Tuberculose) de Zezão Castro. Brasil, 2019. 3’. Animação. +  O índio cor de rosa contra a fera invisível: a peleja de Noel Nutels de Tiago Carvalho. Brasil, 2019. 70’. Documentário. Exibição em MP4 (H264). Sessão precedida da entrega de premiação com a presença dos realizadores. Após a sessão haverá o lançamento de Livros Editora Fiocruz e dos DVDs da Fiocruz Vídeo. Classificação indicativa Livre

19h – Festival do Rio 2019.  O Paradoxo da Democracia de Belisario Franca. Brasil, 73’. Documentário. Exibição em DCP. Classificação indicativa 12 anos

qui 12

14h30 – Festival do Rio 2019. Bacurau de Kleber Mendonça Fiho e Juliano Dornelles. Brasil, 2019. Com Sonia Braga, Silvero Pereira, Udo Kier, Bárbara Colen. 131’. Exibição em DCP. Classificação indicativa 16 anos

17h – Festival do Rio 2019.  Lugar de Fala de Felipe Nepomuceno. Brasil, 2019. 71’. Documentário. Exibição em DCP. Classificação indicativa 12 anos

19h – Festival do Rio 2019. A nossa bandeira jamais será vermelha de Pablo Lopez Guelli. Brasil, 2019. 72’. Documentário. Exibição em DCP. Classificação indicativa Livre

sex 13

14h30 – Festival do Rio 2019. Rasga coração de Jorge Furtado. Brasil, 2018. Com Marco Ricca, Drica Moraes, Chay Suede, Luisa Arraes, George Sauma. 115’. Exibição em DCP. Classificação indicativa Livre

17h – Festival do Rio 2019. Madame de André da Costa Pinto e Nathan Cirino. Brasil, 2019. 80’ Documentário. Exibição em DCP. Classificação indicativa 10 anos

19h – Festival do Rio 2019.  O mês que não terminou de Francisco Bosco e Raul Mourão. 104’. Documentário. Exibição em DCP. Classificação indicativa 14 anos

sab 14

15h – Festival do Rio 2019. Deslembro de Flavia Castro. Brasil, 2019. Com Jeanne Boudier, Sara Antunes, Eliane Giardini, Hugo Abranches, Julián Marras. 96’. Exibição em DCP. Classificação indicativa 12 anos

17h  – Festival do Rio 2019. Que os olhos ruins não te enxerguem de Roberto Maty. Brasil, 2019.  Com Nenesurreal, Ca Jota, Vicky Flawless, João Paulo, Kairos Castro, Milena Marine, Luana Hansen, Patrícia Meira, Luz X e Gabriel Matos. 76’. Documentário. Exibição em DCP. Classificação indicativa 10 anos

19h – Festival do Rio 2019. Partida de Caco Ciocler. Brasil, 2019. 93’. Documemtário. Exibição em DCP. Classificação indicativa 10 anos

dom 15

15h – Festival do Rio 2019. Morto Não Fala de Dennison Ramalho. Brasil, 2018. Com Daniel de Oliveira, Fabíula Nascimento, Bianca Comparato, Marco Ricca. 110’. Exibição em DCP. Classificação indicativa 14 anos

17h  – Festival do Rio 2019. Movimentos do Invisível de Flavia Guayer e Leticia Monte. Com Angel Vianna. 75’. Documentário. Exibição em DCP. Classificação indicativa Livre

19h – Festival do Rio 2019. Outubro de Maria Ribeiro e Loiro Cunha. Brasil, 2019. 79’. Documentário. Exibição em DCP. Classificação indicativa Livre

seg 16

14h30 – Festival do Rio 2019. Arábia de Affonso Uchôa e João Dumans. Brasil, 2017. Com Aristides de Sousa, Murilo Caliari, Glaucia Vandeveld, Renato Novaes, Renata Cabral.97 min. Exibição em DCP. Classificação indicativa 16 anos

17h – Festival do Rio 2019. Meu nome é Daniel de Daniel Gonçalves. Brasil, 2019. 83′. Documentário. Exibição em DCP. Classificação indicativa 12 anos
19h – Festival do Rio 2019. A Mulher da Luz Própria de Sinai Sganzerla. Brasil, 2019. Com: Helena Ignez. 74’. Documentário. Exibição em DCP. Classificação indicativa Livre

ter 17

14h – Festival do Rio 2019. Aviso aos Navegantes de Watson Macedo. Brasil, 1950. Com Grande Otelo, José Lewgoy, Oscarito. 73’. Seguido de painel sobre o restauro do filme com a participação de Marília Franco, Mauro Domingues, João Luiz Vieira e mediação de Myrna Silveira. Exibição em DCP. Classificação indicativa Livre

17h – Festival do Rio 2019. Raia 4 de Emiliano Cunha. Brasil, 2019. Com Bridia Moni, Kethelen Guadagnini, Fernanda Chicolet, Rafael Sieg, José Henrique Ligabue. 96’. Exibição em DCP. Classificação indicativa 12 anos

19h – Festival do Rio 2019. Família de Axé de Tetê Moraes. 76’. Documentário. Exibição em DCP. Classificação indicativa livre

PROGRAMAÇÃO – novembro 2019

sex 1
10h 12º Encontro de Cinema Negro Zózimo Bulbul: Brasil, África, Caribe e Outras Diásporas Perspectivas para obras seriadas no Brasil. Classificação indicativa Livre

12h30 12º Encontro de Cinema Negro Zózimo Bulbul – Brasil, África, Caribe e Outras Diásporas O documentário como receptor de memória viva com Everlane Moraes. Classificação indicativa Livre

15h 12º Encontro de Cinema Negro Zózimo Bulbul : Brasil, África, Caribe e Outras Diásporas – White zombies de João Antônio Santucci. Brasil, 2018. 12’ . + Quantos eram pra tá ? de Vinicius Silva. Brasil, 2018. Documentário. 29’. + Ano novo de André Sandino. Brasil, 2019. Com Lu Varello e Hugo Germano. 11’12”. + Impermeável pavio curto de Higor Gomes. Brasil, 2018. Com Isabela Souza, Juliana Floriano, Kauane Tarcila, Emanuele Paixão. 20’. + Menino pássaro de Diogo Leite. Brasil, 2018. Com Fabiano Araújo e Gilda Nomace. 15’. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 14 anos

17h 12º Encontro de Cinema Negro Zózimo Bulbul: Brasil, África, Caribe e Outras Diásporas Eu sou do son à salsa Yo soy del son a la salsa de Rigoberto Lopez. Cuba, 1996. Com Rubén Blades, Willie Colón e Celia Cruz. 100’. Legendas em português. Exibição em mov (H264) + conversa com Orlando Senna e Sérgio Santeiro, mediação Monalisa Alves. Classificação indicativa Livre

19h 12º Encontro de Cinema Negro Zózimo Bulbul: Brasil, África, Caribe e Outras Diásporas A felicidade delas de Carol Rodrigues. Brasil, 2018. Com Ivy Souza e Tamirys Ohanna. 100’. + Ilha de Ary Rosa e Glenda Nicácio. Brasil, 2018. Com Aldri Anunciação, Aline Brune e Thacle de Souza. 94’. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 16 anos

sáb 2
10h 12º Encontro de Cinema Negro Zózimo Bulbul : Brasil, África, Caribe e Outras Diásporas Sessão de pitching Classificação indicativa Livre

12h30 12º Encontro de Cinema Negro Zózimo Bulbul – Brasil, África, Caribe e Outras Diásporas Narratividade sonora com David Aynan e Irla Franco. Classificação indicativa Livre

15h 12º Encontro de Cinema Negro Zózimo Bulbul: Brasil, África, Caribe e Outras Diásporas Coração é terra que ninguém vê de Isabela Vitorino. Brasil, 2018. 20’ . + Linha de Francisco Lira. Brasil, 2018. Animação. 3’ . 7 + a 1 de Joel Caetano. Brasil, 2018. Com João Caetano. 4’. + Eu pareço suspeito? de Thiago Fernandes. Brasil, 2018. Documentário. 27’. + Nove águas de Gabriel Martins e Quilombo Marques. Brasil, 2019. Com Dione Marques de Souza, José de Souza Franco e Lucindo Marques de Souza. 25’. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 14 anos

17h 12º Encontro de Cinema Negro Zózimo Bulbul: Brasil, África, Caribe e Outras Diásporas Acalanto de Arturo Saboia e Salomão Santana. Brasil, 2013. Com Léa Garcia e Luis Carlos Vasconcelos. 23’. + As filhas do vento de Joel Zito Araújo. Brasil, 2004. Com Taís Araújo, Léa Garcia e Ruth de Souza. 85’. Exibição em 35mm + conversa com o diretor Joel Zito Araújo e a atriz Léa Garcia, mediação Ana Maria Gonçalves. Classificação indicativa 14 anos

19h 12º Encontro de Cinema Negro Zózimo Bulbul: Brasil, África, Caribe e Outras Diásporas Sessão Black LGBTQI + Negrum3 de Diego Paulino. Brasil, 2018. Doumentário. 22’. + Terrorismo lírico de Jonathan Pacheco. Brasil, 2018. 21’. + Dowpression de Assaggi Piá e Rodrigo Mends. Brasil, 2018. 10’. + Tecnoísmo de Marcos Lamoreux. Brasil, 2018. 12’. + Sexy, Bitch – Um poema Pornô de Adriana Bombom e Macário. Brasil, 2018. 7’. + Jésus, aquela bixa preta de Marcela. Brasil, 2018. 21’. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 18 anos

dom 3
12h30 12º Encontro de Cinema Negro Zózimo Bulbul: Brasil, África, Caribe e Outras Diásporas Sessão Infantil Corações encouraçados de Cintia Maria e Jamile Coelho. Brasil, 2018. Documentário. 10’. + Histórias de Yayá – A série de Reinaldo Sant’Ana. Brasil, 2018. 7’. + Linha de Francisco Lira. Brasil, 2018. Animação. 3’. + Quando a chuva vem? de Jefferson Batista. Brasil, 2018. Animação. 8’. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa Livre

15h 12º Encontro de Cinema Negro Zózimo Bulbul: Brasil, África, Caribe e Outras Diásporas Noir Blue de Ana Pi. Brasil, 2018. Com . 27’ . + Náufraga de Juh Almeida. Brasil, 2018. Com Rani Teles. 4’ . + Tudo que é apertado rasga de Fabio Rodrigues. Brasil, 2019. 27’ . + Panã Panã de Coletivo de Mulheres Produtoras Cartel Adélias. Brasil, 2019. Documentário. 5’. + Under the sun de Eduardo Rosário e Jonathas Veloso. Brasil, 2018. Com Eduardo Rosário, Graciela de Paula, Emannuely Gomes e Alba Valéria. 20’. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 14 anos

17h 12º Encontro de Cinema Negro Zózimo Bulbul: Brasil, África, Caribe e Outras Diásporas MARIELLE PRESENTE! Eu sou porque nós somos de Filó Filho. Brasil, 2019. Documentário. 8’ . + A face negra do amor de Tatiana Tiburcio. Brasil, 2019. Com Erika Januza e Val Perré. 24’. + Por gerações de Leila Xavier. Brasil, 2018. Documentário. 23’. + Francisca de Luandeh Chagas e Mariana Duarte. Brasil, 2019. Com Eliete Miranda, Verônica da Costa, Ana Paula Patrocínio e Lorena Bispo. Documentário. 10’. + Por trás das tintas de Alek Lean. Brasil, 2019. Documentário. 2’. + A namoradeira de Jéssica Barbosa. Brasil, 2019. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 14 anos

seg 4
19h 5 X Domingos Oliveira Todo mundo tem problemas sexuais de Domingos Oliveira. Brasil, 2010. Com Cláudia Abreu e Pedro Cardoso. 92’. Exibição em mov (H264). + debate com Renata Pascoal e Ronald Teixeira. Classificação indicativa 16 anos

ter 5
17h 5 X Domingos Oliveira Teu tua de Domingos Oliveira. Brasil, 1976. Com Jorge Alberto, Catalina Bonakie e Armando Bógus. 85’. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 14 anos

19h 5 X Domingos Oliveira Infância de Domingos Oliveira. Brasil, 2010. Com Fernanda Montenegro, Raul Guaraná e Priscilla Rozembaum. 104’. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 14 anos

qua 6
19h Pré-estreia Villa-Lobos: de Bach ao Brasil de Carlos de Andrade. Brasil, 2019. Documentário. 52’. Exibição em DCP. Classificação indicativa Livre

qui 7
14h Curso Afetos e Sensações no Cinema Brasileiro Contemporâneo, com Denílson Lopes e Mariana Baltar, seminário de pós-graduação + Mate-me por favor de Anita Rocha da Silveira. Brasil/Argentina, 2015. Com Valentia Herszage e Dora Freind. 101’. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 16 anos

18h RISCO Cinema Pensamentos sobre pequenos filmes Segunda, terça, quarta estava longe do cinema em Chicago Sunday, Monday and Tuesday I was out of film in Chicago de Erica Sheu. EUA, 2019. 6’18”. + Refazendo o lar Retracing Home de Karissa Hahn. EUA, 2013. 1’45”. + Esboço de filme n. 4 Sketch Film #4 de Tomonari Nishikawa. EUA, 2007. 2’50”. + A meio caminho Midway de Dan Browne. Canadá, 2008. 13’. + D. F. iéndete Ciudad Vándala de Annalisa D. Quagliata. México, 2016. 3’32”. + Coda MCMLXXXV de Alex Faoro. EUA, 2018. 4’14”. + Estrela do mar Aorta Colossus Starfish Aorta Colossus de Lynne Sachs. EUA, 2015. 4’43”. + Mesmo no Paraíso não é bom ficar só Anche in paradiso non è bello essere soli, de Lorenzo Gattorna. Itália/EUA, 2017. 8’05”. Experimental. Exibição em mov (H264). Curadoria Alex Faoro, apresentação e debate Lucas Murari e Luiz Garcia. Classificação indicativa Livre

19h RISCO Cinema Processos Fílmicos Alternativos/Cinema Experimental Argentino Medida Metria de Melisa Aller. Argentina, 2014. 3’30”. Exibição em Super-8. + O Quilpo sonha cataratas El Quilpo sueña cataratas de Pablo Mazzolo. Argentina, 2012. 12’. Exibição em mov (H264). + Clinâmen Clinamen de Carla Porroni. Argentina, 2013. 3’12”. Exibição em mov (H264). + Deadline de Claudio Caldini. Argentina/Canadá, 2015. 1’13”. Exibição em mov (H264). + Gardel de Azucena Losana. Argentina, 2016. 3’07”. Exibição em mov (H264). + Dentro da fábrica Dentro de la fabrica de Santiago Vitale. Argentina, 2019. 4’51”. Exibição em Super-8. + Great Balls of fire de Manu Reyes. Argentina, 2019. 3’16”. Exibição em Super-8. + Gif de Jeff Zorrila. Argentina, 2019. 7’. Exibição em Super-8. + A motivação no trabalho La motivación en el trabajo de Benjamin Ellenberger. Argentina, 2019. 17’. Exibição em mov (H264). + King Size de Colectivo ARPPA. Argentina, 2019. 4’30”. Exibição em mov (H264). Apresentação e Curadoria Moira Lacowicz e Leonardo Zito. Classificação indicativa Livre

20h RISCO Cinema Perfomance LCWCZ.ZT (Moira Lacowicz e Leonardo Zito). Argentina, 2019. 15’; Apresentação ao vivo com 3 Projetores de Super-8. Apresentação e Curadoria Moira Lacowicz e Leonardo Zito. Classificação indicativa Livre

sex 8
14h Sobreurbano: As favelas e suas resistências Via sacra da Rocinha: arte e resistência na favela de Cléber Araújo. Brasil , 2019. 25’. + Prefiro não ser identificada de Juliana Muniz. Brasil, 2018. 20’. + Contradições urbanas de Sérgio Péo. Brasil, 1981. 39’. + Santa Marta, duas semanas no morro de Eduardo Coutinho. Brasil, 1987. 54’. Documentário. Exibição em MP4 (H264). Classificação indicativa 10 anos

18h 5 X Domingos Oliveira BR-716 de Domingos Oliveira. Brasil, 2010. Com Caio Blat, Sophie Charlotte e Gabriel Antunes. 85’. Exibição em mov (H264) + homenagem ao realizador. Classificação indicativa 14 anos

19h30 5 X Domingos Oliveira Os 8 Magníficos de Domingos Oliveira. Brasil, 2017. Documentário. 70’. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 12 anos

sáb 9
16h Semana 10 Anos: Curtas 1 O menino japonês de Caetano Gotardo. Brasil, 2009. Com Caetano Gotardo, Paulo Azevedo e Rômulo Braga. 18’. + Não me deixe em casa de Daniel Aragão. Brasil, 2009. Com John Donovan, Júlio Rocha e Marina Didier. 18’. + Quarto de espera de Davi Pretto e Bruno Carboni. Brasil, 2009. Com Heinz Limaverde e Ian Ramil. 12’. + As sombras de Marco Dutra e Juliana Rojas. Brasil, 2009. Com Helena Albergaria. 15’. Exibição em 35mm. Classificação indicativa 14 anos

17h30 Semana 10 Anos Um lugar ao sol de Gabriel Mascaro. Brasil, 2009. Documentário. 71’. Exibição em mov (H264) + debate Semana – Ontem, Hoje e Amanhã, com os curadores das diferentes edições. Classificação indicativa 10 anos

dom 10
16h Semana 10 Anos Notas flanantes de Clarissa Campolina. Brasil, 2009. Documentário experimental. 47’. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 10 anos

17h30 Semana 10 Anos Tudo isso me parece um sonho de Geraldo Sarno. Brasil, 2008. Documentário. 150’. Exibição em 35mm. Classificação indicativa 10 anos

seg 11
18h30 Semana 10 Anos Acácio de Marília Rocha. Brasil, 2008. Documentário. 88’. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 10 anos

ter 12
18h30 Semana 10 Anos A fuga da mulher gorila de Felipe Bragança e Marina Meliande. Brasil, 2000. Com Flora Dias, Morena Cattoni e Alberto Moura Jr. 88’. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 14 anos

qua 13
17h Semana 10 Anos Morro do Céu de Gustavo Spolidoro. Brasil, 2009. Com Bruno, Joel, Geni e Rau Storti. 71’. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 10 anos

18h30 Semana 10 Anos No meu lugar de Eduardo Valente. Brasil, 2009. Com Dedina Bernardelli, Raphael Sil e Luciana Bezerra. 113’. Exibição em 35mm. Classificação indicativa 16 anos

qui 14
13h Curso Afetos e Sensações no Cinema Brasileiro Contemporâneo, com Denílson Lopes e Mariana Baltar, seminário de pós-graduação + Pendular de Júlia Murat. Brasil/Argentina/França/Alemanha, 2017. Com Raquel Karro e Rodrigo Bolzan. 108’. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 18 anos

17h 57º Festival Villa Lobos: Concerto da Série Jovens Cameristas Camerata de Esquina. Classificação indicativa Livre

18h30 57º Festival Villa Lobos: Mostra Cine Brasil Música Villa-Lobos: uma vida de paixão de Zelito Viana. Brasil 2000. Com Antônio Fagundes, Letícia Spiller e Marcos Palmeira. 130’. Exibição em 35mm. Classificação indicativa Livre

sex 15
15h 57º Festival Villa Lobos: Mostra Cine Brasil Música Deus e o Diabo na Terra do Sol de Glauber Rocha. Brasil, 1964. Com Geraldo del Rey, Yoná Magalhães, Othon Bastos e Maurício do Valle. 120’. Exibição em 35mm. Classificação indicativa Livre

17h 57º Festival Villa Lobos: Concerto da Série Jovens Cameristas Duo Kinesis. Classificação indicativa Livre

18h30 Semana 10 Anos Mangue negro de Rodrigo Aragão. Brasil, 2008. Com Ricardo Araújo, Marcelo Castanheiro e Walderrama dos Santos. 100’. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 18 anos

sáb 16
15h – 57º Festival Villa Lobos: Mostra Cine Brasil Música O descobrimento do Brasil de Humberto Mauro. Brasil, 1937. Com Álvaro Costa, João de Deus e Manoel Rocha. 60’. Exibição em 35mm. Classificação indicativa Livre

16h 57º Festival Villa Lobos: Concerto da Série Jovens Cameristas Five Brass. Classificação indicativa Livre

17h30 Semana 10 Anos Balsa de Marcelo Pedroso. Brasil, 2009. Documentário. 47’. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 10 anos

18h30 – Semana 10 Anos A casa de Sandro de Gustavo Beck. Brasil, 2009. Documentário. 75’. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 10 anos

dom 17
16h Semana 10 Anos: Curtas 2 Pastoreio de Alexandre R. Garcia. Brasil, 2009. Documentário. 17’. + Sweet Karolyne de Ana Bárbara Ramos. Brasil, 2009. Documentário. 15’. + Bloco D. de Vinicius Casimiro. Brasil, 2009. Com Gislaine Miyono e Joeli Pimentel. 6’. + Passos no silêncio de Guto Parente. Brasil, 2008. Com Thais Dahas. 17’. Exibição em 35mm. Classificação indicativa 14 anos

17h30 Semana 10 Anos Sagrado segredo de André Luiz Oliveira. Brasil, 2009. Com Guilherme Reis e Amit Goswami. 75’. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 14 anos

seg 18
19h Sessão Especial Raoni de Jean-Pierre Dutilleux e Luiz Carlos Saldanha. Brasil, 1978. Documentário. 84’. Exibição em 35mm. + conversa com o realizador. Classificação indicativa 14 anos

ter 19
15h SUBSTITUIÇÃO Planeta Ginga Film Festival A fera da selva de Paulo Betti e Eliane Giardini. Brasil, 2019. 90′. Classificação indicativa 12 anos.

17h Planeta Ginga Film Festival O invasor de Beto Brant. Brasil, 1998. Com Marco Ricca, Alexandre Borges e Paulo Miklos. 97’. Exibição em 35mm. Classificação indicativa 18 anos

19h Planeta Ginga Film Festival Persona non grata de Roschdy Zem. França, 2019. Com Nicolas Duvauchelle, Raphaël Personnaz e Roschdy Zew. 92’. Legendas em português. + O ciclo de John Duke e Freddy Vitorino. França – Brasil, 2019. Com Paco Boublard, Raff Giglio, William Jonser, Freddy Vitorino. 12’ . Exibição em DCP. Classificação indicativa 18 anos

qua 20
15h Olho cru de Emilio Dante e Leandro Firmino da Hora. Brasil, 2019. Com Wellington Silva, Kleiton de Jesus, Bruno Ricardo, André Costa. 12’. Exibição em DCP. + 15h30 SUBSTITUIÇÃO Planeta Ginga Film Festival Eles Só Usam Black Tie de Sibs Shon-gwe-La Mer. África do Sul, 2017. 86′ + debate. Classificação indicativa 14 anos

18h30 Meteorango 50 Anos Meteorango Kid: Herói Intergaláctico de André Luiz Oliveira. Brasil, 1969. Com Antônio Luiz Martins, Maria Adelina e Sônia Dias. 85’. Exibição em 35mm. Sessão comemorativa com a presença do realizador e da atriz Sônia Dias. Classificação indicativa 14 anos

qui 21
16h O ciclo de John Duke e Freddy Vitorino. França – Brasil, 2019. Com Paco Boublard, Raff Giglio, William Jonser, Freddy Vitorino. 12’ . Exibição em DCP. Classificação indicativa 18 anos + SUBSTITUIÇÃO Planeta Ginga Film Festival Show Nelio Fernando 1. 5’.+ Olho cru de Emilio Dante e Leandro Firmino da Hora. Brasil, 2019. Com Wellington Silva, Kleiton de Jesus, Bruno Ricardo, André Costa. 12’. Exibição em DCP. Classificação indicativa 14 anos

16h30 (Sessão cancelada) Planeta Ginga Film Festival Desfile Mode. 5’. + Show Nelio Fernando 2. 5′.

17h Planeta Ginga Film Festival Cerimônia de Premiação. Apresentação Anderson Marrokino

18h Planeta Ginga Film Festival Visages, Villages de JR e Agnès Varda. França, 2017. Documentário. 94’. Legendas em português. Exibição em DCP. Classificação indicativa 12 anos. Sessão com a presença do diretor JR.

sex 22
11h Cabíria Festival – Mulheres e Audiovisual Credenciamento

13h Sobreurbano: Favelas e religião Quando você chegou meu santo já estava de Instituto Raízes em Movimento. Brasil, 2018. 30’. + Santo Forte de Eduardo Coutinho. Brasil, 1999. Documentário. 83’. Exibição em mov (H264) e 35mm. Classificação indicativa 12 anos

14h30 Cabíria Festival – Mulheres e Audiovisual Gênero e Diversidade na Cadeia Produtiva do Audiovisual, com Mariane Ferreira (roteirista), Débora Ivanov (Produtora Criativa), Paula Gomes (Olhar Distribuição), Ana Gabriela (Canal Curta) e Marina Pompeu (Canal Brasil), mediação de Krishna Mahon. Classificação indicativa Livre

16h30 Cabíria Festival – Mulheres e Audiovisual Encontro de iniciativas afirmativas, com Malu Andrade (SpCine), Erica de Freitas (Projeto Visionárias), Josi Campos (VideoCamp) e Fernanda Lomba (Instituto Nicho 54), e mediação de Andréa Cals.

18h30 Cabíria Festival – Mulheres e Audiovisual Encontro de Realizadoras.

19h30 Cabíria Festival – Mulheres e Audiovisual Premiação

20h20 Cabíria Festival – Mulheres e Audiovisual: Sessão de Abertura – Alfazema de Sabrina Fidalgo. Brasil, 2019. 25’. + O Mundo de dentro de Adélia Sampaio. Brasil, 2019. 8’. Exibição em mov (H264). Sessão apresentada por Adélia Sampaio e Bruna Linzmeyer. Classificação indicativa 12 anos

sáb 23
10h30 Cabíria Festival – Mulheres e Audiovisual Credenciamento

11h30 Cabíria Festival – Mulheres e Audiovisual: Sessão Infantil Lé com Cré de Cassandra Reis. Brasil, 2018. 5’29”. + Vivi Lobo e o quarto mágico de Isabelle Santos e Edu MZ Camargo. Brasil, 2019. 13′. + Fábula da vó Ita de Prado Thalita Oshiro Meireles. Brasil, 2017. 5’25”. + Orun Ayiê, A Criação do mundo de Jamile Coelho e Cintia Maria. Brasil, 2015. 12’. Animação. Exibição em mov (H264). + bate-papo com as realizadoras. Classificação indicativa Livre

13h Cabíria Festival – Mulheres e Audiovisual Eleições de Alice Riff e Vanessa Fort. Brasil, 2019. Documentário. 93’. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 12 anos + Masterclass Desenvolvimento de projetos, com Raquel Leiko. Classificação indicativa Livre

15h Cabíria Festival – Mulheres e Audiovisual: Estudo de Caso Eleições, com as realizadoras Alice Riff, diretora, e Vanessa Fort, roteirista. Classificação indicativa Livre + Desafios do Audiovisual hoje, com Débora Ivanov, Janaína Oliveira, Lucia Murat, Mariana Ricciardi, Tatiana Leite e Ylla Gomes, e mediação de Fernanda Lomba. Classificação indicativa Livre

17h Cabíria Festival – Mulheres e Audiovisual Tea for two de Julia Katharine. Brasil, 2018. Com Amanda Lyra, Carlos Eduardo Valente e Gilda Nomacce. 24′. + Grito! Parte I: Mini Manifesto feminista interseccional em imagens de Dandara de Morais. Brasil, 2018. Documentário. 23’25”. + Poder de Sabrina Rosa. Brasil, 2018. Com Sabrina Rosa, Luana Xavier, Mary Sheila e Cintia Rosa. 20′. Exibição em mov (H264). + bate-papo com as realizadoras e mediação de Paula Alves. Classificação indicativa 14 anos

19h15 Cabíria Festival – Mulheres e Audiovisual Cadelas de Rita Toledo. Brasil, 2018. Com Leandra Leal e Rafael Losso. 22′. + O sussurro do jaguar de Thais Guisasola e Simon(e) Jaikiriuma Paetau. Brasil/Colômbia/Alemanha, 2018. Com Simon(e) Jaikiriuma Paetau, Thais Guisasola, Marianne Sonsalo, Daniel Martins, Constanza Ospina, Guilherme Maciel de Aguiar e Maria Inês Coelho. 79′. Exibição em DCP. + bate-papo com as realizadoras, mediação Eleonora Loner. Classificação indicativa 16 anos

dom 24
13h Cabíria Festival – Mulheres e Audiovisual Prefiro não ser identificada de Juliana Muniz. Brasil, 2018. Documentário. 20′. + Sem Asas de Renata Martins. Brasil, 2019. Com Grace Passô, Kaik Pereira, Melvin Santhana. 20′. + A mulher que sou de Nathália Tereza. Brasil, 2018. Com Cássia Damasceno e Renato Novais. 15’09”. Exibição em mov (H264). + bate-papo com as realizadoras, mediação Cíntia Domit Bittar. Classificação indicativa Livre + Masterclass Processo criativo, com Karine Teles. Classificação indicativa 10 anos.

15h Cabíria Festival – Mulheres e Audiovisual: Sessão Mães & Filhos Los silencios de Beatriz Seigner. Brasil/França/Colômbia, 2018. Com Marleyda Soto e Enrique Diaz. 88. Exibição em DCP. + conversa com a realizadora. Classificação indicativa Livre + Estudo de Caso Filme em processo, com as realizadoras Renata Martins, Jaqueline Souza e Ana Johann, mediação Marina Meira. Classificação indicativa Livre

17h15 Cabíria Festival – Mulheres e Audiovisual Torre de Nadia Mangolim. Brasil, 2017. Animação. 18′. + Travessia de Safira Moreira. Brasil, 2017. Experimental. 5′. + Baile de Cintia Domit Bittar. Brasil, 2019. Com Adélia Domingues Garcia e Adriane Canan. 18′. + Fartura de Yasmin Thayná. Brasil, 2019. Documentário. 27’. Exibição em mov (H264). + bate-papo com as realizadoras. Classificação indicativa 12 anos

19h45 Cabíria Festival – Mulheres e Audiovisual À luz delas de Nina Tedesco e Luana Farias. Brasil, 2019. Documentário. 75′. Exibição em DCP. + bate-papo com as realizadoras, e mediação de Natara Ney. Classificação indicativa Livre

seg 25
18h30 Cine Fantástico Uma lagartixa num corpo de mulher Una lucertola con la pelle di donna de Lucio Fulci. Itália/Espanha, 1971. Com Florinda Bolkan, Jean Sorel e Stanley Baker. 104’. Legendas em português. Exibição em MP4 (H264). Classificação indicativa 18 anos

ter 26
19h Pré-estreia O segundo encontro de Véronique Ballot. Brasil, 2019. Documentário. 70’. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa Livre

qua 27
19h Pré-estreia: Corpo e Espaço em tempos Contraditórios Um jardim singular de Monica Klemz, Thiago Simas, Ricardo Aleixo e Ricardo Bento. Brasil, 2017. Documentário experimental. 15’18”. + Ser feminino de Márcia Poppe. Brasil, 2019. Documentário. 71’21”. Exibição em DCP. Classificação indicativa Livre.

qui 28
14h Curso Afetos e Sensações no Cinema Brasileiro Contemporâneo, com Denílson Lopes e Mariana Baltar, seminário de pós-graduação + Quebra mar de Cris Lyra. Brasil, 2019. Documentário. 26’. + A felicidade delas de Carol Rodrigues. Brasil, 2019. Com Yvi Souza e Tamirys O’Hanna. 14’. + O mistério da carne de Rafaela Camelo. Brasil, 2019. Com Bianca Terraza e Pâmela Germano. 18’. + Peixe de Yasmin Guimarães. Brasil, 2019. Com Andréa Cópio e Lorena Tófani. 17’. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 18 anos

18h Esquenta Festival 1666 2Heim de Eva Claus. Bélgica, 2018. 2′. + Sobre aquilo que nos diz respeito de Cris Miranda. Brasil, 2016. 8′. + Teu nome veio da África de Maria Luiza Aboim. Brasil, 1979. 37′. + Creche-lar de Maria Luiza Aboim. Brasil, 1978. 9′. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 14 anos

19h30 Festival 1666: Competitiva 1 – The work appearing in your memory is not mine de Maura Castanheira Grimaldi. Brasil, 2018. 13′. + Zinn de Stuart Moore. Inglaterra, 2018, 3′. + Solon de Clarissa Campolina 16′. Brasil, 2016. 16′. + Russell de Eva Claus. Bélgica, 2018. 3′. + Apolo de Andrés Pardo Piccone. México, 2017. 3′. + Documentation Report (No. 0617 – 0918)] de Beatrice Schuett Moumdjian. Alemanha, 2019. 5′. + Princesa morta do Jacuí de Marcela Ilha Bordin. Brasil, 2018. 17′. Exibição em 16mm. Classificação indicativa 12 anos

sex 29
10h Festival 1666 Oficina de intervenção em película 16mm. Classificação indicativa Livre

14h Sobreurbano: Cotidiano e solidariedade na favela Retalhos de uma manta coletiva de Felipe Eugenio e Raquel Finco. Brasil, 2013. 32’. + Favela que me viu crescer de Paula Morena. Brasil, 2017. 15’. + Histórias de vila de Leo Shun. Brasil, 2016. 98’. Documentário. Exibição em mov (H264). Sessão seguida de debate com os diretores e produtores dos filmes: Cleber Araujo, Juliana Muniz e Franciele Campos, Davi, Léo Lima e Paula Morena, Felipe Eugênio, Léo Shun. Classificação indicativa 12 anos

18h Festival 1666: Paralela 1 Sem coração de Nara Normande, Tião. Brasil, 2014. 26′. + courage (azul): naipe de paus de Inês Nin. Brasil, 2019. 4′. + Acrilírico de Ricardo Fernandes Murad. Brasil, 2016. 4′. + Vermelha é a luz do freio de Cris Miranda. Brasil, 2013. 7′. + A rã e deus de Alice Furtado. Brasil/França, 2013. 20′. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 16 anos

19h15 Festival 1666 convida Urubu Cine Rocinha Brasil 1977 (mais conhecido como Rocinha 77) de Sérgio Péo. Brasil, 1977. 19′. + A trama da rede de José Inácio Parente. Brasil, 1980. 9′. + A divina festa do povo de José Inácio Parente. Brasil, 1983. 13′. + Acorde maior de José Inácio Parente. Brasil, 1984. 4′. Documentário. Exibição em 35mm. Curadoria Lucas Parente. Classificação indicativa 14 anos

20h Festival 1666: Competitiva 2 Laranja da meia-noite Midnight Orange de Gautam Valluri. França, 2019. 11′. + Lua Luna de Ernesto Baca. Argentina, 2017. 7′. + Ich schneide deine Zunge de Alice Dalgalarrondo. Brasil/Alemanha, 2015. 3′. + O olho e o espírito de Amanda Beça. Brasil, 2017. 10′. + Trem à deriva Train à la dérive de Laura Gabay. Suíça, 2019. 3′. + Tantas vozes no silêncio do agora de Cris Miranda. Brasil, 2018. 11′. + El Meraya de Melissa Dullius e Gustavo Jahn. Brasil/Alemanha, 2018. 19′. Experimental. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 12 anos

sáb 30
10h Festival 1666 Oficina de intervenção em película 16mm. Classificação indicativa Livre

15h Festival 1666 Paralela 2 Locomoção Locomoción de Ernesto Baca. Argentina, 2015. 3′. + E tu, quem és? de Rodrigo Séllos . Brasil, 2010. 7′. + Ouça o ciclone de Lucas Camargo de Barros. Brasil, 2013. 18′. + O plano do cachorro de Arthur Lins. Brasil, 2009. 10′. + Trago a pessoa amada em três dias de Felipe Cataldo. Brasil, 2008. 17′. + Operação Morengueira de Francisco Serra. Brasil, 2005. 15′. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 16 anos

16h30 Festival 1666 Competitiva 3 26 postais para Dica de Frederico Benevides. Brasil, 2018. 21′. + Nós devemos fumar um cigarro Ci dovremo fumare una sigaretta de David Ernesto Iglesias Romero. Panamá, 2018. 8′. + Muito além do mar Más allá que el mar de Vania Carolina Quevedo Priego. Cuba, 2018. 6′. + Extratos de Sinai Sganzerla. Brasil, 2019. 8′. + Num país estrangeiro de Karen Akerman & Miguel Seabra. Brasil/Portugal, 2018. 25′. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 14 anos

18h Festival 1666: Encerramento Exibição filmes realizados nas oficinas (SP e RJ – 2019). 15′. Exibição em 16mm. + Premiação Júri Popular – RJ. + Boni Bonita de Daniel Barosa. Brasil/Argentina, 2019. 84′. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 16 anos

PROGRAMAÇÃO – outubro 2019

ter 1
18h30 – Pré-estreia – A indefectível missão de Renildo Salvador de Ronaldo German. Brasil, 2019. Com Alexandre Dacosta e Tania Ferreira. 94’. Exibição em mov (H264). Sessão seguida de roda de conversa com a equipe. Classificação indicativa 14 anos.

qua 2
9h – Rota – Festival de Roteiro Audiovisual – Abertura do Laboratório. Consultorias com Dani Reule, Fidelys Fraga, Gustavo Guimarães e Monica Solon. Classificação indicativa Livre.
15h – Rota – Festival de Roteiro Audiovisual – Consultorias com Dani Reule, Fidelys Fraga, Gustavo Guimarães e Monica Solon. Classificação indicativa Livre.

qui 3
9h – Rota – Festival de Roteiro Audiovisual – Abertura do Laboratório. Consultorias com Dani Reule, Fidelys Fraga, Gustavo Guimarães e Monica Solon. Classificação indicativa Livre.
14h – Curso – Afetos e Sensações no Cinema Brasileiro Contemporâneo, com os professores Denílson Lopes e Mariana Baltar. Seminário de pós-graduação acompanhado da projeção de Mate-me por favor de Anita Rocha da Silveira. Brasil/Argentina, 2015. Com Valentia Herszage e Dora Freind. 101’. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 16 anos.
15h – Rota – Festival de Roteiro Audiovisual – Consultorias com Dani Reule, Fidelys Fraga, Gustavo Guimarães e Monica Solon. Classificação indicativa Livre.

sex 4
9h – Rota – Festival de Roteiro Audiovisual – Abertura. Classificação indicativa Livre.
9h15 – Rota – Festival de Roteiro Audiovisual: Mesa Balbúrdia 1 / Processos criativos em roteiro – Como o roteiro pode antever o projeto estético do filme cinematográfico, com Érica Sarmet; As diversas formas de escrita do roteiro audiovisual, com Cristina Gomes; Narrativas não-clássicas – destrinchando suas estruturas e aprendendo a usá-las de forma envolvente, com Juliana Milheiro. Mediação de Tayo Omura. Classificação indicativa Livre.
11h30 – Rota – Festival de Roteiro Audiovisual: Palestra 1 – Anti-heróis: a nova tônica para a construção e personagens com Pedro Reinato. Classificação indicativa Livre.
13h20 – Sobreurbano: Estilos de Vida Urbanos – Medianeras: Buenos Aires da era do amor virtual Medianeras de Gustavo Taretto. Argentina/Espanha/Alemanha, 2011. Com Javier Drolas, Miguel Dedovich e Pilar López de Ayala. 95’. Legendas em português. Exibição em MP4 (H264). Classificação indiucativa 12 anos.
15h – Rota – Festival de Roteiro Audiovisual: Estudo de Caso 2 – Como construir um roteiro de documentário, com Emílio Domingos. Classificação indicativa Livre.
16h30 – Rota – Festival de Roteiro Audiovisual: Estudo de Caso 1 – This is us com Carolina Amaral e Mariana Baltar. Classificação indicativa Livre.
18h – Rota – Festival de Roteiro Audiovisual: Mesa de Debate 1 – Lugar de fala, com Clementino Junior, Luciana Monteiro, Maria Shu e Marília Nogueira. Mediação de Carla Cristina Perozzo. Classificação indicativa Livre.
20h – Rota – Festival de Roteiro Audiovisual: Mostra de Curtas A – O sentinela da frágil fortaleza de Alexandre Vale. Brasil, 2019. Com Pantico Rocha. 9’. + Presente de Deus de Daniel Barros. Brasil, 2019. Documentário. 13’47”. + Megg – A margem que migra para o centro de Larissa Nepomuceno e Megg Rayara. Brasil, 2018. Com Megg Rayara Gomes de Oliveira. 15’01”. + Codinome Breno de Manoel Batista. Brasil, 2018. Com Margarida Seabra, Zuleide Amorim, Pedro Batista, Joao Mares Guia, Dilma Rousseff e Gilberto Vasconcelos. 19’30”. + Bicha-bomba de Marcelo Oriani e Renande Cillo. Brasil, 2019. Com Luca Scarepelli, Lui Castranho, Marcelo Oriani e Renan de Cillo. 8’. + Pouso autorizado de Áquilla Jamille. Brasil, 2019. Com Maria Gabriella Fiais, Maria Augusta Moreira, Fernanda Abreu, Alice Bárbara Rodrigues, Lisandra Carvalho e Luciana Brasil. 9’. + Vinde como estais de Rafael Ribeiro. Brasil, 2019. Com Kit Redstone, Kaique Theodoro, Kethelleen Cajueiro, Ralph Duccini, Rebeca Blando e Vanessa Alves. 16’01”. Exibição em mov (H264) e MP4 (H264). Classificação indicativa 14 anos.

sab 5
9h15 – Rota – Festival de Roteiro Audiovisual: Mesa Balbúrdia 2 / Teoria(s) do Roteiro – A poética do roteiro em comparação com os Estudos de Cinema, com Rafael Leal; Roteiro e convenções de gênero literário, com Carolina Amaral; O roteiro como literatura (ou gênero literário), com Maria Caú. Mediação de Maria Caú. Classificação indicativa Livre.
11h30 – Rota – Festival de Roteiro Audiovisual – Entrevista com Claudio Paiva, realizada por Bruno Bloch e Felippo Cordeiro, do podcast Primeiro Tratamento. Classificação indicativa Livre.
14h30 – Rota – Festival de Roteiro Audiovisual: Palestra 2 – As engrenagens da cena com Maquinário Narrativo, com Marina Meira e Rodrigo de Vasconcellos. Classificação indicativa Livre.
16h – Rota – Festival de Roteiro Audiovisual: Palestra 3 – O dito e o não dito: diálogos no audiovisual, com Fidelys Fraga. Classificação indicativa Livre.
17h30 – Rota – Festival de Roteiro Audiovisual: Mesa de Debate 2 – Como criar em tempos de corte de financiamento público, com Bill Labônia, Carolina Ficheira e Cavi Borges. Mediação de Monica Solon. Classificação indicativa Livre.
19h30 – Rota – Festival de Roteiro Audiovisual: Mostra de Curtas B – Nuvem negra de Natália Tavares e Flávio Andrade. Brasil, 2018. Com Jean-Claude Bernardet, Adele Scotti, Ana Lua Ribeiro, Andreia Borges e Severo Filho. 14’53”. + Broto de Antônio Teicher. Brasil, 2018. Com Gisele Lisboa, Thais D’Castro, Guilherme Bianco, Rollo e Sandra Incutto. 19’59”. + Macaco albino de Leandro Robles. Brasil, 2019. Animação. 06’06”. + Cão maior de Gabriel Pimentel. Brasil, 2019. Com Igor Ariel Melo, Richarde e Roberval de L. Leone dos Santos. 20’00”. + Onze minutos de Hilda Lopes Pontes. Brasil, 2018. Com Laís Machado e Rafael Medrado. 17’18”. + Amor de Fernanda Mazzeo. Brasil, 2019. Com Alline Angeli, Mikaela Kowatsch, Monique Ridge, Wagner Duque, Lucas Trevizani, Joel Tavares e Felipe Dutra. 9’. + Redenção de Alessandra Pajolla. Brasil, 2019. Com Ana Karina Barbieri, Felipe Ferreira e Silvia França. 15’02”. Exibição em mov (H264) e MP4 (H264). Classificação indicativa 14 anos.

dom 6
10h – Rota – Festival de Roteiro Audiovisual: Palestra 4 – Adaptação: do livro às telas, com Monica Solon. Classificação indicativa Livre.
11h30 – Rota – Festival de Roteiro Audiovisual: Palestra 5 – Diamante do personagem, com Pedro Riguetti. Classificação indicativa Livre.
15h – Rota – Festival de Roteiro Audiovisual: Master Class – Sala de Roteirista, com Elena Soarez. Classificação indicativa Livre.
16h30 – Rota – Festival de Roteiro Audiovisual – Pitchings do Laboratório. Classificação indicativa Livre.
19h30 Rota – Festival de Roteiro Audiovisual – Cerimônia de premiação e Homenagem. Classificação indicativa Livre.

seg 7
9h – Rota – Festival de Roteiro Audiovisual – Reunião com produtoras, distribuidoras e programadoras de televisão. Classificação indicativa Livre.

ter 8
19h – Carlos Adriano – sem título # 1 : Dance of Leitfossil. Brasil, 2013-2014. 5’30”. + sem título # 2: la mer larme. Brasil, 2009-2015. 31’. + sem título # 3: E para que poetas em tempo de pobreza?. Brasil, 2015-2016. 13’. + sem título # 4: Apesar dos pesares, na chuva há de cantares. Brasil, 2017-2018. 29’. + sem título # 5: A rotina terá seu enquanto. Brasil, 2018-2019, 10’. + Festejo muito pessoal. Brasil, 2016. 8’30“. Experimental. Exibição em mov (H264), Sessão seguida de roda de conversa com o realizador e mediada por André Parente. Classificação indicativa Livre.

qua 9
18h30 – Sessão Pianeiro – O prova de fogo The Paleface de Eddie Cline e ‘Buster’ Keaton. EUA, 1922. Com Buster Keaton e Viginia Foz. 20’. + A casa elétrica The Eletric House de Eddie Cline e ‘Buster’ Keaton. EUA, 1922. Com Buster Keaton e Viginia Foz. 23’. Legendas em português. Exibição em MP4 (H264). Sessão com acompanhamento musical ao vivo por Cadu. Classificação indicativa Livre.

qui 10
18h – Sessão Retrolâmpago – Bancando o Águia Sherlock Jr. de Buster Keaton. EUA, 1924. Com Buster Keaton e Kathryn McGuire. 45’. + Magia & Mistérios do Cinema: a realização de Bancando o Águia Movie Magic & Mysteries: The making of Sherlock Jr. de Bret Wood (não creditado). EUA, 2010. Documentário. 23’. Legendas em português. Exibição em MP4 (H264). Sessão precedida de apresentação e seguida de sorteios de cartazes. Classificação indicativa Livre. Curadoria Igor Andrade Pontes. Organização: Drika de Oliveira, Igor Andrade Pontes e João Antonio Franz.

sex 11
14h – Sobreurbano: Estilos de Vida Urbanos – Rio, 40 graus de Nelson Pereira dos Santos. Brasil, 1955. Com Ana Beatriz, Modesto de Souza, Jece Valadão, Glauce Rocha e Roberto Bataglin. 100’. Exibição em 35mm. Classificação indicativa 12 anos.
18h30 – Urubu Cine: Sessão especial “Tesouros da Cinemateca” – Meio-Dia de Helena Solberg. Brasil, 1969. Ficção-documentário. 10’. + Visão apocalíptica do radinho de pilha de Fernando Monteiro. Brasil, 1972. Documentário. 11′. + É proibido jogar de José Figueira Gama. Brasil, 1979. Ficção-documentário. 9′. + A nostalgia do branco de Ricardo Miranda. Brasil, 1979. Filme-ensaio. 12′. + Cidade de Hilton Kauffmann. Brasil, 1980. Animação. 6′. + Com a boca no trombone de Ismar Porto. Brasil, 1982. Documentário. 8′. + O carrasco da floresta de Vitor Lustosa. Brasil, 1987. Documentário. 10′. Exibição em 35mm. Classificação indicativa 14 anos.

sab 12
12h – ArtCore / Espelho Colorido, Mini Festival de Cinema: O Futuro é agora – Afeto de Gabriela Gaia Meirelles e Tainá Medina. Brasil, 2019. Com Aline Besouro e Ana Lobo. 15′. Exibição em mov (H264). Sessão seguida de roda de conversa com a realizadora Gabriela Gaia. Classificação indicativa 12 anos.
13h – ArtCore / Espelho Colorido, Mini Festival de Cinema: O Futuro é agora – Tecido, sigilo de Lucílio Jota. Brasil, 2018. Documentário. 15′. Exibição em mov (H264). Sessão seguida de roda de conversa com o realizador. Classificação indicativa 14 anos.
14h – ArtCore / Espelho Colorido, Mini Festival de Cinema: O Futuro é agora – Deixa na régua de Emílio Domingos. Brasil, 2016. Documentário. 73′. Exibição em mov (H264). Sessão seguida de roda de conversa com os realizadores Emilio Domingos e Lúcio Jota, Clariza Rosa (Jacaré Moda) e Gessica Justino (Shapp). Classificação indicativa 10 anos.
17h – L.U.T.O. – Terra em transe de Glauber Rocha. Brasil, 1967. Com Jardel Filho e Glauce Rocha. 111’. Exibição em 35mm. Classificação indicativa 16 anos.
19h – Pré-estreia – Foliar Brasil, ep. São Sebastião, Jongo, Resistência indígena e Chico Rei de Carolina Paiva. Brasil, 2019. Série documental de televisão, 2ª. Temporada. 26’ por episódio. Exibição em mov (H264). Sessão seguida de apresentação do Jongo Sementes da África, de Barra do Piraí/RJ, e coquetel. Classificação indicativa 10 anos.

dom 13
10h – ArtCore – Talk sobre a presença das mulheres no Skate e em grupos criativos nos grandes centros urbanos, com Britney Crew + HZC Crew. Classificação indicativa Livre.
13h30 – ArtCore/ Espelho Colorido, Mini Festival de Cinema: Toda história é verdade – Mariwö. Brasil, 2018. Documentário. 15′. Exibição em mov (H264). Sessão seguida de roda de conversa com a realizadora Gabriela Gaia. Classificação indicativa 12 anos.
14h – ArtCore/ Espelho Colorido, Mini Festival de Cinema: Toda história é verdade – Underrated Fashion Film de Of Color. Brasil, 2018. Documentário. 15′. Exibição em mov (H264). Sessão seguida de roda de conversa com o realizador. Classificação indicativa 14 anos.
14h30 – ArtCore/ Espelho Colorido, Mini Festival de Cinema: Toda história é verdade – Inspire the night, ep. Batekoo de Red Bull TV. Brasil, 2019. Documentário. 15′. Exibição em mov (H264). Sessão seguida de roda de conversa com o realizador. Classificação indicativa 10 anos.
18h – Em torno do cinema – Adeus, Dragon Inn Bú sàn / 不散 de Tsai Ming-Liang. Taipei, 2003. Com Kang-Sheng Lee e Shiang-chyi Shen. 82’. Legendas em português. Exibição em MP4 (H264). Classificação indicativa 10 anos.

seg 14
15h – Primórdios do Medo – Uma página de loucura Kurutta ippêji / 狂った一頁 de Teinosuke Kinugasa. Japão, 1926. Com Masuo Inoue, Ayako Iijima e Yoshie Nakagawa. 71’. Legendas em português. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 16 anos. Curadoria Cláudio Gabriel.
18h30 – Primórdios do medo – Drácula Dracula de Tod Browning. EUA, 1931. Versão em inglês. Com Bela Lugosi, Helen Chandler, David Manners e Edward Van Sloan. 74’. Legendas em português. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 16 anos.

ter 15
17h – Primórdios do Medo – O estudante de Praga Der Student von Prag de Paul Wegener e Stellan Rye. Alemanha, 1913. Com Paul Wegener, Grete Berger e Lyda Salmonova. 85’. Legendas em português. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 16 anos.
19h – Primórdios do medo – A carruagem fantasma Körkarlen de Victor Sjöstrom. Suécia, 1921. Com Victor Sjöstrom, Hilda Borgström, Tore Svennberg e Astrid Holm. 107’. Legendas em português. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 16 anos.

qua 16
16h – Primórdios do Medo – O homem que ri The Man Who Laughs de Paul Leni. EUA, 1928. Com Mary Philbin e Conrad Veidt. 110’. Legendas em português. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 16 anos.
18h – Primórdios do Medo – O gabinete do Dr. Caligari Das Cabinett des Dr. Caligari de Robert Wiene. Alemanha, 1919. Com Werner Krauss, Conrad Veidt e Lil Dagover. 77’. Legendas em português. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 16 anos.
20h – Primórdios do medo – O homem invisível The Invisible Man de James Whale. EUA, 1933. Com Claude Rains, Gloria Stuart, William Harrigan e Una O’Connor. 68’. Legendas em português. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 16 anos.

qui 17
14h – Curso – Afetos e Sensações no Cinema Brasileiro Contemporâneo, com os professores Denílson Lopes e Mariana Baltar. Seminário de pós-graduação acompanhado da projeção de Inferninho de Guto Parente e Pedro Diógenes. Brasil, 2018. Com Yuri Yamamoto e Demick Lopes. 82’. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 18 anos.
18h30 – Primórdios do medo – O inferno L’inferno de Francesco Bertolini. Itália, 1911. Com Salvatore Papa, Arturo Pirovano, Giuseppe de Liguoro e Pier Delle Vigne. 72’. Legendas em português. Exibição em mov (H264). Com trilha musical criada para a sessão por Ruy Gardnier. Classificação indicativa 16 anos.

sex 18
14h – Sobreurbano: Estilos de Vida Urbanos – Rio, Zona Norte de Nelson Pereira dos Santos. Brasil, 1957. Com Grande Otelo, Jece Valadão, Paulo Goulart e Ângela Maria. 90’. Exibição em 35mm. Classificação indicativa 12 anos.
16h – Primórdios do Medo – A mansão do Diabo Le manoir du Diable de Georges Méliès. França, 1896. Com Jehanne d’Alcy, Jules-Eugène Legris e Georges Méliès. 3’. + Frankenstein de J. Searle Dawley. EUA, 1910. Com Mary Fuller e Charles Ogle. 16’. + O retrato Portret de Wladyslaw Starewicz. Rússia, 1915. Fragmento. Com Andrey Gromov e Ivan Lazarev. 8’. + A casa assombrada The Haunted House de Eddie Cline e ‘Buster’ Keaton. EUA, 1921. Com Buster Keaton e Virginia Fox. + Rapsódia satânica Rapsodia satânica de Nino Oxilia. Itália, 1917. Fragmento. Com Lyda Borelli, Andrea Habay e Ugo Bazzini. 43’. Legendas em português. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 14 anos.
18h30 – Primórdios do medo – Fausto Faust: Eine Deutsche Volkssage de F. W. Murnau. Alemanha, 1926. Com Gösta Ekman, Emil Jannings, Camilla Horn e Wilhelm Dieterle. 107’. Legendas em português. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 16 anos.

sab 19
15h – Primórdios do Medo – À meia noite levarei sua alma de José Mojica Marins. Brasil, 1964. Com José Mojica Marins, Magda Mei, Nivaldo Lima, Valéria Vasquez e Ilídio Martins Simõs. 3’. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 16 anos.
17h – Primórdios do medo – Zumbi branco White Zombie de Victor Halperin. EUA, 1932. Com Bela Lugosi, Madge Bellamy, Joseph Cawthorn e Robert Frazer. 67’. Legendas em português. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 16 anos.

dom 20
15h – Primórdios do Medo – O vampiro Vampyr de Carl Theodor Dreyer. França/Alemanha, 1932. Com Julian West, Maurice Schutz, Rena Mandel, Sybille Schmitz e Jan Hieronimko. 73’. Legendas em português. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 16 anos.
17h – Primórdios do medo – Nosferatu Nosferatu, eine Symphonie des Grauens de F. W. Murnau. Alemanha, 1922. Com Max Schreck, Alexander Granach, Greta Schröder e Gustav von Wangenheim. 81’. Legendas em português. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 16 anos.

seg 21
19h – Truffaut em 35mm: Uma Semana de Cinefilia – De repente num domingo Vivement dimanche! de François Truffaut. França, 1983. Com Fanny Ardant e Jean-Louis Trintignant. 110’. Legendas em português. Exibição em 35mm. Classificação indicativa 14 anos.

ter 22
17h – Truffaut em 35mm: Uma Semana de Cinefilia – A mulher do lado La femme d’à côté de François Truffaut. França, 1981. Com Gérard Depardieu e Fanny Ardant. 106’. Legendas em português. Exibição em 35mm. Classificação indicativa 14 anos.
19h – Truffaut em 35mm: Uma Semana de Cinefilia – O último metrô Le dernier métro de François Truffaut. França, 1980. Com Gérard Depardieu e Catherine Deneuve. 131’. Legendas em Português. Exibição em 35mm. Classificação indicativa 14 anos.

qua 23
17h – Truffaut em 35mm: Uma Semana de Cinefilia – O amor em fuga L’amour en fuite de François Truffaut. França, 1979. Com Jean-Pierre Léaud e Marie-France Pisier. 94’. Legendas em português. Exibição em 35mm. Classificação indicativa 14 anos.
19h – Truffaut em 35mm: Uma Semana de Cinefilia – O quarto verde La chambre vert de François Truffaut. França, 1978. Com François Truffaut, Nathalie Baye e Jean Dasté. 94’. Legendas em português. Exibição em 35mm. Classificação indicativa 14 anos.
22h – 12o. Encontro de Cinema Negro Zózimo Bulbul – Brasil, África , Caribe e Outras Diásporas – Abertura. Classificação indicativa 14 anos.

qui 24
14h – Curso – Afetos e Sensações no Cinema Brasileiro Contemporâneo, com os professores Denílson Lopes e Mariana Baltar. Seminário de pós-graduação acompanhado da projeção de Nova Dubai de Gustavo Vinagre. Brasil, 2014. Com Gustavo Vinagre, Bruno D’Ugo e Hugo Guimarães. 55’. + Latifúndio de Érica Sarmet. Brsil, 2017. Com Estevão Garcia e Patrícia Bárbara. 11’. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 18 anos.
18h30 – Truffaut em 35mm: Uma Semana de Cinefilia – Beijos proibidos Baisers volés de François Truffaut. França, 1968. Com Jean-Pierre Léaud, Delphine Seyrig e Claude Jade. 90’. Legendas em português. Exibição em 35mm. Sessão seguida de roda de conversa com Hernani Heffner e , com mediação de Fabrício Duque e Luiz Baez. Classificação indicativa 14 anos.

sex 25
14h – Sobreurbano: Estilos de Vida Urbanos – Edifício Master de Eduardo Coutinho. Brasil, 2002. Documentário. 110’. Exibição em 35mm. Classificação indicativa 12 anos.
18h – Truffaut em 35mm: Uma Semana de Cinefilia – O homem que amava as mulheres L’homme qui aimait les femmes de François Truffaut. França, 1976. Com Charles Denner e Brigitte Fossey. 120’. Legendas em português. Exibição em 35mm. Classificação indicativa 14 anos.
20h – Dia Mundial da Preservação Audiovisual: Relembrando Vital Ramos de Castro – Viagem ao Brasil Voyage au Brésil de Vital Ramos de Castro. França, 1927. Fragmento. Documentário. 30’48”. Exibição em MP4 (H264). Sessão em homenagem a Claudine de Castro (in memoriam), seguida de roda de conversa com a participação de Gustavo Pires Neto, Maria Antonia Bebianno, Flávio Silva e Hernani Heffner. Acompanhamento musical ao vivo por Luiza Bertine. Classificação indicativa Livre.

sab 26
14h – Truffaut em 35mm: Uma Semana de Cinefilia – A história de Adele H. L’histoire d’Adèle H. de François Truffaut. França, 1975. Com Isabelle Adjani e Bruce Robinson. 131’. Legendas em português. Exibição em 35mm. Classificação indicativa 14 anos.
16h30 – Truffaut em 35mm: Uma Semana de Cinefilia – As duas inglesas e o amor Les deux anglaises et le continent de François Truffaut. França, 1971. Com Jean-Pierre Léaud e Kika Markham. 132’. Legendas em português. Exibição em 35mm. Classificação indicativa 14 anos.
19h – Truffaut em 35mm: Uma Semana de Cinefilia – A sereia do Mississipi La sirene du Mississipi de François Truffaut. França/Itália, 1969. Com Catherine Deneuve e Jean-Paul Belmondo. 123’. Legendas em português. Exibição em 35mm. Classificação indicativa 14 anos.

dom 27
15h – Truffaut em 35mm: Uma Semana de Cinefilia – Domicílio conjugal Domicile conjugal de François Truffaut. França/Itália, 1970. Com Jean-Pierre Léaud e Claude Jade. 100’. Legendas em português. Exibição em 35mm. Classificação indicativa 14 anos.
17h – Truffaut em 35mm: Uma Semana de Cinefilia – A noiva estava de preta La mariée était en noir de François Truffaut. França/Itália, 1968. Com Jeanne Moreau e Jean-Claude Brialy. 107’. Legendas em português. Exibição em 35mm. Classificação indicativa 14 anos.
19h – Truffaut em 35mm: Uma Semana de Cinefilia – Um só pecado La peau douce de François Truffaut. França/Itália, 1964. Com Jean Desailly e Françoise Dorleac. 113’. Legendas em português. Exibição em 35mm. Classificação indicativa Livre.

seg 28
10h – 12o. Encontro de Cinema Negro Zózimo Bulbul: Brasil, África, Caribe e Outras Diásporas – Memória e História nos Cinemas de Áfricas e Diáspora, mesa com a partipação de Mbye Cham, Hernani Heffner e Júlio César Tavares, e mediação de Carmen Luz. O encontro será introduzido por Mansour Sora Wade.
12h30 – 12o. Encontro de Cinema Negro Zózimo Bulbul – Brasil, África , Caribe e Outras Diásporas – Oficina de Distribuição. Classificação indicativa Livre.
16h – Truffaut em 35mm: Uma Semana de Cinefilia – Na idade da inocência L’argent de poche de François Truffaut. França, 1976. Com Georges Desmouceaux, Philippe Goldmann e Nicole Félix. 104’. Legendas em português. Exibição em 35mm. Classificação indicativa 14 anos.
18h – Truffaut em 35mm: Uma Semana de Cinefilia – O amor aos vinte anos, ep. Antoine e Colette L’amour à vingt ans, ep. Antoine et Colette de François Truffaut. França, 1968. Com Jean-Pierre Léaud e Marie-France Pisier. 32’. Os pivetes Les mistons de François Truffaut. França, 1957. Com Gérard Blain e Bernadette Lafont. 23’.  Legendas em português. Exibição em 35mm. Classificação indicativa 14 anos.
19h – Truffaut em 35mm: Uma Semana de Cinefilia – Jules e Jim – Uma mulher para dois Jules et Jim de François Truffaut. França, 1962. Com Jeanne Moreau, Oskar Werner e Henri Serre. 105’. Legendas em português. Exibição em 35mm da cópia do lançamento original. Classificação indicativa 12 anos.

ter 29
10h – 12o. Encontro de Cinema Negro Zózimo Bulbul: Brasil, África, Caribe e Outras Diásporas – Produção de conteúdo identitário : experiência da Filmes de Plástico & Rosza Filmes, mesa com a partipação de Gabriel Martins e Glenda Nicácio, e mediação de Juliana Vicente. Classificação indicativa Livre.
12h30 – 12o. Encontro de Cinema Negro Zózimo Bulbul – Brasil, África , Caribe e Outras Diásporas – Desvendando o Pitching com Juliana Vicente. Classificação indicativa Livre.
17h – Truffaut em 35mm: Uma Semana de Cinefilia – Atirem no pianista Tirez sur le pianiste de François Truffaut. França, 1960. Com Charles Aznavour e Marie Dubois. 81’. Legendas em português. Exibição em 35mm. Classificação indicativa 14 anos.
18h30 – Cine Fantástico – Um balde de sangue A Bucket of Blood de Roger Corman. EUA, 1959. Com Dick Miller, Barboura Morris e Antony Carbone. 66’. Legendas em português. Exibição em MP4 (H264). Classificação indicativa 12 anos.

qua 30
10h – 12o. Encontro de Cinema Negro Zózimo Bulbul : Brasil, África, Caribe e Outras Diásporas – Panorama Narrativas Negras na Animação, mesa com a partipação de Cipriano, Jamile Coelho, sandro Lopes, Jeferson e Ngendo Mukii, e mediação de Ana Luiza. Classificação indicativa Livre.
12h30 – 12o. Encontro de Cinema Negro Zózimo Bulbul – Brasil, África , Caribe e Outras Diásporas – Oficina de Animação 2D com Cipriano e Sandro Lopes. Classificação indicativa Livre.
18h30 – Sala Escura – Dias de ódio Días de odio de Leopoldo Torre Nilsson. Argentina, 1954. Com Elisa Galvé e Nicolás Fregues. 70’. Legendas em português. Exibição em MP4 (H264). Classificação indicativa 16 anos.

qui 31
10h – 12o. Encontro de Cinema Negro Zózimo Bulbul: Brasil, África, Caribe e Outras Diásporas – Alicerces criativos: alicerce da atividade audiovisual, mesa com a partipação de Hugo Lima. Stella Zimmerman e representante da Apema, e mediação de Sil Bahia. Classificação indicativa Livre.
12h30 – 12o. Encontro de Cinema Negro Zózimo Bulbul – Brasil, África , Caribe e Outras Diásporas – Engenharia criativa autocentrada com Hugo Lima. Classificação indicativa Livre.
14h – Curso – Afetos e Sensações no Cinema Brasileiro Contemporâneo, com os professores Denílson Lopes e Mariana Baltar. Seminário de pós-graduação acompanhado da projeção de Tinta bruta de Filipe Matzembacher e Marcio Reolon. Brasil, 2018. Com Shico Menegat, Bruno Peixoto e Guega Peixoto. 118’. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 18 anos.
18h – 12o. Encontro de Cinema Negro Zózimo Bulbul: Brasil, África, Caribe e Outras Diásporas – Black Berlim de Sabrina Fidalgo. Brasil/Alemanha, 2009. Com Luíza Baratz e Clara Buentes. 13’ . + Personal Vivator de Sabrina Fidalgo. Brasil, 2014. Com Fabricio Bolivera, Ana Chagas e Ana Flavia Cavalcanti. 22’ . Rainha de Sabrina Fidalgo. Brasil, 2016. Marco Andrada, Eugenia Branco e Cecília Bueno. 30’ . Sessão seguida de conversa com a realizadora. Classificação indicativa Livre.
19h10 – 12o. Encontro de Cinema Negro Zózimo Bulbul: Brasil, África, Caribe e Outras Diásporas – Reapresentação de um filme em competição.Classificação indicativa 14 anos.

PROGRAMAÇÃO – setembro 2019

dom 1
15h – Dossiê Crítico 1999 – Topsy-Turvy – O Espetáculo Topsy-Turvy de Mike Leigh. Grã-Bretanha/EUA, 1999. Com Jim Broadbent, Allan Corduner e Dexter Fletcher. 154’. Legendas em português. Exibição em 35mm. Classificação indicativa 16 anos.
18h – Dossiê Crítico 1999 – Quero ser John Malkovich Being John Malkovich de Spike Jonze. EUA, 1999. Com John Cusack e Cameron Diaz. 94’. Legendas em português. Exibição em MP4 (H264). Classificação indicativa 18 anos.

seg 2
18h30 – Perspectivas do Cinema Português – Pro ano há mais de Daniel Pereira. Portugal, 2008. Documentário. 3’. + Terra de Hiroatsu Suzuki. Portugal, 2018. Documentário. 60’. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 12 anos. Curadoria Bruno Andrade, Matheus Cartaxo e Yuri Lins.

ter 3
14h – Mini-curso – O cinema e a visão dos espectros: Harun Farocki, Marguerite Duras e Chris Marker, com o professor Serge Margel (Université de Neuchâtel/Universidade de Brasília). Classificação indicativa Livre. Organização Tadeu Capistrano (UFRJ)/Risco Cinema.
18h30 – Perspectivas do Cinema Português – Cordão verde de Hiroatsu Suzuki. Portugal, 2009. Documentário. 33’. + Wolfram, a saliva do lobo de Rodolfo Pimenta. Portugal, 2010. Documentário. 55’. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 12 anos.

qua 4
14h – Mini-curso – O cinema e a visão dos espectros: Harun Farocki, Marguerite Duras e Chris Marker, com o professor Serge Margel (Université de Neuchâtel/Universidade de Brasília). Classificação indicativa Livre. Organização Tadeu Capistrano (UFRJ)/Risco Cinema.
18h – Perspectivas do Cinema Português – Longe de José Oliveira. Portugal, 2016. Com José Lopes, Manuel José Martins e Rui Carvalho. 36’. + The last day of Leonard Cohen in Hydra de Mário Fernandes. Portugal, 2018. Com Rui Pelejão, Filipa Gambino e Marta Ramos. 29’. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 12 anos.
19h30 – Sessão Retrolâmpago – O grande desfile The big parade de King Vidor e George W. Hill (não creditado). Com John Gilbert e Renée Adorée. 151’. Legendas em português. Exibição em MP4 (H264). Sessão precedida de apresentação e seguida de sorteios de cartazes. Classificação indicativa 16 anos. Curadoria Igor Andrade Pontes. Organização Drika Lima, Igor Andrade Pontes e João Antonio Franz.

qui 5
14h – Curso – Afetos e Sensações no Cinema Brasileiro Contemporâneo, com os professores Denílson Lopes e Mariana Baltar. Seminário de pós-graduação acompanhado da projeção de Inferninho de Guto Parente e Pedro Diógenes. Brasil, 2018. Com Yuri Yamamoto, Démick Lopes e Samya de Lavor. 82’. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 16 anos.
18h30 – Sala Escura – O braço forte El brazo fuerte de Giovanni Korporaal. México, 1958. Com Leandro Morett, Hermelinda Guerrero e Jorge González. 88’. Versão original sem legendas. Exibição em MP4 (H264). Classificação indicativa 16 anos.
20h – Pré-estreia – Ceci n’est pas un artist – Isso não é um artista de Clara Nery-Brandão, Luiza Callado, Kaio Braúna e Sofia Herschmann. Brasil, 2019. Documentário. 13’. + odeiosernomead_ de L Hansen. Brasil, 2019. Com Gabrielle Almeida, Maria Vitória Zapalla e Thai Nunes. Autoetnografia experimental. 10’. + Praça Tiradentes de André Albuquerque, Bernardo Kettrup, Guilherme Baptista, Iuri Nascimento e Nathalia Andrade. Brasil, 2019. Documentário. 12’. + R(existir) de Beatriz Diniz, Vinícius Garcia, Mariana Resende, Larissa Folharini. Brasil, 2019. Documentário. 16’. + Embaixo do tapete de Júlia Fleury & Vitória Melhado. Documentário. 16’. + Dizem as paralelas de Clara Ramos, Mariana Duràn, Natalia Andriewiski, Sylvia Bomtempo, Yasmin Turini. Documentário. 27’. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 14 anos.

sex 6
14h – Sobreurbano: a cidade se debate – Baixada Fluminense – Cineclubismo na Baixada Fluminense de Carol Vilamaro. Brasil, 2018. Documentário. 21’. + TV Olho de Rodrigo Dutra. Brasil, 2018. Documentário. 84’18”. Exibição em MP4 (H264). Classificação indicativa Livre.
18h30 – Perspectivas do Cinema Português – Farpões baldios de Marta Mateus. Portugal, 2017. Com Francisco Barbeiro, Gonçalo Prudêncio e José Codices. 25’. + O sabor do leite creme de Hiroatsu Suzuki e Rossana Torres. Portugal, 2012. Documentário. 74’. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 12 anos.

dom 8
14h – Antes da Chuva – Cabaret de Bob Fosse. EUA/1972. Com Liza Minelli, Michael York e Joel Grey. 124’. Legendas em português. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 16 anos.
17h – Pré-estreia – O lendário de Carlos Castro. Brasil, 2018. Com Juliana Máxima, Sara Longon, Cely Ramalho e Lena Oliveira. 70’. Exibição em mov (H264). Sessão seguida de debate com a equipe. Classificação indicativa 16 anos.

seg 9
18h30 – O Jazz vai para Hollywood – O cantor de jazz The jazz singer de Alan Crosland. EUA, 1927. Com Al Jolson, May McAvoy e Warner Oland. 88’. Legendas em português. Exibição em MP4 (H264). Classificação indicativa 14 anos. Curadoria: Associação de Críticos de Cinema do Rio de Janeiro – ACCRJ.

ter 10
18h30 – O Jazz vai para Hollywood – A epopéia do Jazz Alexander’s ragtime band de Henry King. EUA, 1938. Com Tyrone Power, Alice Faye e Don Ameche. 106’. Legendas em português. Exibição em MP4 (H264). Classificação indicativa 14 anos.

qua 11
18h30 – O Jazz vai para Hollywood – Sinfonia bárbara Birth of the Blues de Victor Schertzinger. EUA, 1941. Com Bing Crosby, Mary Martin e Brian Donlevy. 87’. Legendas em português. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 14 anos.

qui 12
14h – Curso – Afetos e Sensações no Cinema Brasileiro Contemporâneo, com os professores Denílson Lopes e Mariana Baltar. Seminário de pós-graduação acompanhado da projeção de Tatuagem de Hilton Lacerda. Brasil, 2013. Com Irhandir Santos e Jesuíta Barbosa. 110’. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 16 anos.
19h – O Jazz vai para Hollywood – Cavalgada de melodias Syncopation de William Dieterle. EUA, 1942. Com Adolphe Menjou, Jackie Cooper e Bonita Granville. 88’. Legendas em português. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 14 anos.

sex 13
14h – Sobreurbano: a cidade se debate – Baixada Fluminense – Amuleto de Ogum de Nelson Pereira dos Santos. Brasil, 1974. Com Ney Sant’Anna, Anecy Rocha e Jofre Soares. 112’. Exibição em 35mm. Classificação indicativa 18 anos.
18h30 – O Jazz vai para Hollywood – O ocaso de uma estrela Lady sings the blues de Sidney J. Furie. EUA, 1972. Com Diana Ross, Billy Dee Williams e Richard Pryor. 144’. Legendas em português. Exibição em MP4 (H264). Classificação indicativa 14 anos.

sab 14
16h – O Jazz vai para Hollywood – Taverna maldita Pete Kelly’s blues de Jack Webb. EUA, 1955. Com Jack Webb, Janet Leigh, Edmond O’Brien e Ella Fitzgerald. 95’. Legendas em português. Exibição em MP4 (H264). Classificação indicativa 14 anos.
18h – O Jazz vai para Hollywood – Música e lágrimas The Glenn Miller story de Anthony Mann. EUA, 1954. Com James Stewart, June Allysson e Harry Morgan. 115’. Legendas em português. Exibição em MP4 (H264). Classificação indicativa 14 anos.

dom 15
16h – O Jazz vai para Hollywood – Paris vive à noite Paris blues de Martin Ritt. EUA, 1961. Com Paul Newman, Joanne Woodward, Sidney Poitier e Louis Armstrong. 98’. Legendas em português. Exibição em MP4 (H264). Classificação indicativa 14 anos.
18h – O Jazz vai para Hollywood – Ascensor para o cadafalso Ascenseur pour l’échafaud de Louis Malle. EUA, 1958. Com Jeanne Moreau, Maurice Ronet e Georges Poulouly. 91’. Legendas em português. Exibição em MP4 (H264). Classificação indicativa 14 anos.

seg 16
14h – 3ª. Mostra do Filme Marginal: Sessão Marginal IV – Bicha-bomba de Renan de Cillo. Brasil, 2019. Documentário. 8’. + Megg – A margem que migra para o centro de Larissa Nepomuceno Moreira e Eduardo Sanches. Brasil, 2018. Documentário. 15’. + TransForma de Agatha Sampaio e Beatriz Rosa Estrela. Brasil, 2018. Documentário. 63’. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 14 anos.
16h40 – 3ª. Mostra do Filme Marginal: Sessão Marginal IV – Abaya: resistência e ancestralidade de Grazie Pacheco. Brasil, 2018. Documentário. 3’. + Roda de Caio Almeida. Brasil, 2019. Documentário. 7’. + Olha o teatro no meio da rua de Janaina Reis. Brasil, 2019. Documentário. 15’. + Nas quebradas do boi de Igor Machado. Brasil, 2019. 21’. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 14 anos.
20h – Homenagem a Sílvio Tendler – Ferreira Goulart, a arqueologia do poeta de Sílvio Tendler. Brasil, 2019. Documentário. 87’. Exibição em mov (H264). Sessão com a presença do realizador. Classificação indicativa 14 anos.

ter 17
14h – Mostra Itinerante XII Prêmio Pierre Verger – Outro fogo de Guilherme Moura Fagundes. Brasil, 2017. Documentário. 21’. + Ver peixe de Rafael Victorino Devos. Brasil, 2017. 46’. Exibição em mov (H264). Sessão seguida de debate com Samuel Leal (IMS). Classificação indicativa 14 anos.
16h – Mostra Itinerante XII Prêmio Pierre Verger – Cortadores de Pedra de Paula Pflüger Zanardi. Brasil, 2017. Documentário. 31’. + Entre parentes de Tiago de Aragão. Brasil, 2018. 28’. Exibição em mov (H264). Sessão seguida de debate com Marcos Albuquerque (UERJ). Classificação indicativa 14 anos.
18h – Mostra Itinerante XII Prêmio Pierre Verger – Deixa na régua de Emílio Domingos. Brasil, 2017. Documentário. 73’. Exibição em mov (H264). Sessão seguida de debate com o realizador. Classificação indicativa 14 anos. Curadoria Eliska Altman e Tatiana Bacal.

qua 18
14h – 3ª. Mostra do Filme Marginal: Sessão Marginal VII – A estranha velha que enforcava cachorros de Thiago Morais. Brasil, 2018. Com Lu Domanne e Emerson Nascimento. 7’. + Quentura de Mari Corrêa. Brasil, 2018. Documentário. 36’. + Em Bora – Além das margens amazônicas de Leonardo Carrato. Peru, 2018. Documentário. 8’. + Mato adentro de Elton de Almeida. Brasil, 2019. Com Júlio Silvério, Riggo Oliveira e Antonio Salvador. 20’. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 14 anos.
16h – 3ª. Mostra do Filme Marginal: Sessão Marginal VIII – Linhas tortas de Flora Suzuki e Grazi Labrazca. Brasil, 2019. Documentário. 7’. + Arquitetura dos que habitam de Daiana Rocha. Brasil, 2018. Documentário. 5’. + Parque Oeste de Fabiana Assis. Brasil, 2018. Documentário. 70’. + Nas quebradas do boi de Igor Machado. Brasil, 2019. 21’. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 16 anos.
18h30 – Cineclube Golden Swallow – Transferido Tenkōsei / 転校生 de Nobuhiko Obayashi / 大林 宣彦. Japão, 1982. Com Satami Kobayashi e Toshinori Omi. 113’. Legendas em português. Exibição em dvd. Sessão seguida de roda de conversa e distribuição de livretos sobre o realizador. Classificação indicativa 14 anos. Curadoria Yuri Ferreira.

qui 19
14h – Curso – Afetos e Sensações no Cinema Brasileiro Contemporâneo, com os professores Denílson Lopes e Mariana Baltar. Seminário de pós-graduação acompanhado da projeção de Arábia de Affonso Uchoa e João Dumans. Brasil, 2017. Com Aristides de Sousa e Murilo Caliari. 97’. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 16 anos.
18h30 – Zanine Forma e Resistência – Arquitetura de morar de Antônio Carlos Fontoura. Brasil 1974. Documentário. 12’. + Zanine, Ser do Arquitetar de André Horta. Brasil, 2016. Documentário. 80’. Exibição em mov (H264). (filme cancelado por motivos técnicos). + conversa com Carlos Vergara e Fernanda Borges, com mediação de Tulio Mariante.

sex 20
14h – Sobreurbano: a cidade se debate – Baixada Fluminense – 1962, o ano do saque de Victor Roberto Ferreira, Brasil, 2014. Documentário. 45’27”. + Nossos mortos têm voz de Fernando Sousa e Gabriel Barbosa. Brasil, 2018. Documentário. 28’16”. + Cascudos de Igor Barradas. Brasil 2018. Documentário. 17’37”. + Nunca fui, mas me disseram de Bruno Vianna, Jacqueline Martins, Priscila Marques, Taísa Moreno e Verônica Trindade. Brasil, 2007. Documentário. 38’53”. Exibição em mov (H264). Sessão seguida de roda de conversa com os realizadores Rodrigo Dutra, Fernando Sousa e Igor Barradas. Classificação indicativa 14 anos.
19h – Urubu Cine: Octavio Bezerra – Amerika. Brasil, 1978. 8’. + A resistência da lua. Brasil, 1985. 32’. + Lampeão, o Capitão Malasartes. Brasil, 1987. 10’. + Kultura tá na rua. Brasil, 1988. 7’. Documentários. Exibição em 35mm. Sessão seguida de roda de conversa com o realizador e Severino Dadá. Classificação indicativa 14 anos. Curadoria Lucas Parente.

sab 21
14h – L.U.T.O. – Sete homens e um destino The Magnificent Seven de Antoine Fuqua. EUA, 2015. Com Denzel Washington, Chris Pratt e Ethan Hawke. 132’. Legendas em português. Exibição em MP4 (H264). Classificação indicativa 14 anos.
17h – Pré-estreia – O agressor de Ailton José. Brasil, 2019. Com Josiana Passos e Rafael Prado. 43’25”. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 16 anos.
20h – Pré-estreia – Meu palco é a rua de Tiago Nascimento. Brasil, 2019. Documentário. 80’. Exibição em DCP. Classificação indicativa 16 anos.

dom 22
14h – 3ª. Mostra do Filme Marginal: Sessão Marginal XVIII – Cidadãos invisíveis de Paulo Dumaresq. Brasil, 2019. Documentário. 24’. + Meninas (in)visíveis de Isabela Aleixo e Karla Suarez. Brasil, 2018. Documentário. 18’. + Através dos seus olhos de Fernanda Carvalho. Brasil, 2019. Documentário. 12’. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 12 anos.
15h15 – 3ª. Mostra do Filme Marginal: Sessão Marginal XIX – Match de Raquel Freire. Brasil, 2017. Experimental. 1’. + Reality de Victor Nascimento. Brasil, 2018. 3’. + Mood de Raquel Freire. Brasil, 2019. 3’. + Inhumane I de Luiz Will Gama. Brasil, 2019. Experimental. 19’. + Em cima do muro de Hilda Lopes Pontes. Brasil, 2019. Com Nayara Homem e Enoé Lopes Pontes. 15’. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 10 anos.
16h45 – 3ª. Mostra do Filme Marginal: Sessão Marginal XIX – Do samba ao sample: entre duas culturas de Ruan Lucena. Brasil, 2018. Documentário. 15’. + Cambinda: onde nada se ensina, tudo se aprende de Enoo Miranda. Brasil, 2018. Documentário. 20’. + Itapocu de André Senna. Brasil, 2019. Documentário. 25’. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa Livre.
18h – Pré-estreia – Luz a sós, ep. 1 e 2, de Mariana Parreira. Brasil, 2019. Websérie. Com Arthur Santileone, Kassia de Paula e Giul Abreu. 10’ + 10’. + Same de Bruno Nunes. Brasil, 2018. Com Tom Rodrigues, Nathalia de Valio, Wallace Coutinho e Semiramice Araújo. 15’. Exibição em MP4 (H264). Sessão seguida de roda de conversa. Classificação indicativa 14 anos.

ter 24
18h30 – Sessão Pianeiro – O filho do Sheik The son of Sheik de George Fitzmaurice. EUA, 1926. Com Rudolph Valentino e Vilma Bánky. 68’. Legendas em português. Exibição em MP4 (H264). Sessão com acompanhamento musical ao vivo por Cadu. Classificação indicativa 14 anos.

qua 25
(sessão cancelada) 18h30 – Cineclube Moventes – Ninotchka de Ernst Lubitsch. EUA, 1939. Com Greta Garbo, Melvyn Douglas e Ina Claire. 110′. Legendas em Português. Exibição em 35mm. + conversa. Curadoria Carolina Amaral, organização Jocimar Dias Jr. e Vitor Medeiros (Revista Moventes). Classificação indicativa 12 anos.
19h e 21h30 Sessão especial – Hebe – A Estrela do Brasil de de Maurício Farias. Com Andréa Beltrão. Sessão com a presença de convidados, elenco e equipe. Vendas pelo site benfeitoria.com/festivaldorio, revertidas para o Festival do Rio.

qui 26
14h – Curso – Afetos e Sensações no Cinema Brasileiro Contemporâneo, com os professores Denílson Lopes e Mariana Baltar. Seminário de pós-graduação acompanhado da projeção do filme Um filme de verão de Jo Serfaty. Brasil, 2019. Documentário. 90’. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 14 anos.
18h – V Dobra / Festival Internacional de Cinema Experimental – Permanecendo com o problema: resistências ecológicas – A fábrica de Muriel Paraboni. Brasil, 2018. 7’20’’. + Derrubada não! de yann beauvais. França/Brasil, 2019. 23’27”. + Athabasca de Michel Wenzer & Philippe Leonard. Suécia, 2019. 12’. + Olhe bem as montanhas de Ana Vaz. Brasil, 2018. 30’. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 12 anos. Curadoria Cristiana Miranda e Lucas Murari. Produção Raquel Rocha.
19h30 – V Dobra / Festival Internacional de Cinema Experimental – Ritos para um novo cotidiano: etnografias sensoriais – Resistir existir de Lívia Sá. Brasil, 2019. 5’12’’. + Bloomington de Lyngyun Zheng. China, 2019. 13’10”. + Água forte de Mónica Baptista. Portugal, 2018. 15’15. + Obatala film de Sebastian Wiedemann. Nigéria, 2019. 7’. + Hanoi, old quarter de Priscyla Betim e Renato Coelho. Brasil, 2017. 3’45”. + Kopacabana de Marcos Bonisson e Khalil Charif. Brasil, 2019. 13’13”. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 12 anos.
20h30 – V Dobra / Festival Internacional de Cinema Experimental – Performance com o Nanolab (Austrália), integrado por Richard Ruohy e Dianna Barrie. Classificação indicativa 12 anos.

sex 27
17h30 – V Dobra / Festival Internacional de Cinema Experimental – Percorrendo paisagens e lembranças: memória e subjetividade – Elegia / daí viemos Elegy / whence we came de Alex Faoro. EUA, 2019. 14’08’’. + Uma estória da minha terra: ao longo do estreito A homeland story: across the strait de Chun-yu Liu. Grã-Bretanha, 2019. 9’57”. + /ˈɪəri/ de Remy Ryumugabe. Ruanda, 2017. 11’35’’. + Templo da verdade de Giuseppe Boccassini. EUA, 2018. 15’. + A bala de Sandoval La bala de Sandoval de Jean-Jacques Martinod. Equador, 2019. 17’10”. + Mer Bleue de Cecilia Araneda. Canada, 2019. 3’50”. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 12 anos.
19h – V Dobra / Festival Internacional de Cinema Experimental – Tecer as li8nhas do mundo: poesia visual e abstração – Buscando a luz / Caminhos de luz Buscando la luz / Caminos de luz de Rose Present. Espanha, 2018. 4’03’’. + Clinamen de Carla Porroni. Argentina, 2019. 3’. + Neptuno de Ernesto Baca. Argentina, 2019. 2’41. + Fluxo I Flujo I de Ernesto Baca. Argentina, 2019. 3’43”. + Fluxo II Flujo II de Ernesto Baca. Brasil, 2018. 4’30”. + Poema visível de Membrana Experimental Fiat Lux. Brasil, 2019. 5’36”. + Nostalgia Mar de Dave Walls. Paraguai, 2018. 3’10”. + Spectrum de Jeroen Cluckers. Bélgica, 2019. 3’24”. + O último dia da borboleta lua Le dernier jour du papillon lune de Guillaume Vallée. Canadá, 2019. 4’45”. + Dança de um humilde ateísta Dance of a humble atheist de Hun Ping Toh. Singapura, 2019. 17’30”. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 12 anos.
20h30 – V Dobra / Festival Internacional de Cinema Experimental – Performance com o Membrana Experimental Fiat Lux (Brasil/Argentina), integrado por Leila Monségur e Romulo Alexis. Classificação indicativa 12 anos.

sab 28
15h30 – V Dobra / Festival Internacional de Cinema Experimental – Invenção de linguagens e poéticas da materialidade – Stakra de Sara Bonaventura. Itália, 2017. 4’50’’. + Visão da montanha Mountain view de Markus Maicher. Áustria, 2018. 2’40”. + Retrato de uma Nação Portrait of a Nation de Victor Arroyo. Canadá, 2019. 11’. + Senhor Bailey Sir Bailey de Matthew Ripplinger. Canadá, 2018. 7’54”. + Paralelo / Eixo Parall / Axe de Maxime Hot. França, 2018. 6’33”. + Uma velocidade mais lenta da luz A slower speed of light de Stuart Pound. Grã-Bretanha, 2019. 5’56”. + Lamber cada gota Lick every drop de Moira Lacowicz e Leonardo Zito. Argentina, 2019. 6’. + Insonoro Unsound de Vivian Ostrovsky. Estados Unidos, 2019. 3’54”. + Juno de Mariana Dianela Torres. México, 2017. 4’30”. + Vazios habitados de Duo Strangloscope (Cláudia Cárdenas & Rafael Schlichting), Felipe Vernizzi + Rodrigo Ramos. Brasil, 2018. 21’04”. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 12 anos.
17h30 – V Dobra / Festival Internacional de Cinema Experimental – Engajamentos cinematográficos – Lugar fóssil de Florencia Levy. Argentina, 2019. 15’. + Mais triste que chuva num recreio de colégio de Lobo Mauro. Brasil, 2018. 13’57”. + Campo do infinito Field of infinity de Guli Silberstein. Grã-Bretanha, 2018. 5’22. + Uróboros de Antonio Arango. México, 2018. 8’58”. + Dança fantasma Ghost dance de Emilia Izquierdo. Grã-Bretanha, 2019. 5’. + Em guerra com o céu de William Randall. EUA, 2018. 10’. + Rasga mortalha de Thiago Martins de Melo. Brasil, 2019. 13’. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 12 anos.
19h30 – V Dobra / Festival Internacional de Cinema Experimental – Performance com Azucena Losana México, com música de Piqueros Santangelo. Classificação indicativa 12 anos.
20h10 – V Dobra / Festival Internacional de Cinema Experimental: Sessão Especial – Memento Stella de Takashi Makino. Japão/Hong-Kong, 2018. 60’.

dom 29
16h – CineMAM #18: Pré-estreia – O que resta de Fernanda Teixeira. Brasil, 2018. Com Bruna Linzmeyer, Hugo Campagnaro e Renata Guida. 96’. Exibição em mov (H264).
18h – CineMAM #18 : Sessão de Curtas – É você Albano? de Camilo Bevilacqua. Pré-estreia. Brasil 2018. Com Regina Gutman, Lolô Souza Pinto, Anderson Cunha e Henrique Manuel Ponho. 15’. + Peixe pequeno de Caio Alvarenga. Pré-estreia. Brasil, 2019. Com Miguel Aquino, Mercedes Magalhães e Raul Franco. 19’. + Mente aberta de Getulio Ribeiro. Pré-estreia. Brasil, 2019. Com Luciano Braga e Gabriella Santoro. 8’. + Estado de alerta de André Mattos. Brasil 2017. Com Jayme Periard, Dira Paes e Paula Burlamaqui. 17’. + Carne infinita de Isadora Cavalcanti. Brasil 2018. Com Ingrid cairo. 14’. + Evaristo de Chico Rodrigues. Brasil, 2017. Com Herculano Dias, Jorge Cabral e Ivan Escobar. 11’. + Tupinambá lambido de Lucas Parente. Brasil 2018. Com Tupinambá Lambido. 11’. Exibição em mov (H264). Sessão seguida de roda de conversa com os realizadores. Classificação indicativa 14 anos. Curadoria Felipe Cataldo.

seg 30
18h30 – Cine Fantástico – Os olhos da cidade são meus Angustia de Bigas Luna. Espanha, 1987. Com Zelda Rubinstein, Michael Lerner e Talia Paul. 89’. Legendas em português. Exibição em MP4 (H264). Classificação indicativa 14 anos.

ENTRADA FRANCA

PROGRAMAÇÃO – agosto 2019

Mostra Cinemas do Brasil: Quando a sala de projeção vira personagem A Mostra Cinemas do Brasil apresenta um panorama de curtas-metragens, em sua maioria, documentários que buscam homenagear os cinemas de rua do país e que propõem uma discussão sobre a atual situação desses monumentos arquitetônicos que, em grande parte, estão de portas fechadas e sem nenhum tipo de reparo ou manutenção.

A mostra temática tem por objetivo tornar os cinemas de rua os protagonistas das histórias na tela. A abertura da mostra itinerante foi no Cine Olympia em Belém do Pará, pela sua importância histórica e por ser o mais antigo cinema de rua do país em funcionamento.

A mostra é coordenada por Eudaldo Monção Jr. e o projeto tem apoio financeiro do Governo do Estado, através do Fundo de Cultura, Secretaria da Fazenda e Secretaria de Cultura da Bahia, através da contemplação da proposta na 4ª Chamada do edital de intercâmbio e mobilidade artística. Os filmes da mostra contribuem para o debate sobre a situação das salas de exibição cinematográfica, cujos prédios que ainda estão em funcionamento, pois enquanto cinemas nas ruas, resistem nas calçadas da cidade, sobrevivendo aos impactos das mudanças que sofreram para se manterem vivos no espaço citadino. A edificação, sustentação, reformulação e destruição dos cinemas de rua, cultiva possíveis relações estruturais com determinadas disposições físicas e modelos de vida social. Os cinemas de rua podem ser, assim, encarados como formas espaciais de apropriação da própria cultura na cidade, onde tais estruturas materiais podem assumir, no decorrer de sua trajetória de existência, as feições de sujeitos não-humanos ou objetos-humanizados; gerando implicações significativas sobre a memória e a vida de comunidades e indivíduos. Esses espaços culturais também acompanham a sobrevivência, a revitalização ou a degradação de certas áreas urbanas.

Serão exibidos exatamente vinte e três curtas e um longa metragem, que encerrará a mostra. Tais trabalhos são representantes de diferentes regiões do país e cumprem um papel de expressar, sob a perspectiva do cinema, o perfil tão peculiar e complexo de um Brasil em transe, em confronto com eventos de caráter histórico, político, econômico e cultural. Isto permite a ampliação de discussões acerca do tema e possui a capacidade de revelar trabalhos de qualidade e importância singular contidas nas diferenças regionais dos “brasis”, entre outros fatores. Os depoimentos dos diferentes filmes se complementam para narrar um passado e um presente vivo para que possamos ver um único resultado: o cinema resistiu a tudo. Mas lança-se, também, um esboço questionador de um pensamento para o futuro, que nos encoraja a pensar: o que será do cinema? Na mostra surgirá um arsenal de sentimentos, reflexões sobre o que é o espaço da cidade e da propriedade privada. Veremos como os avanços tecnológicos e da técnica mudaram os caminhos e o modo com a sociedade inclina seu comportamento. A memória, a nostalgia e um olhar à frente na tarefa da reconstrução e da força política transformadora, encontram-se em cada um desses trabalhos, seja nas falas de antigos projecionistas de um cinema que não existe mais ou nas ações cineclubistas de bairros e pequenas cidades como uma nova forma de enxergar o cinema, hoje.

Sobreurbano: a cidade se debate Entrada livre.

É um projeto de extensão que contará com uma programação de filmes e documentários sobre questões urbanas contemporâneas: remoções, favelas, ocupações, Baixada Fluminense, Zona Oeste, mobilidade urbana e muitos outros. Uma vez por mês, após a exibição das produções audiovisuais, pesquisadores, coletivos culturais e movimentos sociais se reunirão para um debate sobre o cotidiano, as histórias, os conflitos e os problemas da cidade. Sobreurbano acontece de agosto de 2019 a julho de 2020 e é uma parceria entre Urbano, Laboratório de Estudos da Cidade, Universidade Federal do Rio de Janeiro e o Museu de Arte Moderna.

Curso Afetos e Sensações no Cinema Brasileiro Contemporâneo Entrada livre. A partir de 15 ago 2019, quintas-feiras, 14h – 18h. Clique aqui para mais informações.

A proposta deste curso, previsto para durar 4 meses, é discutir as implicações dos referenciais teóricos em torno das ideias de afeto e sensações para o campo do cinema e audiovisual. Será debatido também como um certo cinema brasileiro contemporâneo parece colocar em cena dimensões do estar junto, formas de subjetividade dissidentes e sociabilidade singulares através de estratégias expressivas que ultrapassam as dimensões representacionais da narrativa. Apostamos como tais estratégias se articulam ao campo dos afetos e das sensações, implicando uma mudança analítica que solicita uma mirada para elementos do corpo fílmico vinculados à ordem da expressão, dos gestos e volumes dos corpos, da sensorialidade. As abordagens teóricas e críticas serão desdobradas a partir do encontro com os filmes que serão vistos ou revistos. Entre outros filmes, serão apresentados ao longo do curso como ponto de partida das reflexões: Corpo Elétrico de Marcelo Caetano, Mate-me por favor de Anita Rocha da Silveira, Tatuagem de Hilton Lacerda, Pendular de Julia Murat, Antonio, um dois três de Leonardo Mouramateus. Os filmes serão exibidos na cinemateca como parte dos encontros. Urso será ministrado pelos professores Denílson Lopes (UFRJ) e Mariana Baltar (UFF) e é uma iniciativa dos Programas de Pós-graduação em Comunicação/UFRJ, em Cinema e Audiovisual/UFF e em Artes da Cena/UFRJ.

Dossiê Crítico Em parceria com a revista eletrônica Moviement, a Cinemateca apresenta uma seleção de clássicos recentes, todos realizados no ano de 1999, tomado não como momento de encerramento do século XX para como ponto de partida para uma cinefilia recente, que encontra na seleção apresentada filmes referenciais de um cinema ainda de grande apelo popular, e diferentes abordagens estéticas mais empenhadas. Obras que ainda povoam o imaginário do público e dos jovens realizadores que surgiram nos primeiros anos do século XXI. A mostra, com curadoria de Wallace Andrioli e Francisco Carbone, estende o dossiê preparado pela revista para reavaliar o conjunto de filmes daquele ano, duas décadas mais tarde.

Lançamentos Em evento que discutirá  no dia 29 de agosto as relações entre o campo da museologia e o dos acervos de tecnologia, particularmente os audiovisuais, a Cinemateca, em parceria com a Universidade de Brasília e o Jardim Botânico, estará abrigando os lançamentos do Dossiê Temático da revista Museologia e Interdisciplinaridade e do catálogo da exposição realizada pelo MAM Rio entre 4 de setembro de 2018 e 10 de março de 2019, dedicada às tecnologias cinematográficas tridimensionais. A falta de iniciativas na área tem relegado a um papel secundário ou invisível um dos aspectos mais decisivos da criação audiovisual e da vida contemporânea. Com essas recentes reflexões procura-se chamar a atenção para os ricos acervos ainda não de todo formados e sobretudo formalizados em espaços e instituições dedicados ao tema. O evento será seguido de sessão de raros registros reunidos pela Associação Brasileira de Preservação Audiovisual, que valoriza obras fílmicas de variadas origens, em especial de natureza não comercial, e de pequena exposição nos espaços de acesso à Cinemateca dedicada aos equipamentos audiovisuais, em particular os amadores.

Homenagem a Ruth de Souza e Isaberl Sarli Dois grandes nomes do cinema brasileiro, latinoamericano e internacional acabem de nos deixar, legando longas carreiras de sucesso e quebra de tabus e preconceitos. As atrizes Ruth de Souza e Isabel Sarli tornaram-se referenciais do cinema brasileiro e argentino, respectivamente, alcançando reconhecimento interpretativo e cultural como ícones da identidade feminina, latina e negra. Em singela homenagem o cineclube Sala Escura, dedicado às cinematografias latino-americanas, e a Cinemateca apresentam o único filme que as reuniu ao longo de décadas de trabalho, o clássico exploitation Favela, de Armando Bó, uma das primeiras produções internacionais a se interessar pelo exótico espaço da favela carioca.

qui 1 16h – Grande Prêmio Cinema Brasileiro 2019 – Três anúncios para um crime Three Billboards Outside Ebbing, Missouri de Martin McDonagh. EUA, 2017. Com Frances McDormand e Woody Harrelson. 115’. Exibição em MP4 (H264). Classificação indicativa 14 anos. 18h30 – Cinemas do Brasil: Cinema no Interior – Cine Rio Branco de Eudaldo Monção Jr. Brasil, 2017. 17’33’’ + Cine Centímetro de Dannon Lacerda. Brasil, 2013. 15’27’’ + Extintos cinemas de William Tenório. Brasil, 2018. 13’06’’ + Uma balada para Rocky Lane de Djalma Galindo. Brasil, 2016. 20’ + Memórias do Cine Argus de Edivaldo Moura. Brasil, 2015. 19’50’’. Documentário. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 12 anos. Curadoria Christian Jafas e Eudaldo Monção Jr.

sex 2 16h – Grande Prêmio Cinema Brasileiro 2019 – Me chame pelo seu nome Call Me by Your Name de Luca Guadagnino. Itália/França, 2017. Com Armie Hammer e Timothée Chalamet. 132’. Exibição em MP4 (H264). Classificação indicativa 14 anos. 18h30 – Cinemas do Brasil: Memorabilia – A morte do cinema de Evandro de Freitas. Brasil, 2015. 20’ + Cine Rincão de Fernando Grostein Andrade. Brasil, 2012. 13’56’’ + O que se memora de Caio Dornelas e Ernesto Rodrigues. Brasil, 2014. 10’10’’ + Cinemas de Rua de Curitiba de Roberval Machado. Brasil, 2006. 5’. + Cine Paissandu: histórias de uma geração de Christian Jafas. Brasil, 2013. 14’56’’. Documentário. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 12 anos.

sab 3 14h – Grande Prêmio Cinema Brasileiro 2019 – Detetives do Prédio Azul 2 – O mistério italiano de Vivianne Jundi. Brasil, 2018. Com Suely Franco, Nicole Orsini e Letícia Braga. 93’. Exibição em MP4 (H264). Classificação indicativa Livre. 16h – Cinemas do Brasil: O Cinema Vive! – Cine S. José de William Tenório. Brasil, 2017. 11’30’’ + Cine Vaz Lobo de Luís Cláudio Lima. Brasil, 2016. 6’10’’. + Cinema, onde você está? de Edvaldo Santos. Brasil, 2018. 15’ + Cinema do meu bairro, cadê você? de Renata Lima. Brasil, 2015. 13’ + Cine Brasília de Boca Migotto. Brasil, 2014. 20’. Documentário. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 12 anos. 18h – Cinemas do Brasil: O Novo Cinema de Rua – Cosmorama – Relatos de cinemas em Caruaru de Moema França. Brasil, 2016. 14’06’’ + Sessão entre amigos de Cristhine Lucena. Brasil, 2010. 22’45″ + Cine Éden de Edson Bastos e Henrique Filho. Brasil, 2013. 15’ + Casa sem janela de Juliette Yu-Ming, Marcelo Engster e Vitor Kruter. Brasil, 2013. 13’04’’. Documentário. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 12 anos.

dom 4 14h – Grande Prêmio Cinema Brasileiro 2019 – O colar de Coralina de Reginaldo Gontijo. Brasil, 2018. Com Melina Calazans e Maria Coeli. 77’. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa Livre. 16h – Cinemas do Brasil: Espectadores – Entre andares de Aline Van der Linden e Marina Moura Maciel. Brasil, 2016. 14’50’’. + Cine São Vicente de Kleber Camelo. Brasil, 2018. 21’. + Isso vale um filme de Bruna Cabral, Gisele Siqueira, Ítalo Rodrigues, Suedness Teixeira, Taynah e Welington Caetano. Brasil, 2017. 15’10’’. + Victor vai ao cinema de Albert Tenório. Brasil, 2018. 11’20’’. Documentário. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 12 anos. 18h – Cinemas do Brasil: Encerramento – Cine São Paulo – O Estado das Coisas de Ricardo Martensen e Felipe Tomazelli. Brasil, 2017. 77’. Documentário. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 12 anos.

seg 5 16h – Grande Prêmio Cinema Brasileiro 2019 – Minha vida em Marte de Susana Garcia. Brasil, 2018. Com Mônica Martelli, Paulo Gustavo e Marcos Palmeira. 110’. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 12 anos. 18h30 – Nos embalos de uma parceria: Stigwood, Olivia e Travolta – Os embalos de sábado à noite Saturday Night Fever de John Badham. EUA, 1977. Com John Travolta, Karen Lynn Gorney e Barry Miller. 118’. Legendas em português. Exibição em MP4 (H264). Sessão precedida de abertura com o crítico Mário Abbade. Classificação indicativa 14 anos. Curadoria: Associação de Críticos de Cinema do Rio de Janeiro – ACCRJ.

ter 6 16h – Grande Prêmio Cinema Brasileiro 2019 – Mulheres alteradas de Luís Pinheiro. Brasil, 2018. Com Deborah Secco, Alessandra Negrini e Monica Tozzi. 87’. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 12 anos. 18h30 – Nos embalos de uma parceria: Stigwood, Olivia e Travolta – Nos tempos da brilhantina Grease de Randal Kleiser. EUA, 1978. Com John Travolta, Olivia Newton-John e Stockard Channing. 110’. Legendas em português. Exibição em MP4 (H264). Classificação indicativa 14 anos.

qua 7 16h – Grande Prêmio Cinema Brasileiro 2019 – Não se aceitam devoluções de André Moraes. Brasil, 2018. Com Leandro Hassum, Guilherme Rodio e Maria Bia. 103’. Exibição em DCP 2K. Classificação indicativa 12 anos. 18h30 – Nos embalos de uma parceria: Stigwood, Olivia e Travolta – Xanadu de Robert Greenwald. EUA, 1978. Com Olivia Newton-John, Gene Kelly e Michael Beck. 96’. Legendas em português. Exibição em MP4 (H264). Classificação indicativa 14 anos.

qui 8 16h – Grande Prêmio Cinema Brasileiro 2019 – Os farofeiros de Roberto Santucci. Brasil, 2018. Com Antônio Fragoso e Danielle Winits. 103’. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 12 anos. 18h30 – Nos embalos de uma parceria: Stigwood, Olivia e Travolta – Os tempos da brilhantina voltaram Grease 2 de Patricia Birch. EUA, 1982. Com Michelle Pfeiffer, Maxwell Caulfield e Lorna Luft. 115’. Legendas em português. Exibição em MP4 (H264). Classificação indicativa 14 anos.

sex 9 14h – Sobreurbano: a cidade se debate – Moradias – O som ao redor de Kleber Mendonça Filho. Brasil, 2012. Com Ana Rita Gurgel, Caio Almeida, Maeve Jenkins.  131’. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 16 anos. Curadoria Marcella Araújo. 16h30 – Grande Prêmio Cinema Brasileiro 2019 – Todas as razões para esquecer de Pedro Coutinho. Brasil, 2018. Com Johnny Massaro e Bianca Comparato. 91’. Exibição em DCP 2K. Classificação indicativa 16 anos. 18h30 – Nos embalos de uma parceria: Stigwood, Olivia e Travolta – Sgt. Pepper’s Lonely Hearts Club Band de Michael Schultz. EUA, 1978. Com Peter Frampton, Barry Gibb, Robin Gibb, Maurice Gibb, Steve Martin e Alice Cooper. 113’. Legendas em português. Exibição em MP4 (H264). Classificação indicativa 14 anos.

sab 10 14h – Grande Prêmio Cinema Brasileiro 2019 – Uma quase dupla em ação contra a chatice de Marcus Baldini. Brasil, 2018. Com Cauã Reymond e Tatá Werneck. 90’. Exibição em DCP 2K. Classificação indicativa 12 anos. 16h – Nos embalos de uma parceria: Stigwood, Olivia e Travolta – Os embalos de sábado continuam Staying Alive de Sylvester Stallone. EUA, 1983. Com John Travolta, Cynthia Rhodes e Finola Hughes. 93’. Legendas em português. Exibição em MP4 (H264). Classificação indicativa 14 anos. 18h – Nos embalos de uma parceria: Stigwood, Olivia e Travolta – A cada momento Moment by Moment de Jane Wagner. EUA, 1978. Com John Travolta, Lily Tomlin e Andra Akers. 102’. Legendas em português. Exibição em MP4 (H264). Classificação indicativa 14 anos.

dom 11 14h – Depois da chuva – Os assassinos estão entre nós Die Mörder sind unteruns de Wolgang Staudte. Alemanha Ocidental, 1946. Com Ernst Wilhelm Borchert e Hildegard Knef. 80’. Legendas em português. Exibição em MP4 (H264). Classificação indicativa 16 anos. 16h – Nos embalos de uma parceria: Stigwood, Olivia e Travolta – Embalos a dois Two of a Kind de John Herzfeld. EUA, 1983. Com John Travolta, Olivia Newton-John e Charles Durning. 88’. Legendas em português. Exibição em MP4 (H264). Classificação indicativa 14 anos. 18h – Nos embalos de uma parceria: Stigwood, Olivia e Travolta – Cowboy do asfalto Urban Cowboy de James Bridges. EUA, 1978. Com John Travolta, Debra Winger e Scott Glenn. 132’. Legendas em português. Exibição em MP4 (H264). Classificação indicativa 14 anos.

seg 12 18h – Filmworks Film Festival 2019 – Sessão 01: Cidade e Dissenso – Pólis de Vinícius Romadel. Brasil, 2019. Com Marina Marinho e Rosângela Martins. 14’24’’ + Reflexos de Kevin Gonçalves. Brasil, 2019. Com Henrique Conserva, Denis Sheiman e Yane Marques. 9’ + Latência de Nina Fachinello e Laura Ludwig. Brasil, 2019. Com Lucas Garbous, Oton Duarte e Jessica Freitas. 4’45’’’ + Seco de Tiago Fonseca. Brasil, 2019. Com Tiago Fonseca e Joel Tavares. 5’ + Chuva de verão de Tamires Mota. Brasil, 2019. Com Rayana Diniz, Analua Ribeiro e Ary Aguiar. 15’04’’ + Mãe? de Victor Hugo Gonzaga. Brasil, 2019. Com Mariangela Marques e Piera Pillar. 6’46’’ + Sábado não é dia de ir embora de Luísa Giesteira. Brasil, 2019. Com Júlia França, Larissa Helena Alpino, Igor Nascimento e Felipe Lauria. 19’57’’. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 18 anos. 19h40 – Filmworks Film Festival 2019 – Sessão 02: Afeto e Nostalgia – Cidade natal de Ana Luisa Marquito. Brasil, 2019. Documentário. 11’52” + Se a vida te der um anzol de Uli Dile. Brasil, 2019. Com Carolina Coutinho. 5’52’’ + As cores que faltam de Luis Vivanco. Brasil, 2019. Com Maiara Astarte, Jade Louise e Mateus Marcondes.   12’57’’ + Torpor de Pedro Waddington. Brasil, 2019. Com Manuela Penque.  10’23’’ + Libélula de Daniel Fernandes e Leonardo Cunha. Brasil, 2019. Com Francisco Vitti e Sophia Maia.   9’27’’ + Imã de Bruna Calôr. Brasil, 2019. Com Manoela Dexheimer, Marcelo Bonan e Alline Angelli. 15’ + Permita-se de Bruno Acosta. Brasil, 2019. Com Lara Lago, Cristovão Correa, Meire Mazola, Mariana Martins e Rodrigo Bastos.  8’39’’ + My lovely carnaval de kaue bakker. Brasil, 2019. Com Bruna Pantaleão. 9’21’’ Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 14 anos. 21h20 – Filmworks Film Festival 2019 – Sessão 03: Humor e Artifício – Jacaré de Cristiano Carlos Nascimento e Bruna Toscano. Brasil, 2019. Com Bel Machado, Calos neiva, Raissa Xavier, Henrique Costa e Luisa Gravino.. 9’32’’ + Super Daniel de Fábio de Paula. Brasil, 2019. Com Rafael Ritto, Carlém Miranda e Hugo Torres. 9’40’’ + Nako de Matheus Seabra. Brasil, 2019. Com Gabriel Carneiro, Fred Garcia e Ariana Lima. 8’42’’ + Toda a noite a mesma coisa de Pedro Lucas. Brasil, 2019. Com Vinícius Pieri, Gabriella Pieri, Nicolas Mattos e Kayllane Costa. 20’ + Luvas de Maria Luisa Maia e Isabelle Lins. Brasil, 2019. Com Viviane Thais Dias, Giovanna Ferrari e Alessandra Cervieri. 12’ + Tamanho 34 de Gabriela Niskier e Manoela Paixão. Brasil, 2019. Com Gabriela Niskier, Mano Paixão, Marcella Kahn e Giovanna Politi. 24’08’’. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 14 anos.

ter 13 20h – Filmworks Film Festival 2019 – Sessão 04: Corpo e Política – Som de preto: “Niguém fica parado” de Paula Rocha. Brasil, 2019. Documentário. 17’26’’ + Criancinhas de Matheus Oliveira. Brasil, 2019. Documentário experimental. 1’06’’ + Panfletário de Lucas Melo. Brasil, 2019. Com Bayard Tonelli, Karina Quintaes, Davi Mello e Davidson Menezes. 6’59’’ + Nosso amor é maior de Bel Junqueira. Brasil, 2019. Documentário. 18’ + Tarântula de Bruna Mello, Lucas Melo, Tiago Fonseca, Uli Dile e Vitor Valadão. Brasil, 2019. Com Tiago Fonseca, Nicolas Forte, Debora Nunes e Victor Tempone. 11’ + Corre de Isadora Ferrite, Bruna Toscano, Gabriel Sossai, Gabriel Coelho, Luan Tecla e Frederico Magalhães. Brasil, 2019. Com Ana beatriz Murilo, Miriam Aparecida Murilo e Cristine Murilo. 6’25’’ + Martelo, bigorna e estribo de Pedro Waddington. Brasil, 2019. Com Paulla Carniell, Jéssica Fronza, Bruna Rodrigues e Isaac Pipano. 18’47’’. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 16 anos. 21h20 – Filmworks Film Festival 2019 – Premiação. Classificação indicativa Livre.

qua 14 18h30 – Urubu Cine: Roberto Moura – A propósito do Rio – Nascimento & Morte. Brasil, 1978. Com Célia Maracajá, Vera Setta. 12′. Exibição em 35mm. + Duas ou três coisas. Brasil, 1979. Com Jesus Chediak, Célia Maracajá, Sebastião Lemos, Vera Setta, Maria Sílvia, Gilda Guillon, Carlos Wilson. 20′. Exibição em 16mm. + A propósito do Rio. Brasil 1984. Com Breno Moroni, Leni Nunes. 30′. Exibição em 35mm. + O sabor da terra. Brasil 1974. Documentário. 16′. Exibição em mov (H264) + roda de conversa com o realizador. Classificação indicativa 14 anos. Curadoria Lucas Parente.

qui 15 14h – Curso – Afetos e Sensações no Cinema Brasileiro Contemporâneo, com os professores Denílson Lopes e Mariana Baltar. Seminário de pós-graduação acompanhado de projeção de filmes. Exibição em MP4 (H264). Classificação indicativa 14 anos. 18h – Sessão Retrolâmpago – O pirata submarino A Submarine Pirate de Charles Avery e Syd Chaplin. Com Syd Chaplin e Phyllis Allen. 24’ + O descontrole do consorte (A lover’s lost control) de Charles Avery e Syd Chaplin. Com Syd Chaplin e Phyllis Allen. 22’. Legendas em português. Exibição em MP4 (H264) + acompanhamento musical ao vivo por Cadu, precedida de apresentação e seguida de sorteios de cartazes. Classificação indicativa 10 anos. Curadoria Igor Andrade Pontes. Organização Drika Lima, Igor Andrade Pontes e João Antonio Franz. 19h – Cineclube Golden Swallow – Flores de papel Kaagaz Ke Phool कागज़ के फूल de Guru Dutt. Índia, 1959. Com Guru Dutt e Waheeda Rehman. 148’. Legendas em português. Exibição em bluray. Sessão seguida de roda de conversa e distribuição de livretos sobre o realizador. Classificação indicativa 14 anos. Curadoria Yuri Ferreira.

sex 16 14h – Sobreurbano: a cidade se debate – Moradias – Aquarius de Kleber Mendonça Filho. Brasil, 2016. Com Sônia Braga, Maeve Jenkins e Irhandir Santos.  146’. Exibição em mov (H264) + roda de conversa. Classificação indicativa 16 anos. 18h30 – Sessão Comentada – Nosferatu Nosferatu, eine Symphonie des Grauens de F. W. Murnau. Alemanha, 1922. Com Max Schreck, Greta Schroeder e Gustav von Wangenheim. 94’. Legendas em português. Exibição em MKV. Sessão comentada pela cineasta Julhia Quadros. Classificação indicativa 12 anos.

sab 17 14h – L.U.T.O. – O doce amanhã The Sweet Hereafter de Atom Egoyan. Com Ian Holm e Sarah Polley. 112’. Leendas em português. Exibição em 35mm. Classificação indicativa 16 anos. 19h30 – Pré-estreia – Alugo de Alexandre Vollú. Brasil, 2019. Com Pedro Torquilho, Jéssica Córes, Pedro Ivo maia, Isis Valença e Pedro Martins. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 16 anos.

dom 18

Sessão adiada!

16h – Cineclube Moventes – Ninotchka de Ernst Lubitsch. EUA, 1939. Com Greta Garbo, Melvyn Douglas e Ina Claire. 110′. Legendas em Português. Exibição em 35mm. Sessão seguida de roda de conversa. Curadoria: Carolina Amaral. Organização: Jocimar Dias Jr. e Vitor Medeiros (Revista Moventes). Classificação indicativa 12 anos.

seg 19 16h – Dossiê Crítico 1999 – De olhos bem fechados Eyes Wide Shut de Stanley Kubrick. Grã-Bretanha/EUA, 1999. Com Tom Cruise, Nicole Kidman e Sidney Pollack. 165’. Legendas em português. Exibição em MP4 (H264). Classificação indicativa 18 anos. Curadoria Wallace Andrioli e Francisco Carbone. 19h – Dossiê Crítico 1999 – Beleza americana American Beauty de Sam Mendes. EUA, 1999. Com Kevin Spacey, Annette Benning e Thora Birch. 122’. Legendas em português. Exibição em MP4 (H264). Classificação indicativa 16 anos.

ter 20 16h – Dossiê Crítico 1999 – Magnólia Magnolia de Paul Thomas Anderson. EUA, 1999. Com Julianne Moore, William H. Macy e Tom Cruise. 188’. Legendas em português. Exibição em MP4 (H264). Classificação indicativa 14 anos. 19h30 – Dossiê Crítico 1999 – Tudo sobre minha mãe Todo sobre mi madre de Pedro Almodóvar. Espanha,1999. Com Cecilia Roth, Penélope Cruz e Marisa Paredes. 105’. Legendas em português. Exibição em MP4 (H264). Classificação indicativa 14 anos.

qua 21 16h – Dossiê Crítico 1999 – Fim de caso The End of the Affair de Neil Jordan. EUA, 1999. Com Ralph Fiennes Julianne Moore e Stephen Rea. 102’. Legendas em português. Exibição em MP4 (H264). Classificação indicativa 16 anos. 18h – Dossiê Crítico 1999 – Santo forte de Eduardo Coutinho. Brasil, 1999. Documentário. 80’. Legendas em português. Exibição em 35mm. Sessão seguida de debate com os membros do Dossiê Crítico. Classificação indicativa 10 anos.

qui 22 14h – Curso – Afetos e Sensações no Cinema Brasileiro Contemporâneo, com os professores Denílson Lopes e Mariana Baltar. Seminário de pós-graduação acompanhado de projeção de filmes. Exibição em MP4 (H264). Classificação indicativa 14 anos. 18h – Pré-estreia – Tropicália, o musical de Denise Telles Hofstra, Brasil, 2019. Com Úrsula Baldanza, Suzana Rosa, Rick de La Torre, Raphael Gaspar e Luíza Breves. 25’. Exibição em mov (H264). Sessão seguida de roda de conversa e performance. Classificação indicativa 14 anos. 20h – Dossiê Crítico 1999 – Matador implacável Ghost Dog: The Way of the Samurai de Jim Jarmusch. EUA/Portugal/Itália/Rússia, 1999. Com Forrest Whitaker, John Tormey e Cliff Gorman. 116’. Legendas em português. Exibição em 35mm. Classificação indicativa 16 anos.

sex 23 14h – Sobreurbano: a cidade se debate – Moradias – Morro da Conceição de Cristiana Grumbach. Brasil, 2005. Documentário.  85’. Exibição em mov (H264). Sessão seguida de roda de conversa. Classificação indicativa Livre. 16h – Dossiê Crítico 1999 – Clube da luta Fight Club de David Fincher. EUA, 1999. Com Brad Pitt, Edward Norton e Helena Bonham Carter. 139’. Legendas em português. Exibição em MP4 (H264). Classificação indicativa 18 anos. 18h – Dossiê Crítico 1999 – Bom trabalho Beau travail de Claire Denis. França,1999. Com Denis Lavant e Michel Subor. 90’. Legendas em português. Exibição em MP4 (H264). Classificação indicativa 12 anos.

sab 24 16h – Dossiê Crítico 1999 – Matrix The Matrix de Lana e Lilly Wachowski. EUA, 1999. Com Keanu Reeves, Laurence Fishburne e Carrie-Anne Moss. 136’. Legendas em português. Exibição em MP4 (H264). Classificação indicativa 14 anos. 18h30 – Dossiê Crítico 1999 – eXistenZ de David Cronenberg. Grã-Bretanha/França/ Canadá, 1999. Com Jennifer Jason Leigh, Jude Law, Ian Holm e Willem Dafoe. 97’. Legendas em português. Exibição em 35mm. Classificação indicativa 16 anos

dom 25 13h – Inhotim Arte Presente – Arte e natureza de Pedro Urano. Brasil, 2017. Documentário. 104’. Exibição em mov. (H264). Classificação indicativa Livre. 15h – Dossiê Crítico 1999 – Meninos não choram Boys Don’t Cry de Kimberly Peirce. EUA, 1999. Com Hilary Swank, Chloë Sevigny e Peter Sarsgaard. 118’. Legendas em português. Exibição em MP4 (H264). Sessão seguida de debate com Ruy Gardnier e Hernani Heffner. Classificação indicativa 16 anos. 19h30 – Dossiê Crítico 1999 – As virgens suicidas The Virgin Suicides de Sofia Coppola. EUA, 1999. Com James Woods, Kirsten Dunst e Kathleen Turner. 97’. Legendas em português. Exibição em MP4 (H264) + debate “Tornar-se mulher”, com a participação de Yandara Moeira, Cecília Barroso e Ana Flávia Gerhardt. Classificação indicativa 14 anos.

seg 26 16h – Dossiê Crítico 1999 – O talentoso Ripley The Talented Mr. Ripley de Anthony Minghella. EUA, 1999. Com Matt Damon, Gwyneth Paltrow e Jude Law. 139’. Legendas em português. Exibição em MP4 (H264). Classificação indicativa 14 anos. 18h40 – Dossiê Crítico 1999 – O mundo de Andy Man on the Moon de Milos Forman. EUA, 1999. Com Jim Carrey, Danny DeVito e Courtney Love. 118’. Legendas em português. Exibição em MP4 (H264). Classificação indicativa 16 anos.

ter 27 16h – Dossiê Crítico 1999 – Audição Ôdishon / オーディション de Takashi Miike. Japão, 1999. Com Ryo Ishibashi e Eihi Shima. 115’. Legendas em português. Exibição em MP4 (H264). Classificação indicativa 18 anos. 18h – Dossiê Crítico 1999 – O sexto sentido The Sixth Sense de M. Night Shyamalan. EUA, 1999. Com Bruce Willis e Haley Joel Osment. 107’. Legendas em português. Exibição em MP4 (H264). Classificação indicativa 16 anos.

qua 28 16h – Dossiê Crítico 1999 – O informante The Insider de Michael Mann. EUA, 1999. Com Al Pacino, Russell Crowe, Christopher Plummer e Dine Verona. 157’. Legendas em português. Exibição em MP4 (H264). Classificação indicativa 16 anos. 18h40 – Dossiê Crítico 1999 – Eleição Election de Alexander Payne. EUA, 1999. Com Mathew Broderick e Reese Witherspoon. 102’. Legendas em português. Exibição em MP4 (H264). Classificação indicativa 10 anos.

qui 29 15h30 – Museu e Tecnologia de Cinema – Lançamentos do Dossie Temático da Revista Museologia e Interdisciplinaridade  Cinema, Museu e Patrimônio, organizado por Alda Heizer e José Quental, e do catálogo da Exposição Galáxia(s) do Cinema : Máquinas, Engrenagens, Movimentos ou this strange little thing called love, com Curadoria de Hernani Heffner, evento seguido de abertura e mesa-redonda com a participação de Cícero de Almeida (IBRAM/UNIRIO), Fabián Nuñez (UFF) e Hernani Heffner (Cinemateca do MAM Rio), com mediação de José Quental (Université Paris 8/IHTP). 17h15 – Sessão ABPA – Balneário da Urca (fragmento) de J. Nunes. Brasil, 1929-35. Filme amador. 8’20’’ + Hands, a dança de Maria Duschenes de Herbert Duchesnes. Brasil, 1949. Filme familiar. 8’20’’ + Anti-cinema (?) (Auto-retrato n. 4) de Raymond Chauvin. Brasil, 1980. Experimental. 3’ + O que você deve saber sobre a raiva! de diretor anônimo. Brasil 1952. Filme didático. 5’40’’ + Augusto Ruschi, Guainunbi de Orlando Bonfim Netto. Brasil, 1979. Documentário. 12’. Exibição em MP4 (H264). Sessão seguida de visitação e confraternização. Clasificação indicativa Livre. 18h30 – Sala Escura: Homenagem a Ruth de Souza e Isabel Sarli – Favela de Armando Bó. Brasil/Argentina, 1961. Com Isabel Sarli, Victor Bo, Ruth de Souza e Moacyr Deriquem. 76’. Exibição em 35mm. Classificação indicativa 18 anos. 20h – Pré-estreia – Dos antigos aos Filhos do Amanhã de Leonardo A. Gelio. Brasil, 2017. Documentário. 30’. Exibição em mov (H264) + debate com o realizador, Robson Possídônio (caiçara, pescador, aprendiz-canoeiro, líder da Associação de Moradores de Trindade e membro do Forum das Comunidades Tradicionais da Região de Trindade), Hernani Heffner (Conservador-chefe da Cinemateca do MAM Rio) e Nina Braga (socióloga, psicóloga, pós-graduada em Antropologia pela UFRJ e diretora do Instituto E). Classificação indicativa Livre.

sex 30 14h – Sobreurbano: a cidade se debate – Moradias – Remoção de Anderson Quack e Luís Antônio Pilar. Brasil, 2013. Documentário.  85’. Exibição em mov (H264). Sessão seguida de roda de conversa. Classificação indicativa Livre. 16h – Dossiê Crítico 1999 – Uma história real The Straight Story de David Lynch. França/Grã-Bretanha/EUA, 1999. Com Richard Fansworth e Sissy Spacek. 111’. Legendas em português. Exibição em MP4 (H264). Classificação indicativa 14 anos. 18h – Dossiê Crítico 1999 – O vento nos levará Bad ma ra khahad bord / اد ما را خواهد برد‎, de Abbas Kiarostami. Irã/França, 1999. Com Behzad Dorani, Noihgre Asadi e Bahman Ghobadi. 118’. Legendas em português. Exibição em MP4 (H264). Classificação indicativa 10 anos.

sab 31 16h – Dossiê Crítico 1999 – Rosetta de Jean-Pierre e Luc Dardenne. França/Bégica, 1999. Com Emilie Dequenne, Fabrizio Rongione e Anne Yernaux. 95’. Legendas em português. Exibição em MP4 (H264). Classificação indicativa 16 anos. 18h – Dossiê Crítico 1999 – O lixo e o sonho Ratcatcher de Lynne Ramsay. Grã-Bretanha/França, 1999. Com Tommy Flanagan, Mandy Matthews e William Eadie. 94’. Legendas em português. Exibição em MP4 (H264). Classificação indicativa 14 anos. 20h – Pré-estreia – Filhos de Macunaíma de Miguel Antunes Ramos. Brasil, 2019. Documentário. 90’. Exibição em DCP. Sessão seguida de roda de conversa com o realizador, Léo Bittencourt e Aparecida Vilaça. Classificação indicativa 14 anos.

PROGRAMAÇÃO – julho 2019

Festival Ecrã Em sua terceira e maior edição o Festival Ecrã, dedicado ao cinema expandido e experimental, apresenta uma ampla seleção da criação audiovisual mundial recente, trazendo ainda 11 instalações que estarão dispostas no espaço junto à entrada e nos corredores de acesso da Cinemateca. Com investigações sobre a natureza dos tempos, das materialidades, dos afetos e do viver contemporâneo, entre outras aproximações à sensorialidade, à estesia e ao pensar, o festival se firma como uma das mais importantes janelas do país para uma produção eminentemente não-comercial, fazendo a ponte com as artes visuais, sonoras e espaciais contemporâneas.

Mostra Popular de Filmes Finalistas do Grande Prêmio do Cinema Brasileiro Escolhida como um dos espaços de divulgação dos finalistas ao Grande Prêmio Cinema Brasileiro 2019, organizado pela Academia Brasileira de Cinema, a Cinemateca apresenta az quase totalidade dos títulos concorrentes de 22 de julho a 11 de agosto. A premiação destina-se às produções lançadas no mercado de salas de exibição comerciais e que se destacaram em diversos quesitos. A selerção da Cinemateca envolve principalmente os corrente a melhor filme em diversas categorias como Filme Brasileiro, Estrangeiro e  Latino, por exemplo.

qui 11 20h – Festival Ecrã – Lembra de Leonardo Martinelli. Brasil, 2018. Com Isis Mendes Távora e Viniele Lopes. 10’. Exibição em mov (H264) + Os jovens Baumann de Bruna Carvalho Almeida e Leonardo Martinelli. Brasil, 2018. Com Júlia Burnier e Isabela Mariotto. 70’. Exibição em DCP 2K + roda de conversa com os realizadores e mediação de Hernani Heffner. Classificação indicativa 14 anos.

sex 12 13h – Festival Ecrã – XI – La force de Onze (Rodrigo Amim e Gabriela Monnerat), Mari Bley e João Bueno. Brasil, 2017. Experimental. 3’05” + As esquecidas cores dos sonhos The Forgotten Colours of Dreams de Johnny Clyde. Alemanha, 2018. Com Nina Viola. 129’. Legendas em português. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 12 anos.

15h20 – Festival Ecrã – Histórias de fantasmas de Carlos Pereira. Portugal, 2018. Documentário experimental. Com Pierre Marcout. 13’32” + Corsário Corsario de Raúl Perrone. Argentina, 2018. Com Martin Bermello, Alejandro Ricagno e Nicolas Ruiz. 67’. Legendas em português. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 18 anos.

16h45 – Festival Ecrã – Adeus às coisas de Ian Schuler. Brasil, 2019. Experimental. 17’ + Vaga carne de Grace Passô e Ricardo Alves Jr. Brasil, 2019. Com Grace Passô, Zora Santos e André Novais Oliveira. Exibição em mov (H264). Sessão com apresentação do diretor Ian Schuler. Classificação indicativa 16 anos

18h15 – Festival Ecrã – A consulta de três da tarde com o Dr. Harlow Beth’s Three O’Clock with Dr. Harlow de Emma Penaz Eisner. EUA, 2018. Animação/Live action. Com William Hughes e Jane Wolker. 2’05” + Permanecendo com o problema Staying with the Trouble de Alyona Larionova. Grã-Bretanha, 2018. Documentário. 14’05” + O cérebro de Ulrike Ulrike’s Brain de Bruce LaBruce. Alemanha/Canadá, 2017. Com Susanne Sachße, Gertrude Stammheim e Jonathan Johnson. 55’. Legendas em português. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 16 anos.

20h – Festival Ecrã – A corrida de camelos The Camel Race de Isabelle Carbonell e Pierre Kattar. EUA/Qatar, 2012. Documentário. 23’32” + Filme catástrofe Film Catastrophe de Paul Grivas. França, 2018. Documentário. 55’. Legendas em português. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 12 anos.

sab 13 11h – Festival Ecrã – Métodos de pesquisa para imagens já existentes, debate com Patrícia Machado, Lucas Murari e Juliano Gomes. Classificação indicativa Livre.

13h – Festival Ecrã – Notas sobre os vivos de Onze (Rodrigo Amim e Gabriela Monnerat), Mari Bley e João Bueno. Brasil, 2017. Experimental. 3’05” + Diários de terraços e torres de água Diary of Rooftop and Water Towers de Nobuyuki Asai. Japão/EUA, 2018. Com Nina Viola. 102’52”. Legendas em português. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 12 anos.

15h10 – Festival Ecrã – Nossa voz Nou voix de Maxime Jean-Baptiste. Portugal, 2018. Found footage. 14’24” + O expurgo da terra Purge This Land de Lee Anne-Schmitt. EUA, 2017. Documentário/Filme Ensaio. 80’. Legendas em português. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 14 anos.

17h – Festival Ecrã – Concreto cinza abstrato de Henrique Grise. Brasil, 2018. Com Gabriela Barreto e Pedro Clemente. 11’ + Anos de construção Years of Construction de Heinz Emigholz. Alemanha, 2019. Documentário. Legendas em português. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 10 anos.

19h – Festival Ecrã – Dispositivos móveis Mobile Devices de Paul Echeverria. EUA, 2017. Animação. 5’ + Sua existência começou nessa hora It’s Existence Commenced This Hour de Wolfgang Lehmann. Suécia/Malásia, 2016-9. Experimental. Com Letizia Mauldin, The Anonymous, Amparo Tamayan & Shichiro Ozu. 60’. Exibição em mov (H264). Sessão seguida de debate com o realizador Wolfgang Lehmann, com mediação de Luiz Garcia. Classificação indicativa 10 anos.

20h30 – Festival Ecrã – Latitude dos cavalos The Horse Latitudes de Duncan McDowall. Canadá, 2013. Com Robert Naylor, Kristian Hodko, Al Dubois. 15’ + Amalia de Omar Rodriguez-Lopez. EUA, 2018. Com Jacquelin Arroyo, Verina Banks e Victor Boneva. 97’. Legendas em português. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 18 anos.

dom 14 11h – Festival Ecrã – McLuhan, mídia e materialidade: estendendo o cinema experimental, palestra com Wilson Oliveira Filho e Richard Altman. Classificação indicativa Livre.

13h – Festival Ecrã – Far fa loo de Luis Grane. EUA, 2017. Experimental. 6’06” + McLuhan esnobado: o cínico ocidental McLuhan Unclaimed: Western Cynical de Richard Altman. Canadá, 2017. Documentário. 186’. Legendas em português. Exibição em mov (H264). Sessão com apresentação do realizador Richard Altman. Classificação indicativa 16 anos.

16h – Festival Ecrã – Afeto de Gabriella Meirelles e Tainá Medina. Brasil, 2018. Experimental. 15’. Exibição em mov (H264) + Nietzsche Sils Maria de Rochedo Surlej de Júlio Bressane, Rosa Dias e Rodrigo Lima. Brasil, 2019. Documentário experimental. Com Rosa Dias. 58’. Exibição em DCP. Sessão com apresentação pelos realizadores Tainá Medina, Gabriela Meirelles, Júlio Bressane, Rosa Dias e Rodrigo Lima. Classificação indicativa 14 anos.

17h50 – Festival Ecrã – Lendo//Vendo//Benning Reading//Binging//Benning de Kevin B. Lee & Chloé Galibert-Laîné. EUA, 2018. Ensaio. 10’43” + Leitores Readers de James Benning. EUA, 2017. Com Rachel Kushner, Richard Hebdige, Clara McHale-Ribot e Simone Forti. 108’. Legendas em português. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 10 anos.

20h – Festival Ecrã – Memórias de 02/2019 de Luiz Fernando Kogut. Brasil, 2019. Documentário. 23’32”. + Esses dias These Days de Andre de Nervaux. Grã-Bretanha, 2018. Documentário. 60’. Legendas em português. Exibição em mov (H264). Sessão com apresentação pelo realizador Luiz Fernando Kogut. Classificação indicativa 12 anos.

seg 15 13h – Festival Ecrã – Ar da memória de Chris Martins. Brasil, 2018. Experimental. 20’20” + Vaga carne de Grace Passô e Ricardo Alves Jr. Brasil, 2019. Com Grace Passô, Zora Santos e André Novais Oliveira. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 16 anos.

14h20 – Festival Ecrã – Língua nos dentes Teeth Tongue de Michael Wawzenek. EUA, 2018. Experimental. 3’ + Alabastro  Albatrê de Jacques Perconte. França, 2016-8. Documentário. 46’. Legendas em português. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 10 anos.

15h15 – Festival Ecrã – Mudança contemporânea Mudanza contemporanea de Teo Guillem. Espanha, 2019. Experimental. 19’40” + Família. Trabalho. Compras Family. Work. Shop de 猫 シ Corp. Holanda, 2018. Filme de família experimental. 80’06”. Legendas em português. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa Livre.

17h10 – Festival Ecrã – Translações Nutsigassat de Tinne Zenner. Groenlândia, 2018. Documentário experimental. 20’20” + Notas de uma viagem Notes from a Journey de Clara Pais e Daniel Fawcett. Grã-Bretanha, 2019. Travelogue experimental. 72’. Legendas em português. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 12 anos.

19h – Festival Ecrã – História(s) do Tempo Histoire(s) du Temps de Eli Hayes. EUA, 2019. Filme de arquivo experimental. 206’. Legendas em português. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa Livre.

ter 16 13h – Festival Ecrã – Afeto de Gabriella Meirelles e Tainá Medina. Brasil, 2018. Experimental. 15’. Exibição em mov (H264) + Nietzsche Sils Maria de Rochedo Surlej de Júlio Bressane, Rosa Dias e Rodrigo Lima. Brasil, 2019. Documentário experimental. Com Rosa Dias. 58’. Exibição em DCP. Classificação indicativa 14 anos.

14h15 – Festival Ecrã – Crônicas de lá e de lugar nenhum From There and Nowhere Chronicles de Jeremy Griffaud. França, 2018. Animação. 4’20” + Sensores Sensors de Kent Tate. Canadá, 2019. Documentário. 8’30” + 8 caminhos para o colégio 8 chemins du Tracas de Jean-Marc Boulard. França, 2019. Experimental. 48’. Legendas em português. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 10 anos.

15h20 – Festival Ecrã – Paisagem vira paisagem Landscape becoming Landscape de Pamela Breda. Grã-Bretanha, 2019. Experimental. 2’42” + A cidade escondida La ciudad oculta de Victor Moreno. Espanha/França/Alemanha, 2019. Experimental. 80’. Legendas em português. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 12 anos.

17h10 – Festival Ecrã – O último dia da mariposa Le dernier jour du papillon lune de Guillaume Vallée. Canadá, 2019. Experimental. 4’52” + Correnteza IX The Stream IX de Hiroya Sakurai. Japão, 2018. Documentário experimental. 5’37” + A visão de Tondal Tondal’s Vision de Stephen Broomer. Canadá, 2018. Experimental.  64’. Legendas em português. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 12 anos.

18h40 – Festival Ecrã – Horizonte Skyline de Janja Rakuš. Eslovênia, 2018. Experimental. 6’34” + Intercâmbio Interchange de Mélanie Shatzky e Brian M. Cassidy. Canadá, 2018. Documentário. 62’. Legendas em português. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa Livre.

20h – Festival Ecrã – Negrum 3 de Diego Paulino. Brasil, 2018. Ensaio. 21’56” + Eu sou o Rio de Gabraz Sanna e Anne Santos. Brasil, 2017. Documentário. 78’. Exibição em mov (H264). + debate com os realizadores Gabraz Sanna e Anne Santos, com mediação de Bernardo Oliveira. Classificação indicativa 16 anos.

qua 17 13h – Festival Ecrã – Memórias de 02/2019 de Luiz Fernando Kogut. Brasil, 2019. Documentário. 23’32” + Esses dias These Days de Andre de Nervaux. Grã-Bretanha, 2019. Documentário. 60’. Legendas em português. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 12 anos.

14h30 – Festival Ecrã – XI – La force de Onze (Rodrigo Amim e Gabriela Monnerat), Mari Bley e João Bueno. Brasil, 2017. Experimental. 3’05” + As esquecidas cores dos sonhos The Forgotten Colours of Dreams de Johnny Clyde. Alemanha, 2018. Com Nina Viola, Magloire Bilal Button e Viveka Frost. 129’. Legendas em português. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 12 anos.

16h50 – Festival Ecrã – Histórias de fantasmas de Carlos Pereira. Portugal, 2018. Documentário experimental. Com Pierre Maurcot. 13’32” + Corsário Corsario de Raúl Perrone. Argentina, 2018. Com Martin Bermello, Alejandro Ricagno e Nicolas Ruiz. 67’. Legendas em português. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 18 anos.

18h20 – Festival Ecrã – Translações Nutsigassat de Tinne Zenner. Groenlândia, 2018. Documentário experimental. 20’20” + Notas de uma viagem Notes from a Journey de Clara Pais e Daniel Fawcett. Grã-Bretanha, 2019. Travelogue experimental. 72’. Legendas em português. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 12 anos.

20h – Festival Ecrã – Bem, no meio do céu de Isabella Raposo e Thiago Brito. Brasil, 2018. Com Gláucia Brito Brandão. 13’ + Mirante de Rodrigo John. Brasil, 2019. Documentário. 79’. Exibição em mov (H264) + debate com os realizadores, com mediação de Francisco Carbone. Classificação indicativa Livre.

qui 18 13h – Festival Ecrã – Só um pouco aqui Sólo un poco aquí de Duo Strangloscope. Brasil/México, 2019. Documentário. 5’32” + Sua existência começou nessa hora It’s Existence Commenced this Hour de Wolfgang Lehmann. Suécia/Malásia, 2016-9. Experimental. Com Letizia Mauldin, The Anonymous, Amparo Tamayan & Shichiro Ozu. 60’. Exibição em mov (H264).  Classificação indicativa 10 anos.

14h10 – Festival Ecrã – Far fa loo de Luis Grane. EUA, 2018. Experimental. 6’06” + McLuhan esnobado: o cínico ocidental McLuhan Unclaimed: Western Cynical de Richard Altman. Canadá, 2017. Documentário. 186’. Legendas em português. Exibição em mov (H264). Sessão com apresentação do realizador Luis Grané. Classificação indicativa 16 anos.

17h20 – Festival Ecrã – Por favor, saia do enquadramento Please Step out of the Frame de Karissa Kahn. EUA, 2018. Documentário experimental. 4’10” + Alabastro  Albâtre de Jacques Perconte. França, 2016-8. Documentário. 46’. Legendas em português. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 18 anos.

18h20 – Festival Ecrã – A consulta de três da tarde com o Dr. Harlow Beth’s Three O’Clock with Dr. Harlow de Emma Penaz Eisner. EUA, 2018. Animação/Live action. Com William Hughes e Jane Wolker. 2’05” + Permanecendo com o problema Staying with the Trouble de Alyona Larionova. Grã-Bretanha, 2018. Documentário. 14’05” + O cérebro de Ulrike Ulrike’s Brain de Bruce LaBruce. Alemanha/Canadá, 2017. Com Susanne Sachße, Gertrude Stammheim e Jonathan Johnson. 55’. Legendas em português. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 16 anos.

20h – Festival Ecrã – Wide awake de Rafael de Almeida. Brasil, 2018. Experimental. 7’ + Vermelha de Getúlio Ribeiro. Brasil, 2018. Com Gaúcho, Beto, Débora Marques. 78’. Exibição em mov (H264). Sessão seguida de debate com o realizador Getúlio Ferreira, com mediação de Pedro Henrique Ferreira. Classificação indicativa 12 anos.

sex 19 13h – Festival Ecrã – Bem, no meio do céu de Isabella Raposo e Thiago Brito. Brasil, 2018. Com Gláucia Brito Brandão. 13’ + Mirante de Rodrigo John. Brasil, 2019. Documentário. 79’. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa Livre.

14h40 – Festival Ecrã – Intermediário Ενδιάμεσος de Antonis Rozakis. Grécia, 2018. Com Antonis Varthalitis. 4’07” + Intercâmbio Interchange de Mélanie Shatzky e Brian M. Cassidy. Canadá, 2018. Documentário. 62’. Legendas em português. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa Livre.

16h – Festival Ecrã – Notas sobre os vivos de Onze (Rodrigo Amim e Gabriela Monnerat), Mari Bley e João Bueno. Brasil, 2017. Experimental. 3’05” + Diários de terraços e torres de água (Diary of rooftop water towers) de Nobuyuki Asai. Japão/EUA, 2018. Documentário poético. 102’52”. Legendas em português. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 12 anos.

18h10 – Festival Ecrã – Calma de Rafael Simões. Brasil, 2019. Experimental. 30’ + Trovão do mar Tonerre sur mer vosta de Yotam Bem-David. Israel, 2018. Documentário. 45’36”. Legendas em português. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 12 anos.

19h45 – Festival Ecrã – Lendo//Vendo//Benning Reading//Binging//Benning de Kevin B. Lee & Chloé Galibert-Laîné. EUA, 2018. Ensaio. 10’43” + Leitores Readers de James Benning. EUA, 2017. Com Rachel Kushner, Richard Hebdige, Clara McHale-Ribot e Simone Forti. 108’. Legendas em português. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 16 anos.

sab 20 11h – Festival Ecrã – Trajetória da crítica de cinema no Brasil, com a participação e dos críticos Susana Schild, Ruy Gardnier, Lucas Salgado e Eduardo Valente.

13h – Festival Ecrã – O submundo The Underworld de Jan Clavadetscher. Irlanda, 2019. Experimental. 16’42”. + A cidade escondida La ciudad oculta de Victor Moreno. Espanha/França/Alemanha, 2019. Experimental. 80’. Legendas em português. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 12 anos.

14h50 – Festival Ecrã – Transições Transitions de Aurèle Ferrier. Suiça, 2018. Experimental. 12’48” + Vermelha de Getúlio Ribeiro. Brasil, 2018. Com Gaúcho, Beto, Débora Marques. 78’. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 12 anos.

16h30 – Festival Ecrã – Latitude dos cavalos The Horse Latitudes de Duncan McDowall. Canadá, 2013. Com Robert Naylor, Kristian Hodko, Al Dubois. 15’ + Amalia de Omar Rodriguez-Lopez. EUA, 2018. Com Jacquelin Arroyo, Verina Banks e Victor Boneva. 97’. Legendas em português. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 18 anos.

18h30 – Festival Ecrã – Concreto cinza abstrato de Henrique Grise. Brasil, 2018. Com Gabriela Barreto e Pedro Clemente. 11’ + Anos de construção Years of Construction de Heinz Emigholz. Alemanha, 2019. Documentário. Legendas em português. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 10 anos.

20h30 – Festival Ecrã: Sessão Virgil Wildrich – Back track. Áustria, 2015. Experimental. 7’ + Copiadora Copy Shop. Áustria, 2018. Com Johannes Silberschneider, Elisabeth Ebner-Haid. 12’ + Fazer/Real (Make/Real). Áustria, 2010. Animação 5’ + Filme rápido Fast Film. Áustria, 2003. Experimental. 14’. + Matéria de luz Light Mater. Áustria, 2018. Animação. 5’. + TX-Reverse. Áustria, 2019. Experimental. 5’. Experimental. 7’. Legendas em português. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 12 anos.

dom 21 11h – Festival Ecrã – Uma visão eclética sobre animação experimental e videoarte, palestra com a cineasta Luis Grané. Classificação indicativa Livre.

13h – Festival Ecrã – O último dia da mariposa Le dernier jour du papillon lune de Guillaume Vallée. Canadá, 2019. Experimental. 4’52” + Correnteza IX The Stream IX de Hiroya Sakurai. Japão, 2018. Documentário experimental. 5’37” + A visão de Tondal Tondal’s Vision de Stephen Broomer. Canadá, 2018. Experimental.  64’. Legendas em português. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 12 anos.

14h25 – Festival Ecrã – Nossa voz Nou voix de Maxime Jean-Baptiste. Portugal, 2018. Found footage. 14’24” + O expurgo da terra Purge this Land de Lee Anne-Schmitt. EUA, 2017. Documentário/Filme Ensaio. 80’. Legendas em português. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 14 anos.

16h15 – Festival Ecrã – A corrida de camelos The Camel Race de Isabelle Carbonell e Pierre Kattar. EUA/Qatar, 2012. Documentário. 23’32” + Filme catástrofe Film catastrophe de Paul Grivas. França, 2018. Documentário. 55’. Legendas em português. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 12 anos.

17h30 – Festival Ecrã – Crônicas de lá e de lugar nenhum From There and Nowhere Chronicles de Jeremy Griffaud. França, 2018. Animação. 4’20” + Sensores Sensors de Kent Tate. Canadá, 2019. Documentário. 8’30” + 8 caminhos para o colégio 8 chemins du Tracas de Jean-Marc Boulard. França, 2019. Experimental. 48’. Legendas em português. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 10 anos.

19h – Festival Ecrã – Protejam essa laje de Gabriel Papaléo. Brasil, 2019. Documentário. 15’02”. + Enquanto estamos aqui de Clarissa Campolina e Luiz Pretti. Brasil, 2019. Com Grace Passô, Marcelo Souza e Silva, Mary Ghattas. 75’. Legendas em português. Exibição em mov (H264) + debate com os realizadores Gabriel Papaléo, Clarissa Campolina e Luiz Pretti, com mediação de Andrea Ormond. Classificação indicativa 12 anos.

seg 22 16h – Grande Prêmio Cinema Brasileiro 2019 – A noiva do deserto La novia del desierto de Cecilia Atán e Valeria Pivato. Argentina/Chile, 2017. Com Paulina García e Susana Pampín. 78’. Exibição em DCP 2K. Classificação indicativa 12 anos.

18h – Grande Prêmio Cinema Brasileiro 2019 – O Grande Circo Místico de Carlos Diegues. Brasil/França/Portugal, 2018. Com Vincent Cassel, Jesuíta Barbosa, Bruna Linzmayer e Mariana Ximenes. 104’. Exibição em DCP 2K. Classificação indicativa 16 anos.

20h – Grande Prêmio Cinema Brasileiro 2019 – A luta do século de Sérgio Machado. Brasil, 2015. Documentário. 78’. Exibição em DCP 2K. Classificação indicativa 16 anos.

ter 23 16h – Grande Prêmio Cinema Brasileiro 2019 – Alguém como eu de Leonel Vieira. Portugal/Brasil, 2018. Com Paolla Oliveira e Ricardo Pereira. 87’. Exibição em DCP 2K. Classificação indicativa 14 anos.

18h – Grande Prêmio Cinema Brasileiro 2019 – Chacrinha – O Velho Guerreiro de Andrucha Waddington. Brasil, 2018. Com Stepan Nercessian, Marie Pequim, Marcelo Serrado e Gustavo Machado. 113’. Exibição em DCP 2K. Classificação indicativa 12 anos.

20h – Grande Prêmio Cinema Brasileiro 2019 – Ex-pajé de Luiz Bolognesi. Brasil, 2018. Documentário. 78’. Exibição em DCP 2K. Classificação indicativa Livre.

qua 24 16h – Grande Prêmio Cinema Brasileiro 2019 – As herdeiras Las herederas de Marcelo Martinessi. Paraguai/França/Alemanha/Noruega/Brasil/Uruguai/Itália, 2018. Com Ana Brun, Margarita Irun e Ana Ivanova. 98’. Exibição em DCP 2K. Classificação indicativa 12 anos.

18h – Grande Prêmio Cinema Brasileiro 2019 – O paciente – O caso Tancredo Neves de Sérgio Rezende. Brasil, 2018. Com Othon Bastos, Ester Goés e Leonardo Medeiros. 100’. Exibição em  DCP 2K. Classificação indicativa 14 anos.

20h – Grande Prêmio Cinema Brasileiro 2019 – My Name Is Now, Elza Soares de Elizabeth Martins. Brasil, 2014. Documentário. 71’. Exibição em DCP 2K. Classificação indicativa Livre.

qui 25 14h – Grande Prêmio Cinema Brasileiro 2019 – Cachorros Los perros de Marcela Said. Chile/França/Argentina/Portugual/Alemanha/Suiça, 2017. Com Antonia Zegers e Alfredo Castro. 94’. Exibição em DCP 2K. Classificação indicativa 14 anos.

16h – Grande Prêmio Cinema Brasileiro 2019 – A voz do silêncio de André Ristum. Brasil, 2018. Com Marieta Severo e Milhem Cortaz. 98’. Exibição em DCP 2K. Classificação indicativa 16 anos.

18h – Sessão Retrolâmpago – A Carne e o Diabo Flesh and the Devil de Clarence Brown. EUA, 1926. Com John Gilbert, Greta Garbo e Lars Hanson.112’. Legendas em português. Exibição em MKV. Sessão com acompanhamento musical ao vivo por Cadu Pereira. Antes da sessão, distribuição de folhetos impressos. Sessão precedida de apresentação e seguida de sorteios de cartazes. Classificação indicativa 14 anos. Curadoria Igor Andrade Pontes. Organização: Drika de Oliveira e Igor Andrade Pontes.

20h30 – Grande Prêmio Cinema Brasileiro 2019 – My Name Is Now, Elza Soares de Elizabeth Martins. Brasil, 2014. Documentário. 71’. Exibição em DCP 2K. Classificação indicativa Livre.

sex 26 14h – Grande Prêmio Cinema Brasileiro 2019 – Uma noite de 12 anos La noche de 12 años de Alvaro Brechner. Uruguai/Espanha/Argentina/França/Alemanha, 2018. Com Antonio de la Torre e Chino Darín. 122’. Exibição em DCP 2K. Classificação indicativa 14 anos.

16h30 – Grande Prêmio Cinema Brasileiro 2019 – Benzinho de Gustavo Pizzi. Brasil, 2018. Com Karina Teles e Adriana Esteves. 98’. Exibição em DCP 2K. Classificação indicativa 12 anos.

18h30 – Cineclube Golden Swallow – Cruel dilema Good-bye, My Lady de William A. Wellman. EUA, 1956. Com Walter Brennan e Phil Harris. 94’. Legendas em português. Exibição em, DVD. Classificação indicativa 14 anos.

20h – Grande Prêmio Cinema Brasileiro 2019 – O processo de Maria Augusta Ramos. Aleamnha/Brasil/Holanda, 2018. Documentário. 139’. Exibição em DCP 2K. Classificação indicativa Livre.

sab 27 14h – Grande Prêmio Cinema Brasileiro 2019 – Infiltrado na Klan BlacKKKlansman de Spike Lee. EUA, 2018. Com John David Washington e Adam Driver. 135’. Exibição em DCP 2K. Classificação indicativa 14 anos.

17h – CineMAM#17: Pré-estréia – A suite epifânica de Luiza de Elvis Delbagno. Brasil, 2017. Com Luiza Oliveira e Vímerson Cavanilas. 92’. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 14 anos. Curadoria Felipe Cataldo.

19h – CineMAM#17: Vidigal – Marulho de Marcello Melo. Pré-estréia. Brasil, 2019. Com Marcello Melo, Paula Almeida, Marcello Melo Jr, Fátima Domingues, Sabrina Rosa, Melissa Arievo, Benjamim, Cida Costa, João Gurgel e Bruno Barboza. 26’ + Pé sem chão de Sérgio Ricardo. Brasil, 2014. Com Marília Coelho, Márcio Januário, Nino Batista e Sérgio Ricardo. 14’ + Poder de Sabrina Rosa. Brasil, 2018. Com Cíntia Rosa, Luana Xavier, Mary Sheyla de Paula, Mariana Alves, Paloma Riane, Marcello Melo, Eduardo Bastos e Luiz Delfino. 20’ + Amanhã já é outono de Luciana Bezerra. Brasil, 2015. Com Paloma Dalla Vecchia e Paula Almeida. 17’ + Cacumbu de Daniel Paes. Brasil, 2018. Com Ivo Gustavo da Silva, Sérgio Ricardo, Marília Coelho, Nino Batista, Marcelo Mello, Mônica Nega, Francisco Thiago, João Gurgel, Victor Magrath e a voz de Glauce Guima. 14’. Exibição em mov (H264). Sessão seguida de debate com os realizadores. Classificação indicativa 14 anos. Curadoria Felipe Cataldo.

dom 28 13h – Grande Prêmio Cinema Brasileiro 2019 – Peixonauta – O filme de Célia Catunda, Rodrigo Eba e Kiko Mistrorigo. Brasil, 2017. Animação. 67’. Exibição em DCP 2K. Classificação indicativa Livre.

15h – Grande Prêmio Cinema Brasileiro 2019 – A arte da discórdia The Square de Ruben Östlund. Suécia/Alemanha/França/Dinamarca, 2017. Com Claes Bang e Elizabeth Moss. 151’. Exibição em DCP 2K. Classificação indicativa 14 anos.

18h – Inhotim Arte Presente – Curadoria de Pedro Urano. Brasil, 2017. Documentário. 52’ + Jardim Botânico de Pedro Urano. Brasil, 2017. Documentário. 52’. Exibição em mov. (H264) + roda de conversa. Classificação indicativa Livre.

seg 29 16h – Grande Prêmio Cinema Brasileiro 2019 – Bohemian Rhapsody de Brian Singer. EUA, 2018. Com Rami Malek e Lucy Boynton. 134’. Exibição em DCP 2K. Classificação indicativa 14 anos.

18h30 – Cine Fantástico – O pássaro sangrento Stage Fright de Michele Soavi. Itália, 1987. Com David Brandon, Barbara Cupisti e Domenico Fiore. 90’. Legendas em português. Exibição em MP4 (H264). Classificação indicativa 14 anos.

ter 30 16h – Grande Prêmio Cinema Brasileiro 2019 – Eu, Tonya I, Tonya de Craig Gillespie. EUA, 2017. Com Margot Robbie. 120’. Exibição em DCP 2K. Classificação indicativa 14 anos.

18h30 – Cineclube Moventes – Espelho de carne de Antônio Carlos Fontoura. Brasil, 1984. Com Daniel Filho, Hileana Menezes, Denis Carvalho e Maria Zilda. 102’. Exibição em 35mm + roda de conversa. Classificação indicativa 18 anos.

qua 31 15h – Grande Prêmio Cinema Brasileiro 2019 – A forma da água The Shape of Water de Guillermo del Toro. EUA, 2017. Com Sally Hawkins, Michael Shannon e Richard Jenkins. 123’. Exibição em DCP 2K. Classificação indicativa 16 anos.

18h30 – Sala Escura: 40 anos da Revolução Sandinista – O pequeno exército louco de Lúcia Murat. Brasil, 1984. Documentário. 50’. Exibição em mov (H264). Sessão seguida de roda de conversa com a realizadora. Classificação indicativa 16 anos.

Entrada franca.

PROGRAMAÇÃO – junho 2019

Bloomsday O Bloomsday é uma celebração nascida em Dublin, capital da Irlanda, em 1954, por iniciativa de um grupo de escritores capitaneados por John Ryan. Homenageava o cinquentenário dos eventos descritos no romance Ulisses (1922), de James Joyce, que giram em torna da personagem Leopold Bloom e se passam ficcionalmente no dia 16 de junho de 1904, exato dia em que o escritor conheceu sua futura esposa Nora Barnacle. Considerado um dos monumentos artísticos mais importantes do século XX, o texto descreve a jornada de Bloom pelas ruas da capital irlandesa ao longo do dia, reproduzindo uma intrincada cartografia urbana e construindo um retrato da complexa e hesitante personalidade do protagonista em um aparente dia banal. O afã de Joyce em capturar de uma só vez a vivência moderna em todas as suas dimensões acabaria inspirando um sem número de eventos, manifestações, comemorações mundo afora, todas alusivas ao universo joyceano e sua obra maior. Em parceria com Fórum do Campo Lacaniano do Rio de Janeiro, a Cinemateca se junta às celebrações mundiais do Bloomsday 2019 apresentando uma programação que explora um desdobramento específico da obra joyceana. Tomados como principal referência para o seu Seminário de Ensino, conhecido como Livro 23, realizado no biênio 1975-6, os textos joyceanos são vistos pelo psicanalista Jacques Lacan como um sinthoma, isto é, como a possibilidade de conscientemente o sujeito inventar uma solução para os seus problemas, o que abrir grandes perspectivas de uso da arte para tratar situações como o autismo, por exemplo. Centrados na relação com a psicanálise, os encontros propostos para os dias 14, 15 e 16 exploram diferentes facetas dessa relação assim como reapresentam elementos do imaginário joyceano e da cultura irlandesa, suscitando o ambiente propício para o entendimento da sugestão capturada por Lacan. Ponto alto da programação são as duas conferências da professora e estudiosa francesa Colette Soler, e o lançamento da tradução brasileira de seu livro já clássico, Lacan leitor de Joyce. Confiram o registro fílmico do primeiro Bloomsday neste link: https://www.youtube.com/watch?v=A0gNNWHmj9Q

Risco Cinema “A muralha da China foi concluída em sua extremidade setentrional”. Assim começa o conto de Franz Kafka “Durante a construção da muralha da China” e, assim começa este filme na fronteira fortemente militarizada do sudeste da Europa. À sombra de suas próprias narrativas de liberdade, a Europa construiu silenciosamente sua própria grande muralha. Tal como o famoso precursor chinês, este muro tem sido fragmentado em construção, diversificado na forma e discutível na utilidade. Aos poucos, se tornando coerente em todo o continente, esse sistema de enclausuramento e exclusão é impelido a uma população aparentemente disposta a aceitar sua necessidade e contribuir para sua construção. Das margens da Europa, a Grande Muralha se move através de várias paisagens fortificadas não identificadas, parando com aqueles cujas vidas são enquadradas por fronteiras e muros. Movendo-se para dentro em direção à sede do poder, o filme aborda o projeto europeu sob uma deslumbrante luz cinematográfica, refratada através do texto misterioso de Franz Kafka; em última análise, questionando a natureza do poder, dentro e fora da Europa.

sab 1 16h – Uranium Film Festival: Chernobyl Durante o Acidente – Inseparáveis (Motylki) de Vitaliy Vorobyov. Versão para cinema. Ucrânia, 2013. Com Elena Kolesnichenko. 118’. Legendas em português. Exibição em MP4 (H264). Classificação indicativa 16 anos. | 18h – Uranium Film Festival: Chernobyl Durante o Acidente – A Zona – Jornada Pós Atômica (The Zone – Post Atomic Journey) de Alessandro Tesei e Pierpaolo Mittica. Itália, 2018. Documentário. 85’. Versão original em inglês sem legendas. Exibição em MP4 (H264). Classificação indicativa 16 anos.

dom 2 11h – Uranium Film Festival: Rejeitos Radiotivos e Segurança Nuclear – Meia vida: a história do último moinho de urânio da América (Half Life: The Story of America’s Last Uranium Mill) de Justin Clifton. EUA, 2016. Documentário. 12’. Versão original sem legendas + Yellow Cake: a sujeira atrás do urânio (Yellow Cake: Die Lüge von der sauberen Energie) de Joachim Tschirner. Alemanha 2010. Documentário. 112’. Legendas em português. Exibição em MP4 (H264) + roda de conversa com a jornalista Joelma do Couto e os professores Alphonse Kelecom (UFF) e Wagner Pereira (Veiga de Almeida). Classificação indicativa 14 anos. | 16h – Uranium Film Festival: Era Atômica – O Brasil na Era Atômica de Jean Manzon. Brasil, 1962. Documentário. 11’ + Dr. Fantástico (Dr. Strangelove or: How I Learned to Stop Worrying and Love the Bomb) de Stanley Kubrick. EUA/Grã-Bretanha, 1964. Com Peter Sellers e George C. Scott. 95’. Legendas em português. Exibição em MP4 (H264). Classificação indicativa 10 anos. | 18h – Uranium Film Festival: Era Atômica – O homem que salvou o mundo (The Man Who Saved the World) de Peter Anthony. Dinamarca/Lituânia/Rússia/EUA, 2014. Documentário. 110’. Legendas em português. Exibição em MP4 (H264). Classificação indicativa 10 anos.

qua 5 15h – Curso – Imagens Convulsivas: cinema e estados alterados de percepção, com o professor Tadeu Capistrano. Em parceria com o Programa de Pós-Graduação em Artes Visuais da Escola de Belas Artes da Universidade Federal do Rio de Janeiro e com o cineclube Risco Cinema. Classificação indicativa livre. | 18h30 – Paralelo – Olhos azuis de José Joffily. Brasil, 2009. Com David Rasche, Cristina Lago e Irandhir Santos. 111’. Exibição em 35mm. Classificação indicativa 16 anos.

qui 6 18h30 – Cineclube Golden Swallow – A vingança de Frankenstein (The Revenge of Frankenstein) de Terence Fisher. Grã-Bretanha, 1958. Com Peter Cushing e Francis Matthews. 90’. Legendas em português. Exibição em DVD. Classificação indicativa 14 anos. Curadoria Yuri Ferreira.

sex 7 18h30 – L.U.T.O. – Hitler IIIo. Mundo de José Agripino de Paula. Brasil, 1968. Com Jô Soares, Eugenio Kusnet e José Ramalho. 70’. Exibição em 16mm. Classificação indicativa 14 anos.

sab 8 14h – Extra – Serras da desordem de Andrea Tonacci. Brasil, 2006. Documentário. 135’. Exibição em 35mm + roda de conversa. Classificação indicativa 16 anos. | 18h – Risco Cinema Extra: Clermont-Ferrand – Festa (Fest) de Nikita Diakur. Alemanha, 2018. Animação experimental. 3’ + Pele (Skin) de Guy Nattiv. EUA, 2018. Com Jonathan Tucker e Danielle MacDonald. 21’. + Todos incluídos (All inclusive) de Corina Schwingruber Illié. Suiça, 2018. Documentário. 10’ + Ano passado quando o trem passou (Last Year When the Train Passed) de Pang-Chuan Huang. França, 2018. Documentário. 17’ + Pro inferno com às regras (Mort aux codes) de Léopold Legrand. França, 2018. Com Olivier Rabourdin, Slimane Dazi e Michèle Goddet. 14’ + A passagem (The Passage) de Philip Burgers e Kitao Sakurai. EUA, 2018. Com Philip Burgers. 22’ + A enchente está chegando (The Flood Is Coming) de Gabriel Bohmer. Grã-Bretanha/Suiça, 2018. Animação experimental. 9’. Versões originais sem legendas ou com legendas em inglês. Exibição em mov (H264) + roda de conversa. Curadoria Camille Varenne. Classificação indicativa 14 anos

ter 11 19h – Pré-estreia – O Rio Negro são as pessoas de João Tezza Neto e Juliana Barros. Brasil, 2019. Documentário. 52’. Exibição em mov (H264) + roda de conversa com a equipe e do lançamento do livro “O Rio, As Pessoas, o Filme”, de Maringas Maciel e Bárbara Umbra. Classificação indicativa 10 anos.

qua 12 15h – Curso – Imagens Convulsivas: cinema e estados alterados de percepção, com o professor Tadeu Capistrano. Em parceria com o Programa de Pós-Graduação em Artes Visuais da Escola de Belas Artes da Universidade Federal do Rio de Janeiro e com o cineclube Risco Cinema. Classificação indicativa livre. | 18h30 – Paralelo – Madame Satã de Karim Aïnouz. Brasil, 2002. Com Lázaro Ramos, Marcela Cartaxo e Flávio Bauraqui. 105’. Exibição em 35mm. Classificação indicativa 16 anos.  |  20h30 – Pré-estréia – Queda d’água de Lucas J. Badini. Brasil, 2019. Com Isa Morelli Elias e Antônio Valadares. 23’ + Abate de Lucas Vionzón. Brasil, 2019. Com Isis Mendes e Isabela Molisani. 15’ + A mulher que eu era de Karen Suzane. Brasil, 2019. Com Andréa Rodrigues, Thiago Monteiro e Gabriela Meneses. 11’. Exibição em mov (H264). Clasisficação indicativa 12 anos

qui 13 18h30 – Urubu Cine: Maria Luiza Aboim – A Formação do Outro – Creche-Lar de Maria Luiza Aboim. Brasil, 1978. Documentário. 9’. Exibição em mov (H264) + Teu nome veio da África de Maria Luiza Aboim. Brasil, 1979. Documentário. 37’. Exibição em 16mm + Cidadão Jatobá de Maria Luiza Aboim. Brasil, 1987. Documentário. 14’. Exibição em 35mm + roda de conversa. Classificação indicativa 14 anos. Curadoria Lucas Parente.

sex 14 14h – Bloosmday (cancelado)

sab 15 9h – Bloosmday: Lacan leitor de Joyce – Abertura: “Bloomsday: James Joyce”. Irlanda, 2014. Vídeo promocional. 1’54”. Versão original em legendas. Exiubição em MP4 (h264). + Mesa redonda: “As armas de Joyce”, com a participação de Sheila Abramovitch, Vera Pollo e Maria Anita Carneiro Ribeiro. Jornada de estudos, conferências, projeções e atividades culturais alusiva às relações entre as obras do escritor James Joyce e do psicanalista Jacques Lacan. Classificação indicativa livre. | 10h – Blomsday: Sessão Comentada – Os vivos e os mortos (The Dead) de John Huston. Com Angelica Huston, Donal McCann e Helena Carroll. 83’. Legendas em português. Exibição em MKV. Sessão seguida de apresentação da canção “Lass of Aughrin”. Classificação indicativa 14 anos. | 14h – Bloosmday: Lacan leitor de Joyce – Conferência I com a psicanalista Colette Soler. Palestra seguida de leitura dramatizada com Antônio Quinet e Vanissa Santos. Classificação indicativa livre. | 17h – Bloosmday: Lacan leitor de Joyce – Lançamento do livro “Lacan, letor de Joyce”, com tarde de autógrafos com a autora Colette Soler. Evento seguido de apresentação com músicas e danças irlandesas. Classificação indicativa Livre.

dom 16 9h – Bloosmday: Lacan leitor de Joyce – Conferencia II com a psicanalista Colette Soler. Palestra seguida de jornada de trabalhos de literatura, psicanálise, música, artes cênicas e cinema. Encerramento com Irish coffe. Classificação indicativa livre.

seg 17 19h – Rotatória Filmes – Voltando para casa de Thiago Kistenmacker. Brasil, 2014. Com Cauê Pereira, Roney Villela e Thainá Rocha. 27’ + Canto da sombra de Thiago Kistenmacker. Brasil, 2016. Com Fabrizzia Milione, Geise Lima e João Rocha. 23’. Ontem de Thiago Kistenmacker. Brasil, 2017. Com Sanni Est, Gabriela Reis e Bruno Brandão. 14’ + Pré-estreia Aquarela de Thiago Kistenmacker e Al Danuzio. Brasil, 2018. Com Luna Gandra, Rosa Ewerton Jara, Al Danuzio e Urias de Oliveira. 15’. Exibição em mov (H264) + roda de conversa. Classificação indicativa 10 anos.

qua 19 15h – Curso – Imagens Convulsivas: cinema e estados alterados de percepção, com o professor Tadeu Capistrano. Em parceria com o Programa de Pós-Graduação em Artes Visuais da Escola de Belas Artes da Universidade Federal do Rio de Janeiro e com o cineclube Risco Cinema. Classificação indicativa livre. | 18h30 – Cineclube Moventes – Um olhar a cada dia (To vlemma tou Odyssea / Το βλέμμα του Οδυσσέα) de Theodoros Angelopoulos. Grécia / França / Itália / Alemanha / Grã-Bretanha / Iugoslávia / Romênia / Albânia / Bosnia e Herzegovina, 1995. Com Harvey Keitel e Erland Josephson. 176’. Exibição em 35mm + roda de conversa. Classificação indicativa 16 anos.

dom 23 19h – Pré-estreia – Crônicas de amores líquidos de Luan Monteiro e Bárbara Reis. Brasil, 2019. Com Eliara Las-Casas, Gabriel netto, Alexandre Voillú, Manoela Dexheimer e Leon Marques. 20’+ Watermelon de Luan Monteiro. Brasil, 2018. Com Manoela Dexheimer e Joyce Canle. 1’20’’. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 14 anos.

seg 24 18h30 – Cine Fantástico – O asilo do terror (Asylum) de Roy Ward Baker. Grã-Bretanha, 1972. Com Barbara Perkins e Richard Todd. 88’. Legendas em português. Exibição em MP4 (H264). Classificação indicativa 14 anos.

qua 26 18h30 – Sessão Pianeiro: Programa Georges Méliès – Quatro cabeças é melhor que uma (Un homme de têtes). França, 1898. Com Georges Méliès. 1’ + Viagem à Lua (Le Voyage dans la lune). França, 1902. Com Georges Méliès e Jehanne D’Alcy. 13’ + O desafio infernal (Le cake-walke infernal). França, 1903. Com Georges Méliès. 5’ + O cassino clandestino (Le tripot clandestin). França, 1905. Com Georges Méliès. 3’ + O melômano (Le mélomane). França, 1903. Com Georges Méliès. 3’ + O caldeirão infernal (Le chaudron infernal). França, 1903. Com Georges Mèliès. 2’ + O homem com a cabeça de borracha (L’homme à la tête en caoutchouc). França, 1901. Com Geroges Méliès. 3’ + As cartas vivas (Les cartes vivantes). França, 1905. Com Georges Méliès. 3’ + Os cartazes en farra (Les affiches en goguette). França, 1905. Com Georges Méliès. 3’ + O locatário diabólico (Le locataire diabolique). França, 1909. Com Charles Claudel, Octavie Huvier e François Lallement. 6’ + O rei da maquiagem (Le roi du maquilage). França, 1904. Com Georges Méliès. 3’ + O taumaturgo chinês (Le thaumaturge chinois). França, 1904. Com Georges Méliès. 3’ + Barba-Azul (Barbe-Bleu). França, 1901. Com Georges Méliès. Jehanne D’Alcy e Bleuette Bernon. 12’ + Novas lutas extravagantes (Nouvelles luttes extravagantes). França, 1900. Com Jehanne D’Alcy e Georges Méliès. 2’ + O homem orquestra (L’homme orchestre). França, 1900. Com Georges Méliès. 2’. Legendas em português. Exibição em DVD + acompanhamento musical ao vivo por Cadu. Classificação indicativa livre.

qui 27 18h30 – Sessão Retrolâmpago – Suspense de Lois Weber. EUA, 1913. Com Lois Weber e Val Paul. 10’ + O espelho da vida (Shoes) de Lois Weber. EUA, 1916. Com Mary MacLaren e Harry Griffith. 60’. Legendas em português. Exibição em bluray + apresentação e seguida de sorteios de cartazes + roda de conversa. Classificação indicativa 10 anos. Curadoria Igor Andrade Pontes. Produção Drica Lima.

sex 28 18h30 – Sessão Comentada – Sonho de uma noite de verão (A Midsummer Night’s Dream) de Mas Reinhardt e William Dieterle. EUA, 1935. Com James Cagney e Dick Powell. 133’. Legendas em português. Exibição em MKV. Sessão comentada pelo Curador da Cinemateca Ricardo Cota. Classificação indicativa 10 anos.

sab 29 15h – Risco Cinema – “Super 8”, palestra do prof. Rubens Machado. Classificação indicativa livre.

17h Risco Cinema A grande muralha The Great Wall de Tadhg O’Sullivan. Irlanda, 2015. Com Nicolette Creighton. 72’. Legendas em português. MP4 (H264) + debate. Curadoria Lucas Murari, Luiz Garcia

20h Pré-estreia Rosas de Ivann Willig. Brasil, 2019. Com Kassandra Brandão, Pedro Pauleey, Tatiana Tiburcio, Tuna Dwek. mov (H264) + roda de conversa + coquetel

dom 30 18h – Inhotim Arte Presente – Matthew Barney de Pedro Urano. Brasil, 2017. Documentário. 52’ + Chris Burden de Pedro Urano. Brasil, 2017. Documentário. 52’. Exibição em mov. (H264) + roda de conversa. Classificação indicativa livre.

ENTRADA FRANCA

cinemateca@mam.rio